Home » Artigos » Dicas » Os primeiros passos para ser Fotógrafo Profissional

Os primeiros passos para ser Fotógrafo Profissional 4.6/5 (10)

Seguir uma carreira de fotógrafo profissional é uma excelente escolha para quem quer ser pago pelos seus talentos criativos. Nesse campo, é essencial ter uma boa percepção, visão e foco do seu ambiente e disciplina para oferecer um produto de qualidade.

O mercado é bastante competitivo, exige trabalho e paciência para se destacar na multidão. Esse desafio requer tempo, esforço e dedicação.

Diante desse cenário, diversas dúvidas surgem para quem está pensando em começar a sua carreira.

As questões mais frequentes vão desde a escolha da câmera até as especializações na fotografia.

Por isso, o Fotografia DG convidou o Instituto Internacional de Fotografia para responder as principais perguntas sobre o início em uma carreira na fotografia profissional.

Quais são os passos necessários para se profissionalizar em fotografia?

Há três principais vertentes entre as quais o profissional pode se especializar.

A primeira consiste em atender às empresas, o mundo corporativo. Neste caso o fotógrafo produz imagens para promover e divulgar as empresas que podem ser usadas em catálogos, campanhas publicitárias e na internet.

Depois, temos o trabalho para imprensa que equivale aos editoriais que ilustram revistas e sites. Ainda nesse aspecto, a fotografia é usada pelo cliente jurídico, mas com dinâmicas ligadas à produção ou à ilustração de matérias de conteúdo.

Por fim, a imagem pode abranger questões sociais. A fotografia registra os momentos importantes da vida das pessoas,  seja com um evento social, como uma festa de aniversário ou casamento ou ainda ensaios específicos, como de família ou de casais. Esta área, inclusive, apresenta um grande crescimento nos últimos anos.

Cada uma das áreas indicadas exige especializações. É essencial estudar o mercado, pesquisar os fotógrafos que atuam no meio, quais têm sucesso e estudar sua atuação e modelo de negócio. Paralelamente é importante desenvolver uma cultura imagética, criar um repertório de imagens que possa ser usado como ponto de partida para seu projeto. E, claro, aprender a técnica.

Falando em técnica, surge a próxima dúvida: o equipamento.

Qual câmera comprar?

No mercado, há quatro tipos de câmera disponíveis.

Câmeras DSLR (Digital Single Lens Reflex): essa é a câmera, popularmente chamada de câmera profissional. São robustas e oferecem a possibilidade de trocar a lente.

Nesse tipo de câmera, a imagem é refletida por um espelho direto, que redireciona a luz vista pela lente para o visor ótico para um visor. Quando o obturador é pressionado, esse espelho se recolhe e o sensor captura a imagem.

Na prática, uma DSLR possui muitos atributos e ajustes disponíveis, o que permite uma captura de imagem de melhor qualidade. E essas câmeras possibilitam o uso de acessórios, como flashes externos.

Câmeras Mirrorless: são câmeras compactas com lentes intercambiáveis, assim como as DSLR, porém são mais leves e menores.

Essas câmeras não possuem o espelho interno para redirecionar a imagem para o visor ótico. A luz entra e atinge o sensor diretamente. A imagem não é mais vista pelo visor ótico, apenas pelo visor LCD.

Câmeras Compactas: são as câmeras mais vendidas do mercado. Pequenas, simples e práticas, elas dispensam qualquer conhecimento sobre fotografia.

No entanto, seus recursos são limitados. O sensor, que captura a luz para criar a imagem, é bastante pequeno. Isso dificulta a obtenção de boas imagens em ambientes com pouca luminosidade, já que, para compensar, o obturador precisa ficar mais tempo aberto para permitir a entrada de mais luz. Assim, o menor movimento no equipamento durante o disparo resultará em fotos desfocadas.

Câmeras Superzoom: São câmeras de porte médio com grande capacidade de zoom óptico (alguns modelos chegam a oferecer incríveis 42x de zoom).

São equipamentos excelentes para registrar os detalhes de jogos de futebol e outros esportes, peças teatrais e cerimônias em geral, também em boas condições de iluminação, já que os sensores são pequenos como os das compactas. Além disso, suas lentes não são intercambiáveis, o que também limita o seu uso.

As câmeras DSRL e as Mirrorless são equipamentos indicados para  a atividade profissional, enquanto não aconselhamos as câmeras compactas nem as superzoom como equipamento profissional. Para trabalhos profissionais, nós sugerimos as câmeras DSLR.

Existe um amplo leque de modelos de câmera DSRL e até os modelos mais simples destas câmeras, como a Nikon D5100, D7100 e a Canon T3 e T5, cumpre muito bem o seu papel.

Quais as funções de uma câmera?

Embora um bom equipamento seja imprescindível para um trabalho de alta qualidade, há muitos outros fatores que influenciam na qualidade de um projeto fotográfico, especialmente, a habilidade do próprio fotógrafo.

Os fabricantes de câmeras fotográficas estão interessadas em vender os seus produtos e investem alto em propaganda e publicidade para divulgar as qualidades e benefícios de suas câmeras, sem, necessariamente, especificar a real utilidade dos equipamentos. E, você pode acabar levando “gato por lebre”, com um equipamento que não supre as suas necessidades.

Danilo Russo, fotógrafo e diretor do Instituto Internacional de Fotografia, ressalta a importância de saber usar as funções dos equipamentos e aplicar os conhecimentos técnicos. “Não caia na conversa de que a câmera precisa ser profissional. Profissional precisa ser o fotógrafo, não a câmera”, afirma o fotógrafo.

Como dito anteriormente, a sugestão para quem quiser começar é comprar um modelo de DSRL. Entretanto, muito mais do que a escolha da câmera e da objetiva (a lente que será acoplada à sua câmera), o conhecimento técnico, as habilidades e percepção do fotógrafo serão decisivas para obter um material de qualidade.

Que habilidades preciso desenvolver para fotografar bem?

Fotografar bem ou mal é um aspecto estético e totalmente subjetivo, que depende do gosto pessoal de quem olha a imagem. Uma fotografia, que agrada uma pessoa, pode, facilmente, desagradar outra. Porém, é inegável que o domínio da técnica, da composição e da iluminação fotográfica são essenciais para um bom trabalho.

Técnica é saber usar todos os recursos que a câmera oferece: ISO, balanço de branco, exposição, entre outros. Já a composição é o conjunto de regras, tradicionalmente, obedecidas para a construção de imagens. E, por fim, a iluminação é a alma da fotografia.

Quem nunca ouviu falar que a fotografia de determinado filme ganhou um prêmio? Isso significa que a composição e iluminação utilizadas no filme agradaram aos seus jurados. Mesmo um artista que tenha o desejo de romper com as regras tradicionais da fotografia, precisa, antes disso, conhecê-las para assim conseguir desconstruí-las.

Dentro do campo de fotografia, existem ainda muitas possibilidades através da manipulação de imagens. A manipulação já existe há muito tempo, mas com o advento das imagens digitais, tornou-se muito mais fácil e prática.

Preciso me especializar?

Não necessariamente. Há uma grande quantidade de fotógrafos que trabalham, ao mesmo tempo, com diferentes áreas da fotografia.

O ideal, no entanto, é que você nunca pare de estudar e continue sempre procurando informações para estar atento ao mercado e oferecer opções mais atrativas que seus concorrentes.

Entre as especializações em fotografia mais comuns e que oferecem a maior possibilidade de entrada no mercado estão as áreas de produto, ou seja a fotografia de objetos que serve muito às campanhas publicitárias; a de retrato, que são ensaios com pessoas de todas as idades e pode começar até mesmo com bebês recém-nascidos, gestante, casais, bandas de música, book fotográfico entre outros; e de casamento, que o próprio nome dispensa explicações.

Outra opção, menos comum, é o trabalho autoral, que refere-se ao fotógrafo-artista, ou seja, aquele que vê a fotografia não apenas para ser comercializada, mas para dar conta de um desejo de expressão. Ela é produzida para ser exposta em galerias e composta em séries que trazem todo um pensamento artístico.

Se você está buscando uma carreira como fotógrafo profissional, continue estudando sobre o assunto. Danilo Russo, diretor do IIF, escreveu um guia completo para quem quer se profissionalizar.

Baixe aqui o ebook gratuito 7 Passos para Transformar Fotografia em Profissão

Ajude-nos, avalie este artigo:

1 Comentário

Clique aqui para comentar

  • Não pretendo por alguns motivos ser uma fotógrafa profissional mas adoro capturar imagens, são tantas coisas lindas no nosso campo de visão e muitas delas ñ posso alcançar por falta de câmera adequada . Então adorei as dicas , serão muito úteis . Abraço

  • 30 fotos grátis na 1a compra