Quero largar tudo e ser um fotografo! Como fazer a transição? 5/5 (6)

Esta é uma questão que aflige a cabeça de muitos profissionais que ainda dependem de uma renda fixa (CLT) para seu sustento e não podem correr o risco ou sair da sua zona de conforto por N motivos. Aluguel, filhos, prestações, etc. Quando me fazem esta pergunta me recordo do dia que decidi tomar a decisão de abandonar essa minha zona de conforto e partir para o até então “desconhecido“ mundo dos negócios.

Todas as ideias e sugestões que verão abaixo só fui descobrir no 2º ano de profissão e depois de quase ter desistido por diversas vezes.

Certo dia em conversa com a minha esposa disse a ela que não aguentava mais fazer o que eu fazia (trabalhava com marketing e design em uma importadora de instrumentos musicais) e que queria sair do armário e assumir de vez que era um fotografo. Mas obvio que tinha muito medo pois tínhamos planos e estes precisariam de uma renda fixa mensal. Eu confesso que minha educação foi direcionada para ser um bom funcionário e não um bom empreendedor, acredito que isto tenha acontecido com muitos da minha geração e este pode ser um dos fatores que causam aquele medo e aquele frio na barriga quando pensamos em mudanças. Afinal de contas o ser-humano não tem medo de mudanças, ele tem pavor! Foi quando conversando com um amigo que estava indo embora para Londres, ele me sugeriu dar Workshops de flash afinal seria uma renda extra e daria para me manter (Workshops + Seguro desemprego = 6 meses respirando).

IMG_1742

Respirei fundo e aceitei a proposta, dei sorte pois ele me passava os alunos que entravam em contato. Dentre estes meses alguns trabalhos começaram a chegar através do google que somavam a minha renda mensal. Foi quando em agosto daquele ano a fonte secou. Não entrou Workshop, não entrou trabalho, seguro desemprego já tinha ido e o desespero tomou conta.

Você pode estar perguntando: – Você não tinha alguma reserva? E eu respondo:

Se quando era CLT recebia no 5º dia útil, como ter uma reserva se no 7º dia já não tinha mais nada? Imagina agora que era um profissional liberal!

Foi no aperto que comecei a descobrir algumas coisas e buscar alguma forma de conseguir me manter de pé e não ter que jogar a toalha.

Quando parei e me perguntei: O que fazer para conseguir me manter de pé?

A resposta mais clara que encontrei foi: Ter organização e disciplina

Vamos agora analisar estas duas palavras e traze-la para nosso mundo.

Organização:

O primeiro fator era relacionar o meu custo de vida. (Naquela época entrou também minhas contas atrasadas, cartões, telefone, limite do banco).

Relacionei todos os meus gastos, desde despesas com a casa, ate minha cervejinha de fim de semana. E encontrei um valor X. Precisaria ganhar aquele valor para conseguir respirar.

A Segunda questão foi: Como relacionar estas contas a fim de me organizar?

Na empresa que trabalhei por ser curioso conversava muito com o pessoal do financeiro e acabei lembrando mais ou menos como funcionava o contas a receber e contas a pagar. Foi então que tive a ideia de buscar algum software que eu pudesse relacionar as contas nas datas corretas e o contas a receber. Buscando na internet achei um software chamado ganancia.  Depois fui entender o porque do nome. Dava início a Rafael Mendes Photo Design onde eu era apenas um funcionário. Foi pensando desta maneira que resolvi que além de pagar minhas contas queria ter lucro certo? Como toda empresa eu queria poder ter uma reserva para investir em equipamentos e se caso a galinha deixasse de botar aquele ovo de ouro eu teria a minha reserva. Procurei o gerente do meu banco e falei pra ele que gostaria de abrir uma conta jurídica para ficar mais organizado separando as minhas contas pessoais das contas da empresa.

Ai entrou a questão disciplina.

A parte mais complica e difícil foi separar as contas, isto exigiu e ainda exigi muita disciplina.

Lutar contra meu consumismo e fazer tudo da forma mais correta. Gastar somente o necessário, pagar a pizza com o dinheiro da empresa? Jamais.

Comprar apenas sabendo se terá dinheiro para pagar (isto ficou fácil com o software onde lanço mês a mês as contas ou previsões de gastos) e se de fato precisa ter aquele gasto.

Toda esta organização e disciplina facilitou minha vida e a vida da minha empresa em outros diversos fatores. Por exemplo: quanto cobrar por cada trabalho, metas de onde quero chegar, promoções e muito mais.

A última dica que deixo é: O fracasso só existe para quem desiste!

De o ponta pé inicial, comece hoje mesmo a se organizar. Sabemos que o caminho não é fácil, mas pelo menos você saberá onde esta pisando.

Seja feliz

Qualquer dúvida ou sugestão pode deixar um comentário que darei a melhor atenção.

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Rafael Mendes

Fotógrafo Publicitário, de Retratos, Still, especialista em Flash e estúdio. Mineiro residente em SP começou na fotografia há mais de 9 anos trabalhando principalmente no mercado da música e instrumentos musicais. Tem no seu portfólio capas de CDS, anúncios, produtos e campanhas publicitárias.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar