Home » Artigos » Dicas

Vida de Fotógrafo 5/5 (1)

Com frequência recebo e-mails de pessoas que desejam ter a fotografia como profissão, são jovens decidindo como irão iniciar uma carreira e também pessoas com longas histórias em outras atividades como engenharia, publicidade ou medicina, querendo jogar tudo para o alto e abraçar a apaixonante atividade da fotografia. O texto que coloco abaixo contém tudo o que costumo responder para essas pessoas.

Sobre ser fotógrafo e ser bem sucedido na profissão, pois ser é uma coisa, ganhar dinheiro é outra, existem dois pontos fundamentais, o primeiro é estudar fotografia, o segundo aprender marketing. Sem estudar fotografia você não terá como vender nada, sem saber vender não adianta ser um grande fotógrafo.

Sem estudo nestes dois campos não há caminho a ser percorrido e não haverá dinheiro, que é o objetivo de qualquer trabalho dentro do sistema capitalista.

Neste ponto em geral muitos pensam, o quanto devo estudar antes de me oferecer ao mercado? Devo comprar a câmera, fazer uns dois cursos e já sair vendendo meu trabalho? Afinal, com quantos cursos afinal se faz um fotógrafo profissional?

Imaginemos outra profissão: médico. Se você resolver ser médico terá que entrar numa faculdade, estudar todos os dias durante cinco anos ou mais, aproximadamente quatro horas diárias para ao final desse período ser um iniciante na profissão.

Não devemos crer que seja diferente com a fotografia, não há milagre que substitua tempo e estudo. Não existe caminho mais curto ou atalho. A evolução é proporcional ao esforço empregado, então se você treinar e estudar cerca de quatro horas por dia, seja na sala de uma faculdade ou por conta própria, em quatro ou cinco anos será um apenas iniciante dando os primeiros passos no mercado.

Mas hoje ninguém quer esperar tanto, imagine estudar, treinar e se preparar por tanto tempo apenas para ser fotógrafo, e ainda por cima iniciante. O que muitos fazem é comprar uma câmera, estudar uns dois ou três guias na internet, ingressar em um curso ou dois e sair dizendo que é profissional.

Infelizmente não funciona e o que espera a pessoa que pensar assim é a falência. Se quer um tempo mais curto para entrar de forma correta e bem estruturada no mercado, deverá estudar e treinar mais do que quatro horas diárias.

Já fui questionado se há um segredo para fazer boas fotos, ter clientes e ganhar dinheiro com fotografia e a melhor resposta que posso dar é que pelo menos no meu caso são cerca de quinze anos de dedicação, trabalhando e estudando uma média de oito a doze horas diárias, sem férias, décimo terceiro salário ou algo assim. Fiz uns vinte cursos dos mais variados assuntos fotográficos, além de ir a cinemas constantemente para ver como grandes cineastas lidam com a estética de seus filmes, a exposições para estudar a luz e a composição dos grandes mestres da pintura e assim por diante.

A cada vez que vou ao cinema parte do meu cérebro está em busca de entretenimento mas a outra parte está estudando luz, enquadramento, direção etc. O mesmo quando observo as páginas de uma revista ou quando visito o site de um grande fotógrafo. Até quando vou a um restaurante jantar com minha esposa fico olhando o prato que nos é servido e pensando numa forma interessante de iluminar aquela comida.

Muitos que querem entrar para o mercado da fotografia mencionam o fato desta ser uma atividade apaixonante, e de fato é, assim como a música, o teatro, a pintura e todas as formas de arte. Mas ninguém nunca poderá perder de vista que a partir do momento em que a fotografia vira profissão, todas as decisões devem ser racionais e nunca apaixonadas. Gostar do que faz é uma coisa, entender que é um negócio como qualquer outro e que precisa pagar suas contas é diferente.

Não quero desanimar ninguém, apenas penso em abrir os olhos dos iniciantes para uma realidade que é igual em qualquer profissão, do dia em que para você a fotografia for trabalho, ela será menos atraente pois incluirá a pressão de pagar contas, responder a clientes, cumprir com prazos curtíssimos, brigar por orçamentos dignos etc.

Assim é a vida de um fotógrafo, muito trabalho, estudo, treino, dedicação, e um retorno financeiro que em geral não é proporcional ao esforço empregado, mas acredite, isso é assim em qualquer profissão.

Por fim há algo que gosto de mencionar sobre a parte que muitos acham chata na fotografia: o estudo da técnica. Muitos querem se desenvolver mais no lado criativo e não tem muita paciência para a parte matemática, a compreensão profunda da luz, dos contrastes, a fotometria, a harmonia de cores. Para essas pessoas, que não querem aprender muito sobre a técnica, digo que o profissional deve ter a consciência de que se tiver muita criatividade, mas nenhuma técnica, não conseguirá executar trabalho algum por outro lado se tiver muita técnica e nenhuma criatividade, será um medíocre, mas capaz de executar grande parte dos trabalhos que pedem.

Não estou incentivando ninguém a desprezar a criatividade, muito pelo contrário, mas  em termos de mercado, muitas vezes o profissional técnico e pouco criativo consegue muito mais sucesso e retorno financeiro que o criativo, até talentoso, mas preguiçoso. Ser criativo não adianta nada se não consegue fazer o que o cliente pede.

Assim estude técnica e entenda que saber tudo sobre técnica é um pré suposto e nunca um diferencial do fotógrafo, quem não sabe tudo da técnica não é fotógrafo e a maioria daqueles que se dizem profissionais em nosso mercado não sabem o que devem.

Não sei se é isso que um iniciante quer ouvir, ou melhor, quer ler mas é o que digo a quem está querendo iniciar.

E para saber vender as fotos? Bom, este é um longo assunto, mas parte dele já tratei neste meu artigo aqui no Fotografia DG – https://www.fotografia-dg.com/nao-basta-fotografar-e-necessario-saber-vender/

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • Luiz Carvalho

    Muito bom o texto, objetivo e direto.

    Parabéns.

  • Armando Vernaglia Jr

    Obrigado a todos que comentaram! Celso, Tayne, Borges, Victoria, obrigado.
    []'s
    Armando

  • ork borges

    Muito bom
    comecei a cerca de 2 anos a fotografar e não tinha ideia do quanto é importante a técnica
    hoje participo de eventos sociais mais ainda não me sinto preparado para o mercado
    abraços

  • tayne

    Boas dicas ! Pretendo atuar no ramo , fotografia é minha paixão sempre adorei esse mundo.

    Beijos..

  • Celso

    Caro Armando,

    Acabei de ler o seu artigo e achei um interessante o seu ponto de vista, e era exatamente algo assim que eu estou buscando como base para estudos. Você se mostrou muito realista em relação a profissão e tenho muito interesse e fome de mais informação. Desde já deixo claro que seu artigo me deixou muito animado a buscar mais e gostaria de saber ainda mais. Agradeço pelo ótimo artigo. Sou apenas um amador ainda. Valeu.

  • victória

    eu ainda tenho 13 anos mas ja descidi o q eu kero ser quando cresccer,eu kero ser FOTOGRAFA..
    ja vi muito sobre isto e eu gostei d+,o pai da minha amiga é fotografo e as fotos do site dele é mto show.. http://WWW.OFICINADEIMAGENS.COM.BR vale apena vcs verem essas fotos..

  • Henrique

    Meu amigo, tenha muito cuidado com as palavras. Ser um "formador de opinião" requer alguns cuidados que você não teve. O primeiro passo é deixar claro que essa é apenas a sua opinião e não uma imposição antiga e arcaica, além de um formato pronto de se pensar. Se isso funciona com você, sorte sua, mas não é regra.
    Comparar a medicina com a fotografia foi um tanto amador da sua parte. Um fotógrafo jamais colocará a vida de alguém em risco, além do que, a fotografia enquanto formação acadêmica é muito nova, assim como essa arte de um modo geral.
    Uma coisa que você menciona no outro artigo, é uma das maiores besteiras que já li: "Por outro lado, se existe uma preferência por roupas diferentes, tatuagens, piercings ou algo assim, você deve procurar clientes que tenham uma visão libertária e que aceitem ou adotem comportamentos semelhantes aos seus."
    Amigo, pegue seus 15 anos de experiência e vá se atualizar e não tenha medo da concorrência, que sinceramente, é o que parece que você tem. Confie no seu trabalho e deixa cada um trilhar seu próprio caminho. As dificuldades de uns, servem de desafios para outros e assim por diante.

    • Eduardo

      Vixe, o cidadão Henrique aí em cima é daqueles tipos que leva as coisas a ferro e fogo, daqueles que ninguém pode falar nada que ele se ofende ou leva pro lado da ignorância… A comparação entre a medicina e a fotografia foi algo, por assim dizer, "meramente ilustrativo", um reforçador da idéia que o Armando pretendia passar, e jamais um comparativo direto entre as duas atividades… Mas o sr. Henrique parece não ter entendido as colocações do Armando… Se ele (Henrique) não teve a capacidade de interpretar o texto, e filtrar o que lhe serve e o que não lhe serve, teria capacidade para interpretar a arte em uma cena, ou ainda a necessidade de que a técnica é indispensável a qualquer atividade? Se eu fosse um cliente, teria medo de cair nas mãos de um "profissional" assim…

    • Armando Vernaglia Jr

      Caro Henrique. Vamos por partes:
      1 – Me atualizo constantemente, faço cursos, leio livros e tenho contato com profissionais de todas as áreas do mercado constantemente, só este ano fiz dois cursos e li diversos livros, participei de palestras e workshops, e isso se repete todos os anos, conheço milhares de fotógrafos do Brasil e do exterior, atualização não é um problema, pelo contrário, além disso faço pesquisas com clientes e com fotógrafos, publico artigos com os resultados dessas pesquisas e isso tudo não é para mim, é para quem quiser e souber aproveitar a informação;
      2 – Não tenho medo de concorrência, se tivesse não daria aulas há mais de 15 anos, não publicaria artigos, livros, e vídeos tutoriais há mais de dez anos gratuitamente para ajudar a todos que estão começando, sigo formando meus concorrentes e tendo uma relação excelente com eles, pois não os vejo, como você, como concorrentes, e sim como parceiros de um mesmo mercado, que caso tenham boas práticas comerciais, só farão bem a todos que estão no mercado, eu e você incluídos;
      3 – O artigo fala da importância do estudo, do treino, da dedicação, e de todas essas coisas que levam tempo para terem efeito, portfolio não se constrói do dia para a noite, estilo próprio não nasce do nada, conhecimento financeiro administrativo para tocar a carreira não surge do nada, o artigo é bastante claro;
      4 – Um fotógrafo muitas vezes não tem a vida de ninguém em mãos, mas tem a imagem e reputação de marcas e empresas com milhares de funcionários, grandes campanhas movimentam milhões e se mal feitas ou equivocadas provocam prejuízos de milhões, isso é responsabilidade suficiente para manter o nível de dedicação, estudo e respeito num patamar elevado;
      5 – Sobre estilo de vida, são fatos, consulte qualquer consultor de carreira, ou tente visitar a sede de uma grande empresa tradicional apresentando-se de forma transgressora… não vão deixar entrar, é assim que funciona, preconceito existe, não estou dizendo que acho certo, mas estou dizendo que acontece, e já vi acontecer com muita gente talentosa, agora, se você não quer acreditar, sem problemas, mas não diga que é besteira sem saber e sem conhecer todo tipo de cliente;
      O artigo pretende ajudar, e claramente ajudou um monte de gente, se não serviu para você, sem problemas.

  • Armando Vernaglia Ju

    Olá pessoal, obrigado novamente pelos comentários.

    Ton, é por aí mesmo, e se formos pensar, somos sempre aprendizes, o dia que deixarmos de ser algo estará errado, pois na verdade sempre teremos algo a aprender, e se não percebemos isso, é pois passamos a acreditar que não precisamos evoluir, e isso sim é ruim. Eu estudo muito, e sempre acho algo para me aprofundar e aprimorar, é uma estrada infinita.

    Mariana, é por aí, é o estudo e dedicação que farão diferença, vivemos num mercado inundado, tem mais profissionais do que cabe, mais fotógrafos do que o mercado absorve, então os clientes bons, aqueles que valorizam e pagam bem, vão filtrando e selecionando os melhores, mais dedicados, mais éticos, mais habilitados e por aí vai.

    Maurício, seja bem vindo ao clube. É uma caminhada complicada, você disse que está há um ano e meio, então não tem como ter um retorno financeiro alto mesmo, seria assim também em outras profissões, se estivesse numa faculdade, digamos, de engenharia, hoje você seria estagiário, então não iria ganhar bem mesmo, faz parte, estude, treine, evolua, com o tempo os frutos aparecem.

    Grande abraço a todos,

    Armando

    @vernagliajr

  • malmal – Mau Lehmkuh

    Olá Armando, sou um iniciante pois estou sómente a uma ano e meio no mercado e já vivo só da Fotografia, claro que não ainda como eu gostaria financeiramente mas a caminho, foi dolorido ler o que você escreveu, mas é a mais pura realidade e eu adorei ler. Passarei a acompanhar mas de perto seus post's. Conheci o site através da Huaíne pelo twitter e irei seguílo inclusive. Prazer imenso. Sucesso sempre. Grande abraço. Vlw Huaíne. malmal

  • Mais um ótimo artigo! Trata muito bem do universo fotográfico como deve ser, uma profissão.

    Existe mesmo essa inclinação para o hobby e é o que leva muita gente a apostar na facilidade de ingressar na fotografia.

    É um "esforço"contínuo, exige estudo intenso, análise de mercado, atualização constante… enfim, dentre a saturação poucos se tornam notáveis, e a base fará essa diferença. :)

  • Armando Vernaglia Ju

    Obrigado a todos pelos comentários, legal ver a presença do grande amigo Tyto por aqui. E de todos vocês.

    Também é bom que ainda tem gente que não desanima em ter que estudar, treinar e dar duro para conseguir algo, quando aceitamos o desafio e enfrentamos, a vitória tem um gosto especial.

    []'s

    Armando

  • TonFortes

    Armando, obrigado pela sua inspiração escrita.

    Fico feliz em ver/ler/conhecer tal cultura e valorização da dedicação profissional.

    Particularmente falando, sou profissional de vídeo, com experiência de uns 7 anos em eventos sociais.

    Depois desta experiência com vídeo, agora me dedico profundamente em busca de técnicas e práticas fotográficas – obrigado por me fazer perceber o quão aprendiz ainda sou e por me instigar a buscar cada vez mais a qualidade e a profissionalização.

    Obrigado e Parabéns!

  • Anne

    Putz, tava no maior dilema agora mesmo.. quando me deparo com esse texto lindo e inspirador.. sim, foi MUITO inspirador.. e é isso que eu quero, nem que eu tenha que estudar super hard :~ haha..

    Valeu mesmo :)

  • Pete

    Eu gosto de fotografia e actualmente todo o tempo que tenho fora do horário de trabalho dedico-o à mesma. Mas ao fim de um ano a fazer isso sinto que ainda estou a começar, pois de todas as fotos que fiz até hoje ainda não há uma que eu diga: "é este olhar que eu procuro transmitir".

    O seu texto está muito bom, pois no mesmo impera sensatez, prudência e uma série de conselhos uteis. Passo muito do tempo a ler artigos sobre fotografia, ou o livro "Fotografia Básica" do Michael Langford. Como comprei umas objectivas manuais tenho de definir manualmente todos os items da máquina fotográfica, o que de inicio pode ser aborrecido, mas que tenho a certeza que me ajudará no processo de aprendizagem da parte técnica.

    Eu pessoalmente não sei se algum dia quererei ser fotógrafo profissional, pois isso implicaria cedências que teria de fazer em termos da abordagem fotográfica e dos meus gostos, mas quem sabe.

    Obrigado pelo bom artigo e votos de bom trabalho.

  • Armando meu amigo.

    Belo texto.

    Parabéns.

  • Excelente artigo ! Eu não pretendo ser profissional da fotografia, me contendo como arte e hobby. Mas mesmo assim estudo bastante e fico inconformado quando vejo pessoas se auto-intitulando "fotógrafo" e não buscam o aperfeiçoamento e ainda "prostituem" o mercado prejudicando aqueles que precisam dessa profissão para seu ganha-pão.

    Com certeza recomendarei este artigo!

  • Armando Vernaglia Ju

    Fernanda, a pergunta é, desanimou por que?

    Em qualquer profissão, se você quiser ser realmente bem sucedida, e ficar acima da mediocridade, tem que se dedicar mesmo, estudar muito, trabalhar muito, é assim com médicos, engenheiros, advogados, a fotografia é uma profissão igual a qualquer outra.

    As pessoas se iludem ao imaginar que por trabalhar com o que gosta a vida vira um mar de rosas, lógico que é bom trabalhar com algo interessante e até divertido, mas a pressão para pagar contas, prazos a cumprir, clientes para atender, tudo isso é estressante como em qualquer trabalho, e nessa hora fica difícil separar o gosto da fotografia do estresse do trabalho, então muitos perdem parte do gosto pela fotografia.

    Eu não perdi, adoro o que faço, quando saio para passear num parque a câmera sempre vem junto, e se vou a um museu ou cinema, adoro ficar vendo o que outros artistas fazem para que isso me inspire na fotografia.

    Mas mantenho o que eu disse no texto, se alguém não estiver preparado para estudar muito, muitas horas por dia durante muitos anos, não chegará a lugar algum. E isso vale para todas as profissões.

    Aqueles que desanimam acabam cedendo lugar aos que teimam em continuar, se você desanimar, alguém passará a sua frente, você quer isso? Eu não, e só cabe a cada um de nós prosperar. =^)

  • Armando Vernaglia Ju

    Olá Huaíne, obrigado pelo comentário, que bom que gostou.

  • Olha…

    Você não quis desanimar, mas me desanimou… :(

  • Sensacional, Armando. Estou adorando todos os seus artigos aqui para o DG.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar