Home » Artigos » Dicas » Como fazer backup das fotos da família num só local

Como fazer backup das fotos da família num só local 2.5/5 (2)

Backup de suas fotos você certamente já faz. E as de sua família, estão seguras?

por Patrick Chiang, via B&H

 

A primavera é uma chance de limpar sua casa e suas coisas minuciosamente, mas é fácil esquecer-se de limpar seus dados. Fotos de cada dispositivo que você e sua família possuem numa gaveta bagunçada, num escritório, guarda-roupa, closet ou quarto… estão trancadas. Agora, se você já está tremendo-se por antecipação, não tenha medo. Vamos ajudá-lo a colocar novamente sua vida nos trilhos com essas dicas sobre dispositivos, armazenamento e você.

O primeiro passo para limpar todos seus dados é coletar todos aparelhos com tais dados. Então, sim, isso inclui tudo, da câmera contra colisão de seu carro ao seu smartphone. Se tem dado nele, que você precisará ou pode querer armazenar para backup, então conta. Assim como a maioria dos consumidores médios, você provavelmente está agora olhando para uma pilha de gadgets, que seria de incontáveis drives flash e cartões de memória de diferentes formatos, câmeras, telefones, tablets, laptops e até mesmo computadores de mesa. Embora seja um balaio grande a classificar, simplificaremos as coisas primeiro filtrando esses dispositivos em três categorias: Apple, Android e nenhum desses. A melhor parte sobre o ecossistema de telefones inteligentes e dispositivos “inteligentes” atualmente é que quase tudo e todas coisas estão conectadas, economizando assim toneladas de tempo e chateações.

iCloud: bastante útil

Se você é um fã da Apple e possui um iPhone, MacBook ou iMac, você está com sorte, porque há uma boa chance de que já tenha e use iCloud. Para aqueles que não a conhecem, a iCloud, quando você está logado, coleta e armazena todas suas fotos, músicas, vídeos, calendário, documentos e etc com segurança na nuvem, permitindo acessar seus arquivos de onde tiver conexão à Internet. É muito útil e faz um grande trabalho de coletar todos seus arquivos perdidos aqui e ali. Apenas tenha certeza de estar logado em sua conta principal e daí sincronize seus arquivos e pastas o quanto for necessário.

Do outro lado do espectro, usuários de Android também terão um tempo tranquilo coletando seus dados enquanto estiverem logados à sua conta principal. Para fotos, tem o aplicativo Google Photos, que junta todas suas fotos e automaticamente cria álbuns para você. A grande sacada dos aparelhos com Android é que existe um aplicativo Google para quase todo tipo de dado que você tenha: documentos, planilhas, apresentações, formulários, desenhos e, por que não, tem ainda o Google Drive, que é um serviço de armazenamento e sincronização. Nele, você pode acessar seus documentos previamente guardados, assim como subir novos arquivos, mesmo que não sejam uma foto, documento de texto ou arquivo PDF.

Ambos métodos envolvem armazenamento de seus dados na nuvem, mas você deve saber que essas não são as únicas duas opções. Existe uma porção de outros serviços de armazenamento baseados na nuvem, como Box, Microsoft OneDrive, o Dropbox e outras. Cada serviço oferece a mesma função básica, que é agir como um baú do tesouro para seus dados; no entanto, o preço e a capacidade de armazenamento podem variar. Enquanto o armazenamento em nuvem pode não atrair alguns, existem algumas funções que você simplesmente não possui com um um drive flash ou um disco rígido externo, que são a edição e a revisão online. A edição online provavelmente não precisa de maiores explicações, mas com ela você poderá editar seus arquivos online e tê-los sincronizados entre seus dispositivos. Já a revisão salva automaticamente uma cópia prévia do arquivo, então logo que o edita um original ficará salvo. Não é um conceito novo, uma vez que pode fazer isso manualmente, mas ter esse processo feito de forma automática certamente facilita sua vida.

celular, tablet... e o backup de tudo?!

Dispositivos sem fio

Agora que definimos nossos dispositivos mais inteligentes, vamos dividir o restante dos aparelhos que sobraram em dois grupos: com fio e sem fio. Primeiro vamos abordar os sem fio, já que poderemos lidar mais fácil e rapidamente com eles. Mas espere — e se você for um usuário Apple ou Android que não confia suas informações e documentos a servidores de terceiros? O que você faz então com seus dados? Não tenha medo, vamos abordar suas opções mais adiante, na seção “Com fio”. Por ora, continuemos o foco nos sem fio.

“Aparelhos sem fio” é uma categoria ampla, mas é igualmente fácil de tratar, uma vez que muitos dos fabricantes prezam pela simplicidade. Digamos que você possui uma câmera com WiFi conectada à sua rede de casa. No mínimo, poderá descarregar suas fotos diretamente de seu telefone ou tablet com iOS ou Android. Alguns poderão até fazer upload das fotos para um serviço online na Web. De outro modo, pode ser exibido como pasta acessível na lista de aparelhos conectados à rede, permitindo-lhe arrastar e soltar suas fotos como queira. Não há um método definitivo para coletar seus dados aqui, e isso dependerá especialmente do seu dispositivo. Pode ser necessário realizar alguma pesquisa ou ajustes, mas definitivamente não é ciência de foguetes.

Aparelhos com fio

Então seus dados não estão armazenados na nuvem ou seu dispositivo não possui recursos sem fio. A chave para seus problemas é a boa e velha conexão via cabo e cartões de memória. Pegue o smartphone, por exemplo. Uma vez conectado via USB a um computador, você pode escolher uma de múltiplas opções de como ele será reconhecido. A escolha correta aqui seria “Transferir arquivos”, e isso vale também para celulares não tão inteligentes. Depois de fazer isso, seu aparelho vai mostrar uma pasta contendo todos seus dados no dispositivo, como fotos, documentos, música, e até mesmo arquivos de núcleo do sistema, e mais. Tenha a certeza de mover apenas arquivos que lhe sejam familiares, pois de outra forma poderá terminar danificando um aplicativo ou alguma parte não identificada. Uma dica é que fotos geralmente ficam armazenadas numa pasta “Câmera” localizada na pasta “DCIM”. Todas outras coisas, como música e arquivos baixados são bem mais fáceis de achar. Simplesmente descarregue seus dados em seu computador e daí para onde vá salvaguardar, e estará feito.

Na rara ocasião em que você não tenha um cabo USB por perto e aconteça de ter um aparelho com cartão de memória, você estará ainda em bom caminho, tendo um computador que aceite o cartão. Dependendo do formato de seu cartão, você pode ou não necessitar de um adaptador para tal. Muitos laptops possuem um leitor de cartão de memória SD, que pode ser utilizado com cartões SD, SDHC e SDXC; entretanto alguns aparelhos usam cartões microSD, e nessas horas um adaptador como o SanDisk MicroSD to SD Adapter é útil. Com o poder dos adaptadores você terá acesso a seus aparelhos instantaneamente e poderá transferir seus dados para seu computador para guardá-los com segurança. Todo o restante, como drives flash e discos rígidos externos são autoexplicativos. Simplesmente plugue-os como de hábito e poderá coletar seus dados.

Depois de coletar todos seus dados dos aparelhos espalhados pelos quatro cantos de sua residência, você vai precisar de um local seguro para armazená-los. Muitos usuários terão armazenado em seu computador principal; porém isso não é de todo seguro, e definitivamente não é recomendável. Especialistas em armazenamento sugerem manter três backups de seus dados. O primeiro será em seu sistema principal, o segundo poderá ser num dispositivo externo, e o terceiro pode ser um serviço na nuvem ou outro dispositivo externo localizado em outra área. Isso garante que, em caso de algo acontecer à sua casa, você ainda terá um backup em algum lugar.

Opções de armazenamento

Então exatamente onde você guarda seus dados? Vamos abordar opções de nível iniciante até as voltadas a usuários avançados. Para quem está começando, um simples flash drive USB dará conta do recado. Drives flash como o SanDisk 256GB Ultra USB 3.0 permite um monte de armazenamento e são bastante acessíveis [nota: lembrar a fonte do texto]. Você pode ainda utilizar cartões de memória, se quiser. Há boas chances de penso eu, assim que você comece a incluir fotos e vídeos, passe a ficar sem espaço bem rapidamente. Portanto, provavelmente  seria melhor ficarem de fora os documentos de texto, planilhas e arquivos que não tomam muito espaço. Com sorte, será aí que entrará na história um disco de armazenamento externo. Discos externos vêm em uma variedade de sabores: disco rígido (HDs), ou de estado sólido (SSDs), sem fio ou com fio, portátil ou não. Seja qual for sua escolha, com as grandes capacidades de armazenamento nessas soluções para armazenamento, você terá um bom aproveitamento de tempo carregando seus dados. Finalmente, para os usuários avançados ou aqueles que desejam pela proteção máxima para seus arquivos: arranjos (arrays) de discos rígidos, Armazenamento Ligado a Rede (NAS) e discos internos adicionais para RAID. Não vamos entrar em detalhes nesses, mas agora que você já coletou, organizou e backupeou todos seus dados, pode permitir-se dar um suspiro de alívio, pois sua limpeza de primavera está terminando — por ora.

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar