Home » Artigos » Dicas » Vendi minha 50mm

Vendi minha 50mm

Quem disse que 50mm é ótima ideia pra todo mundo, a delícia do Paraíso aqui na Terra? Tá, eu dei uma contribuição, mea culpa! Mas….. não é bem assim.

Existem certas vantagens em considerar o fator de corte de sua câmera (supondo, claro, que você não usa uma Canon 5D mark III, por exemplo) e fazer uso de uma objetiva fixa grande-angular. E mesmo quando sua câmera não tem fator de corte, ainda pode ser vantajoso. Exponho os porquês:

Numa grande-angular (GA, para os íntimos), ocorrem basicamente três coisas: maior ângulo de visão, afastamento de planos e maior profundidade de campo (se considerarmos a mesma abertura de diafragma). Essas são vantagens comuns tanto a objetivas GA usadas em câmera full-size quanto “cropadas”.

 

Luar de Catimbau

foto: “Luar de Catimbau”, por Alexandre Maia – no flickr

 

O que é o afastamento de planos? É a visualização de planos mais afastados do que realmente estão, ou seja, um objeto ou pessoa em primeiro plano parece mais distante do segundo e de outros planos quando visto através de uma GA – efeito inverso das teleobjetivas, que “achatam” os planos, deixando-os mais “próximos”. Isso é ótimo para dar noção de espaço à imagem.

foto de Leandro Santiago

foto: Leandro Santiago

diferença

foto: Leandro Santiago – flickr

(notaram a diferença?)

Já a profundidade de campo é um fator bastante aproveitado por quem fotografa paisagens: o uso de grande-angular não apenas permite captar ângulos maiores, como também ter uma maior extensão da foto em foco. Isso é provocado, como disse o fotógrafo Armando Vernaglia Jr., pelo menor orifício de diafragma causado pela lente mais curta. No caso dos modelos de câmera com sensor menor que full-frame, seja tipo APS-C ou ainda menor, a profundidade de campo é ainda mais ampliada, já que as proporções do sensor influenciam neste detalhe técnico. Por isso que fotografar com câmeras bem compactas e querer ao mesmo tempo um bom desfoque de fundo é por vezes uma utopia irrealizável – os sensores minúsculos não possibilitam tal “façanha”, a não ser que se estenda (por vezes bastante) o zoom e regule a abertura para a máxima possível (ou quase isso).

 

Ö pulo desesperado

foto: “O pulo desesperado”, por Alex Nóbrega – no flickr

 

E o maior ângulo de visão? A mais óbvia das características também tem benefícios bem interessantes, especialmente para fotojornalistas:

  • Possibilidade de expor todo o contexto do acontecimento (assim como fazia com maestria o fotógrafo Enrique Metinides)
  • Inserção, ainda que virtual, do espectador na cena
  • Maior espaço para cortes posteriores, permitindo composições mais aprimoradas sem que o fotógrafo perca o momento pensando em como “arrumar” os elementos na imagem

 

 

foto de Enrique Metinides

foto: Enrique Metinides – fonte: NY Times

 

Por estes motivos não acredito tanto assim a primordialidade de uma 50mm e dou preferência a grande angulares na hora de optar entre objetivas GA ou normais/meia-tele.

Tudo muito bonito, mas deve haver desvantagens… e existem, sim, infelizmente. Também com ajuda do Vernaglia, tenho uma pequena relação dos “contras” de usar GA. Lembrando que, a depender das intenções do fotógrafo, estes defeitos podem ser úteis e até desejáveis. São eles:

  • Distorções por arredondamento nas bordas – repare bem na foto abaixo)
  • Maior tendência a vinhetagem nas bordas em caso de grandes aberturas. Há quem aprecie, mas há quem simplesmente considere um defeito, e nunca um defeito.
  • Maior propensão a flare devido ao tamanho e curvatura do elemento frontal. Leia sobre flare em texto do Clício Barroso Filho
  • Dificuldade de desenho do parasol por causa do ângulo de visão. E assim o parasol fica sem poder cumprir tão bem uma de suas funções, que ajudar a proteger a objetiva.

 

Casa do forno de cal

foto: “Casa do forno de cal”, por Alexandre Maia – no flickr

 

Em tempo: estou utilizando atualmente uma Canon EF 28mm f/1.8 USM e adorando. Baixos índices de distorção e de reflexos (flares) e foco ligeiríssimo. Recomendo aos canonzeiros que não fizerem questão da versào com IS. Fotos produzidas com ela podem ser vistas no Pixel-Peeper.

No terreno nas super GAs recomendo a Tokina 11-16mm f/2.8vide fotos.

 

agradecimentos a Armando Vernaglia Junior pelos preciosos toques e
a Alex Nóbrega e Leandro Santiago por permitirem o uso de suas fotos para ilustrar este artigo

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

36 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Uso um kit bem versatil de lentes, que é a 50mm 1.8 e a Sigma 70-200 2.8… recentemente adquiri uma Sigma 15mm 2.8 EX DG Fisheye, excelente lente, recomendadissima

  • Legal o post! Mas o que vc fotografa? Imagino que seja paisagem. Tenho uma 28 igual à sua e adoro, mas sem a 50mm é difícil fazer retratos com bokeh :) Qual foto foi tirada com a Tokina? A resolução dela é boa? Um abraço.

  • comentario que poderia ser bom para primeira aula de "cursinho" de fotografia.. mas a verdade é que uma boa foto não tem nada a ver com a lente que vc esta usando….Cartier Bresson o maior fotografo de todos os tempos usava uma lente fixa na sua leica e até hoje suas fotos são imbativeis

  • A cinquentinha (Canon f1.8) é uma lente que me encanta. Não há muita dúvida que seu sucesso tem muito a ver com seu custo-benefício. Quando comprei a minha, gastei exatos 105 dólares num época de câmbio a $1,90. Arrisco a tentar interpretar o "efeito profissional" dito acima como o bokeh lindo que ela permite; mas poso estar errado. Também sou a favor de sets mais enxutos e, definitivamente, essa seria uma lente que eu manteria no meu. Se pudesse, trocaria por uma 1.4 que tem uma construção melhor e um anel de foco mais decente. Excelente artigo. Bom pra fazer pensar.

  • Tenho uma 10-20 4.0 sigma para Canon. Ela não tem uma boa definição em aberturas menores. Gostaria de saber se alguém mais tem para me falar se é um problema desses modelos da sigma. Em relação a 50mm eu só posso elogiar. Tenho uma 1.4 e fazer fotos retrato com ela é mto bom. Mas fazer fotos de eventos com uma lente fixa é dar um tiro no pé. Lentes com zoom, nete caso, são melhores pelo fato de te dar boas opções como uma 24-105 ou uma 70-200mm..

  • Comprei uma 50mm, usei algumas vezes, mas desde que comprei uma Tamron 17-50mm 2.8, a 50tinha fico meio que de lado, só uso vez ou outra pra macro com um tubo extensor. A Tamron simplesmente não sai mais da camera. Só quando preciso de mais zoom, ai entra a 55-250.

  • Gosto da 50mm, o pessoal usa muito pra retrato, mas eu já cheguei a fazer um evento inteiro com a 50mm no modo manual e foco manual também (de dia claro), é uma boa lente sim, pelo que se paga. Qual lente de 400 reais que dá aquele efeito tão profissinal nas fotos? é uma ótima lente para estudo de quem está começando aprender na marra. Claro que ela não é tão versátil, tem que se saber o que se vai fotografar. Um kit que acho bem completo para quem está começando é 18-55 (ou a 18-105 se puder trocar) a famosa 50mm (ou 35mm que também é barata e pode até vim com motor de foco e também tem abertura 1.8) e uma 55-300 nikon ou 70-300 sigma. Esse kit não sai tão caro, tendo em vista que a primeira lente vem no kit. As 50mm e 35mm variam entre 400 e 800 reais e as ultimas (zoom) variam entre 700~1.200 reais. É um kit barato e completo.

  • Continuo fã da 50mm. Mas, tenho uma Canon FD 28mm para as minhas analógicas e uma Sigma 18-200mm DX para a D7000 que me foi muito útil na minha viagem pelos EUA. Tenho fotos com um enorme museu porta aviões estacionado em Nova York e outra com o famoso obelisco de George Washington. Couberam inteirinhos.

    • Sei que museu é esse, estive recenetemente em NY e fiquei admirado! Pena que não pude dar uma parada para tirar cliques bacanas dos aviões lá expostos (soube que tem até um ônibus espacial lá!), mas numa próxima viagem quem sabe eu faça isso.

      Quanto à 18-200, ela é justamente para quem está viajando e quer ter uma ótima versatilidade. Uma ótima pedida, nessas horas, uma "walkaround".

  • bom post, acho q uma das coisas q atrai mais na 50mm 1.8 é o preço!!!!!!! as lentes muito claras tambêm são muito caras, paguei 400 reais na minha cinquentinha e não me arrependo, a qualidade pra mim é ótima, adoro fazer retratos, diminuir profundidade de campo etc, sou iniciante e estou aprimorando minhas técnicas, a 50mm pode não ser a melhor das lentes mais estou satisfeito. Estou pretendendo trocar por uma 40mm, 2.8 micro da Nikon, mas já é uma lente mais cara, e mais específica pro que eu quero. de regra geral eu acho q uma pessoa q está iniciando deve ter uma 18-55mm e uma 55-200mm pq são mais gerais, e uma fixa clara. e depois vai percebendo o que você quer fotografar e as limitações das lentes, pra depois trocar

    • Sim, o preço, especialmente para os fotógrafos brasileiros, é um atraente muito grande. Quanto às objetivas, penso que é por aí, também. Só precisamos ter cuidado, especialmente no comaço, para não ficar perdendo um monte de dinheiros nas trocas, e darmos prioridade a itens que durem mais.

  • bem interessante o nome do post: "Vendi minha 50MM"
    eu que ja vendi 2 vezes a canon 50mm 1,8 e adquiri a citada 28mm 1.8 USM e RECOMENDO! a nitidez e contraste se parecem com a 35mm 1.4L (ja fiz comparativos).
    mas voltando pra fotografia, acredito que em questão de uso o essencial para quem trabalha com EVENTOS é uma GA. pra quem faz moda pode ser que use mais uma 50mm ou talvez 85mm. a AREA de trabalho conta bastante.
    Outro fator que conta é o uso de lentes FIXAS e seus prós e contras. eu prefiro fixas por trazer mais realidade pra fotografia, da pra sentir mais as texturas, cores e luzes na foto ou video. tbm gosto do bokeh e de fotografar com luz natural, o q favorecem as grandes aberturas. o problema é eu ter q carregar 4 lentes em vez de uma zoom :/ rsrs
    bom essa é minha opinião! abraço

    • Sim, realmente carregar várias objetivas ao invés de uma quantidade menor de objetivas zoom pode ser às vezes mais interessante (em viagens mesmo costuma ser, pelo menos pra mim). Mas não abro mão de ter pelo menos uma fixa: atualmente estou sem uma (vendi a minha 28mm, depois de trocar minha 7D pela 6D), mas daqui a poucos meses terei a oportunidade de comprar uma outra, que mesmo eu estando agora com uma full-frame, não será uma 50mm, até por eu concordar com seu pensamento de que quem trabalha essencialmente com eventos deve preferir uma GA, e a fixa que vou pegar é uma 35mm (especificamente a 35mm f/2 IS USM).

      Afora isso atualmente possuo três zoom: a 24-105mm (que veio no kit da 6D), a 17-40mm (que substituiu a 11-16mm) e uma 70-200mm, que é a que uso menos, mas não me desfaço dela porque gosto muito, e me é muito útil quando a uso. Mas pra dar uma saída já não saio mais com mais de duas objetivas, tanto pela praticidade quanto pelo peso a menos (por sinal se uma delas for a 24-105, faz uma bela diferença, porque ela não é uma 24-70, mas pesa!)

      A propósito, já fiz review da 6D! ;D https://www.fotografia-dg.com/canon-6d-review/

    • existe uma coisa que está sendo desconsiderada….PREÇO. Uma pessoa q está começando agora não pode gastar mais de 2mil reais em uma 35mm 1.4, as vezes até pagar 1,200 reais em uma 28mm 1.8 seja um tiro no pé, porque conheço muita gente q odeia lente fixa, podendo deixar ela de lado. Eu, como simples iniciante em fotografia, fui atraído pela 50mm 1.8, pelo preço e por que sentia necessidade de uma lente bem clara.

  • Para retrato a 50mm é ótima principalmente quando fotografamos crianças, vender a minha 50 não, comprar outras que me ajudam rss…

    • O problema é que se sua câmera não for full-frame isso vai demandar um bom espaço entre você e os retratados, a não ser que queira fazer uma sessão inteira de closes…

      E quanto a comprar outras, cuidado para não cair no erro de ficar com várias objetivas quando poderia ter um "set" de objetivas mais enxuto. Uma boa 35mm, por exemplo, permite sem problemas um corte na foto para ter o enquadramento de uma 50mm.

  • Adorei o post, eu ainda busco a lente perfeita, recentemente comprei uma 8mm Rokinon e estou fascinado pela nova perspectiva que essa lente me trouxe.

  • Obrigado pelas citações Alexandre Maia! No final das contas, a escolha de lente é como a escolha da roupa que usamos, da comida que comemos etc., uma lente é questão de estilo, é parte fundamental da nossa assinatura visual, se não soubermos nossa lente favorita é por que não estamos nem perto de ter um estilo próprio, e como um pintor não saber qual pincel prefere usar ou qual cor de tinta. A 50mm fez sua fama mas sempre devemos lembrar que isso aconteceu em filme, e filme é análogo ao full frame, quem seguiu com a 50mm em câmeras APS não sabia bem o que estava fazendo ou não tinha pensado muito no caso.
    Costumo dizer que minha lente normal é uma 24mm, e isso em full frame! Em APS minha normal é algo como uma 18mm ou até menos… eu vejo o mundo em grande angular. Esse papo de ficar preso a uma lente que seja melhor para isso ou aquilo é bobagem, a lente tem que ser boa para o que quisermos fazer com ela, e eu adoro grande angular.
    Grande abraço,
    Armando

  • Artigo interessante! eu já pensei em vender a minha 50mm, cheguei a vender mas não passei um mês e comprei de novo!! mas andei testando objetivas com milimetragens maiores e menores já pensando o que irei fazer quando eu migrar para FF. Há! gostei da sugestão das lentes Tokina! é uma boa sugestão!!! valeu, forte abraço e boa sorte!!

  • Entãoo, é serio mesmo essa indiCaÇão, da objetiva TOKINA?? onde você Compra essas objetivas?? no ADORAMA mesmo??

    • Comprei minha Tokina 11-16 pelo MercadoLivre mesmo, usada, mas ela pode ser pedida nova também na Riomaster e talvez já outra loja mais (a última vez que pesquisei só tinha na Riomaster, mas pode ser que mais lojas aqui no Brasil tenham reconhecido a reputação desta objetiva).

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar