Home » Inspirações » Entrevistas » Entrevista a Nicholas Breslow

Entrevista a Nicholas Breslow

- Última Atualização a: 13/06/2014

O fotógrafo e ilustrador americano Nicholas Breslow, usa a sua fotografia para capturar a perspectiva do mundo a sua volta. Num estilo único, Nicholas compõe suas fotografias com muitas cores, texturas e momentos capazes de provocar vários tipos de sensações, surpreendendo com sua capacidade de tornar belo os detalhes que muitas vezes deixamos passar no dia a dia.

Nascido em Massachusetts, Breslow vive em Manhattan com sua esposa Amanda e seu filho Jagger de dois aninhos. Em suas palavras nota-se a paixão e a dedicação pela sua família.

O fotógrafo formado pela School for Visual Arts and Gnomon, Fashion Institute of Technology e é Bacharel pela Wesleyan University.

 1) Você é um fashion designer, conte-nos como aplica isso à fotografia.

Recentemente eu decidi mudar de carreira depois de trabalhar por 10 anos com a indústria fashion e eu voltei à escola para aprender modelagem de personagens e texturização. Meu objetivo é usar os meus conhecimentos de forma humana, a construção de roupas e detalhamento em combinação com o meu amor secreto por todas as coisas do computador para criar personagens realistas CG. Eu ainda faço design de roupas, mas não para pessoas reais.

2) Fashion design talvez não esteja tão explícito nas suas fotos. Você usa a fotografia para estudar seu design ou é mais do que isso?

Fotografia é uma forma para eu capturar minha perspectiva no mundo a minha volta de uma forma simples e direta. Isso tem me ajudado a fazer o design do meu trabalho porque fotografia geralmente envolve criar algo para agradável aos olhos através da composição, equilíbrio de cores, etc., no entanto a fotografia é mais do que um exercício artístico para mim. Ele me permite comentar visualmente o mundo ao meu redor.

3) Você tem um projeto com câmera de telefone, geralmente as pessoas não querem usar o celular para fotografar, pois dizem que o que faz a fotografia é a câmera. Como isso se aplica a você?

Eu tento não ficar muito preso na ‘engrenagem’ e me concentrar mais em ter certeza de capturar a imagem. Eu ainda filmo e uso uma câmera pinhole se preciso. Os telefones com câmera são fáceis, instantâneos e muito divertidos. Não importa o que você usa desde que a imagem fique boa.

4) Você é mais como um fotojornalista (me corrija se eu estiver errada), como você desenvolveu o seu “olhar” para a fotografia?

Mesmo que eu não esteja cobrindo uma história,  estou constantemente examinando a paisagem urbana. Eu acho que você poderia dizer que meu trabalho é mais fotojornalistico do que qualquer outra coisa, mas eu prefiro pensar nisso como uma “conversação”. Meu olhar desenvolvido a partir de diferentes partes da cidade de Nova York, e conversando com muitas pessoas diferentes de diferentes estilos de vida. Eu também estudei o trabalho de diferentes tipos de fotógrafos, bocados de contracção e pedaços de sua técnica ao longo do caminho.

5) Como eu disse antes, a sua fotografia tem um apelo social e mostra que você está preocupado com a comunidade, quanto você acha que isso é importante, e como isso afeta a comunidade?

Normalmente eu vou usar um tema que me interessa, um evento que eu nunca fui, ou usar uma técnica nova que eu estou interessado como o meu ponto de partida. Minha obrigação é a primeira imagem e deixo o resultado aberto à interpretação. Já me falaram que  a minha fotografia tem uma consciência social, mas nunca foi minha intenção original de fazer uma manifestação social, apenas uma imagem grande. Eu acho que é importante para as pessoas da comunidade para estar cientes do que está acontecendo ao seu redor. Se a minha fotografia ajuda a aumentar a sensibilização em toda a consideração, então, acho que é um bônus.

6) Diga-nos a relação de Nicholas Breslow com a fotografia e qual é a sua expectativa sobre essa arte.

Eu sempre tenho a minha câmera comigo para que eu não tenho expectativas. Enquanto eu estou vivendo uma vida interessante eu sempre terei a oportunidade de tirar fotos interessantes. Nesse ponto, eu não acho que eu sei o que estou tentando dizer. Ao longo dos anos os temas fotográficos surgiram em meu trabalho. Eu não quero analisá-los muito de perto com medo de que ainda pode tirar um pouco da diversão fora dele.

Conheça melhor o trabalho de Nicholas Breslow no seu site pessoal, acesse http://www.nicholasbreslow.com/.

Interview Nicholas Breslow

The american photographer and iustrator Nicholas Breslow, uses the photography to capture the perspective of the world around him. In a unique style, Nicholas compose your photographies with a lot of colors, texture and moments able to trigger all sorts of feelings, with the surprising ability to make beautiful details that often we miss the day to day.

Born in Massachusetts, Breslow lives in Manhattan with his wife Amanda and their son Jagger who is two years old. In his words we can see the passion and dedication that he has for his family.

The photographer have a Bachelors Degree from Wesleyan University and an Associate’s Degree from the Fashion Institute of Technology and have studied at the School for Visual Arts and Gnomon. 

1) Your are a fashion designer, tell us more about that, and how this combines with the photography?

I recently decided to change careers after working in the fashion industry for 10 years and am currently back in school learning 3D character modeling and texturing.  My goal is to use my knowledge of human form, clothing construction and detailing in combination with my secret love of all things computer to create realistic CG characters.  I still design clothing but it isn’t for real people. 

2) Fashion design maybe is not explicit in your photography’s. Is your photography’s a study for you designs? Or is something more than that? (which I think it is)

Photography is a way for me to capture my perspective on the world around me in a simple, straightforward manner.  It has helped shape my design work because photography generally involves creating something pleasing to the eye through composition, color balance, etc.  However photography is more than an artistic exercise for me.  It allows me to comment visually on the world around me.

3) You have a camera phone project, usually people don’t want to use a cell phone to photograph, because they say what makes the photography is the camera. How’s that apply to you?

I try to not get too hung up on the ‘gear’ and focus more on making sure I capture the image.  I still shoot film and use a pinhole camera on occasion.  Camera phones are easy, instant and a lot of fun.  It doesn’t matter what you use as long as the picture looks great.

4) You are more like a photojournalist (correct me if I’m wrong), how did you developed your “look” for photography?

Even though I am not covering a story I am constantly scrutinizing the urban landscape.  I guess you could say my work is more photojournalism than anything else but I prefer to think of it as ‘conversational’.  My look developed from going to very different parts of New York City and talking to lots of different people from different walks of life.  I have also studied the work of a lot of different types of photographers, borrowing bits and pieces of their technique along the way.

5) As I told you before, your photography has a social call and it shows that you are worried about the community, how much you think that this is important , and how this affects the community?

Typically I will use a subject that interests me, an event that I have never been to, or use a new technique I am interested in as my starting point.  My obligation is to the picture first and I leave the result open to interpretation.  I have been told my photography has a social consciousness but it was never my original intent to make a social statement, just a great picture.  I think it is important for people in the community to be aware of their surroundings and what is going on.  If my photography helps raise awareness in any regard then that is an added bonus.

6) Tell us the relationship of Nicholas Breslow with the photography and what is your expectations about this amazing art.

I always have my camera with me so I have no expectations.  As long as I am living an interesting life I will always have the opportunity to take interesting pictures.  At this point I don’t think I know what I am trying to say.  Over the years photographic themes have emerged in my work.  I don’t want to analyze them too closely yet for fear it might take some of the fun out of it.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Jéssica Tavares

Aprendiz de fotógrafa, futura jornalista, Jéssica Tavares divide seu tempo entre estudar para o curso de comunicação social e aprender mais sobre fotografia que é sua paixão. Ler, escrever, criar,fotografar, fazer arte é o que move o seu dia a dia. Antenada às novidades tecnológicas e do mundo da moda, seu aprendizado se recicla a cada dia. Sonha em conhecer todos os lugares, capturar diversos momentos, cores e sentimentos e expressá-los através da fotografia. Mineira de nascimento, com experiência no Paraná, Espírito Santo, São Paulo e Estados Unidos. “O mundo não é o bastante para ela.”

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar