Grandes Fotógrafos Portugueses 5/5 (1)

O que é uma fotografia?
Uma fotografia é explorar o passado para compreender o presente e planear o futuro.
Esta é a nossa história. Esse é o nosso legado no tempo. Esse é o sentido da vida.”
Miguel Guedes

Into-the-Wind

Poderia ser apenas mais uma definição ou pensamento sobre o significado de pintar com a luz. Mas não é. Pintar com a luz é muito mais do que um gesto mecânico. É muito mais do olhar através do visor e clicar no obturador.

É preciso ter certas qualidades para fazer alguém se destacar no meio da multidão, pois qualquer um pode tirar fotografias, mas nem todos são fotógrafos. Acima de tudo, pintar com a luz é sentimento, emoção, é arte no seu estado mais puro.

Dia 19 de Agosto é o Dia Mundial da Fotografia.

O dia em que se celebra mundialmente essa forma de arte tão distinta e diversificada no seu género e no seu significado.

E para exprimir essa arte, convidei, para colaborar neste artigo, alguns dos nomes portugueses que fazem História além-fronteiras com a sua arte.

Conheça as histórias, as motivações e…INSPIRE-SE.

Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração.” (Henri Cartier-Bresson)

[divider]

ANDRÉ BOTO

“Para mim o único limite é a imaginação, e por vezes isso já nos limita imenso.”

Andre Boto

André Boto, 1985/03/06, natural de Silves.

Formação:

  • Licenciatura em Artes Decorativas pela Escola Superior de Educação de Beja
  • Cursos de Fotografia Avançada e Fotografia Conceptual, na Oficina da Imagem.

Distinções:

  • Fotógrafo Europeu do Ano 2010
  • MQEP – Master Qualified European Photographer
  • QEP – nas categorias de fotografia ilustrativa e retrato

Residente na zona de Lisboa, efetua trabalhos fotográficos na área de projetos criativos de autor, decoração, fotografia publicitária, arquitetura e industrial, além disso é professor da Oficina da Imagem e monitoriza com alguma frequência Workshops e palestras.

TEM ALGUMA FOTOGRAFIA QUE O MOTIVOU A SER FOTÓGRAFO?

Surrealismo por Andre Boto

Detalhes técnicos:

  • Título: “Surrealismo”
  • Fotomontagem em Photoshop CS4
  • Imagens realizadas em Portugal e Espanha
  • Cameras utilizadas: Canon EOS 5DMkii + Canon EOS 30D

Nas palavras do autor:

“É difícil escolher uma imagem que me tenha impulsionado ou feito decidir enveredar pela carreira de fotógrafo, pois quando comecei a fotografar não tinha a mínima pretensão de vir a ser fotógrafo ou fazer algo mais sério a nível de fotografia.

Quando comecei a fotografar, a fotografia servia apenas de apoio para que tivesse uma referência visual para desenhar a lápis a realidade sem ter que ficar horas na rua.

Acontece que o interesse em relação à fotografia foi crescendo e depois de estudos e muito tempo de pesquisa defini que era isso que queria para mim e para a minha vida.

O trabalho que apresento é simbólico para mim, não por ser um dos primeiros mas sim porque pelo sucesso alcançado meu deu a confiança para continuar a arriscar na diferença. Cada vez mais me convenço que é preciso fugir aos padrões e criar o próprio estilo, claro que é sempre um enorme risco, pois seguir esta ideologia pode resultar bem ou não, mas habitualmente quando resulta é compensador.

A criação de imagens (com origem fotográfica ou não) é para mim um desafio e um escape, permite-me fugir deste mundo e criar o meu próprio espaço físico, ainda que apenas em forma de imagem bidimensional.

O que acho fantástico é o sem número de coisas que se podem fazer a partir de um retângulo vazio, pois é assim que para mim começa a criação de uma imagem (mesmo quando temos a câmara na mão), partindo do nada.

As imagens têm o poder de falar, ainda que não o façam por palavras, talvez seja essa a magia das imagens, que, mesmo não comunicando por palavras permitem milhentas interpretações tão ricas como a imaginação de cada um de nós.

Para mim o único limite é a imaginação, e por vezes isso já nos limita imenso.”

[divider]

JOÃO MARTINS “grENDel ART”

“Defino o meu trabalho, como força de expressão à minha vontade de criar sempre algo diferente e de conseguir arrancar diferentes sentimentos das pessoas que o vêm.”

joao-martins

TEM ALGUMA FOTOGRAFIA QUE O MOTIVOU A SER FOTÓGRAFO?

422578_182136171898000_355235262_n-joao martins

Defino o meu trabalho, como força de expressão à minha vontade de criar sempre algo diferente e de conseguir arrancar diferentes sentimentos das pessoas que o vêm.

Sou uma pessoa que gosta de explorar várias vertentes nesta arte, por isso não tenho uma imagem própria que as pessoas o reconheçam de imediato.

Exploro temas bastante obscuros da fotografia. Gosto da melancolia, da tristeza, do drama

Sendo a arte digital a minha área de maior experiência, gosto e faço também fotografia convencional e tenho como objectivo explorar ainda melhor essa área no futuro.

[divider]

DANIEL RODRIGUES

“Se as tuas fotos não são suficientemente boas, é porque não estás suficientemente perto” Robert Capa.

Daniel-Rodrigues

Nascido em Compiègne, na França, em 1987, mas desde os 10 anos que vive no norte de Portugal (Riba de Ave).

Daniel Rodrigues tornou-se um fotógrafo profissional após a passagem pelo Instituto Português de Fotografia. Estagiou no Correio da Manhã e trabalhou na Agência Global Imagem; responsável por fotografias em jornais como Jornal de Notícias, Diário de Notícias e O Jogo.

Em 2013, Daniel ganhou o World Press Photo, na categoria “Daily Life”, com uma fotografia de futebol capturado na Guiné-Bissau durante uma missão humanitária. No mesmo ano, todo o trabalho sobre o futebol na Guiné-Bissau foi homenageado no Prémio Estação Imagem.

De momento Daniel está a trabalhar como Freelancer.

TEM ALGUMA FOTOGRAFIA QUE O MOTIVOU A SER FOTÓGRAFO?

African-Football-in-Guinea-Bissau-Daniel-Rodrgues

“Em 2013, Daniel ganhou o World Press Photo, na categoria “Daily Life”, com uma fotografia de futebol capturado na Guiné-Bissau durante uma missão humanitária. No mesmo ano, todo o trabalho sobre o futebol na Guiné-Bissau foi homenageado no Prémio Estação Imagem.”

No entanto, nas palavras do autor: “Não foi uma mas sim várias fotografias que me fizeram seguir a fotografia. Fotografias, essas, que são do Sebastião Salgado. Para mim uma inspiração.”

[divider]

NUNO TRINDADE

“Olhos que olham são comuns, olhos que veem são raros” – J. Oswald Sanders

NT-PHOTOGRAPHY-2-nuno-trindade

NUNO TRINDADE nasceu em Nampula (Moçambique), em 1973, sendo licenciado em Organização e Gestão de Empresas.

Apaixonado pela fotografia desde muito cedo, foi apenas em 2003, ano em que adquiriu uma bridge da Sony (F-828), que começou a desenvolver a técnica, especialmente na fotografia de paisagem natural e urbana. No ano seguinte, deu asas a essa paixão durante uma viagem à volta ao Mundo, na qual fotografou com bastante intensidade.

Em 2008, adquiriu finalmente uma SLR (Nikon D700), tendo começado a aperfeiçoar outras vertentes da fotografia, para além da paisagem.

Passados 3 anos, passou a olhar para a fotografia com outros olhos, tendo começado a realizar exposições e a desenvolver um projeto de expedições fotográficas, que permite conjugar duas das suas grandes paixões de sempre: fotografar e viajar. Atualmente, é freelancer, estando envolvido em projetos de fotografia muito interessantes, alguns deles ainda por desvendar.

Com muitas solicitações na área do Turismo, tem vindo também a efetuar projetos na área do património monumental nacional.

Uma das suas exposições atuais, “Olhares sobre Ordesa”, é sobre uma região pela qual nutre um enorme carinho: os Pirinéus. Em breve, poderão vir a acontecer outras exposições sobre o nosso país, na sequência de vários convites que têm vindo a surgir.

Um dos seus grandes sonhos é o de um dia poder vir a trabalhar para a National Geographic.

Tem vindo a expor o seu trabalho numa página pessoal de fotografia no Facebook www.facebook.com/NunoTrindadePhotography, que conta neste momento com perto de 30.000 seguidores, bem como noutros sítios como o 500px, Retina e Olhares. Inaugurará em breve o seu novo website: www.nunotrindadephotography.com.

TEM ALGUMA FOTOGRAFIA QUE O MOTIVOU A SER FOTÓGRAFO?

DSC6584---nuno-trindade

Nikon D700, Nikkor 80-400, ISO 100, 240mm, f/5,3, 4 seg.

“Não houve nenhuma fotografia em particular que me tivesse motivado a ser fotógrafo. Escolhi uma das fotos que maior prazer me deu realizar: a do Palácio da Pena à noite, pois foi o culminar de um sonho de há vários anos a esta parte.”

[divider]

Para terminar este artigo, fica o meu profundo agradecimento pela colaboração dos 4 fotógrafos que aqui apresento, e que, representam sem dúvida nenhuma, alguns dos GRANDES FOTÓGRAFOS PORTUGUESES.

Tal como o são para mim, espero que sejam uma inspiração para todos os que seguem o blog FOTOGRAFIA-DG  e a minha página do facebook, EXPRESSÕES FOTOGRÁFICAS.

 

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Miguel Guedes

Nasci em Lisboa em 1972. Comecei a interessar-me pelas artes visuais quando frequentava o ensino secundário e frequentei um estágio profissional numa empresa de publicidade. Em 1999 formei-me em “desktop publishing” pelo Centro de Formação Profissional de Artes Gráficas e Multimédia, Amadora e comecei um percurso de autoaprendizagem em técnicas fotográficas e arte digital com o software Adobe Photoshop. Desde 2008 já realizei algumas exposições em Portugal, das quais destaco a exposição “Quando o Sol se põe em Cascais”, em Abril de 2012 no Estoril, Portugal.Atualmente administro a página do Facebook “Expressões Fotográficas” e o blog com o mesmo nome, nos quais publico as minhas experiências com a fotografia e pequenas dicas de fotografia e Photoshop, bem como o meu portfolio de fotografia e arte digital.

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar