Home » Atualidade » Câmeras » Pentax K3 e a mágica do filtro passa-baixas

Pentax K3 e a mágica do filtro passa-baixas 5/5 (1)

E novamente ouvimos falar do já famoso filtro passa-baixas (low pass ou anti-aliasing), é a nova “febre” do momento na fotografia digital. Parece até que agora há uma obrigatoriedade das fabricantes em retirar este filtro dos sensores, como o X-Trans da Fuji, para aumentar a nitidez e a Pentax também entrou nessa, mas com novidades: em vez de retirar o filtro, a Pentax K3 possui um mecanismo artificial que permite selecionar o uso ou não deste filtro, como se fosse uma simples chave para ligar e desligar. Desta forma, o usuário desta câmera tem à sua disposição a opção de fotografar com ou sem o filtro.

Pentax k3

A Pentax K3 também tem como novidade o sensor de 23.3 megapixels (resolução total de 24.7 megapixels), até então a Pentax usava normalmente um senhor de 16 megapixels. Um outro grande atrativo desta câmera é o sistema de focagem com 27 pontos de autofoco, sendo que 25 deles são do tipo cruzado permitindo focagem automática tanto na horizontal quanto na vertical. Soma-se a isso tudo a estabilização no próprio sensor (já característica das câmeras DSLR Pentax) e corpo em liga de magnésio selado contra poeira e respingos para termos uma câmera capaz de brigar de igual para igual com Canon 70D e Nikon D7100.

Outras especificações técnicas da Pentax K3 são o tempo de exposição entre 1/8000 e 30 segundos; sensibilidade ISO 100-51200; modo contínuo de até 8.3fps (limitado a 60 arquivos JPEG ou 23 RAW); flash pop-up com alcance de até 13 metros em ISO 100; faz vídeos Full HD em formato MOV; possui 2 slots para cartões SD; seu monitor LCD mede 3 polegadas; e a bateria é capaz de aguentar cerca de 720 disparos. E a última grande diferença em relação às suas concorrentes é a possibilidade de fazer vídeos na altíssima resolução 4K (3840×2160 pixels) para time-lapse. Um exemplo muito legal de vídeo em time-lapse é o Time of Rio.

A Pentax K3 estará disponível na cor preta e também em uma edição limitada de 2 mil unidades na cor prata que já virá com um grip de bateria. Começará a ser comercializada em novembro, mas a pré-venda na própria loja virtual da Ricoh já começou. O corpo da K3 preta custa 1.300 dólares/1.300 euros/1.100 libras enquanto a versão prata custa 1.600 dólares/1.550 euros/1.400 libras.

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Rodrigo Jordy

Fotógrafo amador que estuda muito sobre fotografia, principalmente equipamentos, e gosta de compartilhar o conhecimento que adquire.

7 Comentários

Clique aqui para comentar

  • A Pentax já possuia um modelo sem o filtro desde a k-5iis, antes mesmo da d800E sair.
    Também acho errado a comparação dela com a d7100 ou 70d, pois ela está mais para brigar com uma 7D e uma D300s, sendo muito superior aos modelos mencionados. Felizmente o mundo não é feito só de Canon e Nikon!

    • Você tem razão, mas a novidade aqui refere-se ao efeito que simula o uso ou não do filtro. E sobre a comparação, procuro sempre me referir a modelos mais atuais, não vou ficar comparando uma câmera do ano de 2013 com dois modelos do ano de 2009. O que você pode questionar é o fato de eu ter mencionado a briga de igual para igual já que a considera (e realmente é) superior aos dois modelos citados mas para efeito de comparação, com a forma como a tecnologia evolui muito rapidamente nos dias de hoje, não faz sentido comparar câmeras com 4 anos de diferença.

  • Quem diria que a Pentax daria uma resposta à altura na briga entre as câmeras orgulhosamente com low pass e as com X-Trans! Foi sem dúvida um passo além da D800 e sua versão D800E, e muito interessante, ainda mais juntando com as outras características, especialmente os fps e os dois slots pra cartões.

    Está cada vez mais claro que a Pentax basicamente só não ganha um bom pedaço do mercado fotográfico junto com a Fuji se ela não quiser…

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar