Home » Artigos » Artigos de opinião

O lado ácido da fotografia: RTFM

Quem é curioso tem dúvida. Nem que seja por um curto tempo, até encontrar a resposta ao que lhe aflige. E hoje em dia é bem fácil matar as pulgas, carrapatos e piolhos que nos dão atrás das orelhas (ou por onde estejam!), com a internet e etc – disso certamente estão carecas de saber (epa, carecas têm piolhos?!).

O que não parece ter mudado muito é o mau hábito de comprar uma câmera e não ler o manual. Sim, porque antes de comprar acessórios e trocar dicas e dúvidas em fóruns e afins não custa dar uma lida neste livrinho que parece ser só propaganda do modelo da câmera e da linha de produtos à qual ela pertence (bom, às vezes essa impressão é quase 100% certa…). Não à toa o famoso fotógrafo Clício Barroso, mesmo com todo seu profissionalismo, soltou certa vez este tweet:

Pra quem não sabe, RTFM significa Read The F***ing Manual, ou em bom (?) português Leia a P**** do Manual. Ele não foi elaborado, desenhado, impresso e enviado com sua câmera por acaso, acredite.

Claro que uma leitura dele não resolverá todos seus problemas, que podem ser mais específicos que as questões abordadas no livrinho (supondo ser um livrinho). Mas os fundamentos básicos do uso e da exploração da sua câmera estarão lá – da descrição do que vem com a câmera até uma introdução aos recursos mais avançados de captura que a câmera possui. Se não está, procure na página da marca. Também não tem? Reclame!

Leia-me ou devoro-te.

Para o que não está lá e não espera por ver em resposta da empresa, existem fóruns como o Digital Foto. Porém é sempre bom lembrar que pode ser um pouco frustrante lidar com questões básicas que poderiam ser respondidas com uma rápida lida no guia da câmera (a Claudia Regina que o diga…). Aliás, tão terrível quanto saber que o usuário da câmera não leu o manual é saber que ele sequer existe ou não ajuda em nada! Acredito ser esse um dos diferenciais de adquirir um modelo de uma marca mais conhecida – elas tem mais a perder se não fizerem as coisas como devem ser feitas. Ou seja, a percepção de falta de cuidado e dedicação ao usuário aumenta com o tamanho da marca, pois as expectativas são maiores. E acreditem: as empresas hoje em dia levam tão a sério suas imagens públicas que é mais eficaz reclamar no Twitter que no Procon.

Por outro lado, se você sai jogando em vários fóruns de fotografia e eletrônicos uma dúvida que poderia ser tirada no manual, a impressão que os outros fotógrafos vão ter (ou deveriam ter) é de que você é no mínimo um tantinho preguiçoso e sequer deve tirar proveito da câmera que tem (se for uma DSLR topo de linha, a impressão aumenta!). E, convenhamos, ninguém quer ser conhecido pela preguiça em conhecer sua própria ferramenta – apresentem-me um que goste e eu ponho o nome no rodapé.

Por falar em fóruns, existe também o onisciente, onipresente (já? no Brasil não…) e muitíssimo bem lembrado Gúgou! Sim, o bom e velho adolescente Google também pode dar uma mão preciosa, se souber buscar de forma eficaz, utilizando aspas e outros truques para uma pesquisa mais certeira. Como citei no comecinho do texto: a internet está aí para nos ajudar, desde o uso em universidades, lá nos primórdios. Só não é desde o nascimento da web porque antes era de militares, e pela amostra do estrago que se fez no Afeganistão se tem uma noção de como deixar algo nas mãos deles pode não ser boa ideia – ainda bem que liberaram a internet! Enfim, usem-na, ela hoje é o Grande Oráculo onde estão as respostas que não estão no manual de sua câmera, seu flash… mas não esqueçam-se de consultar o tal manual, ainda que online, com carinho, sem medo, afinal você juntou uma grana para adquirir seu equipamento, por que tratar parte dele com desprezo?

No Fotografia-DG você pode encontrar vários manuais de câmeras, flash e software aqui.

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

13 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Eu geralmente procuro informações sobre os equipamentos em sites de review. Isto já facilita e orienta a aquisição de novos materiais. A leitura dos manuais é fundamental. Avaliar se o texto é útil ou não só sei depois de terminá-lo. Já aconteceu de ficar atrapalhado com funções de equiapementos confiando somente na minha capacidade intuitiva e acabei perdendo tempo desnecessariamente. Prefiro ler os manuais em inglês, as traduções para o português ainda deixama desejar para muitos fabricantes.

  • Na verdade é não saberem ler mesmo!
    Pq se vc sabe ler, vai compreender todos ou pelo menos qse todos os recursos que sua câmera tem.
    Nos fóruns da vida aparece cada pergunta repetida que Deus do céu…

    • Nem me fale. Eu como moderador do fórum daqui do DG (o fórum Digital Foto) cansei de ler as mesmas coisas – as pessoas mal usam o campo de busca. Não poucas vezes postam numa das primeiras seções do fórum, nem vêem as que estão só um pouquinho mais abaixo, que são por vezes mais adequadas, onde as questões são bem mais pertinentes.

    • Bem isso, mesmo!
      E eita, preguiça também!
      A primeira coisa que me falaram é sobre conhecer bem o equipamento (que eu ainda não tenho hehe) Mas, quando comprar, já vou ler (ou baixar e ler ele antes da câmera chegar)

    • Na verdade até sabem ler mas o problema é compreender, interpretar o texto, vejam o que os especialitas de educação dizem sobre isso dos alunos !!!

      • A minha Finepix S1800 veio com um guia menor impresso em papel e um guia mais completo em PDF no CD. E tem no site também.

        A impressão que se tem é que as pessoas realmente não querem estudar e aprender, querem simplesmente que alguém diga quais botões apertar em que sequência para fazer uma foto igual à de fulano. Ou então vem com aquelas histórias de que a máquina não presta, mas estão usando errado (o erro mais comum é não pressionar o obturador em duas etapas). Para alguns, o melhor seria uma máquina de foco fixo como uma Kodak que eu comprei uns anos atrás: sem shutter lag, sem fotos borradas por que a máquina não achou o foco, nada. Clicou, a foto foi feita.

        • Exatamente!

          A preguiça é impressionante, tem um efeito até sobre a educação da pessoa! De que adianta meio mundo reclamar que o Brasil é mal educado se tem gente que nem coloca um CD no computador e tira 10 minutinhos para entender como tirar aquela foto que você quer com sua câmera?

Páginas Úteis

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar