Mordaça na Espanha

A censura torna-se realidade na Espanha com a criação da “Lei de Segurança Cidadã” aprovada pelo Parlamento espanhol

A lei da mordaça, aprovada pelo parlamento espanhol por 181 votos contra 141 consiste além da censura, em transformar manifestações populares em crime e intolerância contra imigrantes ilegais permitindo a expulsão sumária dos africanos que resolverem atravessar os muros de Ceuta e Melilla, cidades que fazem divisa com o Marrocos e muito próximas ao Estreito de Gibraltar, que juntos chegm a 20 quilômetros de extensão. Pois é, em pleno século XXI em que povos com culturas completamente diferentes estão cada vez mais integrados com o uso da tecnologia e das redes sociais, ainda existem muros que separam uns dos outros. Mas vamos partir para o enfoque jornalístico que afeta a fotografia, já que aqui não é um blog sobre política.

Muro de Melilla/Wikicommons
Muro de Melilla/Wikicommons

 

O teor da “lei da mordaça” mostra claramente que torna-se proibido gravar em vídeo ou fotografar a ação de policiais contra a população (seja ela abusiva ou não) de forma isolada ou em grandes grupos de manifestantes. E o mais absurdo vem nesta reprodução do texto tirado do site Opera Mundi: “as denúncias, atestados ou atas formuladas por agentes da autoridade em exercício de suas funções que tenham presenciado os fatos […], constituirão base suficiente para adotar a resolução que proceda, salvo prova em contrário”. Ora, isso não seria nada além da total inversão do princípio de defesa de um acusado. Agora o cidadão precisará provar que NÃO cometeu tal crime já que a palavra do policial passa a ser prova suficiente para acusação.

O PP (Partido Popular) que é esmagadora maioria no parlamento espanhol consegue, com isso, tornar legal o abuso de poder, o abuso de autoridade, tudo amparado pela lei. Só o fato de você se sentar na calçada em forma de protesto (algo muito comum na Espanha) já pode lhe render uma multa de 30 mil euros, e quem organizar protestos sem comunicar as autoridades poderá pagar multas de até 600 mil euros (baratinho, né?. E o porta-voz do PP, Conrado Escobar, chega ao cinismo de afirmar que “as manifestações serão mais livres, porque estarão protegidas dos mais violentos”. Depois dessa, é melhor eu parar de falar caso eu sofra alguma sanção pois não tenho dinheiro suficiente para pagar tal multa.

Via La Marea, Opera Mundi

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Rodrigo Jordy

Fotógrafo amador que estuda muito sobre fotografia, principalmente equipamentos, e gosta de compartilhar o conhecimento que adquire.

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar