fbpx

Preparando uma viagem fotográfica de A a Z

Imprevistos sempre vão existir, mas numa viagem quanto menos atrapalharem suas fotos melhor

por Sandra Vallaure, via Dzoom
foto: RawPixel

Você com certeza já tem em mente seu próximo destino. Logo que entrar nas próximas férias na certa já terá resolvido para onde vai neste ano, seja para aventurar-se ou em viagem cultural, o que mais aprecia. Em menos de um mês vou pro Japão! É possível que já esteja pensando nos preparativos sobretudo no que se refere aos aspectos fotográficos da viagem. Se está nessa situação, este artigo deve lhe interessar.

Não tem nada mais emocionante pra um fotógrafo que a perspectiva de iniciar uma grande aventura com sua câmera ao ombro. Se dúvida já sentiu isso. Novos lugares, novas experiências, novas pessoas… Abre-se à frente uma infinidade de possibilidades para documentar e conservar.

No entanto, preparar-se pra uma nova viagem pode ser uma tarefa fatigante: escolher o equipamento adequado, assegurar-se de estar levando tudo que vai necessitar, localizar os lugares que pretende clicar, planejar as fotos com antecedência e um sem-fim de coisas mais.

Nos últimos anos tive a sorte de viajar pra muitos destinos, próximos e longe de casa. Com o tempo fui aprendendo a partir de meus (por vezes muitos) erros e desenvolvi um método para ter certeza de que está tudo pronto. Por isso vou compartilhar esse processo com você.

Procure escolher os melhores locais

Dedique um tempo investigando com profundidade sobre seu destino e comprovará que todo esse tempo investido lhe permitirá voltar pra casa com imagens espetaculares.

Por que gastar tempo em ver fotos de outros?

Me fizeram essa pergunta em muitas ocasiões e reconheço que faz sentido. As pessoas me dizem que querem fazer suas próprias fotos, não copiar ou imitar a de outros. E ainda que eu pudesse escrever um ensaio sobre a impossibilidade de que dois fotógrafos vejam o mesmo e fotografem de forma idêntica, esse não é o propósito deste artigo, nem o de sua investigação fotográfica.

Na verdade você não busca ideias para copiá-las, e sim informação que te ajude a identificar o povo, as coisas e lugares que gostaria de captar com sua câmera. Sempre há margem para as surpresas em uma viagem, porém é interessante conhecer de antemão alguns elementos chamativos a fotografar. E, sobretudo, é importante que conheça as dificuldades com as quais poderá encontrar pelo caminho.

Dessa forma estará preparado. Ou ao menos bem mais do que se não fizer esse trabalho de investigação.

Como levar a cabo seu trabalho prévio de investigação

Pode escolher entre duas maneiras, ambas igualmente práticas e úteis:

— Você já decidiu-se por um destino e pretende ver o que pode ser interessante na área, cidade ou país.

— Está vendo detalhadamente fotos que lhe chamam a atenção e decide que vale a pena organizar uma viagem pra esse lugar.

A maior parte das pessoas entra dentro da primeira categoria, sabendo aonde vai. É possível até que conheça alguns lugares que quer fotografar enquanto está está por ali. A fotografia não é o objetivo principal de sua viagem, de forma que precisa maximizar o pouco tempo que tem disponível com sua câmera.

Entretanto se você é dos que gosta de planejar uma viagem fotográfica torna-se muito divertido imagens e encontrar novos locais que gostaria de visitar e imortalizar. Há pouco tempo, por exemplo, vendo fotos de Roma, uma cidade na qual estive muitas vezes, encontrei um par de rincões os quais nunca ouvido falar. Já deve imaginar que não demorei muito a voltar para carregar uma recordação…

Não procure somente por lugares. Busque por tudo aquilo que termine sendo interessante pra você.

Por onde começar?

Na verdade a busca não inicia-se com seu destino. Começa com seu conceito.

O que você trás no retorno pra casa que contém a essência do que experimentou enquanto estava viajando? Eram as pessoas ou a paisagem? Lhe atrai a cultura, as cores, uma textura? Se fixou nos detalhes ou viveu algum evento especial?

Não precisa escolher só um ou limitar-se a essa breve lista. Precisa somente pensar no tipo de imagem que deseja. Veja com um plano em mente e as possibilidades de sucesso serão maiores. Alguns chamam de visualização prévia, já eu prefiro prefiro chamá-lo de “tirar a cabeça do buraco” porque o que conta é o resultado final. 

As piores decepções que tive com minhas fotos de viagem foram quando visitei um lugar sem ter a mínima ideia, esperando que algo extraordinário ocorresse como que magicamente. Mas não: a magia não surge, tem que buscá-la.

Onde buscar?

Esses sites não deveriam surpreendê-lo(a). São minhas principais fontes de inspiração quando começo a preparar uma viagem fotográfica:

Flickr

500px

SmugMug

Google Imagens

Sempre busco nestas quatro páginas porque cada uma tem algo que falta à outra. Pode ser uma vista diferente de uma paisagem, um mapa, informação do fotógrafo sobre como fez. São complementares.

Em verdade você não precisa investigar apenas sobre o ponto de vista ou de onde foi tirada uma foto. Imagine que vai fotografar ao seu sonhado destino e se dá conta de que planejou a viagem numa época péssima do ano. Pode ser que os parques nacionais estejam fechados se for baixa temporada. Ou que a direção do sol não seja a ideal. Ou ainda que ocorra um congresso na cidade que faça com que o alojamento esteja com preços nas nuvens.

Consulte fóruns ou guias de viagens para saber em que época do ano é melhor ou é baixa temporada. Baixe um aplicativo no celular que lhe permita antecipar a posição do sol em uma data determinada. A maioria das cidades publicam os principais eventos que vão acolher. Olhe em seu buscador preferido e digite “próximos eventos em [nome da cidade]” para ver a agenda. Trate de antecipar-se a qualquer imprevisto que lhe atrapalhe em conseguir o conceito fotográfico que busca.

Deixe sempre margem para a improvisação

O ato de planejar e investigar o tipo de foto que pretende produzir durante sua viagem não significa que tenha que ajustar-se a um programa estrito de atividades. O que consegue-se com isso é ter uma ideia sobre o que esperar e como planejar algo que lhe interesse de fato. Você sempre terá tempo para explorar e nunca se sabe que oportunidades inesperadas surgirão durante sua viagem.

É sua viagem. Empregue seu tempo como quiser. Um pouco de planejamento não fará mais que ajudar-lhe a não deixar nada perdido pelo caminho.

Como planejar uma fotografia

O trabalho prévio de busca de locais é muito importante. Não somente lhe trará ideias novas de lugares ou cantos concretos onde fará fotos incríveis, como também lhe ajudará a descartar os que terminem não sendo tão interessantes pra você.

Agora que já possui uma lista do que deseja fotografar é hora de pensar em como levar a cabo.

Prefere gente? (mas não tem cara-de-pau)

O mero ato de pensar em clicar pessoas durante uma viagem é suficiente para que muitos fotógrafos sintam calafrios e tenham um pânico incompreensível. Chegar perto de completos desconhecidos e lhes perguntar se importam-se em ter um retrato tirado por ser todo um desafio. Não deixe de tentar. As pessoas são o que fazem um lugar ser especial, e esse tipo de foto costumam dar resultados muito bons na fotografia de viagem.

Porém antes de aprender quais as melhores técnicas e truques para captar o povo durante sua viagem, a primeira coisa a fazer é investigar onde encontrá-lo.

Um grande ponto de encontro são os mercados. E o melhor deles é que estão por toda parte. Não importa o seu destino, sempre haverá algum mercado, geralmente de alimentação, onde os locais reúnem-se para abastecer-se.

Outro ponto interessante normalmente são os eventos extraordinários. Entre eles pode-se encontrar um festival, um evento cultural (exemplo: uma processão de Semana Santa ou um desfile de Carnaval) ou mesmo um casamento. Todos eles presumem grandes oportunidades fotográficas nas quais encontrará muita gente participando de algo excepcional.

Por último, não descarte a possibilidade de fotografar as pessoas em sua rotina habitual ou realizando suas tarefas diárias. Isso inclui desde pegar o transporte público até cozinhar. Qualquer atividade vale porque o extraordinário às vezes também esconde-se por trás do ordinário.

Uma vez que tenha determinado os lugares que possam ser mais propícios a fazer essas fotos, preocupe-se em conhecer melhor as pessoas. Esteja consciente quanto a qualquer reação que sua câmera venha a provocar: alguns terão medo de sua teleobjetiva; em outro lugares não poderá clicar as mulheres. Tudo dependerá de onde você estiver.

Informe-se de antemão e evitará situações embaraçosas que podem ser inclusive comprometedoras.

Se sua paixão é a cidade

É muito fácil fazer fotos sem graça de edifícios. Trate de captar a alma da cidade.

Qualquer entorno urbano te oferece um leque infinito de possibilidades. Neles é certo que os motivos se multiplicam, mesmo no menor dos povoados. Andando só um pouquinho já terá tempo de clicar silhuetas de edifícios, , gente ao caminho do trabalho, detalhes arquitetônicos abstratos, uma atividade frenética na rua ou mesmo uma cena prazerosa num parque.

Também poderá captar elementos do passado e do presente através da arquitetura, compor uma cena de rua, adentrar-se num beco solitário e, metros depois, encontrar-se de cara com um dos ícones dessa cidade.

No entanto para conhecer uma cidade com profundidade você tem que estar preparado para percorrê-la novamente, e não cansar-se de ir aos mesmos lugares em momentos diferentes do dia, ou diferentes dias da semana. Combine a agitação com a calma, a inspiração que baixa num artista de rua ou a tranquilidade de uma zona de restaurantes cedo da manhã. As cidades são organismos tremendamente mutáveis que alteram-se rapidamente e possuem mil facetas.

Somente explorando durante horas você será capaz de ficar com o que mais gosta. Você escolhe.

Se lhe interessam as paisagens

Nessa disciplina você não somente terá que realizar um trabalho prévio para determinar a localização. Deverá ter em conta além disso dois fatores importantes: o primeiro é a meteorologia; o segundo é a luz.

Se você possui um interesse especial em fotografar paisagens urbanas ou de natureza e quer contar com as melhores condições de luz, não posso deixar de recomendar que olhe o Photopills. Hoje em dia é a aplicação mais completa para planejar qualquer tipo de foto de paisagem, e creio que que é uma ferramenta imprescindível para fotógrafos de todos os níveis.

Tenho que reconhecer que na primeira vez que você a utiliza é surpreendente a multiplicidade de ferramentas e possibilidades que ela inclui. Algumas das mais interessantes são:

  • Planejador do Sol e da Lua com um mapa que lhe permitirá posicionar-se onde quiser no mundo;
  • Informação do Sol com tudo que necessita saber sobre ele, 
  • crepúsculos e horas mágicas;
  • Informação da Lua que inclui um calendário, suas fases, as datas das superluas e, cl