Home » Artigos » Dicas

Marketing para fotógrafos: por onde começar? 3.75/5 (4)

Quem vive de foto, vive de encantamento, de seduzir clientes com as histórias que conta por meio do seu trabalho. Ou seja: imagem é o nosso ganha-pão. Seja nas fotos que tiramos, seja na forma como nos posicionamos no mercado, ela será uma grande responsável em determinar aspectos importantes da carreira de um fotógrafo. É aí que entra o marketing. 

Por muitos fotógrafos serem freelancers, ou seja, autônomos, há uma concepção errônea de que o marketing não se aplica a eles. Termos como esse parecem pertencer apenas ao mundo corporativo, mas hoje a realidade é outra. Com todas as informações na palma da mão, é muito provável que o cliente que chega no seu email pedindo um orçamento já esteja familiarizado com o seu trabalho – seja vendo o álbum de casamento de uma amiga, seja jogando seu nome no Google. 

Por isso, pensar em estratégias de divulgação da sua marca não é mais uma opção se você quer sobreviver no mercado fotográfico, hoje com cada vez mais ótimos profissionais disputando espaços entre si. O marketing é apenas uma ferramenta para atingir um fim: atingir seu público-alvo e se comunicar com ele. 

Marketing via Shutterstock
Marketing via Shutterstock

Simplificar esse raciocínio é justamente o ponto de partida de qualquer plano de comunicação. Pense primeiro no tipo de cliente que quer conquistar. Como ele se chama? Mora onde? Com quem? Tem filhos? Qual profissão? Dirige que tipo de carro? Parece besteira, mas detalhes como esses nos ajudam a ter uma imagem clara em mente e a tomar decisões importantes. E, já que estamos colocando a cabeça pra funcionar, que tal delimitar alguns pontos sobre o seu negócio? Coloque no papel quem é você, como é seu produto, quais são seus diferenciais, que mensagem quer passar, como deseja se comunicar com o cliente e, claro, seu plano infalível para gerar o encantamento e não só fazer seus clientes te contratarem novamente, como também te indicar para amigos e familiares. 

Todas essas respostas te levarão a soluções para questões mais específicas: como você deve se promover? Quais são as melhores estratégias? Vale fazer um sorteio? Ou é melhor investir em um anúncio em revista? Facebook? Google adwords? São muitas as possibilidades e, de acordo com o perfil do seu trabalho e do seu cliente, essas estratégias vão se tornando cada vez mais claras. Assim, você vai avaliar seus próprios pontos fortes e as necessidades do seu trabalho para saber exatamente se vale mais investir tempo em um blog com conteúdo bem feito ou se é mais jogo apostar em um anúncio de página inteira em uma revista do mercado em que você atua.  

Anúncios em revista x anúncios online 

Revistas via Shutterstock
Revistas via Shutterstock

Agora que decidiu e definiu detalhes importantes, é hora de colocar a mão na massa. Vamos supor que você se especialize em casamentos e, por isso, vai “atacar” direto nessas frentes. Aí bate aquela dúvida: será que ganho mais investindo naquele portal de casamentos que as noivas sempre acessam ou naquela revista que vende bem nas bancas?  

A verdade é que não há resposta certa e nem errada para essa pergunta. Como já estabelecemos ali em cima, qualquer estratégia vai depender de quem é o seu cliente dos sonhos. Se o orçamento não permitir investir nas duas mídias, vale colocar a imaginação pra fluir novamente: pense nas chances que os noivos têm de ver seu anúncio em cada um desses veículos e em qual deles surtiria mais efeito. Por exemplo: quer chegar a mais pessoas? Então talvez seja uma boa escolher a internet. Quer dar um ar de mais credibilidade ao seu trabalho? Então talvez o impresso seja o caminho. Ainda vale colocar nessa balança a “validade” do seu anúncio: se preciso anunciar algo mais rápido e pontual, ou se almejo à longevidade, às noivas que guardam as revistas e passam adiante às amigas. Todas são questões válidas e que só você pode responder. 

Definindo verbas

Dinheiro via Shutterstock
Dinheiro via Shutterstock

Aqui, a palavra-chave é consistência. O ideal é que o investimento em um posicionamento de marca não seja algo que o profissional faça apenas às vezes, ou em determinadas épocas do ano. É importante que a sua presença seja algo recorrente, sempre lembrando ao cliente sobre os motivos porque deve te contratar.

 

Talvez por isso, os pacotes de publicidade em blogs e revistas do ramo sejam pensados anualmente. Embora as ofertas variem de um veículo para o outro e você possa adquirir um anúncio mensal, por exemplo, vale considerar se não é possível já destinar uma verba a ser investida ao longo dos próximos seis meses ou 1 ano. O motivo? Mensuração de resultados. Você consegue ter uma ideia muito mais clara se sua estratégia está funcionando se ela tem tempo para maturar e chegar no seu público-alvo.  

Uma forma de se preparar para estes gastos é inserir na sua planilha de gastos a previsão de um certo valor com este fim. Uma forma segura se fazer esse cálculo é pela média de quantos ensaios, casamentos ou aniversários fotografa em um ano, e pensar em um valor periódico que você possa investir de forma consistente. Se você chegar a um valor muito abaixo do que gostaria, talvez seja hora de repensar o quanto cobra pelo seu trabalho. 

São várias as vantagens desse planejamento, mas as principais são que te obriga a planejar com o que vai gastar (X para revista tal, Y para o blog tal); te permite enxergar para o próximo ano o que deu certo e o que não deu; e evita fazer gastos desnecessários, seguindo à risca a verba que determinou. 

Slideshow: a opção pra quem não quer gastar 

Não dá pra comprar anúncios agora? Não tem problema. Você pode começar desde já a impulsionar sua marca de uma forma bem simples: fazendo slideshows. Pode não ser novidade, mas o apelo que essa ferramenta tem continua firme e forte. Ao contrário do álbum de fotos, que muitas vezes fica guardado no armário, o slideshow é a galeria de fotos que permite reunir os familiares em volta da TV. E tem até uma trilha sonora, que complementa os sentimentos que as fotos passam.  

Entregar um DVD com um slideshow, junto das fotos, traz vantagens: dá pouco trabalho de fazer, emociona, é um vídeo curto e acrescenta mais valor ao seu produto. E, pra completar, é fácil de ser compartilhado por seu cliente nas redes sociais.

E outras opções? 

É inevitável falar de marketing e não pensar imediatamente na forma mais tradicional da publicidade. No entanto, há muitas outras formas de promover sua marca e atingir o público que mais te interessa. Sorteios, concursos, vídeos promocionais, teasers, newsletters, envio de artigos para sites de fotografia, programa de fidelização, criação de um blog, promoções e descontos, parcerias, assessoria de imprensa, vale-presente e muitos outros. Não há certo ou errado para seu trabalho, e ninguém melhor que você para conhecê-lo. Agora é hora de mostrá-lo ao mundo! 

Workshop 

Esse e outros assuntos relacionados a mercado de fotografia e casamentos, famílias, newborns, etc., serão discutidos no  e workshop “Fotografando com o coração”, que ministro no Rio de Janeiro nos dias 17 e 18 de outubro de 2015. Clique para saber mais informações: http://fotografandocomocoracao.com.br/

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • É muito difícil para um fotógrafo adquirir o sucesso sem estar preparado para isso. Estratégias de Marketing e Negócios são fundamentais!

  • Sérgio L. Santos

    Olá Ana! Talvez seria interessante abordar sobre a condição que o cliente também tem de fotografar. Já cobri eventos c a entrega das fotos em CD onde ele alegou montar seu próprio álbum, isto depois de tentar convencê-lo de todas as formas sobre minhas melhores condições. Acredito que marketing envolve também o que eu chamo de Contato Direto, ou seja, olho no olho. Abraço.

    • Oi Sérgio! Existe um 5º elemento no mix de marketing que é justamente a Pessoa. Além dos 4 ps originais (preço, produto, praça e promoção), conhecer quem é o seu cliente é de suma importância para a definição da sua estratégia de marketing. No exemplo que você mencionou, acredito que isso seja mais uma decisão estratégica de venda, ou seja, uma análise pontual dentro do marketing – que engloba muito mais coisas que isso. Decidir vender só o CD, sem o álbum impresso, é uma definição que o fotógrafo faz quando está elaborando seu menu de produtos e serviços. Isso tudo está inserido dentro do marketing e está interligado. Obrigada pelo seu comentário! Um abraço! :)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar