Home » Atualidade » Panasonic anuncia sensor orgânico 100x mais sensível que CMOS

Panasonic anuncia sensor orgânico 100x mais sensível que CMOS

Sensor CMOS tradicional perde feio, muito feio para o novo sensor orgânico

 

Hoje pode ser um daqueles dias em que a fotografia dá um pequeno passo que pode terminar numa mudança radical. A Panasonic apresentou ao público seu novo sensor OPF (Organic Photoconductive Film — Filme Fotocondutor Orgânico): este sensor, que foi desenvolvido junto com a Fujifilm, oferece uma faixa dinâmica na captação de sinal de 123 dB, o que equivale a uma sensibilidade 100 vezes maior que os CMOS convencionais, mantendo o mesmo tamanho de sensor.

Fotodiodo e circuitos separados

Um dos grandes marcos que a Panasonic comunica é que esses sensores orgânicos possuem claramente diferenciadas duas partes: o fotodiodo que capta a luz e a converte em sinal elétrico, e a rede de circuitos que processa esses sinais. Em um sensor convencional, o fotodiodo de silício compartilha seu espaço com a rede de circuitos que processa o sinal elétrico do fotodiodo. Em um sensor retro-iluminado (BSI), o fotodiodo se encontra acima e a rede de circuitos por baixo, melhorando ligeiramente a sensibilidade. Nestes novos sensores orgânicos (OPF), o fotodiodo e os circuitos são completamente independentes até onde se pôde trabalhar nestes componentes para melhorar sua eficácia.

 

1366_2000

 

Juntamente à mudança de construção, esses novos fotodiodos vêm recebendo aumentos de seu Coeficiente de Absorção Óptica em 10 vezes com respeito aos CMOS tradicionais. Isso implica que o sensor necessitará de mais sinal para saturar-se e continuará recebendo informação num ponto em que outros sensores já terão alcançado seu valor máximo, daí ‘cortam’ o preto e o branco.

Muito mais fino e com ângulo de captação da luz aumentado. Se em um sensor retro-iluminado a amostra chegava aos 40º, se muito, no caso dos OPF chegará a até 60º. Por pura lógica, incrementando a informação que chega ao fotodiodo, aumenta-se a sensibilidade nos entornos escuros e processa-se melhor a imagem. A Panasonic também comenta que os componentes reduzirão seu tamanho, o que possibilitará incorporar um sensor de alta categoria em uma câmera compacta e facilitará o desenho das objetivas.

Otimização da faixa dinâmica

Além de se conseguir uma estrutura melhorada, foram incluídas melhorias no hardware e no software para potencializar e incrementar esta sensibilidade. Em primeiro lugar, encontramos a Dual-Sensivity Pixel Technology (Tecnologia de Pixel com Dupla Sensibilidade), que incorpora dois fotodiodos diferentes que determinam a luminosidade da cena. Em segundo lugar, a Capacitive-Coupled Noise Canceller Technology (Tecnologia de Eliminador de Ruído com Capacitação Acoplada) que melhorará a intensidade do sinal com respeito ao ruído que é gerado com o ganho digital.

Essa tecnologia não ficará só na investigação, e espera-se que seja aplicada também a toda a gama de produtos de consumo da Panasonic. Veremos talvez em uma futura Panasonic GH-5?

via Xataka Foto / diagrama via 4/3 Rumors

Ajude-nos, avalie este artigo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

2 Comentários

Clique aqui para comentar