Home » Artigos » Dicas » Como se inserir no mercado fotográfico

Como se inserir no mercado fotográfico 5/5 (3)

Vou ser sincera com vocês, talvez eu não seja a pessoa mais indicada do mundo para falar sobre mercado fotográfico, pois sou tão iniciante quanto os que jogaram essa frase no Google e caíram nesse texto.

Porém, depois de muito pesquisar e muito quebrar a cara, acredito que possa dizer que já aprendi bastante sobre o assunto e acho que agora consigo colocar num passo a passo bem didático para vocês.

O que vejo acontecendo muito entre os fotógrafos iniciantes, é a falta de instrução para o trabalho. Não digo aqueles que compram a câmera e já se julgam fotógrafo, mas aqueles que realmente estudaram a técnica, fizeram tudo certinho, sabem fotografar, mas não sabem trabalhar.

Trabalhar com fotografia não é o mesmo que fotografar por si só. É preciso definir uma série de coisas, como qualquer outro trabalho. Vamos aqui tomar como base que profissional da fotografia é aquele que ganha dinheiro com ela. Ponto.

[divider]

Planejamento

O primeiro passo é o planejamento. Isso abrange boa parte do processo, que é somente pensar sobre o que você vai fazer.

O que você vai fotografar? Casamentos? Esportes? Tenha isso em mente antes de sair por aí oferecendo seus serviços.

Costumo sempre dizer: quem fotografa de tudo, não fotografa nada. Procure especializar-se numa área.

[divider]

Público-alvo

O segundo passo é definir o seu público-alvo. Mesmo dentro de uma única área, como casamentos, há diversos tipos de clientes que você pode trabalhar. Há aqueles que gastarão (ou pelo menos, querem gastar) no máximo R$1500 com a parte fotográfica do casamento; e aqueles que vão (e querem) gastar R$8000. E para todos estes, você precisa se adequar.

Se o seu cliente potencial é aquele que gasta 8 mil, ele não vai querer gastar 1500. Isso não é economia, do ponto de vista dele. Isso é um trabalho inferior. Ele quer gastar pois quer qualidade, quer status e tudo o mais que isso acompanha.

Ao mesmo tempo que, de nada adianta oferecer um pacote de 8 mil, se o seu cliente simplesmente não tem condições, por mais que se ofereça descontos ou parcele em 10x.

[divider]

Negócios à parte

Terceiro passo para o fotógrafo iniciante é estar sempre organizado, trabalhando direitinho, cobrando corretamente, fazendo orçamentos justos, mesmo que seja para amigos próximos. E boa parte disso, significa fazer um contrato.

É um erro comum achar que o contrato não se faz necessário algumas vezes, só porque é um trabalho simples ou para um amigo próximo. É bom sempre previnir e ter o contratinho em mãos. É bom para você e para o cliente. É lá que está tudo acordado, onde será o evento ou sessão de fotos, quanto e como o cliente está te pagando, quantas fotos receberá e de que forma. É a maneira mais segura de se trabalhar.

Você pode pedir para algum amigo que fale advoguês (acadêmicos de Direito) te ajudar nessa parte.

Além disso, você também pode se cadastrar como Empreendedor Individual e se legalizar como pequeno empresário, ter CNPJ, emitir notas ficais… Eu ainda não dei este passo, mas pretendo!

[divider]

Quem não é visto, não é lembrado

Essa parte pode ser dificil, ainda mais em meio a tantos fotógrafos bons (ou nem tanto, mas estão aí) que temos atualmente. Sei que é dificil se destacar na multidão e para isso você precisa de um diferencial. Precisa ser visto.

Uma boa maneira de ser visto é a internet. Muitas vezes até gratuita – por meio de redes sociais – ou custando muito pouco, como montando um site personalizado (apróx. R$30 ao ano custa registrar um domínio). O importante é estar lá.

No site você pode, além de colocar as suas fotos, desenvolver uma relação com o cliente. Por meio de blogs as pessoas podem conhecer um pouquinho mais sobre você e se identificar com o seu trabalho.

É mais fácil conseguir clientes que já foram cativados pela sua maneira de trabalhar e pelo seu estilo, do que convencê-lo de que do seu jeito é legal.

Mídias locais

Outra maneira, são as mídias locais. Você pode pagar para anunciar num jornal ou revista da sua cidade ou então fazer parcerias com empresas que tem o mesmo tipo de cliente. Por ex: buffet de casamento ou lojas de decoração para festas, são ótimos. Eles te indicam e vice-versa.

Cartão de visita

Faça um cartãodevisitase carregue-os sempre. Distribua-os por aí. Coloque seu telefone e seu site no cartão.

[divider]

Seja honesto

Essa parte é importante, pessoal. Trabalhe de maneira honesta, respeite seus clientes, seus colegas de trabalho (não gosto de chamá-los de ‘concorrentes’) e o mercado. Pesquise sobre valores, faça planilhas de cálculo e cobre preços justos. É muito ruim quando vemos um fotógrafo iniciante tentando passar a perna no outro ou então cobrando valores absurdamente baixos, que só prejudicam o mercado como um todo.

Não copie nem inveje o trabalho de seus amigos mais experientes, mas aprenda com eles, se inspire.

[divider]

Estude muito

E para finalizar, estudemuito! Nunca pense que já sabe tudo. Sempre há o que aprender e quem pensa dessa maneira só tende a crescer.

Acho que é isso. Se faltou alguma coisa, vocês podem escrever nos comentários. Será um prazer ler as opiniões de vocês.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Aproveite este desconto na nossa lojaAdquira o Photoshop e o Lightroom por apenas R$35,00/mês

Huaine Nunes

Vinda de uma família de fotógrafos, a fotógrafa Huaíne Nunes já nasceu em meio às câmeras fotográficas. Em 1999 ganhou sua primeira câmera de visor direto, tinha apenas 10 anos de idade. Com 16 anos começou a se interessar pelas técnicas, sempre tendo seu pai como principal instrutor. Com 19 comprou sua primeira reflex digital e agora, aos 21 atua como fotógrafa infantil. Perfeccionista e dedicada, é aficionada por livros de técnicas fotográficas e está sempre procurando aperfeiçoar-se. É formada em Design de Moda e ainda persiste em aprender a fotografar o mundo fashion. Mantêm também um blog com dicas para fotografia de bebês e crianças, que tem trazido um aprendizado constante.

57 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Até onde sei, não é necessário o contrato ser registrado em cartório, basta testemunha, mas tendo assinaturas e numeros de documentos de contatado e contratante, já é o suficiente, concordam? isso foi o que o pessoal do cartório daqui me passou…

  • Olá, a muito tempo sou apaixonara por fotografia, embora não tenha nenumha influência na família. Fiz vestibular a poucos dias em uma instituição particular para o curso tecnológico, fui aprovada, mas, ainda tenho dúvidas sobre o mercado e um pouco de receio porconta da minha timidez. Daí saí procurando informações na internet e e achei as suas dicas. Muito obrigada por compartilhar informações tão necessárias pra quem ta comecando.

  • Gosto muito de suas dicas. Estou sempre acompanhando seus artigos e seus trabalhos fotográficos. Aliás, eles sempre me inspiram.
    Tenho um blog e faço fotografias por amadorismo (comecei a estudar em novembro de 2012). Mas, gostaria de trabalhar na área. Preciso de um feed back de craques como você, se possível for. Você sabe que numa cidade pequena os craques ficariam melindrados e eu ficaria inibida de perguntar sobre minhas imagens. Ficaria muito feliz e mais segura com uma opinião sua.
    Um abraço de fã de carteirinha

  • Adorei, mas eu ainda me sinto insegura pra cobrar alguma coisa ou cobrar o preço normal.
    :/
    Pretendo mesmo me especializar, mas ainda tenho medo…
    Vou ver seu site, algo me diz que vou me apaixonar… rs
    Beijão.

  • Huaíne,
    Pretendo entrar no mercado em breve.
    Acho que também não vou me inscrever no MEI agora no início, mas estou na dúvida se devo entregar um recibo de autônomo e fazer o desconto dos 20% de INSS…
    O que você me aconselha?

    Obrigada e parabéns pelo texto!

  • Gostei muito da matéria. Não sou fotógrafa profissional mas tenho uma enorme vontade de ser e aprender cada vez mais. Fotografo como hobby, por enquanto, porque não sei as técnicas ainda e que tipo de imagem me especializar. Como faço para descobrir que linha seguir? As fotos que tiro são variadas, flores, animais, detalhes, cores…Por favor, vejam minhas fotos no Flickr e comentem: http://www.flickr.com/photos/cml_marques/

    • Olá Tânia, o artigo da Huaine Nunes foi publicado em 2010/09/29. Como pode ver o artigo do site que mencionou publicou o artigo em 2011.

          • Olha, não tem como não ser grosso nesse caso, mas aí vai: Eita povo burro hein???

            Karina e Tania (que acredito ser a mesma pessoa) se atentem na data (e também na porcaria do blog que copiou) antes de falar besteira aqui!!

      • Huaine, parabéns pelo texto. Sugiro que, para evitar esses comentários maldosos, faça moderação antes de publicá-los. Todo autor tem direito de se proteger. Meus blogs todos são moderados, e nem por isso deixo de publicar críticas construtivas: apenas elimino aquelas mal intencionadas!

        Desejo-lhe muito sucesso!

        • Obrigada pela dica e pela preocupação, João! É que nesse caso, a administração do blog não fica por minha conta e sim pelo Diogo, que é o dono do Fotografia-DG. Mas tudo bem, acho que o recado ficou dado, hehe. Um abração.

  • Otimo,porem vc copiou o texto e nao deu os devidos creditos. Nao vejo problema algum desde que vc de creditos ao autor. Acho muito mais digno.

  • Huaíne. Vi o link para o seu post no e-mail enviado pelo Fotografia DG que recebo freqüentemente e logo me interessei. Estou abrindo um estúdio aqui em Salvador e procuro ler tudo sobre o tema. Realmente vc está certíssima. Temos a fazer o planejamento antes de pensar em fotografar. Pelo que percebo nos cursos e workshops q faço é o dilema do preço a ser cobrado. No Groupon tenho visto fotógrafos fazendo books por R$ 19,90. Acredite!!!!!!!! Na planilha temos q calcular quanto custa a produção de qualquer trabalho, do início ao fim, e acrescer o lucro. Estou apostando que trabalhos profissionais frutificam. Repetindo o clichê: Mãos à obra, e q venham maravilhos trabalhos, para todos nós. Um abraço.

  • Oii ameii as dicas, estudei fotografia só na faculdade estou louca para fazer um curso de fotografia profissional masss to desempregada e fazendo fotografia de bico, e teria que ser um curso mais barato.

    Vc tem algumas dicas..?????

    Beijoss..

  • achei o texto interessante apesar deacreditar que uma pessoa que se presta a ajudar atraves de um texto, jamais deva começar dizendo "Vou ser sincera com vocês, talvez eu não seja a pessoa mais indicada do mundo para falar sobre este assunto, pois sou tão iniciante quanto os que jogaram essa frase no Google e caíram nesse texto.", isso tira de cara o credito de suas palavras, eu quase nem continuei lendo o texto depois disso.

  • achei o texto interessante apesar deacreditar que uma pessoa que se presta a ajudar atraves de um texto, jamais deva começar dizendo "Vou ser sincera com vocês, talvez eu não seja a pessoa mais indicada do mundo para falar sobre este assunto, pois sou tão iniciante quanto os que jogaram essa frase no Google e caíram nesse texto.", isso tira de cara o credito de suas palavras, eu quase nem continuei lendo o texto depois disso.
    Outro ponto que descordo é o seguinte:
    "Costumo sempre dizer: quem fotografa de tudo, não fotografa nada." eu enquanto apaixonado que sou pela fotografia, acredito que a fotgrafia em si seja maior do que qualquer tipo de rótulo, eu creio sim que um fotografo dos bons esteja apto a fazer qualquer tipo de foto. tudo isso não passa da minha opinião pessoal, isso não significa que seja a verdade absoluta, é a minha verdade! obrigado

  • Parabéns pelo post. Muito útil!
    Sou de São Paulo e gostaria de começar a trabalhar com fotografia social, mas tenho apenas o básico de fotografia. Não sei por onde começar tanto com relação a equipamentos como em cursos. Você me indica alguma escola em São Paulo?

  • Primeira impressão do teu site?! Me ganhou, leva! rsrsrs…
    bom, eu não conhecia, mas to adorando ler seus relatos, aprendendo demais e me inspirando!
    Obrigado em nome dos iniciantes na arte da fotografia! …

  • Huaine, muito oportuno seu post.
    Depois de dois anos de faculdade de fotografia, resolvi me voltar para a fotografia equina. Fiz dois cursos específicos na área e hoje, quase dois anos depois de terminada a faculdade, estou tentando entrar no mercado.
    Minha dificuldade é a mesma do visitante drika netto: os outros profissionais que atuam neste mercado não falam abertamente sobre os preços que praticam e fico sem parâmetro.
    De vários blogs que acompanho, retirei alguns parâmetros para montar uma planilha de custos que uso como base para orçamentos. Frequentemente os interessados em meu trabalho acham caro, mas não sei se faz parte do “chorinho” ou se realmente estou acima do mercado pois, como já afirmei, não tenho parâmetros para comparação.

  • otimo texto, Huiane!!! Quero me especializar em CASAMENTOS .. mas o mais difcil é começar com casamentos… e o mais difcil mesmo é arrumar clientes.

  • Ainda possuo dúvidas qto a valores, pois como vou cobrar valores diferentes do "mesmo tipo de trabalho " pq o cliente tem mais condição financeira que outro? não existe um padrão básico de valores? tenho muita dúvida isso.
    E não é mais correto quando se é iniciante não querer cobrar o esmo que um fotógrafo conceituado e mais experiente? Não é um tanto soberbo?
    estou buscando realmente informações de profissional experiente , nada mais que isso.

    • Não sou profissional da área mas, se me permite, vou dar minha opinião: não se deve cobrar conforme "a cara do cliente" de forma alguma. O que a Huaine disse, e com o que eu concordo totalmente é que, escolhida a área de atuação, o próximo passo é definir o público-alvo.
      Sendo bem claro e direto: vai fotografar casamentos? Sim. Pronto, já está definida a área de atuação. Mas vai fotografar para clientes de maior poder aquisitivo ou para clientes de poder de compra menor (público-alvo)?
      À partir do momento em que isto estiver definido, tu conseguirá definir também o valor do teu trabalho.

  • Pessoal por experiência própia concordo plenamente, qualquer tipo de mídia é realmente muito importante na carreira de qualquer profissional, estou aprendendo fotografar agora e atualmente trabalho como web Designer, depois que eu montei meu site apareceram novas oportunidades.
    Estou desenvolvendo sites como: http://www.avitrinevirtual.com se alguém tiver interesse é só entrar ai no site me mandar um e-mail e deixar o nº de telefone fixo que eu retorno.
    Obs* Valor do Site é 400 reais, mais se vc me disser que é Fotografo FAÇO POR 3X DE 60 Reais, Isso mesmo só 180 reais dividido em 3X. Super descontão aí para fotografos e fotografas.
    Abrs a todos!

  • Boa noite, Huaíne.

    Sempre que posso acompanho o seu trabalho, outro dia mesmo vc postou no Orkut uma exposição de fotografia, legal isso, quem sabe um dia eu faça a minha.

    Mas, quero te dar os parabéns pelas dicas, vieram de encontro ao que eu e a maioria dos fotógrafos amadores ou melhor " hobbystas ", tentando a transição para o profissional. Ainda mais neste mundo que todos tem uma câmera fotográfica ou um celular que tira fotos, e pensam que tirar fotos é apontar e disparar.

    Admiro em você a facilidade que se expressa, mesmo com pouca idade, parece uma fotógrafa muito mais experiente.

    E com muita propriedade coloca de maneira bem clara os seus pensamentos. E concordo quando você coloca que temos de ter um foco, sem dúvida, eu mesmo já me direcionei mais para a área de crianças e teens, adoro o desafio de entender e desvendar o mundo das crianças , inclusive comprei um livro muito bom: "A Arte de Fotografar Crianças ", da fotógrafa, Tamara Lackey.

    Novamente quero te parabenizar pelo seu ótimo trabalho, na medida do possível olho o seu Orkut, Flicker e o blog, mas não tenho os eu Facebook.

    Tenha uma ótima semana e fique com Deus.

  • Ótimo post..

    Gostaria de saber mais sobre como formular um contrato.

    Já trabalho com um, mas por nunca ter visto um dessa área fico insegura.

    Obrigada!!

  • Parabéns pelo artigo Huaine. Realmente entrar no mercado é algo difícil. Tem que andar muito e passar "óleo de peróba" na cara.

    ANDRÉ

    Esse "professor" que arranjaste não sabe ser profissional!

    Meu conselho é que você procure adquirir seu equipamento (Canon, Nikon, Sony e Pentax possuem excelentes câmeras de entrada e as objetivas não precisam ser Prime) e entregar as fotos em DVD, ficando com os cartões e os arquivos originais consequentemente. Basta uma boa pesquisa na web ou no Flickr para ter comparações de equipamentos e ver o potêncial de cada um.

    Boa sorte!

  • Bom Huiane, obrigada pelas dicas. Todas validas e bem praticas. Estou tentando entrar no mercado, mas como vc deve saber eh bem complicado no inicio. Estudei bastante fotografia. Mas estudar não eh a mesma coisa que fotografar. A Pratica eh necessária. Mais uma vez obrigada pelas dicas!

  • OLá! Gostaria de dar parabéns a todos pela troca de informações.

    Muito boa as dicas da garota Huaíne Nunes, mas acho que faltou a emissão de nota fiscal que pelo menos aqui em Salvador -BA é gratuito para fotógrafos.

    Quanto ao rapaz André… Cai fora desse tipo de gente, você é quem vai construir sua carreira, e as parcerias fazem parte disso.

    abraço à todos!

  • Bom, Huiane. Primeiramente quero dizer que seus posts são muito interessantes e de grande valia para a "comunidade fotográfica".

    Sou fotógrafo amador há 7 anos. Já penseis em me profissionalizar, mas outras paixões falaram mais alto. Contudo, sigo "registrando o cotidiano", como diz minha professora de Fotografia da faculdade sobre meu estilo. Tenho Flickr (acesse lá, ok?) e publico minhas fotos no meu Orkut também. Meu estilo é marcado – inconscientemente – por fotos de grafismo, natureza-morta, placas engraçadas etc. O que ocorre é que nestes 7 anos de hobbista, tenho um (?) ponto fraco: não sei fotografar pessoas – até comprei um livro que nos instrui na prática. Até animais fotografo melhor… Acontece que sou muito "xiita"; exijo que as expressões; cabelo; acessórios, enfim, estejam na maior perfeição… Uma colega minha da cadeira – já avançada no mercado – comentou o seguinte: que tanto nos acostumamos em visualizar as pessoas que não absorvemos o valor visual que as mesmas têm. Ou seja: não é mais algo atraente para nosso olhar a beleza do ser humano… É tipo aquela conversa-clichê de que os valores de antigamente estão deturpados hoje em dia, sabe? Outro empecilho é o fato de que muitas pessoas não se deixam ser fotografadas, seja por timidez ou porque não "fotografam bem".

    Enfim: desculpe me alongar, mas este "breve" desabafo foi com o intuito de nos fazer refletir nesta prática, pra mim, tão bela e tão intangível que é a fotografia de pessoas. Abraço!

  • estou trabalhando para fazer minha primeira exposição e está sendo muito importante essas digas sobre valores!! adorei

  • Artigo muito útil a todos, parabéns!

    Só que como Empreendedor Individual, o máximo que se consegue é legalizar como “loja para artigos fotográficos”… terá que ser Micro Empresa mesmo.

    Ainda assim, a proteção que dá vale a pena.

    Contratos são úteis, mas é necessário registra-los em cartório para terem validade!

  • Gostaria de pedir que fizesse uma simulação de orçamento pra quem nunca fez um antes (: só pra ter como base e tal, as coisas que devem ser levadas em conta… enfim, tudo isso.
    obrigada (;

  • Eu não pretendo processar o fotografo. Arrumar confusão em inicio de carreira não é o ideal, ainda mais com quem é mais velho no mercado.

    Eu entendo o lado dele em querer proteger o lado dele, mas acho justo receber as fotos. Assim todos saem satisfeitos.

    desafios do inicio de carreira =S

  • Huaine, seu texto foi muito oportuno! Estou tentando me encaixar mais no mercado fotográfico e receber essas dicas de alguém que já está no meio é ótimo! Obrigada! :]

    E André, esse cara foi muito canalha com vc! O problema é q vc, para provar q as fotos são suas, deveria ter o negativo…. Pelo menos é o q foi me passado…. Mas se eu fosse vc tentava consultar um advogado para mais detalhes.

    Boa sorte!

  • Pois é, to vivendo uma situação bem chata hoje. Comecei a fazer curso de fotog. com um profissional da cidade onde eu ia uma vez por semana e ele me passava temas pra estudar e explicava outras coisas.

    Até o momento que ele me convidou para fazer alguns casamentos com ele. Inicialmente eu era o 3º fotog e ia com uma cam. inferior. Dps passamos a fazer o casamento em 2, e passei a ir com uma 50d. Tudo isso aconteceu desde o inicio do mês 7.

    Como não tenho cam. pra treinar, algumas vezes pedi as fotos pra ele, mas só me entregou uma vez. Reduzidas, com assinatura dele e péssima qualidade. Quem ta começando sabe da importancia de conferir as fotos com calma, conferir o exif uma por uma… bom, coisa que gostaria de fazer pelo menos.

    Essa semana vagando na net vi que ele usa uma foto que tirei em seu album do orkut, no blog e também postou o link dela em comunidades com sua assinatura, onde já tem outras fotos dele.

    Ontem fui ao escritorio ver as fotos e sem dizer que tinha visto na net, disse que tinha gostado dos resultados e gostaria de uma copia, mesmo reduzidas e com assinatura, mas com BOA qualidade. Primeiro ele respondeu: "nós não trabalhamos assim", depois disse: "o programa não permite".

    Ele citou casos de justiça então resolvi procurar a lei 9610/98 dos direitos autorais e lá diz que o portador do direito autoral tem direito a cópia original da imagem. Hoje ele me ligou e falou que "queimou o hd dele" e desmarcou um casamento que faríamos amanhã alegando: "já tinha combinado com outra aluna antes um mes antes".

    Gostaria de ler a opinião de vcs…

    • Acho isso uma baita sacanagem da parte dele, pois você mesmo sendo um aluno mostrou a ele profissionalismo e isso é muito importante nesta área, ao contrario dele. Ganhar méritos as custas dos outros é pra mim uma falta de respeito enorme. Mas deixo o meu incentivo siga enfrente pois você chegara longe com suas próprias pernas. Um forte abraço.

  • muito bom texto …a pArte que diz sobre fotografos que cobram preços baixos só pra sacanear ………..vivo isso na pele …tenho um "" visinho"" q cobra 450 reais pra fotografar um casamento e 90reais pra fazer um book .Alguns clientes me procuram e acham meu preço caro. Mais alguns mesmo achando caro fecham comigo.