Home » Artigos » Dicas

Alimente sua criatividade 4.67/5 (3)

Você começou os ”primeiros passos” para ser um fotógrafo profissional. Fez um curso rápido de fotografia, aprendeu algumas técnicas bacanas, comprou aquele equipamento que seu orçamento permitiu, já fez alguns “trabalhinhos” por indicação de uns amigos… Isso já há um bom tempo, mas suas fotos não convenceram nem você e nem seus poucos clientes até agora.

O que está errado? O que pode estar faltando? ”Pulei“ alguma etapa?

Vamos começar por um ponto positivo nisso tudo. Você percebeu que algo não está bom, essa inquietude e esse questionamento são ótimos! A fotografia é dinâmica, não se esgota e se torna necessário um aprendizado constante. Ela exigirá sempre e cada vez mais da sua CRIATIVIDADE! E é sobre isso que quero falar.

Como você alimenta sua criatividade? Quais são suas inspirações? Qual a sua história?

Se você faz boas fotos, mas não “absorve” muito da cultura, da pintura, da dança, da música, da literatura e da história na sua vida… você será um bom imitador! Você até vai conseguir ”reproduzir” boas fotos de grandes fotógrafos! Você pode até saber muito bem a técnica, mas sua criatividade estará limitada e se esgotará com o tempo! Qual será a “sua marca” nas fotos?

Hoje temos muitos bons livros sobre fotografia, antes eram mais “raros”. Porém, o aluno de fotografia comete o erro de se “prender” somente ao estudo dela e passar a “respirar” apenas a técnica fotográfica, criando o que eu chamo de “desequilíbrio criativo”, priorizando a técnica e esquecendo da criatividade. Não mais vai a um cinema, não vai a uma exposição de arte, não lê nada de literatura/poesia, desconhece da história e da cultura mesmo de onde vive, somente escuta as musicas que gosta e não se permite outras experiências, não viaja nas férias, o “lazer” se restringe a uma saída com a câmera na mão… Você perceberá que está caindo nessa “armadilha” quando numa roda de amigos (não roda de fotógrafos) se sentir “por fora” dos assuntos.

A sua criatividade será sua “marca” impressa nas fotos, é a sua autenticidade, nela está sua vida, aquilo que aprendeu e assimilou, suas referências artísticas, suas inspirações… Alimente-se dessas outras fontes e com o tempo notará que suas fotos mudarão pra melhor.

Porém, quando falo em “absorver” não é de forma rasa e superficial. Um exemplo, se for visitar uma exposição de um pintor famoso, faça antes uma pesquisa sobre o autor, saiba quais são suas obras mais “importantes”, qual a proposta da pintura, em que período viveu o pintor, qual técnica explorou nas suas telas, enfim, informações importantes, e quando você estiver em frente às pinturas saberá apreciar com mais profundidade e acrescentar na sua fotografia. Da mesma forma quando for assistir uma peça de teatro, um filme, ler um livro, fazer uma viagem…

Se você vive longe de um grande centro como São Paulo, busque “alternativas”. Não é possível falar para “todos”, mas a internet trouxe o “universo” para próximo da gente. Alguns fotógrafos vêm para  São Paulo e não fazem um tour cultural, apenas buscam centros de consumo. Uma pena!

Ao mesmo tempo, não deixe de fotografar, pratique, pratique e pratique! Faça experiências, fotografe (se possível) todos os dias, elabore e desenvolva um projeto autoral independente dos seus trabalhos profissionais, “conheça” fotograficamente o mundo à sua volta, ou seja, fotografe a sua realidade e, mesmo quando não estiver com a câmera na mão, imagine a foto que faria naquele momento. Aprenda as “regras” da fotografia, mas quando sua criatividade desejar quebrá-la, não hesite. Essa é a parte prática da assimilação do conteúdo cultural. Aceitar a orientação e a troca de ideias com outros profissionais é importante, mas não se abata com as críticas e faça delas um “motor” para melhorar. A criatividade vai fluindo com o tempo.

Para finalizar, tenha um hobby. A fotografia não é seu hobby, é (ou será) sua profissão. Tenho amigos fotógrafos que são músicos, praticam surf, pedalam, são excelentes cozinheiros, acampam, escrevem. Isso os ajuda muito a “respirar” outros ares! Lembrem-se: seja você solteiro ou casado e com filhos, sua família não precisa “viver” sua profissão, mas a fotografia pode fazer parte como “item” agregador!

Boas inspirações, muitas fotos criativas e sucesso!

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • Um dos melhores textos ou o melhor que já li sobre criatividade na fotografia. Parabéns pelo texto!

  • Muito bom querido as dicas são mesmo o pulo do gato. Não adianta querer bater temos que apanhar um pouco do universo ao nosso redor e assimilar antes com sensibilidade. Gostei.

  • Edson Batista dos Santos

    A foto que produzimos reflete as nossas experiencias de vida!!! Obrigado por me lembrar desse detalhe tão importante!!!

    • Obrigado! Edson,

      Algo tão importante para a nossa formação e ás vezes deixamos de “lado”!

      Abraço.

  • Luciano Rocha

    Excelente artigo, muito rico em informações. Gostei muito pois me fez refletir sobre várias coisas para desenvolver este lado criativo.

  • anderson monçalves martins

    Muito inspirador.

  • Texto realmente valioso. Obrigado!

  • Moises Cunha Chaves

    Obrigado amigo..foi maravilhoso para mim ler isso..eu precisava dessa lição..grato

    • Obrigado! Moises,

      Que bom que foi útil!

      Abraço.

  • Tenho amigos que são fotógrafos e fazem Teatro cinema

  • Legal quero ser um dia, a uma grande fotograf admiro muito os grandes fotógrafos

  • Gostei das fotos, espero um dia chegar neste nível.

    • ledney dorian

      nobre ,posso lhe chamar assim, estou me aventurando pelo mundo da fotografia ha pouco tempo, estou aprendendo muito,curti muito as dicas. gostaria de saber como divulgar,mostrar as minhas fotos.

      • Olá! Iedney,

        Por favor me chame de você, tu… rsrsrs

        Penso que para começar mantenha seu foco num segmento da fotografia que pretende atuar assim você concentra sua atuação de marketing bem focado. Por exemplo, se atuar em festas infantis seu foco de marketing serão mães e pode tentar parcerias com buffets infantis ou produtoras de festas infantis. Mas antes tenha um portfólio bacana e aceite desafios que possa cumprir com excelência. A primeira e a melhor divulgação é o boca-a-boca! Depois sim, redes sociais, google, revistas especializadas… Mas lembre de tentar atuar primeiro num segmento, depois nada impede de “experimentar”outros segmentos.

        Abraço.

    • Chegará Viviane. Pratique e treine bastante! Junto com todo seu legado cultural! Sucesso pra você! Abraço.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar