fbpx

Diferenças entre os tipos de filmes – P&B e Cor

Dando sequência ao meu artigo anterior A fotografia analógica hoje, irei discorrer sobre a diferença entre os tipos de filmes P&B e coloridos. Pois bem, a diferença, ou melhor, a semelhança fica apenas na forma de introduzir o filme na câmera fotográfica, daí em diante só existirão diferenças. Diferenças na exposição, diferenças em filtros que possam ser utilizados e seus respectivos efeitos, diferenças de latitude, diferenças no olhar do fotógrafo, diferenças na revelação e diferenças de ampliação. E finalmente e talvez a mais importante diferença; a diferença no olhar e nos sentidos de quem observa o resultado final de uma foto colorida ou de uma foto em P&B.

Utilizar um filme fotográfico é um procedimento muito mais trabalhoso do que o digital, mas para os que não o conhecem ou para quem pretende utilizá-lo por saudosismo, razões profissionais ou artísticas segue abaixo uma lista de filmes (não sei dizer quais ainda podem ser encontrados) e suas respectivas funções, sensibilidades e câmeras nas quais se adaptam.  É bom fazer uma visita nos sites das empresas: navegue no site da Kodak (sim, ela ainda existe),  da Ilford, da Fuji ou da Agfa  para conhecer um pouco mais sobre seus produtos que ainda estão em linha e até mesmo algumas novidades no campo das películas fotográficas.

diferencas-entre-os-tipos-de-filmes-pb-e-corMas o filme é mesmo tão misterioso?

Filmes são grandes folhas de acetato, emulsionadas de acordo com o que se pretende de seu resultado final. Em sua produção, o filme é originalmente uma grande folha, que é cortada, fazendo com que haja emulsão em toda ela; sendo assim, o que determina a área da imagem é a janela da câmera em que o filme é exposto. Quando saem para a venda já estão cortados em diversos formatos e tamanhos para as câmeras respectivas, seja em rolos ou em placas.

Em câmeras da década de 80 em diante, encontramos o código DX, o qual dispensa a preocupação do fotógrafo quanto ao acerto da sensibilidade, pois as câmeras leem o código de barras contido no cartucho que informa o ISO correto. Hoje parece um detalhe sem muita importância, mas não era raro um fotógrafo realizar todo um trabalho para ao final descobrir que havia esquecido de informar o ISO correto para o filme utilizado.

São três os formatos básicos dos filmes

– Os filmes de pequeno formato – 35 mm produzem negativos de formato 24 × 36 mm. Estes filmes oferecem várias possibilidades: 12, 15, 24 e 36 poses para cópias coloridas e P&B e 24 e 36 para slides. Servem para algumas câmeras compactas e SLRs.

– Os filmes de médio formato – 120 mm podem produzir negativos de 4,5 × 6,0 cm, 6 × 6 cm ou 6 × 7 centímetros, normalmente. Servem para câmeras de médio formato como a Hasselblad e câmeras de objetiva dupla como as antigas Rolleyflex.

– Os filmes de grande formato – 4 × 5 – tem esta denominação pois referem-se a filmes na forma de chapa única, utilizado em câmeras de estúdio, de formato 4 × 5 polegadas.

Tipos de Filmes P&B

KODAK – P&B

  • T-Max – Iso 100, 400 até 3.200.
  • Plus-x – Iso 125
  • Tri-x – Só existe Iso 400. Bom para alto contraste.

Ilford (sempre gostei desses filmes P&B)

  • FP4 PLUS – 125 ISO
  • HP5 PLUS – 400 ISO
  • DELTA 100 / 400 e 3200 ISO

Existem outros, porém mais difíceis de encontrar (ver site da empresa)

Tipos de Filmes Coloridos

FILMES CROMOS DAY LIGHT

Cromos: São slides que gravam a imagem com muita precisão. Ótimos para se trabalhar em computação ou para scanear. As gráficas e editoras costumavam exigir que as fotos fossem realizadas com esses filmes em razão de sua maior fidelidade às cores. Existem 3 formatos: cromo 35 mm; cromo 120 mm; cromo 4×5.

Desde 2012 a Kodak não fabrica mais a sua linha de filmes EKTACHROME (reversíveis em cores).

Filmes KODAK – São bons para fotografar o céu, a cor azul é realçada e as cores ficam mais vivas.

Filmes FUJI – São bons para fotografar a natureza, a cor verde é realçada. É responsável por alto contraste, acentua a densidade das cores e permite um grande detalhamento na ampliação. Fuji Crome Velvia é um cromo que deixa muito mais verde. Fuji Super G Iso 800 era utilizado em para desfiles – a noite sem flash é muito bom.

PROVIA Iso 100 – neutro.
VELVIA (+ frio) rende + o verde.
ASTIA (+ quente).

Detalhe: Alguns plug-ins para Photoshop e/ou Ligthroom produzem os efeitos de cor dos filmes acima

Filmes AGFA Ultra – São bons para fotografar pessoas, a pele fica mais rosácea, as cores ficam mais naturais.

Já existiram diversos outros tipos de filmes, possuindo uma ampla gama de ISOs e temperaturas de cor, pois não tínhamos na época a facilidade do digital e tínhamos que escolher o filme de acordo com o trabalho a ser registrado.

Enfim, diferenças e semelhanças à parte existe um filme (nem todos o conhecem) que terá como resultado final belas fotos em P&B, mas que poderá ser revelado e ampliado como o filme colorido, no tradicional processo C41. Esse filme é o Kodak BW400 CN.

Cuidado: ao adquirir ou utilizar seu filme sempre observe a sua data de validade. Vem marcado na caixa “revelar antes de …..” . E conserve-os em local adequado.

Boas fotos!

Erico Mabellini

Erico Mabellini, com mais de trinta anos de experiência como fotógrafo, trabalhou nas mais diversas áreas: moda, fotojornalismo, publicidade, eventos, documental.... É também jornalista e graduado em Direito, com especialização em Direito Autoral e Direito Ambiental. Leciona Fotografia e História do Direito. Fundador a editor da ONG Tribuna Animal, atualmente dedica-se à fotografia de animais e natureza.