fbpx

Como tornar-se um fotógrafo sem gastar tanto?

Poder aproveitar a Black Friday para comprar seu equipamento pode ser um bom pontapé inicial. Mas tome cuidados.

Um dos temas mais caros (literalmente) aos amantes e profissionais da fotografia é a compra de equipamentos novos. Que atire a primeira pedra o fotógrafo cujos olhos não cresceram ao ouvir um amigo dizer que ia para os Estados Unidos.

Longe de querer estimular o contrabando de produtos, mas a diferença de preços entre material fotográfico no Brasil e no exterior é muito gritante em qualquer pesquisa que se faça. Por aqui, paga-se um adicional de 48,21% em impostos – fora as variações de preço quando o dólar se fortalece em relação ao real.

Com isso em mente, temos que aproveitar boas oportunidades para comprar os equipamentos fotográficos e não precisar gastar os olhos da cara para perseguir sua arte.

O final de ano tradicionalmente é período de grandes saldões. Essas oportunidades acompanham o Natal, que é época de presentear os entes queridos – e torrar o 13º salário.

Mas é o período seguinte a esse grande movimento do varejo que enseja preços mais baixos, em geral. Em grandes redes de varejo e lojas de produtos eletrônicos, é mais provável encontrar melhores condições no começo do ano seguinte do que no final do ano.

Para câmeras profissionais, tripés e outros equipamentos, costuma ser mais interessante buscar promoções regularmente diretamente junto às marcas do equipamento em questão. Mas há exceções à regra.

Mas ser um fotógrafo não é só ter o equipamento. E os custos não se restringem à câmera. Falaremos mais disso.

Oportunidades

A essa altura do campeonato, você já deve ter ouvido falar na Black Friday 2019. Para além do fato de ser uma cópia de uma prática de saldões dos Estados Unidos, essa data no final de novembro traz descontos significativos em muitos tipos de produtos. Muitas vezes, os descontos superam 50% do preço.

O que menos gente conhece é a “irmã” da Black Friday no varejo, a chamada Cyber Monday.

Explicação breve: “Monday” é segunda-feira; “Cyber” é cibernético, termo relativo a produtos eletrônicos. Já que as câmeras são aparelhos eletrônicos, essa segunda-feira promocional pode ser uma boa oportunidade de compras no fim de ano.

Mas, mais do que câmeras tradicionais, a data pode favorecer profissionais e entusiastas de filme e fotografia que se servem de celulares para executar o trabalho.

Sabe aquelas lentes angulares e teleobjetivas que normalmente custam uma fortuna e são difíceis de encontrar? Ou aquele estabilizador que normalmente custa um fígado para comprar?

A Cyber Monday pode ser uma boa ocasião para adquirir esses itens.

Em 2019, a data cai no dia 2 de dezembro. Até lá, enquanto você considera se quebra o cofre de porquinho para incrementar suas fotos, não custa nada atentar a alguns detalhes de procedimento na Cyber Monday.

Algumas precauções

Qualquer oportunidade de compra aparentemente vantajosa pode esconder detalhes desagradáveis. O consumidor precisa prestar atenção a certos detalhes durante esses períodos de grandes descontos, especialmente se for comprar remotamente, de maneira digital.

Faça pesquisas de preços

A digitalização dos serviços enseja a criação de situações inéditas – boas e ruins. No caso do comércio eletrônico, muitas vezes os clientes se deparam com preços diferentes ao consultarem o mesmo produto no mesmo site, conforme fazem o acesso do celular ou de um computador de mesa.

Para o lojista, essa é apenas uma nova forma de operar. Mas para o bolso do consumidor, essa diferença pode ser crucial.

Por isso, infelizmente é necessário não apenas pesquisar vários lojistas, mas também conduzir a pesquisa a partir de diferentes aparelhos com acesso à internet – especialmente ao comprar nas grandes redes de lojas.

O que o fotógrafo precisa fazer para ter serviços

Além da câmera fotográfica e os equipamentos adjacentes, um fotógrafo precisa sair de casa. As oportunidades aparecem a todo momento. Eventos costumam ser uma excelente chance de mostrar seu serviço, uma festa de noivado, por exemplo, poderá abrir portas para assumir a responsabilidade de fotografar o casamento.

Uma boa forma de não precisar ir atrás de novos clientes, o que custa – deslocamentos, apresentação – é criar uma conta em uma rede social que destaque seus trabalhos (Instagram, Pinterest) e disparar os links para amigos e conhecidos.

Independente do nicho é necessário uma preparação.  Neste momento e investir em uma paisagem bonita e em uma produção legal fará sucesso. Só a pessoa fotografada já pode se tornar um propagador de seu trabalho.

Então invista nisso. Ache um lugar legal para fotos, separe um pequeno orçamento para roupas e acessórios e maquiagem. Procure por catálogos online, isso possibilitará uma pesquisa de preço ainda maior. Abrindo o revista Avon no Portal Folhetos já dá para achar produtos legais que podem fazer sua produção parecer ainda mais de bom gosto.

Hoje com as redes sociais e a ajuda de amigos é possível chegar em centenas ou até milhares de pessoas.

Luana Biral

Bauruense, Luana Biral tem 27 anos, é graduada em Direito e trabalha como redatora. Se interessa por literatura, conteúdo web e fotografia.

Dicas Lightroom
Entre no nosso Grupo Whatsapp e receba 100 Dicas de Lightroom
Clique aqui para entrar