Home » Atualidade » Câmeras

Apple patenteia câmera de imagens refocáveis

Assim como nas Lytro, a ideia é alterar o foco posteriormente ao clique, via software.

de: Apple Insider

A Apple conseguiu registro de patente para uma certa “Digital camera including refocusable imaging mode adaptor” (Câmera digital que inclui adaptador para modo de imagem refocável), conforme publicado pelo escritório de patentes americano. A patente relata um método no qual o usuário pode obter uma imagem em certa resolução e refazer o foco depois do fato, e nota-se ainda na tal patente a inclusão de um sistema em dispositivo portátil, como um iPhone.

Apple patenteia câmera de imagens refocáveis

A patente descreve uma câmera plenóptica, também conhecida como “câmera de campo de luz” (light-field camera), que utiliza um arranjo de microlentes na forma de um adaptador em vez de um componente fixo e integrado, como visto na que é sem dúvida a mais famosa câmera do tipo, a Lytro. O fundador dessa empresa, Ren Ng,  chegou a visitar a casa de Steve Jobs, falecido co-fundador da Apple, depois que este demonstrou interesse na tecnologia, para exibir o invento antes de sua exibição pública.

Na verdade, a patente cita a invenção de Ren Ng como arte anterior, mas observa melhorias podem ser feitas em relação a qualidade e resolução de imagem.

Plenoptic

A tecnologia de campo de luz usa chamadas microlentes dispostas em frente a um sensor CMOS ou  CCD , que juntos formam um ” sensor de raio ” capaz de captar a intensidade da luz em função da posição e ângulo. O conjunto de microlentes dirige a luz de uma forma específica e previsível com base na abertura da lente . No caso da patente da Apple , cada microlente corresponde a um conjunto fixo de imagem pixels. Após a informação de luz gravada, um software pode ser usado para se concentrar e focalizar a imagem correspondente .

Ao contrário da Lytro, o design da Apple emprega um adaptador móvel situado entre o elemento de lente e do sensor de imagem . O adaptador mantém o conjunto de microlentes , ou seja, a câmara pode funcionar em dois modos distintos: alta resolução não refocável e de baixa resolução refocável. O componente de microlentes da Lytro também pode ser movido para mais perto ou mais longe do sensor, mas não completamente removido do percurso da luz. A patente agora registrada descreve o adaptador como um módulo óptico comutável montado num suporte, em que uma placa de vidro também é posicionada para fotografias normais de alta resolução .

Plenoptic-2

Modo de baixa resolução, refocável, com arranjo de microlentes ativo

Quando no modo de refocagem de baixa resolução, como visto acima, o módulo óptico é posicionado entre a lente e o sensor, criando, assim, um sensor de raios. A patente registra que o sensor grava os dados de luz a partir dos registros de microlentes (posicionamento) e ângulo de incidência (direção). A resolução espacial é limitada ao arranjo de microlentes.

No modo de alta resolução sem refocagem, visto a seguir, o módulo óptico comutável se move para uma posição diferente, na qual a placa de vidro situa-se entre a lente e o sensor de imagem. Al uz é redirecionado pelo painel de vidro no sensor para criar uma imagem da cena como seria uma câmera normal. O vidro tem um índice de espessura e refração, que compensa o ajuste do plano focal feito para acomodar o conjunto de microlentes. Este modo permite a resolução completa do sensor a ser utilizado.

Plenoptic-3

Modo de alta resolução não-refocável com arranjo de microlentes inativo

Em algumas modalidades, o hardware inclui recursos como os de um smartphone, como a capacidade de fazer ligações telefônicas e se conectar a uma rede sem fio. Outras partes da patente incluem um sistema que pode ser usado como um acessório add-on para qualquer câmera existente — um pensamento interessante, dados os preços da Lytro, que começam em US$ 299.

Não se sabe se a Apple vai empregar a tecnologia em um modelo de iPhone mais tarde, embora a solução seja uma adição bem-vinda para muitos usuários que têm dificuldade para se concentrar em telas pequenas. Talvez o mais interessante seja a possibilidade de uma câmera de vídeo light-field. Filmes refocáveis seriam um ótimo complemento para o iPhone, que carece de controles táteis para focar na mosca.

A patente para o adaptador plenóptico da Apple foi solicitada pela primeira vez em 2011 e credita John Norvold Border e Richard D. Young como seus inventores.

[divider]

Comentário do Al.Maia:

Já achava e continuo achando ótima a ideia, embora ainda fique decepcionado com o fato de que assim como nas Lytro, as imagens feitas no modo de refocagem serão em baixa resolução. Resta saber em quão baixa resolução, que definição terão e se vai rolar o efeito que eu chamaria de “Apple-follow” (ou algo assim), de quando a Apple faz algo que já existia, um pouco diferente, e de repente um nicho que parecia semimorto é aquecido estrondosamente, como aconteceu após o lançamento do primeiro iPad, que surgiu muito depois de outros tablets que já existiam. Aguardemos o próximo capítulo da história.

fontes das imagens: Lytro e Apple Insider

Agradecimentos a Lamartiny Sales,
pela divulgação da notícia

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

 

Gosta de algum dos artigos abaixo?

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar