Home » Artigos » Dicas » 5 Maneiras Criativas de usar a Lente Olho de Peixe

5 Maneiras Criativas de usar a Lente Olho de Peixe 4.5/5 (2)

A lente olho de peixe é facilmente uma das melhores maneiras para trabalhar com criatividade e obter efeitos muito impressionantes com a arte da fotografia. Em relação às lentes, uma lente olho de peixe é relativamente barata, em torno de US$ 650, tornando a mesma acessível para grande grupo de fotógrafos.

É importante saber do que se trata uma lente olho de peixe, e informações como de onde vem, e onde a utilização da mesma começa e termina. Esta foi originalmente usada para meteorologia para estudar o céu e formações das nuvens.

Trata-se de uma super grande angular, sendo tão angular que as imagens são esféricas com distorção, gerando impressão de grande profundidade de campo. Estas lentes rapidamente se tornaram popular no campo geral da fotografia por causa da sua diversão e usos exclusivos, e claramente, as linhas incrivelmente distorcidas.

Elas podem ser usadas para muitas finalidades diferentes, em segmento profissional ou por diversão, na maioria para diversão. A seguir estão em destaque as 5 maneiras criativas para usar a lente olho de peixe, possíveis ao fotógrafo e interessado para implementar imediatamente.

1 – Névoa Radial

Radial Blur

Fotografar uma recepção de casamento com uma lente deste tipo, olho de peixe, pode ter um resultado maravilhoso. Estas recepções estão geralmente em condição com pouca luz, sendo então um desafio para obter as melhores imagens.

Ao fotografar uma recepção, a dica é ficar bem no meio da pista de dança e então simplesmente fotografar. Para este efeito névoa radial, apenas diminua a velocidade do obturador para cerca de 1/25 de um segundo.

Então, é necessário girar a câmera 90 graus para a esquerda. Para isto, simplesmente embale a lente com a mão esquerda, enquanto se usa a mão direita para girar o corpo da câmera ao redor. E nem toda imagem sairá, mas é possível quase sempre obter algumas muito interessantes.

2 – Exagerar a Curvatura da Terra

Curvatura da Terra

Uma coisa a observar ao usar uma lente olho de peixe é que quanto mais um objeto é movido, ou linha para a borda do quadro, mais distorcido o mesmo se torna. Ao posicionar o horizonte no meio do quadro, o mesmo estará perfeitamente reto por toda a imagem.

O exagerar desta distorção, posiciona o horizonte perigosamente próximo para a parte superior do quadro. É importante ter o cuidado, sendo possível chegar a casa e encontrar suas pernas no fundo do quadro.

3 – Fotografar Super Paisagens Grandes sem a Aparência Olho de Peixe

Aparência Olho de Peixe

Algumas vezes, uma olho de peixe pode ser usada simplesmente para capturar tudo o que desejar em uma cena. Algumas vezes, não são desejadas linhas distorcidas, mas ainda é necessário o super ângulo gigante.

Ao ter uma paisagem sem linhas retas (edifícios, árvores, postes de telefone, entre outros) é possível algumas vezes posicionar a lente em uma maneira que simplesmente se pareça com lente de grande ângulo.

Apenas tenha certeza que o horizonte esteja para o meio do quadro. Ao fazer isto será permitido capturar uma visão próxima a 180 graus de uma cena, enquanto se evita a aparência distorcida, inusitada de uma lente olho de peixe.

4 – Fotografar Tetos Inteiros

Fotografar-Tetos-InteirosNão há como fotografar tanto do teto com uma lente normal. Com arquitetura simétrica, por exemplo, em muitas vezes haverá um marcador claro no chão para significar o exato meio do salão.

O termo fisheye, olho de peixe, foi criado em 1906 pelo físico e inventor americano Robert W. Wood com base em como um peixe enxergaria uma visão ultra-grande hemisférica de debaixo da água, um fenômeno conhecido como Snell’s window.

O primeiro uso prático foi na década de 1920 pelo uso em meteorologia para estudar a formação das nuvens, dando a elas o nome de lentes de céu inteiro. O ângulo de visão de uma lente olho de peixe é geralmente entre 100 e 180 graus, enquanto as distâncias focais dependem do formato de filme que são projetadas.

As lentes olho de peixe são também usadas para fotografia científica, como gravação da aurora e meteoros, e para estudar a geometria da cobertura da planta e calcular a radiação solar próxima ao solo.

5 – Mudar a Perspectiva e Adotar Tais Linhas

Perspectiva

A coisa mais importante é se divertir ao fotografar desta forma, ou para clientes. Uma olho de peixe é uma lente primordial, significando que não se pode ampliar ou reduzir com a mesma. Portanto, fica por conta do indivíduo agir como o zoom para a lente.

É importante ter certeza de mudar as perspectivas e experimentar com diferentes ângulos e linhas. A dica é abaixar-se para o chão, até se significar deitar de barriga para baixo no cascalho em estrada de ferro. E também inclinar-se contra uma parede e usar a distorção da lente para envolver a parede em torno do quadro.

Este artigo foi originalmente publicado
no blog digital-photography-school.com
e o seu autor foi James Brandon

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Diogo Guerreiro

Diogo Guerreiro é o fundador do Fotografia-DG e tem como objetivo a divulgação prática e profunda de técnicas, dicas e recomendações de novas tendências da área do mercado.

15 Comentários

Clique aqui para comentar

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar