O mercado fotográfico estaria entrando em um grande colapso?

O declínio do mercado de câmeras fotográficas como consequência da ascensão do mercado de smartphones, qual será o futuro disso?

O mercado fotográfico, assim como qualquer outra atividade relacionada a tecnologia, vai sofrendo mudanças ao longo do tempo. Algumas bruscas, outras nem tanto. Tentem responder à seguinte pergunta: quantas câmeras o seu fabricante preferido anunciou no ano de 2016? Incluindo compactas, DSLR, mirrorless, tudo. Agora experimentem voltar no tempo, 5 ou 6 anos atrás para perceber como era diferente. Um alarmante gráfico foi anunciado neste mês de outubro mostrando a quantidade de câmeras vendidas desde o ano de 2003. Se alguém disser que hoje se vende menos câmeras digitais do que há 13 anos atrás quando a fotografia digital ainda engatinhava, parece chocante? Vejam abaixo o gráfico do Statista, um site especializado em estatísticas e gráficos.

chartoftheday_5782_digital_camera_shipments_n

2010 foi o auge do mercado fotográfico

O ano de 2010 foi o auge da venda de câmeras fotográficas e a diferença das câmeras compactas para as de lentes intercambiáveis era absurda em favor das compactas. Não por acaso, neste ano criei um blog sobre equipamentos fotográficos, o Foto Fácil, que teve relativo sucesso enquanto o mercado fotográfico “bombava”. Conforme o mercado foi entrando em declínio o blog perdia audiência na mesma proporção. Graças a este blog fui percebendo tal declínio e escrevi artigos intitulados “Total mudança de rumos na fotografia digital”, parte 1 e parte 2. Isso nos anos de 2013 e 2014 onde já se percebia uma acentuada queda no mercado fotográfico.

Porém, agora em 2016 o declínio chega a um nível assustador: são apenas 13 milhões de cameras fotográficas no mundo todo (de janeiro a julho) contra mais de 43 milhões no ano de 2013, ou mais de 121 milhões no ano de 2010! E no próprio dia a dia é fácil perceber como os smartphones estão tomando esta enorme fatia do mercado. Nas festas da escola do meu enteado sou o único ainda com uma câmera compacta e todos os outros pais com celular; em eventos grandes como os jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro normalmente eram eu e mais 3 ou 4 aventureiros com compactas e os outros milhares de espectadores com celulares. E também tinha aquela meia dúzia com DSLR, outro mercado que também está caindo.

Principais lançamentos de câmeras de 2010 a 2016 (presente momento):

Canon

  • Em 2010 – 14 compactas e 2 de lentes intercambiáveis
  • Em 2011 – 15 compactas e 3 de lentes intercambiáveis
  • Em 2012 – 18 compactas e 5 de lentes intercambiáveis
  • Em 2013 – 14 compactas e 3 de lentes intercambiáveis
  • Em 2014 – 14 compactas e 2 de lentes intercambiáveis
  • Em 2015 – 11 compactas e 5 de lentes intercambiáveis
  • Em 2016 – 8 compactas e 5 de lentes intercambiáveis

Nikon

 

  • Em 2010 – 13 compactas e 2 de lentes intercambiáveis
  • Em 2011 – 14 compactas e 3 de lentes intercambiáveis
  • Em 2012 – 15 compactas e 7 de lentes intercambiáveis
  • Em 2013 – 14 compactas e 7 de lentes intercambiáveis
  • Em 2014 – 12 compactas e 6 de lentes intercambiáveis
  • Em 2015 – 12 compactas e 5 de lentes intercambiáveis
  • Em 2016 – 9 compactas e 3 de lentes intercambiáveis

Lembrando que já estamos quase em novembro e não é mais esperado nenhum grande lançamento. Salvo alguma grande exceção.

 

Como explicar isso?

É preciso entender que os entusiastas que procuram qualidade acima de tudo e querem sempre ter a melhor câmera que seu dinheiro pode comprar são uma ínfima minoria. A grande maioria quer praticidade, quer compartilhar instantaneamente momentos importantes da sua vida com o mundo todo através das redes sociais. Algumas câmeras já o fazem mas, convenhamos, sem a menor praticidade ainda. Hoje é obrigatório as principais câmeras possuírem wi-fi integrado, mas ainda não é o bastante. Um smartphone já é totalmente integrado e preparado para esse envio imediato. As pessoas que deixaram de usar câmeras compactas trocaram a qualidade pela praticidade de um smartphone, ou seja, não se importam tanto assim com qualidade de imagem.

Por outro lado, os poucos que usavam compacta e prezavam pela qualidade de imagem migraram para as compactas premium ou para lentes intercambiáveis. Mas, mais uma vez é preciso ressaltar, fazem parte de uma ínfima minoria. O mercado fotográfico hoje é refém dos smartphones, isso é fato. E o site 43 Rumors questiona: como uma empresa como a Nikon (citando um exemplo) que vive quase só de fotografia vai reagir a isso?

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Rodrigo Jordy

Fotógrafo amador que estuda muito sobre fotografia, principalmente equipamentos, e gosta de compartilhar o conhecimento que adquire.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar