Home » Inspirações » Muheisen e a beleza trágica de crianças refugiadas

Muheisen e a beleza trágica de crianças refugiadas 5/5 (1)

Muhammed Muheisen retratou crianças mesclando a beleza infantil e a tragédia que é a guerra em imagens belas e ao mesmo tempo tristes.

via Catraca Livre / In Focus

Por mais de três décadas, o Paquistão tem sido o lar de uma das maiores comunidades de refugiados do mundo: mais de um milhão de afegãos que fugiram de anos de guerra em seu país de origem. Vivendo em abrigos temporários ao longo da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão — e cuidada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, pelo governo do Paquistão, e por numerosas agências internacionais de assistência — essa população enorme e persistente continua vulnerável a vários perigos, de surtos de doenças à violência transbordando da guerra ao lado. O fotógrafo da Associated Press Muhammed Muheisen passou os últimos anos no Paquistão, documentando a vida desses refugiados, com um foco especial sobre os mais vulneráveis​​: as crianças apanhadas no caos em que suas famílias tentam mantê-los seguros.
(texto do In Focus, traduzido)

Impossível não lembrar de Steve McCurry e a Menina Afegã vendo estas fotografias tiradas por Muheisen — especialmente pelas cores das imagens. Mas há um outro lado muito forte nas imagens: todas são crianças com aspectos de visível sofrimento com os conflitos naquela região, mesmo quando sorriem. Algumas fotos achei particularmente tocantes e deixaram-me emocionado, de uma forma negativa, como poucos fotógrafos e fotógrafas me fizeram ficar.

Particularmente eu não queria que estas fotos existissem, pelo lado humano ruim que provoca a má existência dessa situação em que estão as crianças, mas este é nosso mundo, e, infelizmente, isto é real, e não pode ser varrido para debaixo do tapete.

(c) Muhammed Muheisen

(c) Muhammed Muheisen

(c) Muhammed Muheisen

(c) Muhammed Muheisen

(c) Muhammed Muheisen

(c) Muhammed Muheisen

 

agradecimentos a Arquiles Petrus,
por compartilhar o link

Ajude-nos, avalie este artigo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

2 Comentários

Clique aqui para comentar