Fotografia de rua – Como? 4.25/5 (8)

Bom, na verdade escrevo esse artigo não como uma especialista em Fotografia de rua, mas sim como alguém que deseja descobrir mais sobre esse campo.

Pesquiso bastante sobre esse tema nas redes brasileiras sobre fotografia e encontro pouquíssimas discussões sobre o tema, por isso achei que valia a pena falar sobre ele.

Como começar?

O que mais me intriga a respeito da fotografia de rua é como ela deve ser conduzida pelo fotógrafo e como este deve se comportar.

Eu sou uma pessoa naturalmente tímida e sei que muitos fotógrafos também são, então, como proceder?

É totalmente previsível se você andar com uma câmera na mão que as pessoas te cerquem com olhares de estranhamento, dúvida, medo ou até raiva e isso naturalmente pode inibir qualquer pessoa, principalmente os tímidos. Falo isso, principalmente, porque vivo em uma cidade pequena e qualquer manifestação estranha pode despertar olhares, o que não é nada incentivador. Mesmo em cidades maiores já percebi que isso acontece também, mas de uma maneira menos intimidadora, a menos que você esteja na av. Paulista, onde as pessoas realmente não dão a mínima pra você.

O que acontece é que não se pode fazer nada com os olhares, somente não ligar para eles e fingir que não são para você.

Mas de uma maneira prática pensei em algumas ações que possam facilitar os primeiros passos para não estar nem aí para os olhares alheios.

Fotografia de Alexandre Urch
Fotografia de Alexandre Urch

1. Não seja ambicioso no começo

Comece com algo pequeno, não se exija muito, você é um mero fotógrafo tímido que quer começar as explorar as ruas. Leve aquela pequena câmera compacta que você não dá a mínima, mas que é suficiente pequena para ninguém percebê-la. E comece a fotografar. Leve-a consigo toda vez que sair, afinal ela é leve e discreta e pode render boas fotografias se você souber utilizá-la. Basta utilizar os controles mínimos que ela oferece que com certeza irá fazer bons registros. Se você é da geração moderna que possui os melhores smartphones do mercado, então melhor ainda. Ninguém vai perceber que você está fazendo fotografias com um celular na mão. Outra opção também é conseguir uma analógica usada. Algumas são bem pequenas e leves o que facilita andar pra cima e pra baixo com elas e aproveitar qualquer movimento interessante da rua. O segredo aqui não é a técnica das grandes câmeras do mercado, mas a composição e o instante que nem todos conseguem captar. Treine o olhar.  Um exemplo de trabalho belíssimo que segue bastante essa ideia é o do fotógrafo Urbano Erbiste . De acordo com ele, o equipamento ideal para fotografar a rua é aquele que você tiver disponível no momento, ou seja, qualquer um que fotografe. Ele mesmo já diz ter feito inúmeras fotografias importantes com o celular.

Fotografia de Alexandre Urch
Fotografia de Alexandre Urch

2. Comece a ousar

Depois de algumas tentativas com câmeras discretas, talvez você já tenha treinado bastante a sem vergonhice e esteja na hora de abusar um pouco. Escolha um lugar onde muitas pessoas circulem sem se preocupar muito com quem está ao redor. Um ponto turístico, uma rua movimentada, um parque e seja invisível. Não vá colocar sua roupa mais chamativa do armário e nem usar um penteado muito louco, pois isso chama a atenção e você não consegue registrar os movimentos espontâneos dos transeuntes. A intenção aqui é registrar as pessoas, as ruas, em seu movimento cotidiano e não fazendo poses para você, a menos que seja essa a sua intenção, mas o mais brilhante na fotografia de rua é mostrar seu movimento natural. Perca o medo, seja disfarçado, ande como quem não quer nada. O que você pode fazer também é investir em uma mochila que facilite o seu acesso a câmera, para que você não fique com ela pendurada no pescoço toda hora e a retire somente quando for necessário.  Uma boa dica de equipamento assim é a mochila modelo Aero Speed da Tamrac, pois além dela não chamar atenção e se parecer como qualquer mochila, ela possui uma escotilha com zíper lateral, por onde a câmera pode ser puxada de dentro
da mochila sem precisar abrir a divisão inferior, ou seja, oferece um acesso imediato a câmera sem que ninguém desconfie.

Fotografia de Alfie Goodrich
Fotografia de Alfie Goodrich
Fotografia de Alfie Goodrich
Fotografia de Alfie Goodrich

3. Nível hard alcançado

Quando já tiver alcançado uma certa ousadia é porque já está na hora de tirar a câmera DSLR, que você comprou com tanto esforço, para fora da prateleira. É hora de sair na rua portando um equipamento poderoso e ver o que a rua e ele juntos te oferecem de melhor. Os grandes fotógrafos de rua, como Alfie Goodrich e Nick Turpin recomendam que se aproveite das novas tecnologia das câmeras modernas e a possibilidade que os seus grandes ISOs podem oferecer, pois a rua é puro movimento, então nada melhor do que poder registrar isso, mesmo em condições difíceis de luz. Além disso, esses fotógrafos recomendam deixar a câmera pré-ajustada para quando estiverem na rua não se perderem muito tempo em configurações de obturador e diafragma e garantir o registro dos momentos. Fora isso, o resto o próprio fotógrafo vai percebendo com o tempo e se habituando ao cotidiano da rua, conhecendo sua rotina e a frequência de suas luzes.  É exercitar a paciência e captar os melhores instantes.

[…] você escolhe um ponto, se acomoda, prepara o equipamento e espera… Depois de passar algum tempo nisso, você começa a pressentir o que vai acontecer na rua. É quase como um sexto sentido. Você quase faz parte da própria rua. Consegue sentir sua pulsação […]  (Alfie Goodrich)

Fotografia de Urbano Erbiste
Fotografia de Urbano Erbiste

4. A ordem dos fatores não altera o produto

Bom, esse passo a passo na realidade tem uma função didática apenas. Pois como vimos, mesmo os fotógrafos já renomados até hoje utilizam suas câmera compactas para registrar a rua e nem por isso estagnaram no passo 1 ou 2. Do mesmo modo, apesar da experiência, eles continuam enfrentando problemas com os registros de rua, por conta não só da dificuldade em não serem vistos, como da restrição das pessoas em serem fotografadas e da autorização do uso da imagem. Inclusive alguns preferem carregar consigo autorizações impressas para que possam solicitar à pessoa fotografada que a assine, de forma a evitar problemas futuros. De uma maneira geral, alguns concordam e discordam em muitos aspectos no que diz respeito a fotografia de rua, mas são unânimes no seguinte: nada como uma boa educação para garantir uma fotografia ou evitar brigas com a polícia. Seja educado, sorria, agradeça e se for polido peça diretamente para fotografar a pessoa. E é isso, fotografe!

Ajude-nos! Avalie, compartilhe e deixe um comentário mais abaixo:

Carla Pedraça

Formada em Psicologia e fotógrafa lifestyle de crianças e famílias em São Luís do Maranhão. Começou a fotografar em 2011, mas assumiu a carreira profissionalmente apenas em 2014. De lá pra cá, se especializou em fotografar o mundo infantil e suas famílias. Registra em suas fotografias o momento instântaneo e verdadeiro, de uma maneira mais real e menos produzida.

Siga-nos nas Redes Sociais

Não perca nenhum conteúdo nosso ;)

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar