Home » Atualidade

Fujifilm retorna ao médio formato com a GFX 50S

Conforme previam os rumores, a Fuji deu um ousado passo em direção ao mercado mais restrito das câmeras de médio formato

A Fujifilm acaba de anunciar nesta segunda-feira o desenvolvimento de uma nova câmera, que chegará para juntar-se ao seleto time das médio formato: chama-se GFX 50S. Atualmente a área das mirrorless do tipo conta já com a Hasselblad X1D, lançada há quase que exatamente 3 meses. Com isso a Fuji deve torna-se a primeira das marcas mais conhecidas a entrar nesse terreno, o que deve, imagino, abrir mais os olhos dos consumidores avançados de equipamentos para a fotografia nesse formato — possivelmente mais até do que após a tentativa da Pentax com sua 645D, que procurou baratear o investimento nesse campo, já que a marca avisou que o preço do kit da GFX 50S com a 63mm e o visor padrão será bem abaixo dos US$ 10 mil (o que no mercado das MF é fantástico). Fantástico, aliás, parece ter sido o adjetivo eleito pela Fujifilm como meta para a GFX 50S, já que sua sigla pode ser interpretada como great effects (ótimos efeitos).

Epa, falei na 63mm? A Fuji não possui uma objetiva do tipo na série X atual, mas essa nova objetiva não apenas é um novo modelo, como faz parte de um novo mount, o G-mount. Essa nova montagem estreia já com não uma nem duas ou três, mas seis (sim, seis!) objetivas para a linha GFX: são a GF23mmF4 R LM WR, a GF45mmF2.8 R WR, a já citada GF63mmF2.8 R WR, a zoom GF32-64mmF4 R LM WR e mais uma GF110mmF2 R LM WR e uma GF120mmF4 Macro R LM OIS WR (todas weather resistant, nota-se) — muito mais do que as três previstas nos rumores. Como se pode ver, quem embarcar no sistema já estará prontamente bem servido no quesito ‘lentes’.

Tudo isso porque não apenas a Fujifilm não é novata no campo da fotografia em médio formato, como ela também tinha a missão de não ser apenas mais uma marca no setor, uma aventureira de olho apenas num novo filão lucrativo. Afinal, as MF já são digitais há um bom tempo, e bater de frente com marcas tradicionais que não pararam de produzir modelos de maior porte (e de maiores filmes, depois sensores) não era tarefa para principiantes, então era preciso apresentar algo bastante substancial, e creio eu que a Fuji conseguiu a proeza. Sem mais delongas, vejam, finalmente, o visual dela:

 

A Fujifilm GFX 50S possui um sensor de 51.4 megapixels em um corpo sem espelho. Sensor esse que a Fuji afirma ter sido totalmente customizado e desenhado, com 43.8mm x 32.9mm, cerca de 1,7x maior que um sensor 35mm, e aproximadamente 4 vezes maior que o APS-C utilizado nas Fuji X já tão conhecidas do público. Nota: não é um sensor X-Trans, possuindo filtro anti-alias e arranjo cromático de Bayer, como apurado pelo Dpreview. Ela possui um visor (viewfinder) externo que é encaixado em sua hotshoe e pode ainda ser substituído por um outro que pode ser rotacionado. Terá também a opção de ser utilizada com battery grip.

Outros pontos interessantes são o peso, apenas um pouco mais do que a Hasselblad X1D (800g na nova Fuji contra 725 da Hassel), o monitor articulado (com tilt vetical) e a vedação contra poeira e respingos — o que até onde me lembro não é uma combinação comum entre as MF. Ainda pode ser operada num frio de até -10º Celsius.

Já existem duas amostras (os tradicionais samples) no hotsite dedicado à nova linha. Pena não serem disponibilizados em tamanho total, mas o próprio site dá uma noção do poder de detalhamento do kit:

 

© Seiichi Nakamura
Fujifilm GFX 50S + GF63mmF2.8 R WR | 1/8s, ƒ14, ISO 100 — fotógrafo: Seiichi Nakamura

Em suma, uma câmera que parece ter qualidade sensacional, ter um preço idem para o tanto que oferece, um tamanho compacto e ótimo peso. O preço exato de tamanha perfeição não é conhecido [atualização 19/01/17]  O preço do corpo, ainda em pré-venda, é de US$ 6.500, e quem quiser já pode pedir na B&H.

Fujifilm GFX 50S — principais características

  • Sensor de 51.4MP (não X-Trans)
  • Adapta-se a vários formatos: 4:3 (padrão), 3:2, 1:1, 4:5, 6:7 e 6:17
  • Processador de imagens X-Processor Pro
  • Visor eletrônico (EVF) destacável, incluso no kit
  • Resistente a poeira e água
  • Monitor com tilting vertical e horizontal (semelhante à X-T2)
  • Peso de apenas 800g (corpo)

via Dpreview, Engadget, The Verge, Fuji Rumors, Photography Life

Segue o vídeo oficial da câmera…

 

…e a quem interessar, dois vídeos já lançados com fotógrafos apresentando a câmera na prática, na pequena série GFX Challenges, que ganhou episódios com Hiroshi Nonami e com Satoshi Minakawa, além do cronograma de lançamento das objetivas, mais informações técnicas e PDF oficial de apresentação da GFX 50S encontram-se todos no hotsite (link ao final).

ATUALIZAÇÃO de 21/09

De acordo com Rico Pfirstinger, a Fujifilm GFX 50S deve ganhar ainda em sua versão final algumas características, e aproveitou para repassar dados não divulgados anteriormente no anúncio oficial:

  1. O sensor é mesmo baseado num CMOS da Sony, porém a Fuji fez ajustes e melhorias em relação à captação de luz e sua eficiência;
  2. A Fuji afirma que as objetivas devem prover resoluções de até 100MP, logo pode vir pelo menos mais uma GFX com mais megapixels do que a atual por aí;
  3. Recursos Primeira Cortina Eletrônica (EFC, no inglês) e Obturador Eletrônico (ES) serão ainda adicionados;
  4. Recurso de vídeo estará disponível em Full HD a 30fps;
  5. Monitor LCD tátil;
  6. Slot duplo compatível com cartões SD tipo UHS-II
  7. Algoritmo de foco automático por detecção de contraste é estranhamente lento, e só deve funcionar melhor com objetivas de focalização interna (inner focusing) — e infelizmente a única do tipo entre as seis divulgadas é a 32-64mm;
  8. O EVF tem magnificação de 0,85x (para efeito de comparação, a do visor da X-T2 é de 0,77x), com um framerate de cerca de 60fps;
  9. Suporte a tethering com vários programas que trabalham com RAW, via USB (que na câmera é 3.0) ou WiFi (PC, celular ou tablet);
  10. Histograma RGB no modo de visualização ao vivo (Live View);
  11. Vêm aí vários adaptadores para trabalhos com flash e até para utilizar objetivas de outras marcas — um indicativo disso, inclusive, são os 12 contatos eletrônicos na baioneta;
  12. O monitor superior, que mostra as principais configurações, também exibirá as informações com a câmera desligada;
  13. Tanto a câmera quanto as objetivas terão pontos de trava para abertura, velocidade e ISO, cada;
  14. A câmera estará disponível para venda em 5 opções: sem EVF, com o EVF padrão, com EVF reclinável, com EVF padrão e battery grip, e com EVF reclinável mais battery grip. A Fuji promete o lançamento para a primavera de 2017 (hemisfério norte)

via Fuji Rumors / Fuji X Secrets

Links do artigo:

Hotsite da Fujifilm GFX 50S
Dpreview faz hands-on da Fuji GFX 50S (em inglês)
Sobre a Hasselblad X1D
Sobre a Pentax 645D

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar