fbpx

Camera Restricta: a câmera que obriga a ser original 0/5 (1)

Imagine a seguinte cena: você está viajando pela Itália, e diante de uma das obras mais fotografadas do país — talvez até do mundo —, que é a famosíssima Torre de Pisa, na cidade homônima. A tentação de fazer uma foto clichê é grande. Não apenas a tentação, mas também a probabilidade. Mas a excursão que você está acompanhando tem tempo limitado e você não tem tempo de pesquisar no Google Imagens por fotos semelhantes às que você pensa em publicar nas suas redes sociais. E o mais importante: você quer ter ao menos um mínimo de originalidade, não quer chegar no hotel, conectar-se, ver se fez bem e perceber que existem milhares de fotos muito parecidas com a sua. Como fazer? Há um aplicativo uma câmera para isso!

A câmera, com toda sua especialidade, não é ainda um modelo encontrável em lojas por todo o mundo, no entanto. É um conceito pensado pelo designer e fotógrafo alemão Philipp Schmitt, que classifica a sua Camera Restricta (como é chamada a câmera) como “uma ferramenta desobediente para produção de fotografias únicas”. Ela faz nela própria o que você faria com ajuda do celular, equilibrando câmera de um lado, celular de outro, e de olho no relógio pelo tempo da estada do grupo da excursão ali e etc. Como ela faz isso? Ela localiza-se por GPS e faz uma busca via Web por fotos tiradas por perto (obviamente, fotos que foram georreferenciadas). Se a câmera percebe que foram tiradas fotos demais por ali, ela bloqueia o visor e retrai o disparador — e além dos sinais físicos e gráficos (vide a galeria abaixo), há também o alerta sonoro, disparando um clique por cada foto encontrada na área de 35monde você encontra-se. Schmitt indica que esse sinal sonoro da Restricta pode tornar divertida a experiência de buscar por lugares com poucas ou nenhuma foto tirada ali — mesmo que apenas para fazer umas selfies.

Segundo Schmitt, o nome Camera Restricta é uma referência à primeira câmera fotográfica, a chamada Camera Obscura e, ainda de acordo com o inventor, é um conceito que não precisa necessariamente estar numa câmera física que você venha a comprar: pode ser adicionado via atualização de software, transformando seu celular numa camera restricta. O conceito da Camera Restricta é uma proposta contra a superabundância de imagens, muitas vezes bastante parecidas, além de proporcionar a experiência de (tentar) ser o primeiro ou o último a fotografar determinado lugar ou motivo (quem nunca quis ser o autor da última foto tirada de um monumento destruído por alguma organização islâmica?).

 

via Petapixel, Philipp Schmitt

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Chat
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar Cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros no seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar nos nossos esforços de marketing.
Política de Privacidade
Aceitar Cookies
Rejeitar Cookies
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar Cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros no seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar nos nossos esforços de marketing.
Política de Privacidade
Aceitar Cookies
Aceitar Cookies