fbpx

Adobe Stock – Conhecendo e começando a usar

De tempos em tempos, revisito meu estoque de fotografias por um motivo ou outro. Sempre que faço isso, fico pensando se algumas daquelas imagens, que eu nunca usei, não poderiam me render algum dinheiro sendo vendidas em um banco de imagem. Pois bem, dessa vez eu resolvi parar de só pensar e começar a agir. Vou contar aqui toda essa experiência pra vocês em vários artigos. Neste primeiro, eu vou falar sobre minha escolha em começar a usar o Adobe Stock e dá impressão que eu tive ao ver as fotos disponíveis lá.

Existem centenas de bancos de imagem por aí, escolhi testar o Adobe Stock por que muitos alunos já me perguntaram especificamente sobre ele. Esse é o banco de imagens da Adobe e a maioria dos fotógrafos usam softwares de edição da Adobe. Assim, a interação é direta e simplificada. Isso é legal tanto para quem produz o conteúdo, ou seja, você meu amigo fotógrafo, quanto para quem consome esse conteúdo, os publicitários, por exemplo, que também usam os programas da Adobe.

Escolhida a plataforma, passei a estudar seu conteúdo, pois não quero mandar todo meu estoque de imagens, quero enviar algo que seja aceito e que realmente tenha chance de ser vendido. Iniciei uma pesquisa para descobrir o que é preciso para fazer sucesso e se as minhas fotos se encaixam nos padrões. Quando abri o Adobe Stock na sessão de compras, fui “premiado” com a visão de fotografias fantásticas, elas ilustram o que há de melhor no site – o conteúdo premium.

A primeira foto que eu abri se chama: Rear view of woman sitting on wooden steps in Lake Braies against mountains – pode ser traduzindo para algo como: Vista de trás de uma mulher sentada em um deque de madeira com o Lake Braies e as montanhas ao fundo. Pensei: “que literal esse título!” Sim, essa é uma tendência que explicarei mais a diante. Agora, quero chamar a atenção para as dimensões do arquivo, 7952 x 5304 pixels, ou seja, 42 megapixels. Suponho que a câmera usada seja uma Sony A7R II ou III, isso é bastante resolução. Nunca tive uma câmera com tamanha resolução, então nada que eu tenho se compara a ela. Muitas fotos boas da minha carreira são antigas, com resoluções muito menores.

Mas não me deixei abater, afinal, eu estava na nata do conteúdo do Adobe Stock e eu mal comecei nisso, seria muita pretensão achar que chegaria arrasando. Fui buscar fotos “normais”, digitei na pesquisa waterfall (cachoeira), já que eu tenho uma enorme quantidade de fotos de cachoeira. Logo de cara, uma me chamou a atenção, e olhando na miniatura pensei: “conheço esse lugar”. Depois que abri, percebi que era muito parecido com uma cachoeira que fotografei, mas que não era a mesma. De qualquer forma, estava diante de uma fotografia que a Adobe categoriza como “Conteúdo Padrão”.

A resolução máxima dela não é absurda: 6016 x 4016 pixels, 24 mp. Viva! Estou dentro, minha câmera atual tem 24 mp, então não preciso de uma resolução monstruosa para estar lá. Isso me animou e, sem querer ser invejoso, essa fotografia não está assim, maravilhosa. Talvez por isso não seja uma premium, ela está com excesso de saturação e contraste, isso apaga o detalhamento da gradação dos verdes, das altas luzes e das sombras profundas. Ela não seria uma fotografia que eu compraria para usar, mas se ela está ali, as minhas também podem estar.

Fui navegando um pouco mais nos resultados da minha busca dentro do filtro de relevância e percebi que o padrão de qualidade é bem razoável. Encontrei algumas imagens de gosto duvidoso, na maioria por excesso de edição, mas em geral, pouquíssimas fotografias são ruins. Penso que este seja um ponto positivo, um banco de imagem entupido de imagens ruins não é agradável para quem está procurando fotografias para comprar.

Com isso, cheguei as minhas primeiras conclusões:

  1. Tenho sim fotografias com potencial comercial para começar.
  2. Se você realmente quer vender, se destacar, mande boas fotografias – bem capturadas e bem editadas – não mande aquele refugo que não agrada nem você. A chance de êxito será mínima. É preciso pensar que isso é um negócio sério e pode ser muito rentável.
  3. Existem fotografias de todo tipo lá, mas alguns detalhes podem fazer as suas fotografias se destacarem por suas proporções, composições e cores. E este será, justamente, o assunto do meu próximo artigo: como escolher as fotos para enviar ao Adobe Stock.

Quer entrar nessa experiência comigo? Acesse o site contributor.stock.adobe.com, cadastre-se e acompanhe os próximos artigos.

Esta publicação é uma parceria com Adobe Stock.

Romulo Lubachesky

Romulo Lubachesky é geólogo e fotógrafo, mas dedica-se principalmente a perpetuar o conhecimento sobre os processos do universo fotográfico através de aulas, palestras, artigos e livros. Autor dos livros A Tríade da Câmera Fotográfica e Mirroless - A evolução das câmeras fotográficas. E apresentador dos programas Assunto Principal e Odisséia Fotográfica na photostv.com.

Renda Extra para Fotógrafos