fbpx

12 lições de Trent Parke sobre fotografia de rua – parte 1

O fotógrafo Eric Kim nos apresenta os ensinamentos que obteve da obra do australiano Trent Parke, especializado em fotografia de rua/street photography

por Eric Kim (traduzido)

Trent Parke é um dos fotógrafos contemporâneos mais fenomenais que existem por aí. O que amo em seu trabalho é a forte ligação emocional e pessoal que ele tem com suas fotografias, bem como sua paixão fanática por fotografia de rua.

Um de seus livros seminais, Minutes to midnight, foi recentemente publicado [nota: texto de fev/14] e eu queria escrever um artigo sobre Parke e como ele inspirou-me para minha fotografia de rua.

1. Busque pela luz

Trent Parke - lições 01

“Estou sempre perseguindo a luz. A luz torna o ordinário mágico”
— Trent Parke

Uma das coisas mais excitantes no trabalho de Parke é a luz de tirar o fôlego que ele captura. Em seus trabalhos anteriores Dream/Life e Minutes to midnight, luz é o que faz com que as imagens ganhem vida. Parke é capaz de brincar magistralmente com a luz para tornar suas imagens capazes de seguir sua assinatura em imagens monocromáticas: contraste profundo e luz brilhante.

E é certamente a luz o que torna extraordinárias fotografias ordinárias. Até mesmo a definição de fotografia é “pintura com luz” [nota: na verdade seria “escrita com luz”, mas enfim…]

Ponto-chave:

Um dos equívocos que vejo muitos fotógrafos de rua iniciantes cometerem é não prestar atenção suficiente à luz. As imagens de Parke realmente ficam vivas com a luz. — quer esteja ele clicando na chuva, durante um pôr-do-sol criando longas sombras ou produzindo imagens surreais com flash.

Então quando você está por aí fotografando na rua, não pense apenas em relação a seus motivos e o background. Lembre-se da importância da luz, e como ela pode transformar uma de suas imagens de algo medíocre para extraordinário.

Sugiro também tentar evitar cliques quando a luz for pobre. Em outras palavras, tente evitar suas saídas fotográficas cerca de meio-dia, quando o que você tem é uma luz desagradável e sombras idem — que criam toneladas de altas-luzes estouradas. Tente clicar quando a luz é mais impecável, como durante um amanhecer ou um pôr-do-sol.

Outra solução é clicar com flash (no caso de luz de meio-dia). Martin Parr faz isso muito bem, expondo sua câmera à luz ambiente e usando o flash para preencher seus sujeitos.

2. Clique um monte de porcaria

Trent Parke - lições 02

“Você clica um monte de porcaria e daí está prestes a ter umas poucas das boas.”
— Trent Parke

Trent Parke é fanático em sua fotografia, e está constantemente clicando. Sua filosofia está em sair e disparar muito — este trabalho árduo retornará algumas boas fotos. Parke explica o trabalho pesado que teve para conseguir uma certa imagem em particular (acima):

“Fui (ali) todas tardes, por coisa de 15 minutos, quando a luz passa por entre dois edifícios. Isso só acontece em certa época do ano: você só tem aquela pequena janela de oportunidade. Estava confiando muito na sorte — no número de pessoas saindo dos escritórios, no sol caindo no ponto certo, e num ônibus chegando no tempo exato para obter esta longa e borrada listra de movimento. Se eu não conseguia a imagem, voltava lá no dia seguinte. Estive ali provavelmente três ou quatro vezes por semana num mês. Usei uma Nikon antiga de imprensa que dava para puxar a parte do topo para fora e olhar diretamente para baixo, porque eu estava clicando com um minúsculo tripé que subia apenas 8cm. Tentei deitar no terreno, mas as pessoas não ficavam em qualquer ponto perto de mim. Eu finalmente consegui esta imagem depois de três ou quatro tentativas. Gastei centenas de rolos de filme, mas logo que obtive aquela imagem, simplesmente não pude mais chegar perto de novo. Aquilo era um bom sinal: você sabe que conseguiu algo especial.

“O fato de que as imagens das pessoas no ônibus ficarem nítidas, e de você pode ver através delas, é algo que ainda me desconcerta. As pessoas podem não conseguir entender o que é a imagem, ou como fui capaz de obtê-la, e eu mesmo não posso explicar. É algo que o olho não pode ver quando você está caminhando. Algo que apenas a fotografia pode capturar.”

Para obter essa imagem, Parke admite que precisa gastar uma centena de rolos de filme (~3600 imagens) para consegui-la exatamente como queria.

Ponto-chave:

Fotografia de rua é difícil, e conseguir uma simples imagem boa demanda enorme quantidade de trabalho (e toneladas de fotos ruins).

Quando saímos pra rua, é bastante improvável que venhamos obter uma boa fotografia em um dia. Ou mesmo em um mês. Ou ainda um ano. Há muitas chances e felizes acasos em fotografia de rua que não podemos prever. Mesmo os pequenos detalhes podem tanto provocar quanto estragar uma imagem.

Então tenha em mente que, para sermos um melhores fotógrafos (e criarmos grandes imagens), precisamos (nas palavras de Trent Parke) “clicar um monte de porcaria.”

Então quando você olha para suas imagens e fica deprimido, achando que suas imagens são uma m…, penso que este é o primeiro passo para ser uma fotógrafo melhor. Isso significa que seu padrão para sua fotografia é alto. Mas clicando fotos ruins o suficiente e vigiando-se para estar sempre nas ruas, você vai mais cedo ou mais tarde obter algumas boas fotos.

Fotografia de rua pode frequentemente ser um jogo de azar ao fim