Home » Artigos » Dicas » Dicas para retratos masculinos

Dicas para retratos masculinos 4.67/5 (3)

Olá leitores do Fotografia DG!

Há um tempo não escrevo e neste artigo, divido com vocês a experiência em clicar retratos masculinos. Minha experiência é menor do que o feminino, porém, não menos encantador.

Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo
Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo

A mesma sensibilidade que o fotógrafo precisa ter quando se fotografa uma mulher, é preciso ter também com o homem.

Arrisco até dizer que, as vezes, o fotógrafo precisa de um tiquinho a mais de jogo de cintura, mas nada que uma excelente direção (podemos falar disso em um outro artigo, que tal?) não resolva o problema.

Antes de começar as dicas, quero contar um pouquinho da minha experiência com retrato masculino:

Já trabalhei em um estúdio fotográfico, onde fotografei alguns homens (adolescentes e adultos), porém, sem tanto contato porque a rotatividade de cliente era grande. Certo tempo depois, fotografei um rapaz com interesse em material para agência de modelo com um estilo mais fashion e minha última experiência, foi fotografar um nu artístico na escola em que estudo fotografia atualmente.

Foi sensacional. Antes, durante e depois, pude aprender muitas coisas e agora, quero dividir com vocês:

1 – Direcionamento de ensaio

A primeira etapa que o fotógrafo deve ter em mente é entender que tipo de ensaio o cliente quer:

  • Material para agência de modelo?
  • Ensaio para guardar de recordação?
  • Ensaio artístico/nu/dança?

A partir daí, você já pode definir sua pesquisa.

2 – Conheça seu cliente antes de clicar

Sempre destaco essa dica em todos meus artigos, porque considero bem importante: De nada adianta você clicar um ensaio sensacional, mas que não tem nada a ver com a personalidade do seu cliente, portanto, nem que for por e-mail, converse com ele, extraia o máximo de informação que você puder e se tiver oportunidade, peça que lhe envie uma foto.

E no dia dos cliques, não meça esforços para deixar a pessoa à vontade, com conversas informais. Assim, a sintonia entre vocês aumenta.

Retrato Masculino

3 – Defina seu ensaio

Em contato com o cliente, decida se irá fotografar em estúdio ou externo e a partir disso, com sua pesquisa de referências na mão, siga um roteiro, faça um mapeamento de luz para que no dia do ensaio você não perca tempo com isso e passe mais segurança ao seu cliente.

4 – Nos primeiros cliques…

A dica que recebi quando fotografei nu artístico foi: “Quando estiver me fotografando, não interrompa o ensaio para olhar o que fotografou na câmera, isso pode me desconcentrar e podemos perder a sintonia, portanto, vamos nos comunicar pelo olhar”. Dica de ouro, sem dúvidas, traz um resultado muito melhor. Ao invés de ficar olhando o que você clicou foto por foto, entre no clima e vá se comunicando com o cliente pelo olhar e pelo diálogo. Não estou dizendo que você não vai olhar as fotos que fez durante todo o ensaio, mas aproveite para fazer isso quando o cliente troca de produção ou nos intervalos  ;-)

E não se esqueça, não se afobe, nem queira chorar e sair correndo: Os primeiros 20 minutos são mais complicados (principalmente se o ensaio for mais íntimo), tanto para você, quanto para o fotografado, portanto, tenha paciência e demonstre profissionalismo do começo ao fim e tenha certeza que o resultado será positivo.

5 – Observe.

Independente do ensaio e para o seu trabalho sair incrível, seja você fotógrafo homem ou mulher, observe seu cliente e muito. Homens possuem uma estrutura mais forte, portanto, explore isso.

O olhar, maxilar, ombros, costas, braços, mãos, abdômen, pernas, são partes em que você pode explorar bastante em diversos ângulos.

Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo
Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo
Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo
Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo

6 – Conduza seu cliente

Vá orientando seu cliente sempre, silêncio nestas horas não é legal, converse, elogie (verdadeiramente) e continue fotografando. Tenha a sensibilidade de perceber o quanto você pode ousar ou até que limite você pode explorar para que tudo saia bem.

Não se esqueça: para quem está na frente da câmera é sempre um tanto complicado, ainda mais se a pessoa for tímida ou não tiver experiência, portanto, todo cuidado é pouco, qualquer deslize ou, caso você sem querer deixe seu cliente constrangido, será mais complicado de voltar ao normal. Não queira resultados mirabolantes com homens discretos e vice-versa. O segredo de um perfeito direcionamento é: Conduza, mas antes de tudo, não direcione sozinho, deixe que seu cliente te conduza também, mesmo que ele não perceba. Isso traz um resultado muito bom! Seja acessível.

7 – Poses e produção

É de responsabilidade do fotógrafo, ficar atento as poses e postura do homem durante a sessão de fotos. O importante nestas horas é fazer as poses exatamente no tema escolhido: Por ex.: Se o ensaio for para um bailarino, dançarino ou ator, adicionar poses mais suaves e com movimentos trarão resultados positivos. Já um ensaio em que o propósito é mostrar mais masculinidade, procure poses mais firmes, onde você possa destacar mais músculos, mais “força”. As produções também são escolhidas através do tema: Para um ensaio mais fashion ou material para agência de modelo, uma produção básica com peças chave são bem vindas.

Não force seu cliente vestir ou fazer uma pose que não o agrade, isso é muito importante.

Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo
Juliano Hollivier – Ator e modelo vivo

8 – A gente fala de arte

Para finalizar este artigo, uma dica que particularmente me atrai muito: ARTE

Independente do ensaio que fizer, acho essencial ter em mente a arte como uma forte aliada para os resultados finais. Ela é quem te da liberdade de expressão e te proporciona melhores imagens. Criatividade e arte andam de mãos dadas, por isso, minha dica aqui é de deixar a imaginação solta. Com uma base boa de fotometria, enquadramento e outras técnicas, conhecendo sua câmera e seu estilo pessoal de fotografar, permita que a arte faça parte deste contexto, ouse mais, brinque mais, permita-se mais, isso inclui: erre mais, por que não?! A gente não sai da mesmice se não errar até acertar ;-)

Não estou dizendo aqui que você pode errar o ensaio do seu cliente, mas entre uma foto ou outra (que você já sabe que terá bons resultados), alguns cliques mais ousados e criativos só te renderão experiências positivas e caso não fique como o planejado, você já sai em vantagem duas vezes: primeiro, porque você tem ao seu favor a edição (excluindo ou adicionando fotos) e segundo, porque você já sabe o que deu certo ou errado e o que pode melhorar no próximo.

Nada é em vão. Mãos a obra e até a próxima!

P.S.: Um agradecimento especial: Artur Venturoli, Juliano Hollivier e Guta Galli.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Sylvia Vigarani

Sylvia Vigarani, paulistana. Formada em moda e fotografia. Atualmente trabalha com ensaios, moda e still. Produz fotos e conteúdo para mídias sociais de duas marcas em um estúdio de criação.

2 Comentários

Clique aqui para comentar