Guia Prático de Fotografia – Retratos 5/5 (1)

fotografia é uma forma de ficção. É ao mesmo tempo um registo da realidade e um autorretrato, porque só o fotógrafo vê aquilo daquela maneira.”  (Gérard Castello Lopes)

Na sua definição mais generalista, Fotografia significa “desenhar com luz e contraste”, mas também significa ver aquilo que mais ninguém vê, do modo como apenas você vê. Chegar a este ponto de consciência artística envolvente da realidade, permite que você perceba algo e o transmita sob a forma de poesia visual. E isso, caro leitor, é a génese da Fotografia de Autor, como forma de Arte, no seu sentido mais puro.

Nos artigos anteriores foquei o software Adobe Photoshop como um possível meio para atingir esse fim, tão pessoal, que é o de dar uma “nova vida às suas fotografias”.

Se o Photoshop pode ser um meio de chegada, a sua câmara é o ponto de partida.

E para ajudá-lo nesse ponto de partida, surge este pequeno guia de truques e dicas que o podem ajudar naquele momento de indecisão entre a escolha da definição mais acertada para determinada situação.

[highlight]DICA:[/highlight] Para perceber os termos técnicos utilizados neste guia consulte o seguinte glossário de termos de fotografia.

Guia Pratico de Fotografia - Retratos 

RETRATOS – TOP DICAS:

Close-up para capturar emoções da pessoa retratada

Para melhores retratos… de crianças ou dos locais onde brincam coloque-se ao nível das crianças para dar relevo às suas expressões faciais.

Os olhos deve ser o ponto de foco principal num retrato (a não ser que queiramos chamar a atenção para outras regiões do corpo).

Experimente planos aproximados, centrados na testa e  no queixo para evidenciar as feições da pessoa fotografada

Evite o enquadramento central. Opte por enquadramentos diferentes e originais. Experimente enquadramentos criativos colocando a pessoa fotografada num dos terços da foto – e procure colocar os seus olhos próximos dos pontos de ouro (determinados pela regra dos terços).

Retratos que envolvam o meio onde a pessoa está a ser fotografada são a génese do fotojornalismo. Seja criativo.

Utilize a medição Matricial e uma compensação de exposição positiva para atribuir mais dramatismo e contraste aos seus retratos

Para obter retratos perfeitos a luz é crucial. Para acentuar pequenos detalhes, a luz deve ser lateral.

Jogue com a luz alguns dos retratos mais impressionantes são feitos com recurso ao Low Key. Ao contrário do High Key, o Low Key é composto maioritariamente por sombras. Para conseguir boas fotografias neste estilo, siga as seguintes dicas: utilize um fundo escuro ou com pouca luz; se usar flash, concentre-o em poucas áreas do assunto a ser fotografado. Experimente também jogar com a luz e componha belos retratos em contra-luz.

Com o “Flash de Preenchimento” pode imprimir características de dramatismo na pós-produção digital.

Utilize fundos simples e que possuam um bom contraste em relação à pessoa retratada.

Utilize o diafragma o mais aberto possível para que o fundo fique bem desfocado.

E porque não incluir pessoas em fotografias minimalistas? Ao colocar pessoas em cenários minimalistas, torna as suas fotografias mais intimistas e misteriosas, elevando o seu sentido criativo a outro nível

Definições manuais para retratos perfeitos:

Escolha da Objectiva

Sensibilidade ISO

Abertura

Velocidade de Obturador

Balanço de Brancos

Com gama de distâncias focais alargada 25-105 mm

ISO200

f/5.6 com os modelos próximos da câmara

1/125 seg.

Automático

[divider]

Estou me perguntando se você já leu o Livro Fotografia de Retrato… ou não.

Bill Hurter é o autor do livro Fotografia de Retrato que reúne trabalhos de profissionais consagrados na arte dos retratos para mostrar que não há limites para esse segmento da fotografia. E mais, no livro você vai encontrar informações sobre os melhores equipamentos, lentes, exposições e poses.

O livro tem um preço de R$ 115,00 e é recomendado pelo Fotografia-DG. Clique na imagem para saber mais informações!

fotografia-de-retrato

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Miguel Guedes

Nasci em Lisboa em 1972. Comecei a interessar-me pelas artes visuais quando frequentava o ensino secundário e frequentei um estágio profissional numa empresa de publicidade. Em 1999 formei-me em “desktop publishing” pelo Centro de Formação Profissional de Artes Gráficas e Multimédia, Amadora e comecei um percurso de autoaprendizagem em técnicas fotográficas e arte digital com o software Adobe Photoshop. Desde 2008 já realizei algumas exposições em Portugal, das quais destaco a exposição “Quando o Sol se põe em Cascais”, em Abril de 2012 no Estoril, Portugal.Atualmente administro a página do Facebook “Expressões Fotográficas” e o blog com o mesmo nome, nos quais publico as minhas experiências com a fotografia e pequenas dicas de fotografia e Photoshop, bem como o meu portfolio de fotografia e arte digital.

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar