Home » Artigos » Dicas

Técnica avançada de iluminação de Moda & Beauty 5/5 (2)

Viva, meus Amigos!!!!!!!

Aqui estou eu de volta ao mundo fotodgniano com uma nova proposta de ensino de técnicas avançadas de iluminação com esquema gráfico e texto explicativo pormenorizado para que os mesmos resultados sejam alcançados por vocês logo na primeira tentativa. Esse tutorial vai te ajudar a apresentar fotografias mais criativas e adaptadas à industria da Moda, Agências de Modelos, Books, Novos Clientes, etc  (=MONEY!!!!! UHÚÚÚ!).

Vou começar com uma das luzes que mais gosto e que funciona super bem em trabalhos de Moda.  Como tenho uma perna no tempo do filme e a outra na era digital, acabo por levar uma certa vantagem na forma de fazer as previsões técnicas, já que na Era Analógica (ui … me senti um dinossauro agora) não tinha essa de clicar e olhar no monitor da camera, ou do computador, e, por mais anos de experiência que tivéssemos como fotógrafos, sempre tinha uma adrenalina até a hora de ver como tinha ficado o nosso trabalho. Quantas e quantas vezes o cliente trazia uma caixa fechadinha com 20 filmes no formato 120 e quando acabávamos ele mesmo juntava tudo e encaminhava para o laboratório dele sem termos como dar um jeitinho que fosse no Photoshop e tinha que estar tudo certinho para a impressão. Como era bom, depois de 3 ou 4 horas, receber um telefonema do director de arte dizendo:

“Meuuuuuuu, ficou du c*****!!!!! “ :-)

E prá que eu conto isso??? … prá dizer que essa luz que vou ensinar hoje foi “inventada” nos anos 90 e muitos dos feras só usavam filme numa construção de iluminação extremamente delicada e arriscada já que é tudo no limite em termos de relação (ratio) entre as cabeças de flashes.

O bom nisso tudo é que, hoje em dia, com os novos padrões da Era Digital (que eu adoro!!!) consegue-se ir fazendo acertos em tempo real através do lcd da câmera.

A seguir à cada imagem, vou explicar exatamente para que serve cada coisa … por isso, muita calma nessa hora que no final tudo vai dar certo, ok?!!  :-) … nada é complicado!!!!

Então vamos lá?!!

[private]

Este é o resultado final:

E este é o esquema de iluminação:

A grande particularidade desta iluminação é criar uma zona central de sombra suave com luzes intensas de recorte em ambos os lados da modelo fazendo com que a pele não ganhe texturas prejudiciais já que todo o preenchimento da sombra acontece de forma totalmente controlada por uma softbox frontal.

1) SOMBRINHAS, PLACAS E SOFTBOX:

a – Devem estar apontadas a 45 graus num eixo imaginário de tal forma que se encontrem que está no ponto de foco onde a modelo vai estar durante a foto.

b – Isso, logicamente, faz com que parte da luz acabe por chegar à camera aumentando o risco de invasões (flare) e para que isso não aconteça há duas placas de isopor (esferovite) que criam uma zona protegida para o fotógrafo. DICA: Olhe para o chão e veja se há um triângulo de luz na área que as placas estão separadas como no esquema e fique fora dele buscando estar um pouco mais para trás na zona de sombra.

DICA: As placas também servem para aproveitar as luzes das sombrinhas e fazer algum fill light (preenchimento das sombras) na parte central da modelo.

c – Eu sempre pinto um dos lados da placa com latex preto sem diluir (tinta acrílica à base de água para paredes) para que possa utilizar em situações distintas, por exemplo, o branco se quero rebater a luz (reflector/rebatedor), como nesse caso, ou o preto se quero proteger alguma parte da cena (gobo).

d – Usei uma softbox (hazy light) em posição vertical para distribuir melhor a iluminação pelo corpo da modelo e posicionada numa altura de tal maneira que eu conseguisse me encaixar em pé debaixo dela com a camera.

2) REGULAGEM DAS LUZES:

a – Embora as sombrinhas estejam fazendo o papel de Luzes de Recorte em ambos os lados da modelo, elas, também são muito importantes para iluminar o fundo branco (luz parasita) e para o fill light na zona central da modelo já que as placas devolvem a luz que vem de trás. Além disso, acaba por ser a Luz principal como se estivéssemos a fotografar contra o Sol. E ai é que está todo o segredo da iluminação!!!!

b – A relação de potência entre as luzes é outro fator muito importante e vou ajudá-los passo a passo:

1 – Comece a construção da iluminação de trás para frente, ou seja, pelas altas luzes (sombrinhas) marcando um ponto no chão onde a modelo estará durante a sessão. Sei que há muitos que defendem a pena de morte para o Flashmeter/Fotômetro mas, sinceramente, quem pensa assim é que está perto da morte profissional já que esse valioso instrumento possibilita que a gente faça a distribuição da luz de forma muito mais precisa. Faça a medição e anote o valor tendo uma velocidade 1/125 como padrão mínimo dentro do estúdio pois isso evita imagens borradas ou sem nitidez.

2 – Agora coloque a luz frontal (softbox conforme o esquema) e regule para ¼ do valor que você anotou do item 1.

DICA: Para facilitar as coisas, vale lembrar que a cada f/stop (diafragma) completo que se fecha, corresponde ½ da luz e, portanto, para ¼ do valor são 2 fstops completos.

Por exemplo:

2.8 > 4 > 5.6 > 8 > 11 > 16 > 22 > 32

A cada fstop que fechamos, a luz cai pela metade numa relação muito vista nos equipamentos, inclusive no flash portátil em modo manual ou mesmo nos botões de potência das cabeças de estúdio.

1/1 > 1/2 > 1/4 > 1/8  > 1/16 > 1/32 > 1/64 > 1/128 

Aplicado ao nosso esquema, na prática, se temos uma medição fotométrica de 1/125 com 16 de fstop (diafragma), a luz frontal deve ser configurada em 1/125 com 8 de fstop que corresponde a ½ x ½ = ¼ (entenderam isso???).

Hmmmm … tô sentindo que ainda não!!! :-)

Prá galera que ainda não entendeu muito bem vou explicar de uma forma direta e simples e no futuro abordo isso com outro tutorial sobre o assunto, ok?

É assim …

  1. Monte a luz de trás.
  2. Coloque 1/125 de velocidade.
  3. Posicione as placas de isopor (esferovite) deixando um espaço para poder enxergar a modelo.
  4. Coloque-se, exactamente, na zona onde estará a modelo, aponte o fotómetro para o fundo, meça a luz e anote o valor da abertura (16 nesse caso).
  5. Desligue as luzes de trás.
  6. Monte a luz da frente, volte ao lugar da modelo e agora faça outra medição com o fotómetro apontado para onde estará a camera e vá regulando a potência até que o valor seja 2 fstops/diafragmas mais abertos (8 nesse caso).
  7. Certifique-se de que está com a objetiva protegida das invasões da luz de trás.
  8. E pronto!!!

IMPORTANTE: Uma das grandes vantagens desta iluminação é servir, também, para Fotos de Beleza Feminina (mais suave) além do fato do espaço entre as placas criarem um efeito interessante no reflexo nos olhos (catch light), como nesse corte tipo retrato da mesma foto.

Gostaram????!!

Qualquer dúvida, deixem uma mensagem e eu respondo, ok?

É isso ai, Galera!!!

Aquele abraço e até a próxima onde vou ensinar a técnica combinada com flashes portáteis + cabeças de estúdio para Moda & Beauty!!!!

[/private]

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • Jorge Cunha

    Parabéns. Por favor, continue nos dando dicas.

    Abraços

  • Eliane Monica

    gostei muito, comecei a estudar estudio agora nas aulas, mas continuo com duvidas nesse calculo para uma abertura x, pode me ajudar? Até com o fotometro fica dificil pra mim. Eliane

  • Marcos Lirolla

    Parabens Pela Pauta foi de Grande Ajuda…..Grato

  • Marco

    Top!

  • Adolfo Usier Dni

    fernando, me diz uma coisa, no caso para quem nao tem fotometro, ai as medicoes sao feitas todas manuais correcto? eu gostava de saber como voce utilizaria esse mesmo setup sem um fotometro, eu faco testes de luz a luz ate chegar no ponto onde acho que esta correcto pelo facto de nao ter um fotometro, mas penso em ter um o mais rapido possivel, obrigado

  • Bruno

    Muito bom… assim vale a pena aprender.

  • Arturo Dinardo

    Muito oportuno esse post! Esse final de semana fui fotografar uma grávida em estúdio, e como não tenho experiência alguma em estúdio, o dono de lá me deu muitas dicas. E Ele comentou sobre essa técnica, que pretendo utilizar num próximo ensaio.
    Muito obrigado pelas informações!

  • Muito bom!!!

  • simone

    Excelente trabalho. Muito obrigado, pela explicação.

  • João Valença

    Parabéns à Fotografia-DG. Parabéns a Fernando Bagnola pelo esquema e pela belíssima explicação. Quem sabe, sabe, e não tem medo da concorrência.
    São editoriais – como este – que causam admiração e fidelizam os clientes.
    Abraços,
    João Valença
    Recife/Brasil

  • Arnaldo

    Show !

  • Bruno

    Belo trabalho, parabéns!!!

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar