fbpx

5 motivos porque não usei por meses minha DSLR 4.67/5 (3)

Nem sempre pode ser o melhor negócio usar DSLR quando se está fotografando por aí. Saiba por quê.

via Barney Britton – DPReview

Se você estiver seguindo minhas interações em vários tópicos de comentários e nossa newsletter semanal , você sabe que eu passei boa parte dos últimos meses tentando terminar a nossa análise completa da Fujifilm X100S. Concluí finalmente a revisão outro dia e, depois que a poeira baixou, percebi uma coisa: eu não usei minha DSLR por meses. Em primeiro lugar, a explicação parece óbvia — eu estava filmando para o review da X100S. Mas quanto mais eu pensava nisso, mais eu percebi que não era a única razão. Recentemente, eu simplesmente não quis levar minha DSLR comigo. Aqui está o porquê.

5-motivos-porque-não-usei-por-meses-minha-DSLR

1: Eu odeio carregar todo esse peso

Todo mundo diz que o tempo em Seattle é terrível, mas não é verdade! Bem, na verdade, é verdade, mas não para todo o ano. Nós temos grandes verões aqui, e este ano o verão veio um pouco mais cedo, dando-nos alguns belos dias em abril e maio (que era uma mudança bem-vinda no ano passado…). Qual a eventual relevância disso na minha escolha da câmera a levar?, ouço você perguntar. Bem, quando o tempo está bom, eu gosto de caminhar e de pedalar. E quando eu estou dando caminhadas e praticando ciclismo, eu gosto de viajar luz.

Minha DSLR não é nada leve, mesmo com uma lente prime acoplada, mas uma câmera como a Fujifilm X100S ou a Sony Cyber-shot RX100II enfio sem problema na minha mochila, e ainda pode ser pendurada em volta do meu pescoço, sem causar desconforto. Com uma compacta zoom posso ser mais espontâneo, também — não há necessidade de andar à procura de uma lente quando eu preciso mudar o meu campo de visão.

2: Pequenas câmeras são realmente boas agora

Se você estiver prestado atenção ao nosso conteúdo de review e preview sobre os últimos dois anos, você vai saber que, se a qualidade de imagem é a sua prioridade principal, DSLRs não são mais o único jogo na cidade. Não são apenas as câmeras compactas ficando muito melhor, mas os smartphones também estão, e, entretanto, as câmeras de lente intercambiável mirrorless estão ficando menores. Além disso, também estamos vendo uma nova safra de câmeras de sensores grandes, objetivas fixas compactas que oferecem excelente qualidade de imagem sem o volume de uma típica DSLR.

Minha paixão atual é a Fujifilm X100S, mas não há muitas possibilidades de escolha. A Ricoh GR é uma pequena câmera impressionante, também da Sony full-frame RX1 / RX1R (se você puder pagar) e uma compacta entusiasta como a Canon PowerShot G15 , Nikon Coolpix P7700 e Olympus XZ-2 (e outros modelos) são pequenas câmeras capazes de grandes resultados.

3: Na maioria das vezes, eu não preciso de zoom

Algo que eu percebi ultimamente é que na maioria das vezes, eu realmente não precisa de um zoom. Estou feliz clicando em torno de 35 milímetros de comprimento focal equivalente. Ele combina com a maneira como eu vejo o mundo, e se adequa ao tipo de imagens que eu gostaria de ter.

Obviamente, isso é extremamente pessoal (eu sei de algumas pessoas que só clicam em ângulos ultrawide, e alguns que são chegados em longas teles), mas para mim, câmeras com objetivas com ~35 milímetros equivalentes, como as X100S, Sony RX1 / R ou mesmo o meu iPhone , fazem o trabalho de 90% do tempo. E com resolução de 16MP+ (OK, vamos esquecer o iPhone por um segundo …) eu não me importo de cortar um pouco mais tarde, se eu precisar de uma composição mais concentrada. É bom para a minha fotografia também. Fotografar com uma única distância focal fixa torna-o mais disciplinado e mais criativo.

Claro, eu poderia simplesmente meter uma prime (fixa) 35mm  na minha DSLR, mas essa combinação é maior e mais pesada do que algo como a Sony RX1 ou a Fujifilm X100S.

4: Eu estou tentando tirar mais retratos

Eu amo fotografar retratos, provavelmente é meu tipo favorito de fotografia, mas eu odeio tirar fotos de estranhos e eu não quero tirar fotos de modelos. Retrato posado me deixa desanimado. Para mim, o prazer de ter um clique muito bom de alguém que eu conheço, que diz alguma coisa sobre eles é uma das melhores emoções na fotografia.

E embora eu tenha alguns ​​retratos realmente agradáveis de pessoas próximas a mim usando DSLRs, eu tive resultados muito melhores com câmeras compactas e até mesmo smartphones. Eu penso que há uma série de razões para isso.

Em primeiro lugar, a maioria das DSLRs, mesmo as pequenos, são relativamente grandes, coisas volumosas que escondem o seu rosto quando você está usando elas (se você usar o visor, é claro). Em segundo lugar, elas são barulhentas. Mesmo um obturador silencioso ainda é muito alto em um ambiente intimista. Uma vez que você virou todos os efeitos sonoros estúpido, câmeras compactas, smartphones e até mesmo algumas ILCs mirrorless são quase silencioso. Ambas as qualidades torna-os menos intimidantes para os modelos não-profissionais, e significa que você pode clicar discretamente em situações sociais mistas, sem que ninguém fique desconfortável.

5: Eu só não preciso mais de todo esse equipamento extra

Eu costumava precisar de uma grande quantidade de equipamento fotográfico. Eu costumava ser um fotógrafo profissional, mas agora eu não sou. Obviamente, ‘Pro’ não significa necessariamente ‘usa uma DSLR’, mas no meu caso era isso. Alguns anos atrás, eu estava fotografando regularmente concertos, participando de eventos e chamadas de fotos e rotineiramente ficava até as primeiras horas da manhã do prazo determinado, editando centenas de arquivos RAW. Eu economizei e comprei alguns equipamentos realmente ótimos, incluindo uma DSLR profissional séria, um par de objetivas zoom rápidas e lentes prime, e um par de flashes (que eu nunca usei).

Eu não fiz muito dinheiro, mas foi muito divertido. Nesses dias me parece que passei a maior parte do meu tempo em reuniões. Sou apenas um entusiasta médio com um trabalho diurno. Eu não preciso de AF ultra-rápido, dez quadros por segundo e ISO 20000+ mais. Fotografia é ainda uma grande parte da minha vida, mas eu simplesmente não precisa daquele monte de equipamento.

[divider]

Para ver algumas fotos tiradas pelo autor, com legendas explicando como foi vantajoso estar com uma compacta, visitem o artigo original.

[divider]

Para finalizar, deixo aqui o comentário de J. R Caldas, que sintetizou perfeitamente o texto e expôs em palavras os pensamentos que eu não soube articular bem no momento em que finalizei a tradução do texto:

“Muita gente ficou (e ainda pode estar) preocupada com o futuro das DSLR com o crescimento das MirrorLess e das atualizações das compactas e smartphones, mas esse artigo deixa claro que o futuro será um futuro da coexistência. 

Uma DSLR é e continuará sendo necessária para algumas situações e trabalhos, mas naquelas situações em que não queremos peso nem perder espaço na mala, temos uma nova opção. 

Compactas avançadas como a G15 e mirrorless de qualidade como a X100S se tornaram uma nova opção, uma alternativa, que antes não tínhamos. Elas não são inimigas das DSLR’s e sim parceiras. Eu posso usar minha DSLR para meus trabalhos em meu estúdio, mas posso ir ao parque e fazer fotos de qualidade (consideranto o conjunto bom fotógrafo + boa câmera) com algo discreto, leve e compacto.”

agradecimentos a Vini Moreira,
por auxílio na tradução

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Chat
Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies
Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao clicar em "Aceitar Cookies" ou continuar com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a
Política de Privacidade.
Aceitar Cookies