Fotografia de Rua e o Flâneur – Explorando o urbano 5/5 (1)

Esta semana lendo um livro de Walter Benjamin,1892, alemão,  filósofo e crítico literário deparei com o termo Flâneur, que no livro traz a tradução do movimento de perambular pelas ruas com inteligência, ter a curiosidade da observação ligado ao da liberdade. Um transeunte sem destino mas imerso na observação do seu entorno, o homem na multidão sem penetrar no frenético ritmo da cidade, permitindo ao olhar seu deleite e sua isenção.  Assim se torna uma figura essencial do espectador urbano moderno, um detetive amador e investigador da cidade.

Pensando na essência da palavra, estudado lá no século 19, logo associei o Flâneur com a fotografia de rua. É claro, que me veio a mente, o fotógrafo, Cartier Bresson e seu movimento furtivo pelas ruas parisienses em busca de momentos decisivos que trazem um certa relação entre ele e a cidade. Ele passa a ser um observador na multidão mas fora dela.

Sempre morei em grandes cidades, Nasci em Belo Horizonte, morei em Brisbane e agora moro no Rio. A fotografia de rua sempre me fascinou e o ato de fotografar a cidade sem a rotina caótica que nela é inerente, gera um gostoso desafio para o fotógrafo.  O que faz as cidades lugares interessantes para se estar e fotografar é o inesperado. Essa aleatoriedade, é o Flâneur lógico (experimentar a vida da cidade ,sem render ao seu fluxo e refluxo), os encontros casuais e descobertas inesperadas, que só pode ser revelada por meio do ato de caminhar como um vagabundo criativo.

Em meu último post “Veja o mundo como uma criança” desafiei meus queridos leitores a verem o mundo como uma criança, hoje desafio-os ao exercício do Flâneur pela sua cidade. Peguem um ônibus, sem preocupar para onde ele vá, saltem em uma parada a qual nunca tenha descido antes e ande  observando/fotografando . Infelizmente, não podemos esquecer da segurança. Percorram locais que tenha uma certa segurança. Procurem momentos inesperados de um dia-dia “comum”das cidades urbanas! Surpreendam-se!

Abaixo  seguem algumas fotos de grandes fotógrafos que fizeram do urbano, o acaso e o momento decisivo, um belíssimo registro fotográfico.

Para quem se interessou sobre o assunto, e precisa de outra referência literária, indico um livro que adoro!

O nome do livro é: Sobre Fotografia, da Susan Sontang. Ela questiona muitas coisas sobre a fotografia e claro fala  um pouco do Flâneur também. Vale a leitura!

Boas Fotos!

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

  • Willian

    Boa tarde Thiago..

    Gosto muito de fotografia, entretanto meu conhecimento sobre este mundo e muito estreito ainda..
    Gostaria de saber se haveria necessidade de possuir em mãos uma lente de 18-300 para realizar fotos urbanas, pois como Vc deve saber no Brasil a probabilidade de eu ser roubado seria de 1000%.. então assim uma lente de 18-55 seria uma boa opção?

  • Danilo

    Thiago, curti muito o texto. Sou super iniciante. Estou em constante viagem pela europa e moro na Itàlia, tenho uma paixao que nao sabia ter nome, Flâneur! Bacana… Valeu pelas dicas. Um abraço!

  • Luciana

    Ótimo artigo Thiago! Preciso da sua ajuda para escolher meu próximo curso de fotografia. Para qual telefone eu ligo? Obrigada, Luciana.

  • RdeVicente

    compartilhando link pra down do livro: http://www.livrosdefotografia.com.br/index.php/sc

  • An Philos

    Ótimo artigo !

    Realmente eu me sinto mais inspirado quando visito locais que não conheço.

    • Obrigado An Philos,

      São nesses momentos que devemos buscar grandes inspirações em lugares que as vezes não nos inspiram tanto! Ótimo exercício de descondicionamento do olhar e observação!
      Boas fotos!

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar