Menos é Mais – Diagramação de Álbuns 3.8/5 (5)

O conceito de Menos é Mais na Diagramação de Álbuns vem do Minimalismo, para quem não se lembra ou não teve a oportunidade de ter aulas de história da arte, refere-se a uma série de movimentos artísticos e culturais de meados da década de 50, que preocuparam-se em expressar a arte pela redução formal de elementos, na limpeza visual dos gráficos, vulgarmente chamados de “estilo clean”.

Este, na minha opinião, é o ponto de partida para que qualquer projeto gráfico dê certo. O resultado da aplicação deste conceito é o óbvio, a valorização do conteúdo principal (das fotos, no caso) e não das firulas e enfeites que mais atrapalham que ajudam. Existem portanto, designers que conseguem trabalhar com esta linguagem de texturas e linhas complementares, sem que passe do limite (muito tênue) do belo para o brega. É preciso utilizar com muito cuidado, sempre.

Dentro deste conceito aplica-se também a regra da Proporção Aurea, (ou Regra dos 3 na fotografia), a qual seguimos o sentido de leitura e de proporção da lâmina para a composição das fotos no layout.

É importante tocar nesse assunto pois pode ajudar muita gente a melhorar seus trabalhos, a pensar um pouco mais na hora de usar aquela fonte poluída ou exagerar nos gráficos das capas e miolos.

Página do livro Elementos do Estilo Tipográfico,
de Robert Bringhurst, Ed. Cosac Naify

Mas como aplicar este conceito nos nossos trabalhos?

Sugiro alguns passos: faça muitas pesquisas, veja modelos de aplicação de fotografia em revistas, livros, posters. Quanto mais referências visuais melhor! Algumas ótimas fontes de inspiração são sites de foundries (empresas especializadas em desenvolvimento de fontes), como a MyFonts.com, livros de viagens (estes muitas vezes aplicam somente fotos em seu interior, para demonstrar a beleza do lugar e da fotografia), revistas de moda importadas, filmes,  enfim, não prenda sua inspiração somente na sua àrea específica, vá mais além e fuja do básico – surpreenda-se com suas próprias criações!

Para fugir do básico, em qualquer sentido é só querer, fontes de inspiração encontramos em todos os lugares, pare para observar e abra a cabeça!

Um exemplo de aplicação deste conceito na diagramação dos álbuns de fotografia é a quantidade de “espaço branco”. É claro que uma foto estourada na lâmina é linda, mas ela menor, com uma “margem” branca tem seu charme. O equilíbro é a questão. Sou a favor de utilizarmos um pequeno espaço entre as fotos de uma lâmina, quando grudamos uma na outra é possível uma pequena confusão mental, inconscientemente fundimos uma imagem à outra, o que é facilmente resolvido dando um espaço de 5mm, por exemplo, entre elas.

A escolha das fontes é outra questão. Hoje em dia muita gente usa somente as que já vem instaladas no computador, não se dão o trabalho de pesquisar por fontes novas e bacanas. Esta é uma pesquisa que vale a pena. Existem muitos sites que disponibilizam fontes muito boas e free (de graça) para baixar. Um ótimo site, com fontes clean é o fontfabric.com. Recomendo.

Resumindo, criar um álbum no estilo clean é simples e muito bacana, mas exige muita pesquisa e principalmente inspiração. Boa sorte!

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Vanuza Amarante

Vanuza Amarante é designer gráfica e de produto, trabalha com diagramação de álbuns há 5 anos em parceria com grandes fotógrafos, transformando suas lindas fotos em álbuns bonitos e criativos.

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar