Home » Artigos » Dicas » Profissão Fotógrafo: como tudo começou!

Profissão Fotógrafo: como tudo começou! 4.74/5 (31)

Olá, sou a Dani :-)

Todos nós recebemos um nome quando nascemos e com ele somos reconhecidos pelos nossos pais, familiares e amigos. Uns me chamam de Dani, outros de Lela (meu apelido em família) e quando alguém me chama de Daniela, eu sinto como se tivesse feito algo de errado.

Hoje, na minha profissão, eu sou conhecida como Dani Carreira, a fotógrafa! Esse foi o nome que escolhi para representar o meu trabalho…

Legal ser reconhecida assim, não é? E como foi que consegui essa façanha? Bem, quero primeiro contar para vocês que ficaremos juntos no decorrer deste ano de 2017!

Um grande desafio que quero cumprir com dedicação e assim poder colaborar com os meus colegas de profissão aquilo que não tive quando comecei: a verdade!

Nos próximos meses, quero dividir com vocês as minhas experiências:  como fiz? O que deu certo e o que deu errado?

Quero falar a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade…

E com isso minha singela intenção é desmistificar o mundo da fotografia para o fotógrafo iniciante… Quero escrever sobre minha experiência nesses quase  5 anos como profissional da área.

É claro que não tenho a pretensão de ensinar formulas mágicas, receitas prontas. O que quero é inspirar os apaixonados por fotografia (e também aqueles que têm medo de arriscar) que é possível, sim, fazer o que se ama e ganhar dinheiro com isso. Veja, não é fácil e nem se ganha fortunas, mas, para os amantes da arte, o fato de viver  por meio do trabalho que se ama já é um sucesso!

Embarca comigo? Sou Daniela, tenho 38 anos, sou casada e mãe de um lindo menino. Formada em Administração de Empresas, terapeuta corporal  e fotógrafa!

Sempre amei fotografar e comecei aos meus 13 anos de idade com uma maquininha de rolo de filme que ganhei numa rifa! Porém, como a sociedade dizia (e ainda diz) que ser fotógrafo não é profissão, fui para a faculdade e me formei em Administração de Empresas.

Migrei para a área corporativa de uma multinacional e lá fui me especializando na área tributária…

Os meus cliques?  Sempre fazendo de forma informal…

Atuei em algumas empresas até que 10 anos depois (isso numa única empresa, mas depois de 18 anos em outras empresas) levei o famoso “pé na b…”  e você pode  pensar assim:  “ Ah que injustiça, depois de todos esses anos dedicados”.

Que nada, falei bem assim para meu marido: “vou ser fotógrafa! Tenho equipamento (é verdade, já tinha), já fiz os cursos (também é verdade) e agora vou dedicar o meu tempo para fotografar!” E meu marido me olhou com aquela cara de feliz (sqn) e disse: “tudo bem, se é o que quer…” Combinamos então, eu e o Arnaldo (maridão), que, se em seis meses, eu não ganhasse nem um real com a fotografia que eu voltaria a procurar emprego.

Isso me motivou (na verdade eu queria provar que podia) e também estava morrendo de medo de me jogar no mundo dos cliques e correr atrás, pra valer.

Eu não tinha ideia de por onde começar e fui procurar ajuda com  o meu melhor amigo. Troquei uma ideia com Deus para me ajudar a prosseguir, porque naquele momento era questão de honra conseguir…

O que eu fiz?

Vou contar tudinho para vocês só não será tudo de uma vez, se não vocês cansariam de mim rapidinho porque eu falo (escrevo) pra caramba!

Isso tudo que relatei aconteceu no mês de outubro/2012  e  estava eu lá conversando com Deus, sem rumo, com a máquina na mão e o Google aberto, pesquisando sobre o que o mercado estava oferecendo. De repente veio aquele “estalo”: fotos de Natal, isso mesmo fotos de Natal. “Mas onde?” Foi o que me perguntei e veio o segundo “estalo”:  nas escolas infantis.

O detalhe aqui é que eu não tinha sequer digitado Natal no Google.

Foi então que eu liguei para a diretora da escolinha onde meu filho Nicolas estudava, com a cara e a coragem (que era bem pouca). Lembro exatamente como foi a conversa:

– “Olá, tudo bem? Então,eu sou fotógrafa (eu precisava acreditar nisso) e estou desenvolvendo (não sabia nem por onde começar) um projeto de fotografia de Natal para escolas, o que você acha?”

E ela me responde: “ Nossa! Que legal, não sabia que você era fotógrafa!” (cricri..cricri…)

E eu: “sim, sou, só não estava atuando no mercado…” E ela: “ Você tem as roupas?  E você faz a foto aqui na escola mesmo?  E você vai entregar como, no porta retrato?”.

Nessa hora a minha cabeça rodou, eu não tinha pensado em absolutamente nada disso. Falei que providenciaria tudo se ela me desse a oportunidade… e não é que ela deu? Medo? Tive muito, mas não desisti e não deixei meu medo me impedir.

Em dois dias (sim, dois dias) achei costureira, fui na 25 de março comprar os tecidos e materiais, achei fornecedor de molduras, tirei 4582 fotos do meu filho para treinar e no grande dia estava eu lá na escola, como Dani Carreira, a fotógrafa, no meu primeiro trabalho remunerado.

Ah… aquilo me encheu de alegria, quando os pais começaram a pedir cópias extras, era janeiro e eu ainda estava imprimindo fotos de Natal…

Aí, olha o que aconteceu: a dona da escola tem duas filhas e uma delas, a mais nova, ia fazer aniversário em novembro/12… e ela gostou tanto do resultado que tivemos na escola, que me pediu para fotografar o aniversário da filha que seria dali uns 10 dias. Pensa no meu coração… Ah… e no meu estômago também… e eu fui! Com medo, dor de barriga, sem dormir (do dia que ela pediu até o dia da festa eu não dormi) e encarei o monstro da fotografia. Saí da batalha vitoriosa e me sentindo forte. Tive a certeza de que era o que queria fazer para sempre.

Depois disso eu  já fiz 3 festas de aniversário, 1 batizado e já fotografei alguns amigos aos quais fui indicada! Tudo fruto de uma mesma cliente. Fotografo os eventos de Natal da escola até hoje.

O que eu quero com toda essa história?

Falar-lhes que em todas as profissões existe o começo. Que em todas elas não se acerta em tudo de cara. Que se você não tiver coragem, amor e não se arriscar você não vai alcançar o que deseja. O essencial é ter respeito pelo que faz e com as pessoas a quem vai atender. A verdade sempre deve estar em primeiro lugar!

O nosso medo não pode ser maior que os nossos sonhos! O medo é um sentimento importante, que faz você pensar antes de agir, mas não pode te paralisar.

Até hoje tenho medo! Até hoje tenho desafios e até hoje tenho que aprender sobre fotografia!

Veja bem: minha intenção não é falar para vocês sobre técnicas, composição, luz, equipamento, etc. Eu quero falar de experiências, histórias reais que aconteceram comigo, vocês verão que todos passamos por situações semelhantes e que essas situações são inerentes ao seu conhecimento técnico e seu olhar fotográfico.

Tudo o que falei é importante, não deixem de estudar e de aprimorar, porque isso também traz segurança, mas eu cansei de ouvir assim: “nossa essa máquina é muito boa, faz fotos incríveis.” No início eu ficava brava e até chateada, hoje nem ligo, porque eu sei que a fotografia está muito além de técnicas e equipamentos.

O saber lidar com cada tipo de cliente, com cada expectativa, está acima da técnica.

Não adianta ser fera em técnica e ter uma 5D Mark III (meu sonho de consumo) e não saber vender seu serviço.

A identificação com a área da fotografia é importante, para que se encontrem sintonia e prazer nos registros. Não adianta fotografar crianças sendo que você ama fotografar casamentos.

É disso que quero falar: de paixão pelo que se faz e situações reais do cotidiano.

No próximo texto vou falar de como comecei a minha identidade visual: meu site, meu cartão de visitas, etc…

Vamos comigo?

Mande suas dúvidas, suas sugestões, no que eu puder ajudar tenha certeza que farei!

Até o próximo mês! ;-)

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Dani Carreira

Dani Carreira é uma fotógrafa que se dedica a registrar os momentos em família. Mãe de 01 lindo menino, administradora de empresas com experiência de 10 anos no mercado financeiro/tributário, terapeuta corporal, deixou o mundo corporativo para se dedicar a sua paixão: fotografar!

78 Comentários

Clique aqui para comentar

  • ola Dani Carreia
    adorei ler o teu artigo sobre fotografia .
    vejo que é uma mulher muito corajosa e com muita vontade de vencer .
    é um grande incentivo para quem quer vingar na fotografia que é o meu caso
    parabens .
    gostava de ler umas dicas sobre o cartão de visita .
    abraço amigo
    Jorge lemos

  • Boa tarde,

    Adorei o seu artigo, eu sou uma apaixonada por fotografia, principalmente em crianças. vivo em Matosinhos e gostava de iniciar a fazer alguns trabalhos, mas tudo o que sei foi o que aprendi sozinha ao longo de alguns anos entre um e outro click.
    Tenho dificuldade em conciliar uma perfeita iluminação, principalmente em espaços interiores. Gostava de trocar algumas impressões consigo… na verdade, o seu artigo, inspirou me….

    • Olá Tânia, obrigada pela sua mensagem! Para iluminação e outras dúvidas sobre espaços sugiro um curso voltado para isso. É sempre válido aprendermos por si e pela experiências que temos, mas é preciso termos técnicas também. Bjs e até a

  • Tô doida pra saber mais!!!
    Estou na faculdade de fotografia da Estácio, e depois vou te mandar um email, preciso falar com você! <3

  • Parabéns pelo seu relato. Perfeito! É muito encorajador e gratificante ouvir pessoas como você que se despe da vaidade profissional e pessoal e, com seu exemplo, motiva outras pessoas a seguirem em frente. Obrigada!

  • Dani, sua história é muito motivadora para aqueles que querem seguir esse caminho. Vivo no Mexico, e a 9 anos atrás abandonei carreira, familia, amigos e vim seguir o sonho do marido, com ganhos incriveis para a familia mas um alto custo pessoal. Escrevo em um blog que hoje é referencia para brasileiros no Mexico(viviendoelmexicomagico.com), já temos mais de 1.3 milhoes de acessos, mas apesar do prazer de ajudar os demais falta aquela realizacao profissional e reconhecimento financeiros que ficaram no passado. Comecei um curso profissional em janeiro, para saber usar a Nikon 3100 velhinha que usava no automatico e estou me apaixonando pelo trabalho. Meus filhos e amigos sao meus modelos, quero treinar bastante para fazer bons trabalhos e me aventurar. O frio na barriga é imenso, mas a vontade tb!! Obrigada por dividir sua história. Pessoalmente, faço isso a bastante tempo e sei que é gratificante sim, ajudar as pessoas que estao buscando referencia na sua história. Muito sucesso para voce!!

    • Olá Fabi, obrigada por seu comentário! Ter coragem para encarar os desafios é o ponto de partida; o frio na barriga é o que mostra que você está no caminho certo e o retorno financeiro é a consequência dos outros dois itens. Ele vem aos poucos e realmente não é fácil. Não sou rica de dinheiro, mas posso dizer que sou rica de alegria, experiência e satisfação com o meu trabalho! Ah, bom saber que está no México, quem sabe um dia trocamos experiências juntas? Sucesso para nós, sempre! Bj

  • Realmente… Cada vez que leio os seus artigos o meu “ego” enaltece e muito. Você demonstra uma simplicidade e um amor em ensinar que é realmente extraordinário. Poderia escrever mil palavras, para agradecer por tudo que eu (e muitos outras pessoas) já aprenderam com você. Muito obrigado! Que Deus ilumine sempre, você e todos da sua família.

    • Oi Ademil, obrigada pela sua mensagem! Olha eu que tenho que agradecer por suas palavras, estou feliz em poder colaborar de alguma forma, sei quanto é dificil todo o processo, mas posso garantir que é possível sim. Amém e que Jesus esteja sempre entre nós.

  • Dani, primeiro sucesso para vc,muitos eventos…Já estou no ramo há mais de 12 anos e Lembre-se de algo, quando vc deixar de sentir esse “frio na barriga”vc deixará de ser profissional! Sim, quem diz que fotografa qualquer um e em qualquer lugar, está mentindo! Até hoje em qualquer evento tenho um medinho….e sabe o que é ele? Ele chama se RESPEITO! Primeiro por vc fotografo,depois por quem esta lhe contratando e lhe paga as ctas,sim porque ninguém trabalha de graça e os custos são imensos!!! Desde corpos de maquina, lentes,flashes,tripés,leds,cartoes de memoria,hd’s,pen drives,baterias, pilhas, cabos, carregadores,mochilas, cases e muitooo mais!!! Além dos custos fixos(telefone fixo, wifi, celulares, internet,computadores,programas atualizados mensalmente e pagos,ir e vir ao evento em segurança, taxis,OU SEJA DICA PRECIOSA..SE VALORIZE!!!! E MUITO, SAIBA COBRAR PELO SEU TRABALHO PROFISSIONAL!!! Quem não te valoriza ou quer baratinho, que faça sozinha com seu celular….NO mais seja criativa, crie situações,busque os ângulos…. anime a todos, como diz aquele ditado..não é só um clique…é muito mais!!! e aceite um segundo conselho ..Invista numa full frame, vc vai ver a diferença, é gritante!!!! abraços!!!

    • Olá Juarez, muito obrigada pelo seu comentário. Eu sempre falo de respeito porque realmente isso é a base de tudo em qualquer profissão e no mundo. Decidi escrever sobre minhas experiências exatamente para inspirar as pessoas e desmistificar todo esse mundo fotográfico onde os egos brigam para saber quem sabe mais… Valorizar os nossos trabalhos é fundamental para que tenhamos o respeito que merecemos por toda dedicação que temos com a fotografia. Acredito que estamos no caminho certo! Até mais.

  • Olá Dani
    Fico muito feliz em ouvir isso. Esse é o meu plano para quando eu encerrar a minha vida empresarial. Já trabalhei durante 15 anos como free lance de uma produtora no tempo da foto analógica e sempre adorei fotografia. Infelizmente em 1998 tive que fazer algumas escolhas para que eu pudesse fazer a faculdade e a fotografia foi o que deixei. Em 2010 me aposentei mas ainda hoje trabalho na mesma empresa (29 anos) e ninguém quer que eu saia. Em 2012 (justamente quando vc começou), comprei um equipamento básico digital e percebi que, o conceito era o mesmo porém a técnica era completamente diferente, ou seja, na minha época nem sabíamos como havia saído a foto e somente depois de revelar é que percebíamos onde havíamos errado para poder corrigir e com a digital, sabemos como estamos nos saindo. Dessa maneira voltei a pesquisar sobre fotografia e estudar. Já fiz diversos cursos e acompanho tudo sobre fotografia. Atualmente estou fazendo curso de pós produção e assim que sair da empresa, pretendo entrar no mercado fotográfico. Realmente você me mostrou com a sua história que é possível e assim o farei. Parabéns pela coragem e muito obrigado por compartilhar a sua história.

    Abraço

    Anselmo – São Paulo-SP.

    • Olá Anselmo, obrigada pela sua mensagem! Sim, tudo é possível para aquele que crê, em Deus e em si próprio! Não é fácil como já disse mas pode ser muito prazeroso porque quando se faz o que ama com empenho o resultado vem!

  • Olá Dani Carreira. Queria saber qual o modelo da sua camera e se investiu muito em flashes para suas fotos ? Abraços.

    • Olá Luiz, obrigada por sua mensagem! Nesse inicio que descrevi eu tinha uma Canon T3i e uma lente 18-55mm e só…rs Com o passar do tempo fui investindo em alguns acessórios e equipamentos e hoje trabalho com uma 7D MarkII… Não fiz grandes investimentos porque como já disse não é só de equipamento que é feita a fotografia. O investimento deve ser feito focado na necessidade do segmento no qual quer atuar… eu vou falar mais desse assunto em breve. Abraços.

  • Bom dia Dani Carreira, só de ler sobre sua experiência no mundo fotográfico fiquei com dor na barriga; estou querendo ser fotógrafo, mas, isso já se arrasta desde 2005, sempre há algo que me impede de começar. Hoje ao abrir meu e-mail e ir para o fotografia DG logo vi sua postagem e a li, estou precisando passar mais tempo com meu Melhor Amigo e pedir uma direção profissional. Gostei de sua coragem para compartilhar com os amantes da fotografia sua história na fotografia, irei seguir suas postagem no DG. Que Deus continue a te abençoar. Abraços.

    • Olá Marcelo, obrigada pelo comentário! Olha a dor na barriga eu tenho até hoje quando tenho um novo desafio, isso faz parte e traz a emoção que precisamos! Eu tenho certeza que você vai conseguir, só não pode desistir! Abraço.

  • Olá Dani Carreira. Uma boa historia motivacional, era de algo assim que eu estava precisando para encarar de frente o mundo da fotografia.

  • Amei a historia, vou acompanhar cada etapa.
    meu hobbie e fotografar mais ultimamente estou afim de
    fazer virar profissão sua historia me incentivou
    abraços

  • Me identifiquei demais com sua história, sério! Muito inspirador… Obrigada por compartilhar.
    Estou começando nessa área da fotografia e o resultado tem sido fantástico, eu fico até boba pq não me sinto nem um pouco capaz, mas dou o melhor de mim e tem dado certo. Agora quero fazer muitos cursos, me profissionalizar, e melhorar a cada dia mais! *-*

  • Caramba Dani, seu depoimento é inspirador. Me deu mais confiança… Gratidão por compartilhar com agente algo tão especial. Estou me formando em fotografia e me apaixonando cada vez mais por essa arte!!!

  • Que orgulho, Dani! Quando li o texto parecia que estava te ouvindo e, embora esteja começando em uma área diferente – escrevi um livro publicado na Amazon no ano passado – o começo é sempre o começo em qualquer profissão. Parabéns pelo trabalho e excelente artigo!!

  • Muito bom o texto mesmo, melhor ainda a história. Te dou meus parabéns.
    Assim, sou fotógrafo, mas tenho um grande problema na hora de cobrar. Gostaria de sua ajuda nesse caso. Tive um começo de trabalhos parecido com o seu.
    Minha preocupação é cobrar pouco e defasar a área fotográfica, ou cobrar de mais e perder clientes.
    Aguardo e des de já agradeço a atenção.

    • Oi Kassio, obrigada pelo comentário. Eu entendo e também tive essa dificuldade. Cobrar pouco é melhor trabalhar sem cobrar porque depois pode não conseguir que paguem o valor justo. Mas aguenta um pouquinho aí que falarei sobre isso nos próximos capítulos.

  • Ai Amiga… que texto gostoso, parece que a gente ta numa conversa com um cafezinho…srsrsr. Parabens pela coragem e determinacao! Estou muito orgulhosa de vc e vou ajudar a divulgar sua pagina. Bjs pra vc e pros seus meninos. <3

  • Muito bom ler seu artigo. Me deu muito animo para continuar meus projetos e seguir em frente. Estou passando exatamente pelo o que passou (inclusive da mesma empresa) e em muitos momentos fico pensando se vai dar certo, estou estudando e investindo em conhecimento e técnica para começar. Ler seu texto me motivou mais ainda. Adorei!!!

    • Olá Gabi, então você sente na pele o que é esse começo! Não desista, tudo é possível ao que crê. Quando se tem foco e amor pelo que faz é só questão de tempo! Bjs

  • Boa tarde muito bom esse artigo da Dani. Eu também fiquei desempregado ao fim de 18 anos onde dei tudo de mim. Fazia fotografia por gostar mas depois de ficar desempregado comecei a tirar algumas fotos a nível comercial principalmente no desporto que o meu filho faz( basquetebol) mas como sabe para tirar fotos em Pavilhao por vezes é difícil porque tem pouca luz, apesar de ter uma lente clara 80-200 da nikon e depois edito as fotos no ligthroom, programa esse que já trabalho á uns 2 anos. A pergunta! Não tenho nenhum curso de fotografia tudo o que sei foi lendo e im curso de fotografia é caro e desempregado torna as coisa mais difíceis. Gostava de ter uma openiao em relação ao curso e o que acha. Para ter uma percepção do meu trabalho gostava que visse a minha página no facebook ( Photoparreira ) e dizer o que acha, o que preciso e o que devo alterar. Muito obrigado

    Cumprimentos

    Paulo Parreira

    • Olá Paulo, obrigada pelo seu comentário! Fotografar o que se gosta é muito bom e isso é determinante para não desistir! Sobre o curso é sempre bom fazer para sanar aquelas dúvidas que surgem nos tutoriais da internet. Também é legal conhecer feiras de fotografia e o trabalho de outros profissionais, isso ajuda a direcionar o nosso olhar fotográfico! Até breve.

  • Dani, esse texto foi escrito pra mim! rs. Sou iniciante, 40 anos, apaixonada pela fotografia! Sempre quis me jogar, mas trabalhava e tinha medo de mudar. Até que fui demitida e resolvi partir pro meu sonho. Comprei minha câmera, fiz um curso e desde então só penso nisso. Só que tenho medo, sou ansiosa e faço tratamento pra ansiedade, inclusive. Já fiz vários trabalhos gratuitos para montar portfólio, mas até agora somente um remunerado. Estou com uma dificuldade gigante para captar clientes. Divulgo no face e instagram, estou criando um site, já criei minha identidade visual, personalizei meus orçamentos. Todos os dias trabalho nessas coisas. Acordo e durmo pensando na fotografia, mas só mando orçamentos e nada. Tão dificil esse começo né? Ainda, sou a pessoa mais feliz do mundo com minha câmera na mão, fazendo minhas fotos, o que mais amo! Espero que 2017 seja um ano promissor e de conquistas pra todos nós! Um super beijo.

    • Olá Dani, olha como já fez muiitaa coisa legal! O caminho é esse mesmo. O medo faz parte de toda a profissão, mas como disse o medo não pode ser maior que seus sonhos, então força e foco que vai dar certo. Sucesso para nós! Bjs

  • Olá Dani, também sou aficcionado por fotografia (desde a época das cameras a filme) e procuro sempre estudar e ler tudo sobre o tema, e desse modo acabei de ler o seu relato… no começo pensei assim: ah, mais um artigo de técnicas fotográficas, mas fiquei surpreso com o conteúdo. Escrever sobre técnicas é (relativamente) fácil, porém um relato como o seu é muito mais inspirador e proveitoso. Parabéns, não só pela guinada em sua carreira, como também pelo seu modo claro, sincero e cativante de escrever… muito legal mesmo!!! Eu também nunca sobrevivi de fotografia, apesar de já ter fotografado para amigos e “amigos de amigos” (já fiz vários aniversários, batizados e outros eventos), mas preferi não cobrar (porque acho que isso cria um vínculo de muito maior responsabilidade). Enfim, parabéns e sucesso na sua carreira. Tenho muita admiração por aqueles que não tem medo de meter as caras e ir atrás de seus sonhos.
    PS: por coincidência, tenho uma esposa que se chama Dani, tem uma faixa etária próxima da tua, também temos um menino e ela também é administradora… e também, depois de trabalhar por mais de uma década na mesma empresa, está em vias de perder o emprego… a velha crise né… outro dia ela até brincou que ia aproveitar o meu equipamento e começar um ganha-pão como fotógrafa..rsrsrs.. muita coincidência né?
    Grande abraço

    • Olá Gervásio, que alegria receber um comentário assim. Eu acho que isso é um sinal do meu melhor amigo (Deus) para vocês hein? Força e fé para seguir e tenho certeza que vão conquistar! Abraço.

  • Olá Dani, sensacional seu artigo, sua história de vida, amei…também tenho 38 anos e um filho lindo, mas muito medo de ariscar acho lindo fotografar apesar de não ser minha profissão, mas preciso criar coragem para ousar e mudar o rumo da minha história. Obrigada pelas dicas, pela sua história. Parabéns você mudará a vida de muitas pessoas com o dizer “O medo não pode ser maior que seus sonhos”. Show

  • Olá, Dani, tudo bem?
    Me chamo Sérgio Novelli, estou iniciando na fotografia, como muitos que comentaram seu texto, que aliás, nos conta uma experiência incrível! Parabéns pela sua conquista.
    Realmente é muito complicado nesse início, pois temos muito o que nos preocupar: estudar, definir as áreas de atuação, definir e adquirir equipamentos, desenvolver uma marca e uma identidade, precificar o próprio trabalho, fazer o marketing e divulgação… para, finalmente, tornar-se conhecido.
    Tenho tido bastante dificuldades nesse início, principalmente por estar sozinho nessa jornada. Estou deixando meu trabalho para me dedicar exclusivamente à fotografia, que apesar de ainda não ter tido um centavo sequer de lucro, me sinto honrado em me dedicar a arte.

    O que você me sugere para superar essas dificuldades iniciais e, principalmente, não se deixar levar por determinadas vontades de desistir?

    Obrigado pela experiência compartilhada. Sucesso.

    • Olá Sérgio, obrigada pelo seu comentário! Foi exatamente pelas dificuldades que encontrei, e ainda encontro, que resolvi escrever os artigos! Não é fácil mesmo e o lucro realmente demora um pouco para acontecer. O que eu posso lhe dizer é que nós fotógrafos acordamos com o “não” todos os dias, mas eu vou atrás do sim. Nem sempre conquisto mas não desisto porque eu tenho amor pelo que faço e esse é o meu maior motivador. Descubra o seu maior motivador, estude, confie em Deus e siga, no momento certo vai alcançar os objetivos que deseja! Sucesso para nós!

  • Ola Dani Carreira, sou o Jucimar, assim que dar inicio a minha carreira quero ser conhecido profissionalmente como Jucimar Escudeiro,Fotógrafo, legal né!! Sua experiencia a sim inspiração e concordo c vc sobre todo esse medo e expectativa de dar o ponta pé inicial. Ual, o lance do projeto de natal na escola foi um desafio hein, parabéns, vc conseguiu, e sabe, quero confessar aqui que seria mais ou menos assim que pretendo dat inicio por aqui, só que tenho em mente um projeto com idosos, em casinhas de repouso, acho eles tao bacanas, o que você acha disso??
    Tenho uma camera t3, uma lente do kit, e uma 50mm 1.8, e só. Mais acima de tudo tenho vontade messssmo, e sua experiencia me ajudará a ter a ‘coragem’que me falta pra fazer meus primeiros cliques remunerados.
    Abraços e boas fotos. Queremos ler mais sobre você. Bj.

    • Jucimar, que alegria saber que consegui atingir meu objetivo, obrigada pelo retorno! Olha trabalhar com idosos deve ser incrível, por que eles voltam a ser crianças né? Sobre a fotografia de idosos lembre-se sempre de manter o conforto e a segurança deles pois são mais frágeis! E faça testes antes de oferecer o trabalho já remunerado, assim você terá mais segurança ao apresentar a proposta e ao clicar uma idade tão especial! Sobre a câmera não vejo o menor problema, porque não é o equipamento sozinho que fará a foto linda certo? A sua vontade e dedicação vai formar o conjunto da obra! bj

  • Oi, Dani. Minha história é muito parecida, só que começou a cerca de dois anos. Eu sempre fotografei desde os 15 anos (hoje estou com 57), mas sempre como hobby. Quando veio a era digital, comprei uma câmera compacta, só pra continuar fotografando meus passeios e festas de família. Em 2015, no meio de uma crise e sem trabalho, uma amiga fotógrafa me emprestou uma Nikon D90, pra eu começar a estudar e aprender fotografia profissional.
    Hoje, só faço isto, e não quero mais saber de outra profissão. Ainda tenho muito caminho pela frente, mas sei que posso ser um bom fotógrafo, pois não tem me faltado clientes, e a cada dia continuo aprendendo e exercitando.
    Grande abraço.

    • Olha que legal Christiano, parabéns! O caminho de aprendizado e exercício nunca terão fim, eu também estudo muito. Mas o mais importante é ter amor pelo que faz e não desistir, porque a gente chega lá sim! Obrigada pela mensagem. Um abraço.

  • Dani, que história inspiradora! Me vejo nela sabe, trabalho na área de RH e nessa crise daqui a pouco posso estar desempregada e quando isso acontecer quero tanto viver da Fotografia, mas é tanto medo, tanta insegurança, rsrsr! Já faço alguns trabalhos, mas ainda não é aquela coisa! Mas uma coisa é certa, não vou desistir! Parabéns e irei ficar por aqui para ler mais da sua história! bj

    • Oiiii Thais, tudo bem? Ah é isso mesmo, mas lembre-se : o nosso medo não pode ser maior que nossos sonhos! Não desista, como falei não é fácil mas com dedicação e amor a gente chega lá! Estou feliz de tê-la por aqui! Bj

    • Antônia tudo bem? Obrigada pela mensagem. Realmente essa dúvida faz parte de todos que iniciam na profissão. Fique ligada que vou fazer um artigo inteiro somente sobre esse assunto! Até breve!

  • Parabéns Dani, sua história é muito bacana. Ainda não sou fotografo mais vc respondeu um monte de dúvidas que eu tinha.

    • Olá Fabiano, tudo bem? Ah que bom, eu fico feliz e agradeço o seu retorno pois o meu maior objetivo foi alcançado, que é exatamente inspirar os que estão começando! Não desista, toda profissão tem o seu começo!

  • Dani, que delícia de texto… adorei, hoje sou um iniciante, e esse é justamente o meu sonho… quero aqui fazer uma observação, o seu melhor amigo (que também é o meu), com quem você conversou fez e sempre fará toda a diferença. Parabéns… ficarei esperando a continuação… Abç.

    • Oh Marcos que alegria eu sinto em saber que gostou! E você vai sim conquistar o seu sonho, porque “nosso melhor amigo” realiza os desejos do nosso coração! Obrigada por me mandar essa mensagem e logo logo tem mais!

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar