fbpx

Eclipse lunar. Dicas para você fotografar a Lua de Sangue

“Lua de Sangue”: Maior eclipse lunar do século poderá ser visto do Brasil. Esta é a manchete de várias matérias em sites de notícias. Falando assim, parece a coisa mais imperdível do mundo. Não dá vontade de clicar nesse título? É para isso mesmo que ele serve, o termo “Lua de Sangue” foi cunhado para atrair clicks.

O eclipse lunar é muito comum, só esse ano são dois. Pergunte a seus pais, avós ou qualquer pessoa que tenha vivido parte da fase adulta fora desse sensacionalismo picareta minerador clicks. Eles vão te dizer que tempos atrás isso não existia. O eclipse lunar existia, mas esse papo furado não, e ninguém dava muita bola para ele. Afinal de contas, a lua desaparece do céu regularmente, mesmo sem eclipse e ela também fica avermelhada, assim como o sol, quando está perto do horizonte.

eclipse lunar

Então, o que tem de especial nessa “Lua de Sangue”, além do nome? Sinto lhe informar que é muito pouco, principalmente do ponto de vista fotográfico. A lua fica vermelha quando está no limiar da sombra terrestre, isso a deixa mais escura. Por isso, fotograficamente falando, se você sub expor e fotografá-la perto do horizonte, o resultado será semelhante. Estou sendo um chato, acabando com a graça toda, não é mesmo? Sim e não, só não quero que você fique iludido, mas vou até deixar umas dicas para você aproveitar melhor o fenômeno.

A primeira dica para você fotografar o eclipse lunar é a seguinte:

O momento mais interessante disso, no meu ponto de vista, é quando a lua está só metade vermelha, porque isso realmente só acontece durante os eclipses. Para fotografar esse momento, onde parte dela está naturalmente clara e de cor mais neutra, enquanto a outra parte está escura e avermelhada, eu recomendo que você fotometre com o modo pontual na parte clara. Na edição, é mais fácil recuperar detalhes nas sombras do que nas altas luzes. Portanto, procure não estourar a área brilhante. O vídeo abaixo é um tutorial completo sobre fotografia de lua e nele eu falo detalhadamente sobre esse assunto.

Outra dica é relacionada especificamente a esse eclipse do dia 27 de julho. O “melhor” dele será visto na África, pois lá, a lua já estará alta no céu quando o eclipse começar e o sol já terá se posto a muito tempo. Aqui para o Brasil, ela vai nascer já eclipsada e nós só vamos “ver” o final do evento. Segundo as informações técnicas do Observatório Nacional, a Lua sai da sombra mais escura e entra naquela fase que comentei ser a mais interessante para fotografia, a partir das 18h13. Isso dura até as 19h19 e o evento todo termina as 20h29.

É por isso que estão chamando de maior eclipse do século, porque ele vai durar bastante tempo. Mas o século começou esses dias. Então não fique chateado se perder esse, em janeiro de 2018, terá outro eclipse e se este é o maior ou menor, cá entre nós, não faz muita diferença para fotografar. Apesar de desgostar desse sensacionalismo todo, se o céu estiver limpo, vou acompanhar e mostrar para minha filha – ela adora a lua.

Romulo Lubachesky

Romulo Lubachesky é geólogo e fotógrafo, mas dedica-se principalmente a perpetuar o conhecimento sobre os processos do universo fotográfico através de aulas, palestras, artigos e livros. Autor dos livros A Tríade da Câmera Fotográfica e Mirroless - A evolução das câmeras fotográficas. E apresentador dos programas Assunto Principal e Odisséia Fotográfica na photostv.com.

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to [email protected]

×
Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies
Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies