Foto Arte

Filmes indicados para fotógrafos: A Lista (parte 2)

Gostaram das indicações de filmes que repassamos? Tem mais!

Dando continuidade à grande lista de filmes indicados pela blogosfera fotográfica, segue a segunda parte, a contar de onde paramos… aponte o lápis/prepare a caneta (ou apenas abra seu app preferido de anotações =P) e vamos lá!

Ah, alguns filmes a partir daqui podem estar sem descrição ou comentário, então quem já tiver visto, fique à vontade para enviar-nos!

Não viu a parte 1? Tá aqui! 😉

 

23: O sal da Terra (2014)

Um fotógrafo que é quase uma unanimidade, mas que também tem seus críticos, e as críticas chegam a ser mordazes, ainda que ele passe longe de ser um equivalente a Romero Britto: assim pode ser bem resumida e grosseiramente apresentado Sebastião Salgado. (…) O filme O sal da Terra é justamente para apresentar a pessoa do Sebastião Salgado, e especialmente sua fotografia(do autor — ler resenha)

24: McCullin (2012)

A vida não é um romance, e ser fotógrafo de guerra não é viver num livro de Robert Capa. McCullin é um documentário que retrata não apenas o trabalho do fotógrafo Donald McCullin, com sua beleza algo mórbida, mas também o lado cruel do trabalho fotográfico em meio a um conflito bélico — especialmente as consequências para o profissional. (do autor — ler resenha)

25: Câmera obscura (2008)

Filme argentino maravilhoso e extremamente sensível, baseado num conto homônimo de Angélica Gorodischer. Gertudris é uma mulher que nasceu fora dos padrões estéticos de beleza e sempre dá um jeito de escapar das fotografias escondendo o seu rosto. Depois de casar, ter filhos e viver uma vida pacata, ela acaba se apaixonando por um fotógrafo francês que consegue enxergar a beleza da alma desta mulher. Dirigido pela ótima María Victoria Menis, uma revelação do cinema latino. (Photos)

26: Salvador: O martírio de um povo (1986)

Dirigido pelo mestre Oliver Stone, o filme é baseado na história real de Richard Boyle, um jornalista que viaja como correspondente estrangeiro para El Salvador em companhia de um amigo. Lá ambos descobrem um país em plena guerra civil, onde os direitos humanos não são respeitados e crianças, mulheres e padres são assassinados com violência e total impunidade. (Photos)

27: Eu não sou a tua princesa (2011)

Filme baseado na história da polêmica fotógrafa romena Irina Ionesco que foi processada em 2012. O motivo? Ela fotografava a sua filha pré–adolescente nua e em poses eróticas nos anos 70, em Paris. O filme é dirigido por Eva Ionesco, a própria filha da fotógrafa. Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência. (Photos)

28: Sob o fogo cerrado (1983)

Três jornalistas em um triângulo amoroso estão envolvidos em intrigas políticaseste incendiário suspense co-estrelado por Joanna Cassidy e o indicado ao Oscar Ed Harris prenderá sua atenção do início ao fim. Russell Price (Nolte) é um atirado fotógrafo de reportagens que se vê em um dilema entre seu amor pela repórter Claire Stryder (Joanna Cassidy) e sua amizade pelo marido dela, Alex Grazier (Hackman). Ele também é torturado pelas incertezas de que caminho seguir quando lhe pedem que tome partido, ao invés de apenas tirar fotos, na guerra entre o governo da Nicarágua e os rebeldes sandinistas. Mas quando perde de vista a objetividade e se envolve na escaramuça, Russell pode perder ambas as batalhas e sua vida, pois ele se vê Sob Fogo Cerrado de todos os lados! (From Me to You)

29: Gentlemen’s relish (2001)

Nesta comédia histericamente alto astral definido no início do século 20 em Londres, artista frustrado Unido Swann, interpretado por Billy Connolly,aceita um presente uma câmera que transforma sua vida. Começando uma novacarreira na fotografia, ele expressa sua aptidão artística em retratos maisdesenfreadas de nus em ambientes clássicos e, portanto, sujeita-se no centro das atenções de notoriedade do desprezo. (From Me to You)

30: Momentos eternos (2008)

Baseado na história real de Maria Larsson, a primeira e uma das maiores fotógrafas suecas, que vivia em Gotemburgo no início de 1900. Muito pobre, ela e seu noivo compram um bilhete de loteria cujo prêmio era uma câmera fotográfica. Eles ganham a câmera no sorteio e Maria tenta vendê-la ao fotógrafo da cidade que lhe mostra como funciona aquele estranho objeto.  A arte de fotografar dá à Maria Larsson condição de ter uma “vida paralela” ao papel de dona-de-casa de um marido violento e com sete filhos. (From Me to You)

filme Everlasting moments (Momentos eternos)
Cena de “Momentos eternos” (Everlasting moments — 2008)

31: A cidade dos fotógrafos (2006)

Durante o período da ditadura de Pinochet, um grupo de chilenos fotografou os protestos e a sociedade chilena em suas mais variadas facetas. Suas fotografias serviram para apoiar o testemunho das vítimas da ditadura, e foram fundamentais para iniciar processos de justiça. Alguns deles foram reprimidos brutalmente, outros assassinados… (From Me to You)

32: The mexican suitcase (2011)

Em 2007, perdido há muito tempo as fotografias invisíveis de Robert Capa e dois outros fotógrafos da guerra civil, David Seymour e Gerda Taro apareceu misteriosamente na Cidade do México, a cineasta Trisha Ziff leva os espectadores para descobrir sua origem. (From Me to You)

33: Guest of Cindy Sherman (2008)

Neste documentário a tímida Cindy Shermanfala sobre ser uma mestre do disfarce tal como realizada por seu estilocamaleônico na fotografia e sua Interpretação de Papéis e a entrega de um olhar intimista sobre seus métodos artísticos(From Me to You)

34: Frames from the edge: Helmut Newton (2009)

Este filme segue Helmut Newton e suas imagens provocantes aos seus locais de fotografia favoritos de Paris, Monte Carlo, Los Angeles e Berlim. (From Me to You)

35: Rock’n’roll exposed: The photography of Bob Gruen (2011)

O mais importante fotógrafo de rock, Bob Gruen, registrou meio século de música através das lentes da sua câmera. Ele é conhecido por ser discreto e não invasivo na vida dos pop stars, com isso ele fez muitas imagens icônicas do mundo do rock. No documentário tem depoimentos de amigos de Bob, como Yoko Ono, Iggy Pop, Green Day, Alice Cooper, Tommy Ramone, Debbie Harry e muitos mais. (From Me to You)

36: Pictures from a revolution (1991)

Sinopse (traduzida): Em 1978, a fotojornalista Susan Meiselas havia acabado de passar pela Nicarágua enquanto o governo de Anastasio Somoza era derrubado e os nacionalistas e (medianamente) socialistas Sandinistas assumiam o poder. Algumas das fotos que ela fez posteriormente foram utilizadas para propaganda por ambos lados na guerra civil que seguiu-se logo após.
Dez anos depois, após anos de guerra civil contrarrevolucionária por insurgentes apoiados pelos EUA, o país alcançou certa acomodação com todas as facções envolvidas, e neste ponto a fotógrafa retorna para entrevistar os envolvidos. Fica claro que, não importando a situação prévia do país, os Estados Unidos atuaram cruelmente na manutenção de seus próprios interesses notados — usualmente aliados proximamente a preocupações comerciais. Além disso, as lamentáveis facções na guerra civil da Nicarágua tornaram-se peões durante a Guerra Fria entre os EUA e a União Soviética. Nesse documentário os cineastas buscaram exilados nos EUA e no Canadá para obterem um quadro mais completo da história. (From Me to You)

37: A testemunha ocular (1992)

Neste filme podemos ver Joe Pesci como o protagonista de uma produção na qual interpreta um fotojornalista que se dedica a fotografar cenas de cadáveres. De uma ou outra forma, se arranja para conseguir a informação que lhe permita ser o primeiro a chegar na cena do crima, para poder vender posteriormente suas fotografias. Embora não se chegue a tais extremos, demonstra a dificuldade em ser um fotojornalista e a importância de ser o primeiro a chegar. (Cultura Fotográfica)

38: O grande hotel Budapeste (2014)

O filme com direção e roteiro de Wes Anderson, se passa entre a primeira e a segunda guerra mundial, onde o famoso gerente do Grande Hotel Budapeste conhece um jovem empregado do estabelecimento e eles acabam virando melhores amigos. Juntos, descobrem o roubo de um quadro famoso do Renascimento, a batalha de uma família pela fortuna e as primeiras transformações históricas do século XX. O filme teve 9 indicações ao Oscar em 2015, entre elas de Melhor Fotografia.

Wes Anderson é conhecido pela sua estética impecável em suas obras audiovisuais, ele e sua equipe têm o dom para escolher a cor, ângulo, enquadramento certo para cada cena, cada momento, cada frame. Wes usa e abusa de cores pastéis com uma pegada bem vintage, o cenário sempre é bem estruturado e colorido, a fotografia é simétrica e com ares minimalistas, e um de seus enquadramentos favoritos seria o plongée (ou seja, a câmera filma o objeto de cima para baixo). (Photos)

39: O regresso (2015)

O longa é baseado na história real de Hugh Glass e se propõe a contar as desventuras deste homem que sobreviveu ferido e perseguido por índios no inverno congelante do norte dos EUA. Um filme que foi notoriamente gravado em condições longas e difíceis. Para o diretor de fotografia Emmanuel “Chivo” Lubezki, as condições foram necessárias para comunicar a experiência: “Nós queríamos fazer um filme que era imersivo e visceral. A ideia de usar luz natural veio porque queríamos que o público sentisse, eu espero, que as coisas estavam acontecendo de verdade”.

Emmanuel já gravou sob tais condições anteriormente, mas esta foi a primeira vez em que ele não utilizou luz artificial, exceto por um momento em que o fogo de uma sequência no filme estava se comportando de forma inesperada, e eles precisaram recorrer a algumas lâmpadas para criar a luz proveniente do fogo. E durante todo o filme, Emmanuel utilizou apenas lentes angulares, de 12 a 21mm, justamente para causar essa sensação de imersão para o espectador e aproximar o público da história. [veja um pouco do resultado aqui no DG] (Photos)

40: O fabuloso destino de Amélie Poulain (2001)

O filme dirigido por JeanPierre Jeunet, tem como diretor de fotografia Bruno DelBonnel. O trabalho meticuloso do diretor Jeunet nessa obra, fez dele um ícone de fotografia e direção de arte. Para ele, a realidade já é muito cruel, o que faz com que busque criar imagens fantasiosas sobre a própria realidade. A peculiaridade na escolha e no uso das cores dá um ar poético e melancólico ao filme, com sensibilidade e ao mesmo tempo intensidade de todas elas, que estão no cenário, figurino, filtros de lente e também foram utilizadas na edição.

O filme conta a história da doce e ingênua Amelie, uma menina que cresceu sob os cuidados de pais superprotetores que a proporcionaram uma infância solitária. Após certa idade Amelie se muda para Paris, onde encontra uma caixa antiga escondida em seu apartamento e resolve devolvê-la ao dono, decidindo que se o dono da caixa ficasse feliz ela sempre iria ajudar as pessoas. Os personagens principais são caricatos e fora do comum, parecendo ter saído de um livro de histórias infantis e suas histórias entram em foco ao longo do filme, todos recebem algum tipo de ajuda da protagonista, mas o que não era esperado era que ela encontrasse alguém para deixa-la feliz, e começa uma jornada romântica e sensível para encontrar um rapaz misterioso pelo qual ela se apaixonou. (Photos)

41: A lista de Schindler (1993)

O longa narra a história de Oskar Schinder, o homem responsável por salvar mais de mil judeus da inevitável morte no Holocausto. Stevel Spielbeg é o responsável pelo filme que é quase todo em preto e branco. Spielberg disse que queria trazer uma atmosfera de documentário e que a falta de cor era a melhor representação para a época. “Para mim a cor é o símbolo da vida. Por isso um filme sobre o Holocausto tinha que ser em preto e branco”. Além disso, Spielberg conta com a iluminação perfeita do diretor de fotografia Janusz Kaminski. (Photos)

42: A invenção de Hugo Cabret (2011)

Ambientado em Paris nos anos 30, o filme traz a história de Hugo Cabret, um órfão que vive escondido nas paredes da estação de trem. Ele guarda consigo um robô quebrado, deixado por seu pai. Um dia, ao fugir do inspetor, ele conhece Isabelle, uma jovem com quem faz amizade. Logo Hugo descobre que ela tem uma chave com o fecho em forma de coração, exatamente do mesmo tamanho da fechadura existente no robô. O robô volta então a funcionar, levando a dupla a tentar resolver um mistério mágico.

A Invenção de Hugo Cabret faturou os principais prêmios técnicos do Oscar. Com uma fotografia primorosa, dourada e cheia de luz (recriando bem a Paris da época), alguns movimentos de câmera improváveis surgem a todo instante, revelando cenários de tirar o fôlego, que são valorizados com a ótima montagem. (Photos)

43: Moonrise kingdom (2012)

Situado nos anos 1960, com roteiro de Wes Anderson e Roman Coppola, o filme conta a história de um jovem casal que se apaixona e decide fugir. Os líderes da cidade começam a disseminar a ideia de que eles foram sequestrados e iniciam uma busca.

O diretor fotográfico Robert Yeoman escolheu cores pastéis, paisagens que poderiam ser coloridas, mas tornam-se parte do imaginário dos protagonistas, que enxergam as cores do mundo em alguns ambientes de forma bastante destacada – mas não veem tais cores como adornos ou possível causadoras de sensações. As cores apenas estão lá; os ângulos, precisos e retos, em longos e elaborados planos, também ilustram a personalidade de seus protagonistas; assim como o comportamento dos adultos, infantilizados – ou apenas expondo seus verdadeiros pensamentos. (Photos)

44: Gravidade (2013)

Emmanuel Lubezki, responsável pela fotografia do filme, grande vencedor do maior prêmio do cinema americano em 2014, levou para os cinemas do mundo inteiro uma nova e inspiradora visão da imensidão em que nosso planeta flutua, um plano de fundo cheio de beleza e detalhes contrastante para a frieza da história e agonia da personagem vivida por Sandra Bullock.

Conquistou com “Gravidade” seu primeiro Oscar de melhor fotografia, sendo sua 6ª indicação. O filme é a sexta colaboração entre Lubezki e Alfonso Cuarón no cinema e conta a trajetória de uma astronauta que fica à deriva no espaço. Possui um enredo direto, mas se destacou por conta da qualidade estética e técnica com que foi feito. Para quem assiste o filme, principalmente nas telas maiores, a sensação é de que o diretor foi até o espaço com todo o seu equipamento fotográfico para captar as melhores imagens. (Photos)

foto: La hija del acomodador
indicações (pt 2): Kinócio, Portal Photos (1, 2),
From Me to YouiTunes, Cultura Fotográfica

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no Atelliê Fotografia.

1 Comentário

Clique aqui para comentar

Receba 15 livros de fotografia

Aprenda DE GRAÇA os principais segredos dos experts em fotografia com os nossos livros digitais.
Insira aqui o seu melhor email

Aprenda DE GRAÇA os principais segredos dos experts em fotografia

Insira aqui o seu melhor email