A foto na estante está voltando? 

Antes de começar a escrever esse post pensei em diversos assuntos que pudesse abordar. E escolhi esse por conta da velocidade com que a fotografia está tomando nos dias atuais.

Ontem participei de uma palestra na SFF (Sociedade Fluminense de Fotografia) sobre a Fotografia de Família, (local ao qual aconselho e indico uma visita), em que o palestrante o mestre Antônio Alberto Mello Simão, disse que a “fotografia de estante está retornando”.

Fotografia na estante via shutterstock.com
Fotografia na estante via shutterstock.com

 

De fato, se voltarmos alguns anos no tempo, era muito comum nas casas, principalmente nas salas, a fotografia de família ou de casamento (ou mesmo as fotopinturas, tema para outro post) dos donos da casa. Posada, tradicional e devidamente registrada, em posição de destaque. Lembro-me de muitas no interior do estado (Vassouras), onde em cada casa fazia parte de item comum, obrigatório e sagrado.

Hoje em dia, com o advento de inúmeros aparatos para registro fotográfico, isso está voltando. As paredes não estão mais tão nuas. Cada vez mais as novas famílias buscam profissionais para registrar suas ‘memórias’. O quadro estático na parede vem carregado de novas lembranças, um novo estilo.

Os ensaios fotográficos se popularizam, as pessoas não querem apenas o quadro, mas um álbum carregado de emoção e energia, um DVD que registre a sessão e é claro em alguns casos, que o mundo inteiro saiba que sua estante está repleta de sorrisos.

Com isso, os novos e antigos profissionais munidos de suas câmeras, ideias e técnicas, invadem no bom sentido, esse universos e resgatam a magia do tempo com seus olhares apurados e sensibilidades para eternizar esse momento maravilhoso  e o mercado fotográfico se anima e alheio a qualquer informação de crise o registro das memorias não pode ficar perdido e cabe a nós profissionais da área manter essa tradição sempre viva, mas como?

Fotografia de Família via shutterstock.com
Fotografia de Família via shutterstock.com

 

Uma boa dica é conversar com a família que busca esse tipo de serviço e/ou apresentar a ideia e muitas das vezes sugerir o tipo de registro e finalizações. Um ensaio externo, dentro de casa ou estúdio? Muitas são as opções e cabe ao profissional identificar qual delas se encaixa em seu cliente ou ao que pretende realizar. Gosto particularmente de um conjunto que resgate o passado com um álbum moderno de fotografias impressas. Há muitos no mercado para isso, e há casos em que um álbum mais sofisticado é a pedida para os mais exigentes e para outros apenas impressões emolduradas bastam.

E assim retornam os quadros sobre as estantes, nichos na parede ou a impressão em grandes formatos que tenha destaque na parede, impresso em Canvas e emoldurado finamente para um destaque merecido na parede principal.

Não podemos deixar passar esses momentos e sejam eles, no tradicional ou nos mais modernos estilos, sempre haverá quem se recorde dos tempos idos (quiçá não mais), em que cada casa se apresente de volta o charme das fotografias nas paredes.

No próximo post, vou falar um pouco mais do assunto e trazer algumas dicas que colhi por aí.

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

  • Dia desses fui a uma formatura (graduação em contabilidade) e recebemos da formanda, como lembrança, um monóculo fotográfico, daqueles que colocamos contra a luz para ver a foto. Recordo na infância, de termos monóculos da família toda. Era comum no interior presentear um parente com um monóculo. Pensei que não existia mais e achei de muito bom gosto o presente. Como se não bastasse o formato, a imagem da formanda com seu capelo era tipo pinhole, remetendo aos velhos tempos. Fico feliz em saber que os porta retratos estão sobrevivendo as redes sociais e permanecem nas paredes e estantes de nossas famílias. Parabéns pelo artigo.

  • Antônio Fernandes

    Olá Joseli. Muito nobre seu texto, bem porque, tenta resgatar uma tradição que unia pessoas e famílias, Hoje é tudo muito "Líquido", conforme fala Zygmunt Bauman, As pessoas não se detém mais na frente de álbuns ou porta retratos para ali buscarem um pouco de sua história. Quem vai preservar aquilo que não conhece?. Espero realmente que esse hábito retorne, possam estimular nossos filhos a isso sem m,que entendam como cafona. Não quero minhas fotos na "nuvem" , no CD ou no PC. Já estou separando as minhas para revelar. Fotos que irão representar um pouco da minha história e das pessoas que a fizeram comigo.

    • Joseli Alves

      Olá Antônio Fernandes, que bom que tenha gostado. A ideia é essa mesma, retomar a discussão das fotos reveladas e resgate das fotografias na estante. Abs

  • Antonio Simão

    Obrigado prezado Joseli Alves da Silva por haver me dado a honra de assistir a minha humilde palestra e por comentá-la nesse belíssimo post tão bem escrito por você. Realmente a fotografia esta voltando às estantes. Com a minha admiração e aplausos. Antonio Alberto Mello Simão.

    • Olá grande mestre, sua palestra foi muito reveladora e acredito que tenha inspirado a todos que participaram da mesma a 'clicar' com outro pensamento. Sim. vamos voltar a preencher os espaços nas estantes com belas lembranças. Um fraterno abraço.

  • Itamar Sales

    Assistindo a vídeos de Sebastião Salgado pelo YouTube, vi em uma parede de sua casa diversas fotos impressas e emolduradas. Além disso, o que me chamou a atenção foram fotos originais presenteadas por amigos de Salgado. Uma prática rara nos dias de hoje, infelizmente.

    • Oi Itamar Sales, de fato é bem raro, mas creio que mudando para outros olhares além da existência apenas em um aparato digital e escondido, mas agora na(s) estante(s).

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar