Home » Atualidade » Câmeras » Fuji X-Pro2 vira realidade

Fuji X-Pro2 vira realidade

Demorou, mas saiu: foi anunciada a Fujifilm X-Pro2 — e é uma bela renovação frente à antecessora

 

Depois de começar a ficar relegada aos mais antigos X-photographers (como são chamados os fotógrafos usuários da linha X da Fuji), a X-Pro1 praticamente não possuía mais atrativos frente a outros modelos da marca, que lançou várias câmeras de variados tipos após sua flagship — e chegou quase a perder tal posto por causa da X-T1, mesmo sendo de outra categoria.

Enfim, após tantos pedidos, rumores e tantos sinais  de que a X-Pro1 já não era das maiores prioridades da Fujifilm (especialmente nos updates cada vez mais escassos), é chegado o dia em que não apenas confirmamos certas informações que constavam no burburinho fotográfico; como também percebemos que, sim, a Fuji dá ouvidos aos seus usuários, e uma das maiores provas — ou belo conjunto de provas, bem seja dito — é a Fuji X-Pro2. Que, convenhamos, ficou uma câmera considerável, tendo em conta as outras da linha X e até mesmo outras notáveis do mundo mirrorless.

Afinal, o que tem no tabuleiro desta baiana japonesa? Um avançado visor híbrido, obturador (mecânico) de velocidade até 1/8000, uma nova simulação de filme (chamada ACROS) e um monitor com 1,62 milhão de pontos. Mas destacaria outros pontos, que certamente são mais chamativos e úteis:

  • Corpo com vedação
  • Nova sincronismo de flash, até 1/250
  • ISO expansível a 100-51.200
  • Um mais preciso sistema de AF
  • Slot duplo para cartões
  • …e os tão aguardados 24 megapixels

A resistência a poeira e respingos (weather resistance) seria de praxe numa câmera cujo corpo não sai por menos de mil dólares e é bastante desejada entre os profissionais (e, convenhamos, o Pro da série não é por acaso). São mais de 60 pontos de vedação. Outro ponto a justificar o Pro é o novo sincronismo de flash, agora até 1/250. Certamente agradará a muitos profissionais que trabalham com flashes e por vezes necessitam de velocidades maiores para trabalhar confortavelmente.

Já o ISO expansível a 100 e a 51.200 não é apenas uma questão de números maiores: a novidade esconde-se na observação de que a partir de agora teremos uma Fuji clicando a ISO mais baixo, e também — principalmente — acima de 6400 sem a obrigação de ser forçado a clicar em JPG (já discutimos aqui no DG as desvantagens, link ao final). Juntando-se a isso, temos na X-Pro2 maior possibilidades de configurar o Auto ISO, uma das vantagens ganhas pela nova câmera sobre a X-T1. Não sei até que ponto vale subir o ISO ampliando o número de megapixels, mas sendo este um novo sensor (a 3ª geração dos APS-C Xtrans está sendo inaugurada neste modelo), acho mais seguro esperar os resultados práticos.

O aumento dos megapixels, por sinal, era sem dúvida uma das coisas mais aguardadas na linha X, e tenho certeza que um dos pontos que mais convencerão fotógrafos a adotarem a X-Pro2. O novo lançamento pode ter vários pontos em comum com a X-T1, mas um dos pontos fortes e únicos da X-Pro2 são os 24 megapixels, contra os 16 dos modelos APS-C anteriores. Esse tipo de característica, que não se adquire com uma atualização de firmware deverá reduzir os receios de investir (caro) na nova X-Pro e sentir-se depois ludibriado pela Fuji ao ver uma câmera ‘inferior’ ganhar novos ares via update.

E falando em aumentos, teve ainda mais um, significativo,que foi a multiplicação de números de pontos de foco. Tanto os pontos com AF por detecção de fase (que agora são 77) quanto os utilizados no quadro em geral cresceram enormemente — estes últimos agora são impressionantes 273 pontos! Foi ampliada também a possibilidade de compensação na exposição, dos já tradicionais ±3 para ±5. Completando essa parte, tem ainda um visor híbrido que parece-me sensacional e, como se não bastasse, um joystick! O ansiado joystick veio em perfeita hora, afinal pode-se cansar fácil em meio a tantos pontos ao fazer a seleção do ponto de sua preferência.

Outra mudança também muito aguardada, e que os rumores relatavam que viria numa X-T1 (e não veio em nenhuma das duas versões desta) foi o slot duplo para cartões. Agora é possível utilizar dois cartões simultaneamente na câmera, podendo um dos cartões ser um velocíssimo UHS-II. E não foi a única mudança física: é possível na X-Pro2 um ajuste mais direto do ISO, o que não era possível na primeira geração da câmera. Possivelmente não será tão prático quanto o dial dedicado da X-T1, mas ajudará bastante.

Ufa! Não fosse o formato já produzido anteriormente e a linha já começar a ficar saturada, eu diria que esta poderia ser uma nova série na linha X da Fuji, tantas foram as novidades. Que acham?

 

Ah, para quem ainda ficou com dúvidas sobre diferenciais da X-Pro2 frente a outras, segue uma comparação montada pelo Dpreview, colocando lado a lado a nova X-Pro, a antiga e em meio às duas, a X-T1. Para mais infos, os comentários estão abertos!

Fujifilm X-Pro2
Fujifilm X-T1
Fujifilm X-Pro1
Quantidade de pixels24MP16MP16MP
Pontos de AFSistema híbrido de 273 pontos (77 com AF por detecção de fase)Sistema híbrido de 77 pontos (15 com AF por detecção de fase).
49 diretamente selecionáveis (9 com AFDF)
Sistema de 49 pontos AF por detecção de contraste.
Todos diretamente selecionáveis
VisorOLED de 2,36 mi pontos/Optical HybridOLED de 2,36 mi pontosLCD de 1,44 mi pontos/Optical Hybrid
Faixa de ISO200-12800
(expansível a 100-51200)
200-6400
(100-51200 apenas em JPEG)
200-6400
(100-25600 apenas em JPEG)
Configurações de Auto ISO311
Taxa máxima de quadros
com AFC/com Live View
8 fps / 3 fps8 fps / 3 fps6 fps / 3 fps
Velocidade máxima do obturador1/8000 (Mecânico)
1/32000 (Eletrônico)
1/4000 (Mecânico)
1/32000 (Eletrônico)
1/4000 (Mecânico)
Velocidade de sincronismo1/250 s1/180 s1/180 s
Gravação de vídeo1080/60p1080/60p1080/24p
Wi-FiSimSimNão
Menu Q customizávelSimSimNão
‘My Menu’ pesonalizadoSimNãoNão
Controles diretosVelocidade do obturador
Compensação de exposção
Modalidade de AF
ISO
Velocidade do obturador
Compensação de exposção
Modalidade de AF
ISO
Modo de disparo
Tipo de fotometria
Velocidade do obturador
Compensação de exposção
Modalidade de AF
Controle direto de
ponto de autofoco
Sim – JoystickOpcional – às custas de botões personalizáveisNão
Botões personalizáveis66 (2 se AF direto estiver ativado)2
Dial de compensação de exposição±3EV (±5EV utilizando dial dianteiro)±3EV±2EV
Monitor traseiro3″ tipo fixo (3:2)
1,62 mi pontos (900 x 600)
3″ tipo reclinável (3:2)
1,04 mi pontos (720 x 480)
3″ tipo fixo (4:3)
1,23 mi pontos (640 x 480)
Dials de comando2 (tipo push-button)21 (tipo push-button)
Slots para cartão2 (sendo 1 para UHS-II)1 (UHS-II)1 (UHS-I)
Simulações de filme*987
Rastreamento de focoSimSimNão
AF com detecção de olhosSimSimNão
AF em modo MFAF-C ou AF-SAF-C ou AF-SAF-S
Modo PanoramaNãoSimSim
Raw comprimido?Opcional (Lossless)NãoNão
Vida útil da bateria350 OVF
250 EVF
350 EVF~300 OVF
Porcentagem da bateriaSimNãoNão
Mantém zoom ao passar imagens no playbackSimNãoNão
Otimização de objetivasSimSimNão
Simulação de grãoSimNãoNão
Guia de foco Split prismCor/MonoMonoNão
Brightline displaySimN/ANão

* Sem incluir variações de filtros de cor

ATUALIZAÇÃO 17/01/16:
[divider style=”dashed” top=”20″ bottom=”20″]

O Photo Rumors listou várias informações extras sobre o sensor e o processador da X-Pro2, e elas são bem interessantes — e algumas intrigantes!

  • Sensor fabricado pela Sony
  • Primeiro sensor APC-S com transmissão via cobre, e não alumínio (e não retro-iluminado)
  • Leitura do modo de visualização ao vivo (Live View) é de 85 fps (sensor preparado para 100 fps; processador, para 120fps — veja abaixo)
  • Capacidade de leitura do processador X-Pro é de 480 Megapixels por segundo (no EXR II era de 120 MP/segundo)
  • Processador X-Pro é capaz de processar 20 imagens por segundo, 24 megapixels cada (o antigo EXR II, 7.5 imagens/segundo, 16MP cada)
  • Processador X-Pro é um Dual Cortex A7 (500 MHz) (o antigo EXR II era Dual Cortex A4, 312 MHz)
  • Cortex A7 possui um DSP adicional (Digital Signal Processor, ou Processador Digital de Sinal) com taxa de transferência de dados em tempo real (processamento)
  • Processador X-Pro poderia processar um EVF à taxa de 120 fps e com resolução XGA
  • Processador X-Pro é preparado para vídeo 4K 30fps. Comentário da Fuji: a X-Pro2 é focada em fotos, vídeo 4K está reservado para um modelo orientado orientado para multimídia.
  • Processador X-Pro é preparado para USB 3.0 (mas a câmera possui USB 2.0)

Ou seja… se forem certas todas essas informações, quem comprar uma X-Pro2 agora pode ter futuramente uma câmera ainda melhor, assim como já ocorreu com quem comprou a X-T1 logo de início e viu seguidos updates transformarem o modelo praticamente numa câmera nova.

[divider style=”dashed” top=”20″ bottom=”20″]

 

A Fujifilm X-Pro2 estará disponível em fevereiro, e já pode ter seu corpo encomendado (pré-venda), ao custo de 1700 dólares ou 1350 libras esterlinas, mais frete/combustível e eventuais despesas com hotel, imposto no cartão e, uma espantosa taxa de câmbio.

 

via Dpreview (1, 2), B&H

[divider style=”dotted” top=”20″ bottom=”20″]

Links do artigo:

Sobre a Fuji X-T1
Nosso ebook RAW x JPEG
Infos técnicas extras do sensor e o processador da X-Pro2 (segundo o Photo Rumors)

Ajude-nos, avalie este artigo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar