fbpx

Superaquecimento do Flash SB-900 da Nikon – Parte 2 de 4

“Olá! Bem vindos ao segundo artigo da série sobre um dos maiores problemas que fotógrafos tem em relação ao flash SB-900 da Nikon.”

No artigo anterior falamos sobre a atualização de firmware para a versão 5.0 e os bugs que ela corrige. Discutimos também sobre as diferenças entre pilhas normais e pilhas recarregáveis, e como elas afetam o funcionamento do SB-900. Boa leitura!

*Problema #2 | Iluminadores (AF)

O SB-900, certamente, tem uma maior assistência ao AF  comparado do SB-600, SB700 e SB-800. O SB-900 tem três iluminadores laser AF, que é projetado para auxiliar AF em condições de iluminação baixa, usando um laser “grid” sobre o objeto para a lente a lente focar.

Uma vez que a câmera está ajustada para o AF-S (ponto único)  e AF de área dinâmica, o SB-900 vai usar apenas um iluminador AF.

Com Auto AF, o SB-900 vai usar todos os três iluminadores disponíveis, o que requer mais energia da bateria. Faça o teste  para ver como ele usa parte do poder da bateria usando o pilhas normais AA. Como conclusão, utilizando o SB-900, AF iluminação em Auto AF de área requer mais energia da bateria.

Se o fotógrafo focar e clicar constantemente, sem permitir que o SB-900  para  descansar  e  reciclar  as  baterias, as baterias se esgotam, o que resulta em SB-900 superaquecimento.

Solução # 2

Evite usar AF de área automática, quando você vai fotografar em condições de boa iluminação.

*Problema #3 | Modos Automáticos vs Modo Manual

Review Rápido sobre os Modos de Flash

TTL (Through The Lens – Através da Lente)
A câmera faz uma leitura da imagem e manda a informação para o flash para obter a exposição correta para que o flash illumine o objeto principal.

TTL BL (Through The Lens – Balanced Light)
O flash mede a exposição da luz do objeto principal e a luz de fundo, e automaticamente ajusta a potência para balancear o objeto a ser iluminado com o brilho do fundo a ser preenchido (preenche as sombras em dias ensolarados)

TTL FP (Through The Lens – Flash Power)
O flash mede a exposição da iluminação do objeto para combinar com a iluminação do restante do ambiente, permitindo que seja usada sincronia de alta velocidade (até 1/8000) e aberturas amplas (até f/1.2)

 

Flash de Abertura Automática
O flash mede a exposição para mandar a potência correta para combinar com a abertura selecionada e a sensibilidade ISO que o usuário configurou na câmera.

Flash Automático não TTL
Permite que o usuário ajuste a compensação de exposição (EV) facilmente apenas ajustando a abertura.

GN Número Guia (Flash Manual em Prioridade de Distância)
Esse modo permite ao usuário ajustar a distância de disparo, e o flash ajusta automaticamente a potência. O flash irá manter a exposição correta em qualquer abertura selecionada.

M (Flash Manual)
O flash agora está trabalhando sozinho, separado da câmera, o que permite que o usuário ajuste o flash por completo (valor, potência, informações de distância, zoom e posição) para ajustar-se a velocidade, abertura e sensibilidade ISO escolhidas na câmera.

RPT Flash Repetitivo
Parecido com o modo manual, mas nesse modo o flash dispara constantemente durante uma única exposição (abertura de shutter), criando um efeito estroboscópico de múltipla exposição. Mas no que esses modos tem alguma relação com o aquecimento do SB-900?

* Modos de Flash | Corrigindo Aquecimentos

Mas no que esses modos têm alguma relação com o aquecimento do SB-900?

Sim! 3 coisas:

  1. Pré-Flash
  2. Definições de exposição na câmera
  3. Medição baseada na informação de medição da câmera

1) Pré-flash – A maioria dos modos automáticos requerem que o SB-900 dispare uma série de pequenos pré flashes para medir a exposição total (flash + câmera) para ajustar a potência para o disparo ‘real’, o que usa um pouco de bateria para manter o SB-900 disparando continuamente.

2) Definições de exposição na câmera – O flash está interligado com a câmera para mudar as informações de exposição baseado nas medições da câmera, balanceando a potência do flash para combinar perfeitamente, o que também usa um pouco de bateria.

3) Medição baseada na informação de medição da câmera – Além dos modos automáticos, o flash pode variar sua potência baseado nas configurações de exposição configuradas na câmera. Por exemplo, o usuário coloca a abertura em f/16, o que requer mais potência do flash para iluminar o objeto devido a pequena abertura (pequenas aberturas exigem MAIS luz). Isso serve também para sensibilidades ISO baixas ou usar velocidades de sincronismo altas, uma vez que elas necessitam de MAIS LUZ.

E os modos manuais?

Usando no modo manual o SB-900 não precisa de pré flashes e medições feitas pela câmera, a não ser pelo zoom (se a opção de zoom manual estiver desabilitada nas opções personalizadas do menu).

Em termos simples, uma vez que ele funciona por conta própria, ele usa muito menos bateria, a menos que o usuário determine valores de potência muito altos (como M-1/1, M-1/2, e M-1/4) no modo M (flash manual) e RPT (flash repetitivo).

SOLUÇÕES #3

1) Deixe o flash esfriar um pouco e recarregar as baterias depois de alguns disparos com pré flashes ou disparando com flash em sensibilidade ISO baixas e aberturas pequenas como f/16.

2) Aumente a abertura para f/2.0, f/2.8, f/4.0, f/5.6 e aumente a sensibilidade ISO (200,400,640 ou 800 já que as câmeras atuais são capazes de sensibilidades ISO mais altas) na câmera para cortar o tempo de recarga e diminuir o tempo de resfriamento.

NOTA: usando sensibilidade de ISO baixa e aberturas pequenas é especialidade de luzes de estúdio.

3) Pratique usando M (manual) para evitar os pré flashes ao invés de usar modos automáticos (ideal apenas para situações CONTROLADAS!). Até certo ponto, o modo manual (M) é mais preciso que os modos automáticos.

No próximo artigo falaremos sobre lentes (zoom, telefoto e grande angular), sobre o uso de difusores (interno e externo) e movimentações e ângulos da cabeça do flash SB-900. Boa semana à todos!

“Não deixe de seguir no twitter para informações, dúvidas e sempre com um bate-papo sobre fotografia!”

André Fernandes

André Fernandes fotógrafo em Santa Catarina Tubarão, na empresa Fernandes Fotografia.
Casamentos, Publicidade, Trash-the-dress, Infantil, workshop, Colunista Lightroom Brasil, Fotografia-DG, Atelliê Fotografia e Fotografe uma Idéia.
Diretor, editor e apresentador do canal Fotografia Modernano Youtube.