Fotometria + Flash – parte 1 de 9 – Introdução 4.83/5 (6)

Começo aqui uma série de artigos sobre fotometria e flash, assuntos que trato desde 2003 em cursos e palestras que ministrei. Espero conseguir transpor para estes artigos uma boa parte desse conteúdo acumulado, estudado e testado ao longo dos anos.

Em meu modo de ver a fotografia está apoiada em dois suportes: a técnica e a estética. Um não vive sem o outro pois de nada adianta uma fotografia perfeita em termos técnicos mas que nada comunica, não emociona nem faz pensar. Por outro lado uma foto cheia de conteúdo, mensagem e criatividade, acabará perdendo todo o seu poder se for realizada com técnica pobre, criando ruídos de comunicação que impedem que o conteúdo seja compreendido.

Fotometria

Foto: Avenida Paulista, São Paulo, Brasil – aqui vemos como a correta fotometria nos
permite compreender a imagem sem perder detalhes, sem perda de tempo corrigindo a foto no
computador e sem recorrer a truques de manipulação.

Nesta série de artigos tratarei exclusivamente da técnica. Deixarei que cada um de vocês se aprofunde na estética vendo o trabalho de grandes fotógrafos, pintores, cineastas etc, pois é a cultura visual acumulada ao longo de uma vida que dá repertório e conteúdo para  cada um de nós.

Ao longo desta série “Fotometria + Flash” veremos os seguintes tópicos:

  • O que é Fotometria;
  • Como funciona o fotômetro da câmera e os modos de medição pontual, matricial etc.;
  • Como funciona o fotômetro de mão, seus prós e contras sobre o fotômetro da câmera;
  • Histograma, o que é e como usar;
  • Latitude de exposição e amplitude tonal;
  • Flash dedicado TTL, o que é e como funciona;
  • Flash dedicado TTL como luz de preenchimento;
  • Flash dedicado TTL como luz principal;
  • Conclusões e observações.

Para o primeiro tópico, “O Que é Fotometria”, penso que o significado da palavra já nos mostra exatamente do que estamos falando, afinal foto significa luz e metria significa medição, portanto fotometria nada mais é do que o conjunto de técnicas e métodos para medir a luz, seja a luz ambiente, a do flash ou ambas ao mesmo tempo.

Para deixar claro a importância dos temas que serão tratados, esta sequência de artigos visa corrigir um grupo de situações muito comuns que provavelmente já foram vivenciadas por todos os fotógrafos, sejam iniciantes ou mais experientes, como momentos em que havia um belo céu azul à sua frente mas o mesmo saiu branco ou muito mais claro do que de fato era, ou ainda casos em que o flash foi usado e o primeiro plano ficou muito claro enquanto o restante da foto quase desapareceu de tão escuro.

Esses problemas já aconteceram com todos os fotógrafos e mesmo alguns experientes profissionais ainda se deparam com situações de luz com as quais não conseguem lidar adequadamente para obter boas fotografias.

Nos veremos ao longo das próximas semanas (3ª e 5ª Feira) com a continuação desta série, espero que gostem, fiquem à vontade para postar perguntas, dúvidas e sugestões.

Para não perder nenhum artigo desta série siga o meu twitter  ou o do Fotografia DG para ser lembrado a cada nova publicação. Poderá ainda assinar a newsletter do Fotografia DG e receber os artigos no seu email, basta para isso introduzir os seus dados (nome e email) no formulário disponibilizado em baixo.

 

Ao final, o conjunto destes artigos será disponibilizado na forma de um e-Book gratuito.

Até lá.

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Armando Vernaglia Jr

Armando Vernaglia Jr tem mais de dez anos de experiência como fotógrafo publicitário e diretor de arte. Graduado em Publicidade e Propaganda e especializado em Comunicação Organizacional, é também professor de fotografia e palestrante. Seu trabalho pode ser conhecido em seu site - www.vernaglia.com.br . E você também pode seguí-lo no Twitter @VernagliaJr

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar