Home » Artigos » Dicas » O segredo para fotos belíssimas

O segredo para fotos belíssimas

Aproveitando a iluminação natural na fotografia: O segredo para fotos belíssimas!

Imagine aquela cena maravilhosa de cinema, com uma bela paisagem, o sol se pondo, nuvens rajadas de laranja, vermelho contrastando com o azul do céu e as montanhas. Você já deve ter visto algumas fotos pela rede com cores e sombras magníficas, não é? Tenho certeza que sim. Nesse artigo, nós vamos ensinar que aquilo tudo não é mágica ou truque, mas sim puro planejamento e paciência.

Essas imagens têm tudo a ver com a iluminação ambiente. O sol, nosso astro-rei, é a principal fonte de luz do nosso grande estúdio ao ar livre, e se você souber utilizá-lo com maestria, suas fotos vão ficar magníficas. Tudo o que você irá precisar é dar uma olhada nessas dicas, e também um pouco de prática e determinação.

A hora mágica

Nunca vou cansar de dizer que há um período todos os dias em que suas fotos tendem a serem muito mais belas por conta das cores e contrastes da iluminação natural. Essa janela de tempo é a hora mágica. Para você entender melhor como ela funciona, essa figura mostra quando que ela acontece:

A hora mágica

O sol, quando está quase se escondendo no horizonte (Chamada “Golden Hour”) proporciona um espetáculo de luzes e sombras que é bastante propício à fotografia. Há um pequeno período, após o pôr do sol, e antes da escuridão da noite, chamado de “Blue Hour”, que também é uma ótima oportunidade de fotografar as luzes da cidade, com aquele maravilhoso pano de fundo que é dado pelos resquícios de iluminação natural.

Filtros e Longa exposição

Uma outra dica para aproveitar a iluminação natural no seu melhor é a utilização de filtros e da longa exposição. O uso do filtro polarizador ajuda bastante a tirar a claridade e reflexos indesejáveis do céu e de outras superfícies refletivas (lago, vidros, etc). O filtro de densidade neutra pode dar aquela escurecida na cena, quando ela estiver muito clara, especialmente se você quer tirar vantagem de uma abertura grande da sua lente. Esse último também é uma ferramenta muito importante para realizar fotografias de longa exposição durante o dia, beneficiando-se de uma entrada de luz suave e contínua pela lente para registrar imagens incríveis e dinâmicas. Tente e experimente!

Na estrada para Briksdalbreen, Noruega. Aproveitando toda a luz natural!
Na estrada para Briksdalbreen, Noruega. Aproveitando toda a luz natural!

Rebatedores e difusores

As vezes não tem jeito. Você está lá, com um ensaio marcado, na hora menos adequada, com o sol a pino. Então, como dosar a luz do sol? Há alguns equipamentos que beneficiam o uso da luz natural nesse caso: o rebatedor e o difusor.

O uso do rebatedor é especialmente benéfico quando você tem regiões mais escuras, ou sem contraste, e você quer realçá-las com o uso do sol. Use-o refletindo a luz, com a temperatura que você achar mais conveniente (há dourados, prateados…), para iluminar seu assunto em um determinado contexto.

Já o difusor é ideal utilizar quando em uma situação, uma luz muito dura invade seu quadro e deixa seu assunto com pontos muito claros e outros muito escuros. Ao colocá-lo na frente do sol, ele filtra essa iluminação, permitindo uma distribuição mais suave pelo seu assunto.

Pós-processamento

A luz e as cores podem até estar lá, mas você não está vendo. É exatamente isso que você tem que lembrar, quando está tirando uma foto e vê ela no display de sua câmera, celular, ou assim que você baixa ela no seu computador. O pós-processamento ajuda você a realçar a claridade, os contrastes, as sombras e as cores de sua foto. Nossos olhos têm um alcance dinâmico muito maior do que a câmera, e nada mais justo do que corrigir essa diferença com ajuda dos nossos amigos softwares (Photoshop, Lightroom, Nik Collection).

Lembre-se apenas de não exagerar! Quando sua foto fica excessivamente alterada as pessoas percebem claramente e isso tira um pouco do realismo e transforma-a em algo indesejável. Como uma maquiagem, o ideal é utilizar o necessário para atingir o resultado que você (ou o observador) quer.

É isso! De resto, muita prática para melhorar as técnicas e se você ainda ficou com alguma dúvida, confira nosso videozinho em:

 

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Luiz Carlos Junior

Fotógrafo brasileiro de paisagens e viagens. Começou sua paixão por fotografia em 2005 com uma pequena Sony W5 e hoje roda o mundo em busca da imagem perfeita.

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Achei interessante o artigo. Como o Luiz Carlos é brasileiro e estamos no Brasil, creio ser mais interessante usar a palavra alvorecer ao invés de blue hour e crepúsculo ao invés de Golden hour, Essas duas palavras do nosso vernáculo definem muito bem esses fenômenos da natureza.

    • Pois é, também achei que a imagem contradiz a parte do artigo que diz: "Lembre-se apenas de não exagerar! Quando sua foto fica excessivamente alterada as pessoas percebem claramente e isso tira um pouco do realismo e transforma-a em algo indesejável".

    • Rubens e Jefferson,
      O HDR é apenas mais uma técnica para reforçar a imagem, ressaltando a iluminação presente. Nem sempre a câmera consegue captar a mesma faixa dinâmica que nossos olhos observam no local (dizem que nosso olhos podem chegar 24 f-stops!), por isso acho uma técnica válida para apresentar algo mais próximo da realidade. Mas claro, isso abre espaço para uma longa discussão!
      Abraços!

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar