Home » Atualidade » Câmeras » Nikon D5 é lançada em duas versões, porque uma só não basta

Nikon D5 é lançada em duas versões, porque uma só não basta 4/5 (1)

- Última Atualização a: 07/01/2016

A Nikon faz algo inédito e lança no mesmo dia duas Nikon D5 quase iguais, exceto pelo slot para cartão de memória: uma usa o recente e caro padrão XQD; outra usa o velho e eficiente padrão CF

Quem leu o artigo sobre a Nikon D500 e babou com o ISO expandido acima de 1 milhão, irá falar o que da magnífica Nikon D5 que alcança o pavoroso ISO 3280000? Vou escrever por extenso para que fique mais claro: três milhões, duzentos e oitenta mil. É para fotografar na escuridão total, e para isso terá o auxílio do sistema de autofoco de 153 pontos, sendo que 99 deles são cruzados, que termina sendo a parte mais importante deste sistema.

D5 front

E ainda tem o modo contínuo de 12 fps em resolução máxima ou RAW gerando até 200 arquivos.  Para isso a Nikon D5 conta com um novo mecanismo de obturador e espelho para eliminar quase por completo o tempo perdido entre uma foto e outra da sequência e também é a primeira vez que uma DSLR Nikon conta com um processador dedicado exclusivamente para esta tarefa. A fabricante afirma que é o suficiente para cobrir uma competição de 100m rasos completa e confesso que fiquei bastante curioso para ver isso na prática.

Para provar que a Nikon D5 é uma câmera versátil, ela conta ainda com vídeos em resolução 4K; monitor LCD sensível a toque; corpo em liga de magnésio selado contra respingos e poeira; pode controlar o novo flash SB5000 via rádio; e possui uma bateria com vida útil super prolongada de quase 4 mil cliques ou quase 2 horas de gravação de vídeos em HD. Tudo isso com um sensor full frame de 20 megapixels, provando que nem tudo se resume às altas resoluções. Abaixo as especificações deste verdadeiro monstro.

Especificações da Nikon D5:

  • Sensor CMOS de 20.8 megapixels (full frame com 21.33MP de resolução total)
  • Corpo em liga de magnésio resistente a poeira e respingos
  • 153 pontos de foco (99 deles cruzados)
  • Processador EXPEED 5
  • Fotografa em RAW de 12 ou 14 bits, com compressão ou sem e em 3 tamanhos diferentes
  • Sensibilidade ISO 100-102400 (expansível até 50-3280000)
  • Tempo de exposição varia entre 1/8000 e 30 segundos, incluindo modo bulb e sincronia de flash a 1/250
  • Modo contínuo de até 12 fps em resolução máxima limitado a 200 imagens JPEG ou RAW
  • Não possui flash integrado
  • Faz vídeos Full HD com taxa de até 60fps e 4K com taxa de até 30fps no formato MOV e som estéreo
  • Possui monitor LCD de 3.2 polegadas sensível a toque
  • Possui entradas para microfone, fone de ouvido, cabo de rde LAN, mini HDMI tipo C e micro USB 3.0 tipo B, e compatível com unidade GPS GP-1A e wireless WT-5A e WT-6A

Minha opinião sobre as duas versões diferentes: uma possui um slot duplo para cartão XQD e a outra possui um slot duplo para cartão CF. Acho que é um teste para a Nikon saber o quanto as pessoas estão dispostas a migrar do CF para o XQD que até agora não emplacou e é compatível com poucos dispositivos, e olha que ele já está no mercado desde 2012. As duas versões custarão o mesmo preço: 5200 libras/7000 euros/6500 dólares, e estará disponível a partir de março.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Rodrigo Jordy

Fotógrafo amador que estuda muito sobre fotografia, principalmente equipamentos, e gosta de compartilhar o conhecimento que adquire.

26 Comentários

Clique aqui para comentar

    • São muitas diferenças, se for levar ao pé da letra todas as especificações vou ter que fazer um texto de umas 10 linhas. Vou citar as mais relevantes: a 5D possui mais pontos de foco e ISO mais alto, a 1Dx Mark II é mais rápida. Tecnicamente acho a 5D um pouco superior, mas depende muito do uso que a câmera vai ter.

  • Era mais fácil colocar um slot de cada modelo de cartão, e fazer uma pesquisa de mercado para ver a preferencia do usuário.

  • Rodrigo, acho que logo logo, vai estar saindo alguma matéria da Panasonic Lumix ZS100/TZ100 aqui no site…rsrs Só digo que fara um otimo par/complemento para LX100 :)

  • Poderia nos dizer que vantagens teria em relacão aa T-4i, 7D, e 6D (as quais possuo). Desde ja digo que sempre uso o AF central. Nas fotos noturnas que adoro, uso sempre ISO 100 e exposicão longa.
    Guardada as devidas proporcões, não seria o mesmo que ter uma Ferrari e andar a 80 km/h?

    Ps. Continuo te acompanhando sempre !! Parabens e obrigado por tantos ensinamentos.

    • Acho que no seu caso (e também no meu) seria algo bem inútil esse ISO assustador, valeria mais pela curiosidade mesmo, e o mesmo posso dizer do sistema de foco. São aplicações mais específicas para determinado público-alvo e nós não estamos incluídos nele pois eu também sou adepto do ISO baixo e longa exposição.

  • Oi Rodrigo, bacana o teu artigo … mas tem uma informação que não está correta que é a conversão do dolar em euro e libra esterlina porque US$ 6.500,00 é igual a €6.000,00 (aproximadamente) e £4.500,00 (aproximadamente) porque o dólar vale menos que o euro que por sua vez vale menos que a libra esterlina. Abraço

  • Desculpe a ignorância, mas o que significa pontos de foco cruzados? o que isso quer dizer na prática e que diferença isso faz?

    • Os pontos cruzados são os que fazem foco com a câmera tanto na horizontal quanto na vertical. Por exemplo, as câmeras de entrada costumam ter de 9 a 15 pontos de foco mas apenas o central é cruzado, isso quer dizer que se você colocar sua câmera na posição vertical conseguirá o autofoco apenas naquele ponto central.

      Acessando este link (http://henyopinoy.com/wp-content/uploads/2015/11/Canon-EOS-70Dvsd7100-Viewfinder-Information.gif) você tem um exemplo da Nikon D7100 que possui 51 pontos de foco e apenas 15 deles são cruzados, enquanto a Canon 70D possui apenas 19 pontos mas todos são cruzados.

      • Complementando a informação do Rodrigo Jordy: Na verdade, o autofoco vai funcionar com a câmera na vertical sim, em qualquer ponto de foco, seja ele cross-type ou não. Os sensores em pontos de foco não-cruzados são verticais, logo, com a câmera na vertical eles se "tornam" horizontais. Sendo assim, se a imagem possuir qualquer padrão de contraste neste sentido, o autofoco será feito sem problemas. Pontos cross-type simplesmente ampliam esta "sensibilidade" para linhas de contraste em qualquer sentido, num determinado ponto da imagem.

Carrinho