Recomendação
Capa » Cursos » Ganhar Dinheiro » Ganhar Dinheiro na Fotografia – Parte 1/11

Ganhar Dinheiro na Fotografia – Parte 1/11

Aqui começamos mais uma série de artigos que culminará com a publicação de um novo e-Book. E para o lançamento desta novidade preparamos uma série de promoções. Iremos sortear cursos, assinaturas de revistas e muito mais. Siga lendo este artigo e veja como participar.

Costumo dizer que uma coisa é fotografar bem, ser reconhecido e admirado por outros fotógrafos e também por amigos e parentes pela beleza das imagens que produz, outra completamente diferente é fazer com que isso tudo se transforme em dinheiro.

Preço, Marketing e Outras coisas importantes

Baseado nessa observação trarei para os leitores do FotografiaDG uma série de artigos tratando de temas fundamentais para fotógrafos, mesmo que não relacionados ao ato fotográfico em si, e sim com questões da vida profissional de quem tem ou quer ter a fotografia como seu ganha pão. Sendo assim, vamos falar de formação de preços em fotografia, marketing, divulgação, criação de produtos e pacotes de serviços, promoções, enfim, falaremos de dinheiro, como ganhá-lo e como não perdê-lo.

Quando um fotógrafo amador decide ganhar a vida com fotografia ele toma uma decisão consciente, de ganhar dinheiro com aquilo que gosta, e várias outras decisões não tão perceptíveis e nem sempre conscientes.

A decisão de se tornar um profissional da fotografia tanto pode ocorrer quando a pessoa é jovem e que desta forma irá trilhar o caminho da fotografia como sua primeira e talvez única carreira, como pode surgir após mudanças de rumo nas quais engenheiros, médicos, advogados, jornalistas, publicitários, designers ou quaisquer outros profissionais optam por mudar o rumo de suas vidas para se tornarem fotógrafos.

O momento da vida de uma pessoa em que isso acontece não importa, mas o conjunto de decisões conscientes e inconscientes sim. Algumas das questões que devemos ter em mente são:

-  A troca da estrutura tradicional de emprego pela vida de trabalho autônomo com a inevitável troca da rentabilidade estável do salário pela instabilidade financeira da vida de autônomo, o que traz a necessidade de criar métodos de trabalho que contornem essa dificuldade;

-  A criação de estresse ao transformar uma prática agradável em uma atividade da qual se extrai o dinheiro para viver, com a provável perda de encanto, total ou parcial, no decorrer do tempo pela fotografia, criando no fotógrafo profissional a necessidade de buscar novas formas de aliviar o estresse agora causado pelo trabalho com fotografia;

-  A aceitação de um número maior de funções e encargos pelo autônomo, que passa a ser ao mesmo tempo chefe e empregado, contador, gerente, estrategista, relações públicas e fotógrafo dos trabalhos, o que faz com que muitas vezes o profissional tenha uma carga diária de trabalho muito superior ao que alguém usualmente tem no emprego;

-  A dificuldade de obter renda em uma atividade que pode ser exercida livremente por qualquer um, e que desta forma tem grande número de praticantes, poucas regras que balizem o exercício profissional e muita concorrência.

-  A necessidade de adquirir enormes quantidades de conhecimento externos à fotografia em si, que envolvem informática (criação de sites, blogs, uso de mídias sociais), marketing (técnicas de venda, posicionamento de mercado, precificação), legislação (direito autoral, contratos, licença de uso) entre outros.

centro velho panoramica 001pq 619x285 Ganhar Dinheiro na Fotografia   Parte 1/11

Panorâmica feita no Centro de São Paulo

Os pontos que citei são apenas cinco entre uma infinidade de aspectos que a pessoa decide e aceita consciente ou inconscientemente ao dizer para si mesmo: “serei um fotógrafo profissional”.

Em termos práticos significa que a partir da decisão tomada, você deverá conduzir seu aprendizado na fotografia de forma a obter conhecimentos necessários para executar a fotografia dentro do mercado que pretende atuar (como moda, eventos sociais, publicidade, jornalismo etc.), definirá seu posicionamento de mercado, o que inclui definir preço, formas de divulgação e publicidade, técnicas de venda, entre outros. Também  deverá planejar a quantidade de vendas para atingir um rendimento mensal e assim reduzir os riscos financeiros da atividade autônoma, e assim por diante.

Tudo isso tem um nome: planejamento de carreira. E acreditem, uns 99% dos fotógrafos atualmente no mercado jamais pensaram em planejar suas carreiras, elas simplesmente vão acontecendo. E graças a essa atitude displicente muitos estão com dificuldades financeiras, falindo e abandonando a fotografia.

Vejam os tópicos que serão abordados daqui em diante:

  • Ser patrão e funcionário ao mesmo tempo;
  • Formação de preço;
  • Posicionamento de mercado;
  • O valor que você se dá e o valor que os clientes dão a você;
  • Promoções suicidas e outras formas kamikaze de marketing;
  • Técnicas de Negociação;
  • Preparação de Orçamentos;
  • Ética profissional;
  • Análise de Marketing, métricas, ferramentas etc.;
  • Observações sobre o mercado e conclusões.

No próximo artigo trataremos da dualidade entre ser seu patrão e funcionário ao mesmo tempo e como não fazer com que essa dupla personalidade inerente a todo fotógrafo, cinegrafista e outros profissionais de imagem acabe com sua qualidade de vida.

Mas antes do próximo artigo chegar, temos uma grande surpresa! O Fotografia DG, em parceria com o Estúdio Vernaglia e com o Instituto Internacional de Fotografia irá sortear um vale no valor de R$800,00 (Oitocentos Reais!) que poderá ser descontado em qualquer um dos cursos do IIF.

Para concorrer ao vale de R$800,00 em um curso do IIF você deve seguir o perfil do @fotografiadg , do fotógrafo @VernagliaJr e do IIF @cursosiif no twitter. Depois de nos seguir apenas tem que fazer um tweet com a seguinte frase:

Sigo @fotografiadg @VernagliaJr e @cursosiif e quero ganhar vale de R$800,00 para estudar no IIF  http://kingo.to/EHy

Apenas será sorteado um vale. O sorteio será realizado pelo sorteie.me e o vencedor vai ser divulgado no dia 14/06 no twitter e aqui no FotografiaDG junto com o próximo artigo desta série. Pode participar até ao final do dia 13/06.

Se você é de fora de São Paulo, o IIF tem cursos e workshops de final de semana, e o vale poderá ser descontado de qualquer curso da escola, assim todos podem participar!

Participe, não perca esta chance! Nos vemos em breve, grande abraço,

Armando Vernaglia Junior
www.vernaglia.com.br
Siga-me no Twitter: @VernagliaJr

Se gostou do artigo compartilhe!

"O Fotografia DG não se responsabiliza pelas opiniões, textos e imagens divulgadas pelos seus Colunistas.
Cada autor é responsável pelo conteúdo do seu artigo".

Armando Vernaglia Jr tem mais de dez anos de experiência como fotógrafo publicitário e diretor de arte. Graduado em Publicidade e Propaganda e especializado em Comunicação Organizacional, é também professor de fotografia e palestrante. Seu trabalho pode ser conhecido em seu site - www.vernaglia.com.br . E você também pode seguí-lo no Twitter @VernagliaJr

15 comentários

  1. Grande Vernaglia, lá vem mais uma excelente série.

  2. Brilhante!

    Mais uma vez a combinação Vernaglia, Fotografia DG e EBook é receita certa para sucesso e, principalmente, para ajudar os fotógrafos iniciantes e profissionais!

    O tema vem muito a calhar com a massiva onda de fotógrafos que colocam seus serviços a disposição em sites de compra coletiva, e com isso banalizam a profissão e relegam o status de arte da fotografia!

    A falta de um conselho de classe que possa nos representar prejudica a categoria, e são ações como essa, desta brilhante série de artigos, que vem a colaborar para o engrandecimento da profissão!

    Parabéns!

    • Olá Diogo, obrigado! Realmente, num tempo em que tantos fotógrafos fazem tanta besteira em termos de marketing e administração de seus próprios negócios, achei que era mesmo o caso de trabalhar este tema. E concordo com você, a falta de um conselho de classe só piora nosso atual cenário, então cada um de nós tem que fazer sua parte. Nos veos ao longo da série, obrigado!

  3. Excelente artigo e iniciativa … já esperando os próximos.

  4. Ótimo artigo, senti-me totalmente contemplado e ficou o gostinho de quero mais (sabendo que vem bronca por aí).

  5. Pessoal, está online a segunda parte da série!
    "Ser patrão e funcionário ao mesmo tempo, questões importantes", http://t.co/exU3zZG

    Comentem de novo, obrigado pela vossa visita :-)

  6. nossa gostei muito das dicas essa é a atitude correta a se tomar antes de abrir qualquer negocio e quero muito abrir minha propria loja mas ainda vejo que estou meia despreparada por isso vou esperar mas um pouco e pedir ajud

  7. Armando, por favor me ajude pois não consegui fazer o download do E-Book Ganhar dinheiro na Fotografia. Qual o procedimento?

  8. Quando contei a novidade para o marido duma prima minha, ele afirmou que eu deveria encontrar outro emprego, pois deveria primeiro saber o que eu queria para depois parti pro "lazer". Eu já sabia que ramos de artes não é algo tão bem valorizado aqui no Brasil, como o caso de escritores, porém, mesmo que com um começo meio duro eu sei que dá pra viver.

    O que acha desse pensamento de "lazer" perante ramos como esse?

    • É um pensamento normal em países com tão baixa taxa de educação e cultura como o Brasil. As pessoas compram revistas e jornais, visitam sites, e não percebem que toda a imagem ali contida é feita por fotógrafos, designers e ilustradores, entre outros profissionais de imagem. Vão ao cinema e não entendem que aquilo tudo é feito por profissionais. Isso é fruto de ignorância, mas além da questão educacional/cultural do país, devo dizer que essa ignorância é em grande parte incentivada pelos fotógrafos, pois a maioria se nega a estudar de verdade, trabalhar duro, pesquisar, regulamentar a área, adotar procedimentos comerciais éticos e corretos, entre outros pontos. Enquanto pessoas acharem que a compra de uma câmera e um cursinho básico resolve para se dizer profissional, aí a coisa continuará ruim. Coisas da vida, cabe a nós irmos mudando isso, com trabalho, estudo, pesquisa, dedicação.

      • Eu sei que o mercado artistico não é fácil, mas sei que quem lutou por aquilo, mesmo sofrendo no começo, agora é bem respeitado. Eu tenho como foco maior a escrita, e sei que aqui é pouco valorizado, mas já estou procurando lugares que melhor valorizem assim como países. A fotografia é uma paixão recente, ainda me considero um iniciante do mais baixo nível mas já estou procurando leitura e até vídeos sobre, logo, quero de fato aprender mais, quero fazer dessa segunda paixão como uma forma de também ganhar a vida.

        O que minha família não entende é que sei que vou sofrer, não preciso de mais sermões sobre dificuldade, o que realmente preciso é de apoio, mas se não quiserem dá então que não tentem me impedi. Eu particularmente odeio essa ideia de que artes é "lazer", e se for preciso sair até do país pra ter uma maior chance para ganhar status, eu farei, pois é esse meu objetivo.

        • Isso é normal, toda vez que temos uma pessoa que queremos bem, e que esteja fazendo algo que no nosso modo de ver seja uma besteira, iremos tentar impedir. =^) O ponto é que cada um tem sua versão do que seja uma besteira, e daí surgem esses conflitos, é normal, você não terá apoio no sentido que está esperando. Há famílias mais libertárias e que apreciam mais arte a ponto de abraçar a idéia, mas é minoria, então nem esquente a cabeça com isso, mas trabalhe duro para mostrar que eles estão errados, do contrário dará razão a eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top