Home » Artigos » Dicas » Homens de ferro, uma ilha e 5 fotógrafos

Homens de ferro, uma ilha e 5 fotógrafos 5/5 (1)

O Iron Man Brazil disputada em Florianópolis, é a prova oficial da América do Sul do circuito mundial de Triatlon. Os atletas percorrem 3.8 km de natação, 180.2 km de ciclismo e por fim mais uma maratona, correndo 42.2 km, nesta ordem. Este ano a prova bateu record de inscrições, com mais de 2 mil atletas.

Como nas últimas edições eu fiz parte da equipe da Link Photodesign (responsável pelas fotografias oficiais da prova), que liderados pelo Fotojornalista Carlos Rocha ainda contou com mais três fotógrafos e um editor.

Para mim, o trabalho já havia começado no dia anterior, com a arrumação dos equipamentos e roupas extras. Lembram que tem natação? Pois é, ela é na praia, água do mar e areia fazem parte desta parte da cobertura.

04:00

O dia começou as 4 horas da manhã, chegando na praia de Jurerê por volta das 5h15, junto com muitos atletas. Reunião do QG, arrumar os últimos detalhes dos equipamentos e por volta das 6 horas já estavamos fotografando.

06:00

As primeiras fotos são dos competidores chegando, fazendo a pintura (dos números nos braços e pernas), realizando os últimos ajustes em suas bicicletas, calibrando pneus, fixando repositores de energia na “bike”, além de arrumar as roupas, acessórios e colocar a roupa de borracha para se manterem aquecidos na água. Além das fotos gerais mostrando a quantidade de bicicletas, os varais com sacolas com seus materiais, etc.

Tomada aérea, mostrando a largada e a quantidade de atletas
Foto: Carlos Rocha/Link PhotoDesign

07:00

A largada aconteceu às 7 horas da manhã na praia de Jurerê Internacional, região norte da Ilha. Para tal, cada fotógrafo tomou sua posição. Como de costume, Carlos Rocha estava no helicóptero para a tomada aérea e a minha posição era de frente a da largada, fotografando os atletas se aquecendo na água, se concentrando.

Com a roupa toda molhada para registrar a largada da elite
Foto: Charles Herdt

Nos outros anos sempre ficava com água pela cintura para pegar a largada de frente, com os atletas vindo em minha direção (do mar), porém este ano os atletas da elite largaram de dentro do mar, assim eu me posicionei com a água em meu peito. A posição valeu a pena, e fiz muitas fotos boas. Neste momento eu estava apenas com uma câmera full-frame e uma 15mm olho de peixe.

Largada da elite – O resultado do banho foi compensado
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Fotos de contra luz com o amanhecer sempre rendem boas imagens.

Após a largada, os atletas fazem o contorno em uma bóia posicionada no mar, e retornam para a areia, onde fazem a volta, completando metade da natação. Neste momento eles passam por um corredor em forma de “U”, que é ladeada com as logomarcas dos patrocinadores, e onde se posicionam membros da organização para a distribuição de água. Nesta momento fico agachado na primeira curva, fotografando os atletas saindo da água e fazendo a primeira curva. Novamente a 15mm foi a escolhida, desta vez pelo pouco espaço e quantidade de atletas.

Na volta da natação, os atletas se hidratam
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Os atletas voltam para o mar, onde fazem a segunda volta, dando o contorno em outra bóia. Neste momento além do fotógrafo no helicóptero e os da areia, ainda tem um fotógrafo em um barco.

07:48

Ao final dos 3.8km de natação, os atletas saem do mar e vão para a área de transição, há voluntários que ajudam na retirada da roupa de borracha. Na sequência eles passam por um uma sequência de chuveiros, de água doce e se dirigem para pegar as suas bicicletas.

Neste momento eu vou descarregar as fotos e tomar a minha ducha no QG (lembram que fiquei com água quase até o pescoço?), enquanto o Carlos desce com o helicóptero, e os outros fazem os atletas subindo em suas bicicletas para começar os 180.2 km de ciclismo. Esta área é chamada de área de monte, onde há uma linha no chão, em que os triatletas não podem subir na bike antes dela.

Depois de banho tomado vamos acompanhar o percurso de ciclismo. Os atletas saem da praia e fazem duas voltas até as proximidades do aeroporto, passando pela Avenida Beira Mar.

Foto com a lente 15mm – olho de peixe, com a câmera encostada no chão, no momento
em que os atletas fazem uma curva fechada e a velocidade é mais baixa
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Os outros três fotógrafos ficaram nas mediações de jurerê, enquanto eu e o Carlos Rocha fomos de moto (com piloto) para o circuito de ciclismo. Enquanto o Carlos acompanhava os primeiros colocados fazendo as fotos factuais, eu fiquei responsável pelas imagens mais artísticas e plásticas, com vários competidores, para também mostrar a dimensão da prova.

O túnel por onde passa a prova de ciclismo. Olho de peixe usada para dar a dimenção
da quantidade de competidores e do tamanho da prova
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Os pontos altos no percurso é o túnel; a via expressa sul, que do alto das passarelas podemos mostrar a profundidade da prova; e a Ponte Hercílio Luz, cartão postal da cidade.

 

Ponte Hercílio Luz. Lente 50mm
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Durante este percurso há postos de abastecimento, onde os voluntários distribuem água, isotônico e banana, nestes pontos também há banheiros químicos para os “pit-stops”.

No ciclismo o meu equipamento foi um corpo FF, a 15mm olho de peixe, uma 28-200mm e uma 50mm f/1.2.

12:17

Acaba a prova de ciclismo para o primeiro colocado, o brasileiro Santiago Ascenço. Neste momento os atletas completam 184km de competição.

Neste ponto há voluntários que ficam esperando os atletas descerem de suas bicicletas para guarda-las em suas posições no pátio.

Corredor que da acesso a prova da maratona. Lente 28-200mm. Com um range grande esta lente é bem
versatile, e como o tempo estava bom não havia necessidade de grandes aberturas.
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Após a transição há um corredor com os patrocínios e os atletas começam a última parte da prova, a maratona com um percurso de 42.2 km. O percurso da corrida é dividido em três voltas, sendo que a primeira vai até a praia de Canasvieiras, enquanto que as duas últimas são em Jurerê.

Foto mais fechada para mostrar a expressão do atleta. Lente 28-200mm.
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

12:40

Hora do almoço. Um cachorro quente ajuda a repor as energias juntamente com um isotônico que foi pego em um dos postos de abastecimento dos ciclistas. No meu cinto onde carrego os módulos/estojos para as lentes também tenho um módulo para uma garrafa de água.

Após os primeiros colocados passarem pelo corredor, voltamos as motos para irmos aos locais mais distantes, como a igrejinha no caminho entre as duas praias. Mais uma vez, o Carlos fica com os primeiros colocados durante a corrida, enquanto que eu me encarrego de fazer as fotos mais “abertas”. Desta vez troquei a 50mm por uma 24mm f/1.4.

Mostrando por onde a prova passa. Lente 24mm.
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Hora de voltar ao QG e nos preparar para a chegada dos primeiros colocados na chegada.

15:22

Chega o primeiro colocado com o tempo de 08:22:39

Carlos fica de frente para o pórtico, fotografando o atleta no momento em que cruza a faixa. Eu me posiciono sentado atrás do pórtico, ficando de frente para uma das arquibancadas, fazendo com uma olho de peixe a foto com o atleta chegando ao pórtico com o público.

Santiago Ascenço, Segundo colocado e primeiro brasileiro. Após passar a linha de chegada
voltou coma família para agradecer a torcida. Lente Olho de Peixe.
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Muitos dos atletas vem cumprimentando o publico, batendo em suas mãos, ou aqueles que vão direto a linha de chagada muitas vezes voltam para cumprimentar o público. Quando os atletas voltam, eu saio correndo atrás para fotografar este momento de contato do competidor com a torcida.

Posição lateral, mostrando a expressão da atleta comemorando a sua chegada
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

19:00

Após a chegada dos primeiros colocados aguardamos o escurecer, para fazer as fotos noturnas dos atletas na maratona. A chegada é até a meia noite, e após o escurecer os atletas que ainda estão competindo já estão fisicamente esgotados, e alguns até apenas andam.

Fotos com flash em segunda cortina e baixa velocidade dão um ar artístico e mais “quente” as fotos.
Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

Foto: Cristiano Andujar/Link PhotoDesign

00:00

Após o término das cobertura, arrumar o material para deixar o QG, jantar com a equipe dando muitas rizadas (quase todo mundo mancando com dores musculares – sim para nós, participamos do Iron Man sim), é hora de chegar em casa para tomar um banho quentinho e dormir, pois no dia seguinte já é segunda-feira!!

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Cristiano Andujar

Cristiano Andujar, (Florianópolis, 1979), criou gosto pela fotografia em 1995. Formado em Jornalismo (2001), especialista em Gestão e Marketing Esportivo (2007). Atuou como assessor de imprensa no Figueirense FC (2001-2008). Também têm experiência em redação, é correspondente de agências de notícias, e seus trabalhos já foram publicados em revistas e periódicos de várias países. Os eventos esportivos mais importantes foram a final de NBA, US Open de Tênis, e Finais do Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil de Futebol. Também já cobriu Vôlei, Automobilismo, Natação e Hipismo.

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Obrigado Jáfer;
    É muito cansativo sim. mas o grande número de belas fotos valem o esforço.
    Trabalhamos desde a madrugada até quase o outro dia.
    Sem contar ficar andando de um lado pro outro, andando de moto, coloca – tira capacete, sobe na moto, anda mais um pouco…
    Fico aberto a sugestões de assuntos e dúvidas.

    Um grande abraço

    Cristiano Andujar

    @CSAndujar

    Facebook/cristianoAndujar

  • Excelente artigo!
    Gostei muito do relato da competição, não tinha visto ninguém ter feito isso antes, espero que venham mais relatos como esse!
    Deve ter sido uma correria que só fotografar um evento desse em ? e muito cansativo também.
    Parabéns!

  • Que cobertura fotográfica linda. Quanta exploração nos detalhes da matéria! Adorei tudo, li e reli de tanta emoção!

    *Poderiam haver outros profissionais que relatassem suas coberturas como essas. Os momentos, as dificuldades, o material usado e etc! Muito bom mesmo.

    • Obrigado pelo comentário Raphael. Obrigado pelos elogios. Chegamos há um momento em que não é somente a fotografia em si que vale, mas o antes e o como. Destaco o papel do Carlos Rocha ao comandar e organizar a equipe e logística, pois ele tem que preparar o QG, a logística, as motos, credenciais, distribuição de pautas. Também o agradeço pela oportunidade. Como diria o logo de uma marca de equipamentos de mochilas e bolsas “esteja pronto antes do momento”.
      Fico a disposição para dúvidas e sugestões de artigos.
      Um grande abraço
      Cristiano Andujar
      @CSAndujar
      Facebook/cristianoAndujar

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar