Home » Atualidade » Eventos » Cobertura do Photoshop Conference 2012

Cobertura do Photoshop Conference 2012

- Última Atualização a: 13/06/2014

Há uma certa ironia no fato de eu ser escalado para fazer a cobertura do Photoshop Conference 2012, afinal faço sempre questão de que minhas fotografias saiam prontas, ou quase prontas, da câmera, sobrando o mínimo de trabalho possível para o Photoshop. Mas independente do que acho ideal, muitas vezes por questão de prazo, agenda e orçamento, pode ser necessário que uma imagem seja tratada, manipulada ou montada com o uso do Photoshop, pode ocorrer da agenda de uma pessoa a ser fotografada não coincidir com as agendas de outras pessoas, só restando a montagem. Outras vezes o custo de deslocar toda uma equipe e um produto até uma locação é proibitivo e assim fotografar o produto em estúdio e montá-lo junto ao cenário imaginado numa foto de banco de imagens vira a solução. Com tudo isso em mente fui para a Photoshop Conference ver se aprendia truques novos desse software. Este já é um evento tradicional em São Paulo, sua edição 2012 aconteceu entre os dias 16 e 18 de abril, no Centro de Convenções Rebouças.

É interessante notar que um evento de tecnologia como esse se deu sem disponibilizar acesso à internet através de sinal WiFi aos participantes, bem como é possível mencionar que o Centro Rebouças não tem vagas de estacionamento suficientes, o que obrigou bastante gente a procurar estacionamentos na região. O mesmo pode ser citado sobre a lanchonete do local, pequena e sem condições de dar conta das enormes filas nos intervalos. São detalhes negativos em um evento que de forma geral se mostrou muito bem organizado e com palestras de bom ou ótimo nível.

O evento durou três dias, cada palestra com duração de uma hora. Foram diversas palestras por dia, o que por um lado permite uma quantidade enorme de informação, por outro nenhum tema pode ser visto em grande profundidade devido à curta duração de cada apresentação.

Ao longo do evento ocorreram palestras com nomes de peso nas áreas de fotografia e ilustração, bem como experts no Photoshop em si. Nomes como Alexandre Keese, Brasilio Willie, Daniel Xavier, Clicio Barroso, Getulino Pacheco, Leonardo Luz e Kauê Luz, entre outros, estiveram no palco tratando de áreas diversas, do fluxo de trabalho digital à impressão fine art, das montagens e fusões ao gerenciamento de cores, da ilustração à fotografia e ao 3D. Um mapa completo de temas pertinentes com palestrantes capacitados.

Um dos destaques do evento foi sem dúvida Daniel Xavier, um dos profissionais mais conhecidos do Brasil em tratamento de imagens, que apresentou a palestra Retoque Criativo. Nela Daniel mostrou de forma simpática e bem humorada que muitas vezes o trabalho de montagens e fusões no Photoshop é manual, cuidadoso e demorado, que muitas vezes não é possível com truques rápidos e que grandes resultados só são mesmo possíveis com muitas horas de dedicação, técnicas apuradas e um cuidado muito grande no acabamento. Ele exemplificou com uma propaganda de banco na qual o fotógrafo contratado clicou apenas dois dos diversos personagens presentes na imagem, os outros vieram de bancos de imagem, todos recortados, tratados e inseridos num cenário de um aeroporto, imagem esta também de banco de imagens, que por sua vez teve o céu trocado e um avião inserido através de montagem. Um trabalho final que reuniu diversas fotos de banco de imagem, algumas imagens clicadas para o trabalho e muito trabalho manual de Photoshop para unir tudo harmonicamente.

Outro destaque foi a correta e técnica palestra de Marcelo Copetti (que na verdade foi dividida em dois dias para ter mais tempo devido ao tema mais técnico), sobre gerenciamento de cores, incluindo as vantagens de uso do color cheker e da criação de perfis de cor para o ajuste de cor e ganho de produtividade na conversão de arquivos RAW, o uso de arquivos em 16bits de profundidade de cor para maior qualidade, perfis ICC, conversão RGB/CMYK, entre outras técnicas e dicas úteis. Nenhuma novidade foi dita, mas pelas perguntas dos participantes, deu para perceber que muita gente ainda tem dúvidas e dificuldades nesse assunto, fazendo com que mesmo uma palestra sem novidades tenha sua utilidade para a maioria das pessoas.

Um terceiro destaque que quero mencionar é a palestra de Flávio Eduardo falando de CGI, mais precisamente do software Modo e os processos que envolvem fotografia e pós produção unindo o trabalho de Photoshop e o de 3D no Modo, e embora 3D seja um tema complexo e repleto de detalhes, a palestra foi suficiente para ilustrar o potencial do software, muitas vezes com capacidade de substituir a fotografia com prazos melhores e potencialmente com custos inferiores ao da produção fotográfica.

A palestra de Clicio Barroso, nome amplamente conhecido entre fotógrafos trouxe mais informações sobre o Lightroom 4, inclusive Clicio lançou seu novo DVD Lightroom 4 Para Fotógrafos no evento, um produto altamente recomendado para quem usa o Lightroom em seu workflow.

A conclusão que tenho do evento é bastante positiva, mas além disso de alguma forma confirmei minha opinião de que cada vez mais os recursos de Photoshop são necessários para um fluxo de trabalho coerente e rápido, no entanto o ideal continua sendo que tratamentos complexos não sejam feitos pelo fotógrafo e sim por um tratador de imagens especializado que domine as técnicas e recursos sem ter que improvisar ou demorar demais para achar uma solução para um problema. O mesmo vale para a impressão, um printer especializado saberá detalhes do processo que são complexos para o fotógrafo dominar. Desta forma o mercado de fotografia deveria se portar como o mercado de vídeo, onde o cinegrafista filma, o editor edita e o finalizador dá o acabamento, essa lógica deve ser aproveitada pela fotografia dando ao fotógrafo a possibilidade de se especializar no que realmente importa, composição e luz, enquanto o tratador de imagens realiza fusões e acabamento, o printer fine art domina os papéis e tintas e assim por diante. Todos os profissionais envolvidos devem ter conhecimento das outras etapas do trabalho, mas cada um em sua especialização.

Por fim, para quem pensa que o Photoshop resolve tudo, penso que uma frase de Daniel Xavier resuma bem a necessidade de uma fotografia de alta qualidade: “se a foto for ruim, o resultado final fica mais ou menos”, reforçando a idéia de que por melhor que seja o trabalho de photoshop, boas fotos ainda são fundamentais.

Um último aspecto negativo que eu gostaria de ressaltar, entre tantos positivos do evento: falta alguém falando sobre vídeo, num tempo de equipamentos híbridos e softwares integrados, é uma falha grave este tema ter sido praticamente ignorado no evento, ficando aqui a sugestão para que isso seja corrigido para a próxima edição.

Resumo da ópera? Um ótimo evento, bem completo, cheio de informações úteis e que vale o ingresso, mas que teve pequenas falhas, que se não tiram o brilho do evento, ainda assim precisam ser corrigidas.

Nos vemos em breve.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Armando Vernaglia Jr

Armando Vernaglia Jr tem mais de dez anos de experiência como fotógrafo publicitário e diretor de arte. Graduado em Publicidade e Propaganda e especializado em Comunicação Organizacional, é também professor de fotografia e palestrante. Seu trabalho pode ser conhecido em seu site - www.vernaglia.com.br . E você também pode seguí-lo no Twitter @VernagliaJr

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Carrinho