Home » Artigos » Dicas » TO FLASH OR NOT TO FLASH, eis a questão?

TO FLASH OR NOT TO FLASH, eis a questão?

- Última Atualização a: 09/06/2013

Estava eu preparando um jantar, tomando um vinho e conversando com meu filho, quando de repente surgiu esta temática na minha cabeça: to be or not to be, ou melhor to flash or not to flash. Achei engraçado, inclusive dei boas risadas, rsrsrs, mas me pareceu um assunto bem interessante para discutirmos aqui no Fotografia-DG e espero que vocês curtam e opinem.

Afinal, existem estas duas vertentes de fotógrafos: os que usam flash e os que preferem se utilizar da luz disponível (Available Light).

Quando me refiro a flash, gostaria de acrescentar os LEDs também, afinal apesar de serem uma forma de luz contínua, são uma alternativa de iluminação artificial.

Eu me incluo na regra 80-20 (80% do tempo uso luz disponível, 20% flash ou led).

Os critérios são muito discutíveis para esta escolha: gosto pessoal, apuro técnico e principalmente o que se quer da sua imagem. Eu sempre busco mostrar a luz do momento, inserir o assunto ou o personagem dentro da cena e destacando as nuances de luzes e cores que serão as lembranças relacionadas aquele momento. Principalmente, em se tratando de casamentos, já que a noiva escolheu cada detalhe da decoração, as velas, luzes cênicas ou até a falta delas, pois já houve caso da noiva me comentar que queria aquele clima dramático e pouco iluminado. As vezes quanto menos luz melhor, voltamos aquela velha regra: “o menos é mais”.

Abaixo, para ilustrar algumas imagens características sobre o que falei.

Luz ambiente 1

Este foi um dos trabalhos mais difíceis que eu já fotografei. Ambiente escuro, havia uma luz pontual direcionada sobre o casal, eram 4 spots em contra-luz ao rosto dos noivos e grandes andarelas (luminárias) ao longo do corredor, única fonte de luz ambiente para os convidados. Fora isto, havia pouco espaço para circulação atrás do celebrante, muitos profissionais trabalhando (cinegrafistas e outros fotógrafos), não havia tempo hábil para iluminação auxiliar ou espaço para tripés, sendo assim optei em arriscar uma linguagem bem teatral e usei a luz disponível.

A noiva agradeceu, inclusive obtivemos a grata satisfação de chegar entre os 3 finalistas de um concurso nacional de álbuns de casamento com este evento.

Outro momento da cerimônia.

Mais uma imagem de Carolina, logo na entrada do salão. Este é um momento crítico de se decidir “to flash or not to flash”. Arrisquei e mantive a luz escolhida por ela, eu não tenho nenhuma foto com flash desta noiva neste momento: ISO 5000 – 1/30 – f:2.0 – lente 35mm.

Flash 1

Em outros momentos um Flash é indispensável.

Nesta foto, imaginei uma cena e tentei realizá-la nos últimos segundos antes de sairmos para a cerimônia. Flash off-camera no manual 1/128 via remoto. Luz suficiente, apenas para destacá-la do fundo na janela de um famoso hotel da cidade.

Flash 2

Esta foto é uma de minhas preferidas e foi realizada no Teatro Carlos Gomes, em Blumenau-SC-Brasil. A história desta imagem é interessante, pois ao atender este casal em meu estúdio a noiva comentou que iria casar-se em um teatro com lindas cadeiras vermelhas. Como o local do casamento era em outra cidade, durante a viagem fiquei pensando, de que forma iria incorporar as cadeiras do teatro nas fotos deste casamento. As vezes o instinto fala mais alto, após a cerimônia o local ficou somente para nós, inclusive com um iluminador operando todas as luzes cênicas deste ambiente. Dirigi a iluminação ambiente para que criasse um clima suave, mas que não fosse a luz principal, logo depois posicionei a noiva, porém a grande sacada veio após a sugestão de meu colega de ilumina-la por trás. O resultado está aí, e sugiro sempre que ouçam as idéias das outras pessoas, só irá somar em seu trabalho. Ninguém faz nada sozinho!

Flash 3

Esta cena pra mim é insólita, via o porteiro abrindo e fechando a porta para as pessoas entrarem na pista de dança da danceteria, aquilo me chamou atenção e imaginei um contra-luz lateral – duro e direto nele. Flash off-camera em zoom de 200mm a potencia foi regulada de acordo com o resultado que eu determinei que seria adequado para não estourar o fundo. Eu curti, e você?

Flash 4

Mais uma foto do casamento de Carolina, aqui ela dançando na pista, iluminada por um flash. O volume do vestido,  a textura e perspectiva só foram possíveis pelo ângulo de ataque da luz.

Flash 5

Aqui o flash serviu somente para iluminar o interior do veículo. Acionamento remoto, o flash estava em cima do banco de trás do carro, apontado para o teto. Sem isto, esta imagem não teria tanto impacto.

Led 1

Adquiri recentemente uma luminária de LED. Testei e recomendo, luz continua é uma boa alternativa e se consegue visualizar o resultado na hora.

Led 2

Temos uma foto de Jonatan. O ambiente já era razoavelmente iluminado, porém as luzes do teto deixavam uma sombra indesejada sob os olhos do noivo. Perfeito para uma pequena compensação de preenchimento, em um ângulo levemente superior a sua direita. Aqui um flash não combinaria com a temperatura de cor já existente. (filtro âmbar no LED – WB 3200).

Então pense bem antes de clicar seu próximo evento: TO FLASH OR NOT TO FLASH?

Ficará a seu gosto!

Abraço a todos e boas fotos!

Ajude-nos, avalie este artigo:

Julio Trindade

O Fotógrafo gaúcho Julio Trindade, reside em São José e atua na região da Grande Florianópolis em Santa Catarina, Brasil.
Vem se destacando no cenário nacional na área da fotografia de casamentos, tendo ficado entre os top finalistas em vários concursos nacionais e com matérias em revistas especializadas do ramo.

Com uma linguagem própria, busca sempre a inovação e aprimoramento através de Palestras, Cursos e Workshops com os melhores fotógrafos do mundo, tais como: Vinicius Matos, Joseph Victor Stephanchick (JVS Pictures), Walter Firmo, Sebastião Salgado, Pedro Martinelli, Yervant, David Beckstead, entre outros.

47 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Olá Nilton, tudo ok! Acho que não é bem assim. Falei que 80% do tempo uso luz natural. Não uso sempre o foco manual. O TTL é padrão, somente uso foco manual quando é necessário. As vezes atrás de uma cortina ou objeto translúcido, plantas ou algum objeto no primeiro plano, também dificultam o foco, neste caso o ideal é tocar no modo manual e mandar ver. As cameras e lentes são super fast atualmente, principalmente as prime das marcas oficiais.
    Sobre a dica de flash, eu recomendo que estude e leia sobre o assunto. Pratique e teste todas as opções, pois isto na realidade é o controle da luz e interferirá 100% no resultado do trabalho. A forma como você usar o flash é estilo também.
    Eu muitas vezes, principalmente na festa, por exemplo, uso direto na camera mesmo, porém rebato para o lado em alguma parede, até para trás as vezes. Porém, o segredo que eu acho que poderá ser legal para você, seria testar a capacidade de iso alto da sua camera, pois quando vc trabalha com isos mais altos, precisará de menos flash. Além de economizar pilhas, será apenas uma complementação e não uma iluminação principal. O que tornará as suas fotos bem mais naturais. Pois o flash é uma luz muito fria e artificial.
    Boas fotos!

  • Julio, ótimo post (agradeço por compartilhar o conhecimento!!!). Belíssimas fotos também!! Quanto a usar o foco, se não me engano li aí em cima que vc usa 99,9% o foco manual??? (em casamentos??) Se for isso mesmo, vc me surpreendeu, pois é o primeiro fotógrafo que eu ouço dizer que usa foco manual em eventos, já que os mesmos são muito dinâmicos, espero alcançar essa rapidez e habilidade com o tempo. Quanto ao uso do flash, pelos seus comentários vc usa sempre fora da câmera, correto? Tem alguma dica (para quem está iniciando, como eu), quanto ao uso dele acoplado na câmera? 45º, TTL (automático) para começar? Grande abraço,e novamente obrigado!!!

Carrinho