Home » Artigos » Dicas » O que uma foto precisa ter para ser considerada uma boa foto?

O que uma foto precisa ter para ser considerada uma boa foto? 4.63/5 (8)

Ryan Muirhead

Olá, meu nome é Juliano. As pessoas me conhecem como Juliano Coelho mas honestamente em minha intimidade gosto de ser chamado apenas de Ju (e me torno íntimo das pessoas bem rápido). Sou conhecido por fazer retratos femininos e através de Oficinas e palestras pela Escola de Retratos e agora tenho a honra de fazer parte de uma coluna mensal aqui no Fotografia-DG.

Em minhas aulas frequentemente pergunto aos meus alunos ´o que uma foto precisa ter para ser considerada uma boa foto´? E muitas vezes, talvez quase todas, as respostas são surpreendentes. É normal toda vez que fazemos essas perguntas ouvirmos diferentes respostas. `Composição´ – certa vez falou um aluno. Afinal a composição é o que não deixa a foto chata e a torna interessante. Outros respondem luz, direção, nitidez, qualidade de imagem, cores, uma boa edição, enfim, as respostas são inúmeras e todas elas estão certas. Porém todas elas também estão erradas, dependendo do ponto de vista. Como assim erradas?

Já parou para refletir o quanto uma opinião fotográfica está totalmente relacionado em muitos casos ao nosso gosto pessoal? Por vezes olhamos uma imagem e apenas gostamos dela e nem sabemos explicar o por quê gostamos. Quantas vezes uma foto não nos roubou o fôlego e talvez nem tivesse uma composição tão marcante? Talvez fosse somente um olhar, com um fundo limpo, neutro e uma luz suave? Mas mesmo assim teve um impacto visual tremendo em nosso âmago. Qual seria a resposta então?

Ryan Muirhead

Para uma fotografia ser considerada boa, em minha opinião ela tem de ter apenas uma palavra: alma.

Entendo que essa palavra resume e se refere à tudo, mas de uma maneira diferente. Geralmente pensamos em aspectos técnicos separados em uma fotografia. Porém quando entendemos que uma foto tem alma, ela vai mais além. Falando nisso, a campeã de audiência em minhas oficinas quando faço a mesma pergunta aos meus alunos é a palavra sentimento. Foto precisa ter sentimento – falam. Sério? Falar que foto precisa ter sentimento é quase o mesmo que dizer que um sorvete precisa ser gelado. Redundante. Aliás, diga-se de passagem, por apenas passar os olhos em obras de arte, imagens e fotos – algo totalmente típico de nossa geração – ficamos mais preguiçosos ao analisar imagens e tentar descobrir o por quê elas mexem ou não conosco e apenas nos enganamos a si mesmos dizendo “essa foto tem sentimento”. Confundimos o sentimento na fotografia com a estética da fotografia. Hoje vemos muitas fotos lindas em redes sociais, mas por vezes são fotos apenas ocas, vazias, sem alma. Apenas estética. Estamos muito preocupados com a estética da fotografia e muito pouco preocupados em colocar nossa alma nela.

Alma é tudo. É fazer a foto com o coração – sim, ela precisa ter sentimentos e isso não se refere apenas à um bebezinho perfeitinho recém-nascido ou um belo casal de branco andando na praia com balões de coração. Uma das fotos que mais me impactou na vida foi um retrato do Ryan Muirhead no funeral de sua sobrinha Sapphire, que faleceu com apenas 10 dias. Eu chovara como criança ao vê-lo contando a história da foto em seu workshop. Sentimentos ruins também fazem parte da alma, pois alma é vida. Alma também é fazer foto com nossa mente, usar todo nosso entendimento de criatividade e deixar uma mensagem ao mundo. Alma também é fazer foto com os olhos, enxergar o inusitado no ordinário. Alma é vida, é colocar a sua vida, seu coração, seu cérebro, seu olhar, você inteiro em sua imagem, mesmo que ela seja a mais simples e mesmo que o sentimento seja pior possível. Aliás, se sentimento fosse o principal em uma imagem, por quê não fotografamos mais funerais? Situações onde o sentimento de todos é profundo e dolorido.

Ryan Muirhead

Não faça fotos apenas para agradar os olhos e não meça a qualidade de sua foto apenas com técnica. Coloque sua alma em sua fotografia. Deixe-a mais orgânica, viva, extremamente convidativa, afinal uma foto é a tradução de como enxergamos nosso mundo ao nosso redor – ou pelo menos, deveria ser. Deixo uma frase que me impactou muito e essa frase é do Ryan Muirhead. Talvez ele seja o cara mais sensível que eu conheci em toda minha vida e suas fotos são cheias de alma, energia e as vezes até depressão, mas seu conselho me mudou para sempre: “use mais quem você é para fazer uma foto”.

Muitas vezes gastamos mais nossa energia e recursos para fazer fotos com o que temos nas mãos e para agradar a opinião dos outros e esquecemos de colocar nela o principal, apenas nossa alma.”

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Juliano Coelho

Sou um homem simples, de visão simples. Porém apaixonado pela vida, pelas pessoas, pelo mar. Minha fotografia é exatamente o reflexo daquilo que amo e sou: uma mistura de irreverência, espontaneidade e muito amor. Acredito na fotografia apenas como um motivo, uma oportunidade de conhecer pessoas incríveis.

21 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Parabéns Juliano, em seu artigo , deixou essa linda mensagem: a busca pelo belo, não está em fotografar a beleza de uma paisagem ou flores ou pessoas, está em colocar o sentimento, a alma viva e pulsante em cada click.

  • Olá Juliano! Saudações! Pelos bons comentários das pessoas que se manifestaram em relação ao texto, percebe-se que atingistes teu objetivo. Parabéns! Conseguistes mostrar a importância de se colocar “a alma” em qualquer coisa que fazemos (como na fotografia) e isso não é muito comum nos posts que se costuma ler em diversas publicações da área. Foi uma nova abordagem! E corajosa, pois o cunho é sempre “a técnica”!
    Por ter gostado da publicação, tomo a liberdade de dar uma sugestão para ampliar o alcance da ideia da matéria. A sugestão é usar uma palavra a mais às tantas que já foram enumeraram, servindo para que as pessoas que fotografam percebam até onde se pode chegar ao se colocar a alma no trabalho. Essa segunda palavra é tão importante que foi usada duas vezes no texto. Sugiro, então, que a segunda palavra em importância na busca de bons resultados seja IMPACTO.
    Sim, impacto, pois ao colocar a alma na foto você vai criar um nível elevado de impacto no resultado final (logicamente, unindo com toda a técnica que possa dispor). E esse é o objetivo fim de qualquer trabalho. Criar impacto. Uma foto que impacte as pessoas torna aquela foto “comentável”, “discutível” e, mais importante, “perene”. Ela vai ser lembrada por muito tempo, e as vezes, incluída nos anais dos fotógrafos de ponta! Com certeza, isso não é uma certeza, mas é um dos caminhos. É fácil criar impacto? Não, não é, e isso é o que torna a busca o mais agradável para nós fotógrafos.
    Assim, Juliano, mais uma vez parabéns pelo texto que certamente vai influenciar as muitas pessoas que estão na eterna busca do crescimento. A aceitação do que dissestes foi demonstrado pelos que leram e se manifestaram aqui com extrema boa vontade. Deu para perceber que estavam felizes ao te agradecer e tal sentimento “não têm preço”! Agora eles sabem que para se obter impacto numa fotografia somente colocando a alma junto dela! Boas fotos, pessoal, e bons impactos!

  • A Alma se reflete instintivamente na Imagem.
    Mas fica impregnada no Consciente de que observa.
    Percebo na Fotografia algo que transcende a Realidade.
    Isso sim me satisfaz !!!!!
    Bem sempre o BELO.
    É Belo…..

  • Olá Ju! Realmente você foi capaz de transmitir essa sensação de ser intimo seu até mesmo pela internet, onde as coisas acabam sendo um pouco impessoais. Muito me alegro com seu artigo que foi uma contribuição pessoal para que eu entregue mais de minha alma nas fotos que eu venha realizar. Digo isso no futuro por que ainda não tenho equipamento. Então venho me empenhando a desenvolver meu olhar fotográfico e certamente seu artigo contribuiu favoravelmente ao desenvolvimento desse olhar.

    Muito Obrigado,
    Diego Almeida’

  • Isso !! além do mais os conceitos estéticos são mutantes, então pra fazer “A” foto ela precisa de falar algo, não necessariamente uma história mas te tocar, te transformar naquela hora, acalmar, inquietar, enfim não deixar seus sentimentos inertes e isso só o sentimento (alma) pode fazer. Perfeito

  • Ju, obrigado por nos dar essa “aula” sobre o que uma fotografia precisa ter para ser considerada boa! Realmente você tocou num ponto crucial: Alma! Realmente para que coloquemos tudo de nós numa foto, temos que fazer com “alma” e deixarmos de nos preocupar com a opinião dos outros em detrimento da nossa. Gostei muito. Grande abraço.

  • Juliano, sensacional, é muito verdadeira essa questão das técnicas, composições, etc e o fundamental deixado em segundo ou terceiro planto. Texto maravilhoso, obrigado por compartilhar este pensamento.

  • Juliano, (Ju), minha primeira oficina sobre fotografia foi contigo e foi em Caxias do Sul. Um dos textos mais sinceros que já li sobre fotografia. Começou arrasando. Parabéns e vida longa! Fabiano Knopp

  • Excelente Ju…. lembro desse exato papo no seu workshop… seguido de “deixarmos de buscar o trabalho dos outros no nosso trabalho”…. Isso ecoa na minha cabeça até hoje!
    Muito bom ver você por aqui meu amigo, espero que venham mais posts seus, sempre!
    Grande Abraço

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar