Minha máquina não veio com olhar fotográfico 5/5 (3)

Assisti a uma palestra de um aspirante a fotógrafo, devidamente munido de uma 5d MarkIII com uma lente 70-200mm, que dava como verdade absoluta que para fazer uma boa foto você não precisa de uma boa máquina, não precisa ser profissional e não precisa estudar! Por ironia eu estava cobrindo o evento…

Fiquei pensando que talvez isso esteja sendo mais propagado do que deveria e tentei ver até onde isso poderia ser verdade.

E tudo isso acabou me levando à tona da velha discussão dos equipamentos ruins que fazem boas fotos e as surpreendentes fotos ruins saídas de ótimos equipamentos e também tem tomado proporções bem peculiares nos últimos tempos para mim.

Como eu ministro um workshop de fotografia para amadores, tenho contato estreito com máquinas bridges e de entrada e acabo vendo muitos alunos tirando leite de pedra. Máquinas essas que certos fabricantes fazem com a certeza que jamais a pessoa irá utilizar o modo manual, cheias de menus e submenus complicadíssimos e muitas sem indicação de fotometria, aliás, dois modelos me chamaram bastante a atenção: Uma a fotometria é mostrada diretamente no LCD da máquina já no resultado da foto sem nenhuma indicação de histograma ou algo que o valha para saber se a foto está correta, sub ou superexposta, ou seja, só seu olho e não pode ter incidência de luz, senão a foto já era. E a outra além de não ter indicação, era preciso bater a foto primeiro para saber se realmente a exposição estava correta?!

Em contra partida, já vi fotógrafos “profissionais” fotografando eventos no modo automático ou simplesmente ficando experts em programas de pós-produção com muitos filtros, às vezes publicando sequências de fotos de exposição duvidosa, tremidas ou com balanço de branco errados.

E aí vem a questão mais importante de uma boa fotografia: O Fotógrafo!

Diariamente respondo perguntas aflitas de qual equipamento eu compro? E entre essa e aquela máquina? Qual lente?

Na prática você vai perceber que a necessidade do equipamento vai mudando conforme você evolui como fotógrafo e é aí que você descobre, às vezes de maneira dolorosa, que não adianta ter 18MP de foto estourada, mal enquadrada, amarelíssima ou cheia de ruído.

Então o primeiro passo é DOMINAR sua máquina, seja ela uma câmera phone, de bolso, bridge, mirrorless, entry-level, cross, full-frame ou high-level! Isso inclui ler o manual quantas vezes forem necessário e testar, testar e testar.

O Segundo passo é dominar as técnicas básicas, entender como funciona a fotometria, balanço de branco, velocidade, abertura, isso entre tantos outros parâmetros. Fazer um curso, se necessário, mas sempre estudar, estudar e estudar.

Feito os dois primeiros passos, começa a descobrir que ainda falta algo: O olhar fotográfico, tratado normalmente como um dom, algo nato e não algo da esfera da técnica e do trabalho. Poderíamos nos aprofundar bastante nesse item, mas acredito que o mais útil aqui é dizer que é possível treinar esse olhar. Li em algum lugar que o fotógrafo precisa superar a preguiça do olhar e acho essa uma ótima definição.

A minha dica mais simples é que você acompanhe os trabalhos dos fotógrafos que você gosta, veja como ele enquadra ou como ele lida com as proporções. Estude as regras de enquadramento e composição e… quebre-as. Aos poucos você vai perceber as mudanças no seu olhar.

A conclusão que eu chego é que o palestrante tinha até razão pra dizer que você não precisa de uma boa máquina pra fazer uma boa foto e nem ser profissional, mas é IMPOSSÍVEL fazer uma boa foto sem ser um bom fotógrafo e para isso você tem que estudar muito!

Bons estudos e ótimas fotos!

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

  • Eu estou preferindo juntar câmeras antigas, restaurar, limpar, tirar fungo das lentes, consertar e… guardar. Já tenho 250 algumas com vidro em vez de película. É mais tranquilo, ninguém vê defeito, só elogiam, não criticam enquadramento. Uma boa…

  • Renato fleury

    posso fazer uma citação desse artigo em um trabalho de metodologia qual o tema é câmera de Smartphone vs DSLR ?
    colocarei todas referencias…
    obg

    • fotodicasbrasil

      Pode sim Renato, se possível eu gostaria de ver o trabalho porque é um tema de meu interesse!
      [email protected]

      Obrigada.
      Um abraço,
      Simxer

  • fotodicasbrasil

    No ponto Gilberto!

    Obrigada pelo comentário.

    Abraços,
    Simxer

  • Gilberto Pereira Jr

    A Simxer matou a charada quando disse que deveria ter usado o plural. Ser profissional é atuar em vários trabalhos.

    Comprar uma máquina e se dizer profissional isso sim é fácil. Cobrir um evento com o mínimo de qualidade e continuar sendo contratado é outra história. Os que conseguirem completar o primeiro aniversário como fotógrafos é porque superaram várias deficiências, aprenderam muito e se comprometeram com os seus clientes. Achar que a máquina vai fazer tudo é muita ingenuidade e esses estão fora do mercado. Ser profissional sem esforço é um delírio.

    A gama de clientes é grande e variada e muita gente não pode pagar um fotógrafo renomado de um grande estúdio. Isso não quer dizer que os clientes menos abastados se contentam com algo medíocre.

    Noções de estética visual estão em todas as revistas.

  • Thalita Epitácio Bandeira

    Amei sua matéria! Estou compartilhando por vários motivos, um deles é porque já estou cansada
    de ouvir que minha máquina é maravilhosa… Achei divertida, clara e muito objetiva.
    A linguagem está ótima, e que digam que esse material é para iniciantes, não importa!
    sempre existirão clientes e pessoas com esse pensamento, pessoas que não entendem
    nadica de fotografia e precisam ler este artigo para terem a percepção de algumas coisas
    importantes.
    Obrigada Simxer ;}

    • simxer

      Muito obrigada Thalita por ter lido e pelas palavras que que captam exatamente minha intenção quando escrevi!
      Eu que agradeço!
      Abraços,
      Simxer

  • Ari bru

    Excelente artigo, importantíssimo como informação aos iniciantes no universo da fotografia. Nesta fase do aprendizado, a questão equipamento cria uma grande dúvida nas pessoas,ja que ainda estão pouco informadas a respeito e a pressão das propagandas dos equipamentos está cada vez mais convincente.
    Bom ; como também sou iniciante, estou com uma bridge fujifilm, que tem atendido bem aos testes fotográficos que faço. Meu objetivo são fotos still e de arquitetura, então ja sei que no futuro terei que adquirir uma grande angular com bastante abertura.
    Parabéns pela matéria.

  • Juraci

    Quantos dos fotógrafos de hoje já fotografaram só com câmeras analógicas só no modo manual(Tipo Zenit 35mm, com lente 44mm hélios) e de um rolo de filme de 36 poses,aproveitar 30 em fotografia de casamento?
    Ou seja, a era da camera digital facilitou muito as coisas!!

  • Não creio que seja IMPOSSÍVEL. Acredito em bons acidentes…
    O IMPOSSÍVEL é manter-se fazendo as boas fotos sem sequer estudar, lutar, desconstruir-se no próprio olhar como exercício diário.

  • Alisson

    dois modelos me chamaram bastante a atenção: Uma a fotometria é mostrada diretamente no LCD da máquina já no resultado da foto sem nenhuma indicação de histograma ou algo que o valha para saber se a foto está correta, sub ou superexposta, ou seja, só seu olho e não pode ter incidência de luz, senão a foto já era. E a outra além de não ter indicação, era preciso bater a foto primeiro para saber se realmente a exposição estava correta?!

    Me identifiquei muito com a que eu tenho. Uma Nikon D3100 que ate então nao tem essa fotometria no Lcd
    eu testei uma T2i e essa sim tem essa fotometria no Lcd.

    essa sua parte do artigo me chamou muito Atenção..

  • É ISSO AI!!!
    BEM-VINDOS AO MEU MUNDO DA DIGILÓGICA!!!

    Olááá Simxer!
    Gostei muito do espírito do teu post "TUDO A VER!!" :)

    Algo que tem valor incalculável, para mim que sou casado eternamente com a Fotografia estando ela em que era estiver, é o prazer indescritível da adrenalina+serotonina na corrente sanguínea quando olho para o LCD e vejo o resultado esperado no PRIMEIRO CLIC!!!

    Reparem que hoje em dia, conforme escrevi no meu facebook, o vicio digital inverteu completamente a criação da fotografia, ou seja, aponta-se sem pensar, não se sente a Luz, não se constrói absoluta e rigosamente nada, dá-o um clic, olha-se no LCD e logo vem atrás os típicos comentários "ficou claro, ficou escuro, queimou aqui, etc." Viramos ao avesso e Fotografia passou a ser escrita com f (minúsculo) assim como, também, fotógrafos!!!!

    O que proponho é diminuir as distâncias num abraço feliz, contente, sincero e radiante entre duas Eras Importantes da Fotografia, de nos juntarmos com nossos avós e mostrar-lhes as vantagens dos computadores, da internet, do exercício cerebral que manda, comprovadamente, o Alzheimer prá longe … e tudo isso buscando palavras com açúçar que deitem abaixo, de uma vez, esse muro que há tempos foi construido pelas marcas "gringas" dentro de nossas cabeças com palavras hipnotizantes que convenceram a todos os que amam a Fotografia de que não há nada bom a ser trazido do Analógico e, ficou comprovadíssimo que houve uma evolução enorme na qualidade técnica e na forma de pensar dos alunos que tive em cursos que dei de "DIGILÓGICA".

    Eu adoro o digital … adoro o analógico … adoro o laboratório … adoro o photoshop …
    O que me leva a concluir que eu adoro FOTOGRAFIA PENSADA!!! :)

    TAMU JUNTU!!! É NÓIS!!! :)))))

  • Estou começando, na verdade tem um ano… estou agora no passo 2 e com algumas pendencias do 1º passo… Primeiramente comprei minha D3100 e escutei que se eu quisesse aprender tinha que clicar no manual…ai que veio meu 1° baque…. minhas fotos ficavam horriveis, com um tempo melhorei, um pouquinho que seja, mas melhorei…. depois veio a fase de se fazer up grade no equipamento, a cinquentinha, uma zoom mais um flash…. lá se foi uma grana considerável, depois outro corpo de camera e veio a D7000… nessa brincadeira foram R$ 6000,00…. passou a fase de achar que equipamento é que faz um fotografo… Agora só quero saber de estudar, fazer testes, documentar estes testes (acho super válido) Procurar alguém mais gabaritado no ramo pra me dar umas dicas…. Esmiuçar a internet na procura de informações, realmente dominar o equipamento… Escutei do meu tutor, que fotografar uma boa foto de fato… pode acontecer…. mas é super importante que você saiba o que está fazendo… Por que daquela luz….. daquele enquadramento e etc…. Realmente o bom equipamento é aquele que e pode comprar…. Eu, pode ser que inconscientemente, quando queria uma Full Frame sem ao menos saber o que era, como ainda só tenho uma vaga idéia (modéstia)… para simplesmente pendurar no pescoço…. Fotografia exige muito estudo e a caminhada é ardua,,,, Hoje eu sei….

    • Antonio Carlos Motta

      Exato. Estou na mesma estrada, só que pior, saindo de uma superzoom da Sony (não intercambiável, mas excelente) para uma Canon 70D + lente fixa + angular +…$$$

      • fotodicasbrasil

        Show Antônio! Tenho certeza que pegou o espírito da coisa!!! :)

        Grande abraço e obrigada por comentar!

        Simxer

  • Acho que eu deveria ter colocado no plural!!! :)))

  • Rafael

    Concordo com o Leonardo Merçon. Talvez até faça uma boa foto… Mas e se o ensaio tiver de ter 20? :P Em outras palavras, uma sorte ou outra todo mundo dá. Mas para vc gerar valor, ou seja, solução, você PRECISA saber o que está fazendo.

  • Fazer UMA foto por sorte é possível sim…. porém, ter uma constância, é outra história.
    E a minha resposta para quem pergunta "Qual a melhor maquina para comprar", é: "A que você pode comprar…" :)
    Abraço

  • palavrasfotograficas

    Impossível não é não.

    • É, impossível não é, mas experimenta manter o nível…

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar