fbpx

Superaquecimento do Flash SB-900 da Nikon – Parte 2 de 4

“Olá! Bem vindos ao segundo artigo da série sobre um dos maiores problemas que fotógrafos tem em relação ao flash SB-900 da Nikon.”

No artigo anterior falamos sobre a atualização de firmware para a versão 5.0 e os bugs que ela corrige. Discutimos também sobre as diferenças entre pilhas normais e pilhas recarregáveis, e como elas afetam o funcionamento do SB-900. Boa leitura!

*Problema #2 | Iluminadores (AF)

O SB-900, certamente, tem uma maior assistência ao AF  comparado do SB-600, SB700 e SB-800. O SB-900 tem três iluminadores laser AF, que é projetado para auxiliar AF em condições de iluminação baixa, usando um laser “grid” sobre o objeto para a lente a lente focar.

Uma vez que a câmera está ajustada para o AF-S (ponto único)  e AF de área dinâmica, o SB-900 vai usar apenas um iluminador AF.

Com Auto AF, o SB-900 vai usar todos os três iluminadores disponíveis, o que requer mais energia da bateria. Faça o teste  para ver como ele usa parte do poder da bateria usando o pilhas normais AA. Como conclusão, utilizando o SB-900, AF iluminação em Auto AF de área requer mais energia da bateria.

Se o fotógrafo focar e clicar constantemente, sem permitir que o SB-900  para  descansar  e  reciclar  as  baterias, as baterias se esgotam, o que resulta em SB-900 superaquecimento.

Solução # 2

Evite usar AF de área automática, quando você vai fotografar em condições de boa iluminação.

*Problema #3 | Modos Automáticos vs Modo Manual

Review Rápido sobre os Modos de Flash

TTL (Through The Lens – Através da Lente)
A câmera faz uma leitura da imagem e manda a informação para o flash para obter a exposição correta para que o flash illumine o objeto principal.

TTL BL (Through The Lens – Balanced Light)
O flash mede a exposição da luz do objeto principal e a luz de fundo, e automaticamente ajusta a potência para balancear o objeto a ser iluminado com o brilho do fundo a ser preenchido (preenche as sombras em dias ensolarados)

TTL FP (Through The Lens – Flash Power)
O flash mede a exposição da iluminação do objeto para combinar com a iluminação do restante do ambiente, permitindo que seja usada sincronia de alta velocidade (até 1/8000) e aberturas amplas (até f/1.2)

 

Flash de Abertura Automática
O flash mede a exposição para mandar a potência correta para combinar com a abertura selecionada e a sensibilidade ISO que o usuário configurou na câmera.

Flash Automático não TTL
Permite que o usuário ajuste a compensação de exposição (EV) facilmente apenas ajustando a abertura.

GN Número Guia (Flash Manual em Prioridade de Distância)
Esse modo permite ao usuário ajustar a distância de disparo, e o flash ajusta automaticamente a potência. O flash irá manter a exposição correta em qualquer abertura selecionada.

M (Flash Manual)
O flash agora está trabalhando sozinho, separado da câmera, o que permite que o usuário ajuste o flash por completo (valor, potência, informações de distância, zoom e posição) para ajustar-se a velocidade, abertura e sensibilidade ISO escolhidas na câmera.

RPT Flash Repetitivo
Parecido com o modo manual, mas nesse modo o flash dispara constantemente durante uma única exposição (abertura de shutter), criando um efeito estroboscópico de múltipla exposição. Mas no que esses modos tem alguma relação com o aquecimento do SB-900?

* Modos de Flash | Corrigindo Aquecimentos

Mas no que esses modos têm alguma relação com o aquecimento do SB-900?

Sim! 3 coisas:

  1. Pré-Flash
  2. Definições de exposição na câmera
  3. Medição baseada na informação de medição da câmera

1) Pré-flash – A maioria dos modos automáticos requerem que o SB-900 dispare uma série de pequenos pré flashes para medir a exposição total (flash + câmera) para ajustar a potência para o disparo ‘real’, o que usa um pouco de bateria para manter o SB-900 disparando continuamente.

2) Definições de exposição na câmera – O flash está interligado com a câmera para mudar as informações de exposição baseado nas medições da câmera, balanceando a potência do flash para combinar perfeitamente, o que também usa um pouco de bateria.

3) Medição baseada na informação de medição da câmera – Além dos modos automáticos, o flash pode variar sua potência baseado nas configurações de exposição configuradas na câmera. Por exemplo, o usuário coloca a abertura em f/16, o que requer mais potência do flash para iluminar o objeto devido a pequena abertura (pequenas aberturas exigem MAIS luz). Isso serve também para sensibilidades ISO baixas ou usar velocidades de sincronismo altas, uma vez que elas necessitam de MAIS LUZ.

E os modos manuais?

Usando no modo manual o SB-900 não precisa de pré flashes e medições feitas pela câmera, a não ser pelo zoom (se a opção de zoom manual estiver desabilitada nas opções personalizadas do menu).

Em termos simples, uma vez que ele funciona por conta própria, ele usa muito menos bateria, a menos que o usuário determine valores de potência muito altos (como M-1/1, M-1/2, e M-1/4) no modo M (flash manual) e RPT (flash repetitivo).

SOLUÇÕES #3

1) Deixe o flash esfriar um pouco e recarregar as baterias depois de alguns disparos com pré flashes ou disparando com flash em sensibilidade ISO baixas e aberturas pequenas como f/16.

2) Aumente a abertura para f/2.0, f/2.8, f/4.0, f/5.6 e aumente a sensibilidade ISO (200,400,640 ou 800 já que as câmeras atuais são capazes de sensibilidades ISO mais altas) na câmera para cortar o tempo de recarga e diminuir o tempo de resfriamento.

NOTA: usando sensibilidade de ISO baixa e aberturas pequenas é especialidade de luzes de estúdio.

3) Pratique usando M (manual) para evitar os pré flashes ao invés de usar modos automáticos (ideal apenas para situações CONTROLADAS!). Até certo ponto, o modo manual (M) é mais preciso que os modos automáticos.

No próximo artigo falaremos sobre lentes (zoom, telefoto e grande angular), sobre o uso de difusores (interno e externo) e movimentações e ângulos da cabeça do flash SB-900. Boa semana à todos!

“Não deixe de seguir no twitter para informações, dúvidas e sempre com um bate-papo sobre fotografia!”

Agora com as nossas Dicas Rápidas e Truques Inéditos pode ser conhecedor do Ligthroom sem ter de perder muito tempo e de forma simples. Clique AQUI para entrar no Grupo Whatsapp para Receber 100 Dicas de Lightroom

André Fernandes

André Fernandes fotógrafo em Santa Catarina Tubarão, na empresa Fernandes Fotografia.
Casamentos, Publicidade, Trash-the-dress, Infantil, workshop, Colunista Lightroom Brasil, Fotografia-DG, Atelliê Fotografia e Fotografe uma Idéia.
Diretor, editor e apresentador do canal Fotografia Modernano Youtube.

Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies
Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies