Home » Artigos » Dicas » Quando o hobby pode virar profissão

Quando o hobby pode virar profissão

Hoje em dia, com o advento da internet e como todo mundo tem um celular com câmera digital, registrar os momentos importantes da vida não é tão difícil. Logo, não demorou muito para criarem uma rede social para envio de fotografias, que tem feito muito sucesso. Mas o que é ser fotógrafo, de fato?

Fotografar eventos, paisagens, pessoas etc. é tentar congelar um momento para que se possa recordar dele mais tarde e tentar resgatar a emoção sentida naquele instante. É tentar parar o tempo. Muitas pessoas têm a fotografia como um hobby e uma paixão e pensam em juntar o útil ao agradável, tornando-se fotógrafos profissionais.

fotografia-como-transformar-hobby-profissao1.jpg

Acontece que a sociedade ainda tem uma visão equivocada de que, para ser fotógrafo, é só ter uma câmera mais ou menos e saber ajustar o ângulo. Para entrar na profissão, é preciso estudar, se dedicar, se renovar constantemente. Rogério Von Krüger, fotógrafo de casamentos, descreve os três tipos mais comuns de fotógrafos:

Aquele que fotografa por hobby

“Geralmente é alguém que tem algum emprego em outra área, resolveu comprar uma câmera semiprofissional ou profissional e, nas horas vagas, fotografa coisas que ele acha bacana.”

O fotógrafo amador

“Se parece muito com o primeiro tipo, mas a diferença é que ele pode ser solicitado por conhecidos, amigos e familiares para fazer a cobertura de eventos, por cobrar um preço mais em conta. Não condeno os fotógrafos amadores, mas a preferência por alguém que possa fazer ‘um preço mais camarada’ acaba desvalorizando o trabalho de quem se especializou.”

O profissional

“Por fim, chegamos ao fotógrafo profissional. É importante ressaltar que ele, na maioria das vezes, vive da fotografia e, quando não está trabalhando, está estudando sobre fotografia, se aprimorando e se atualizando nas novidades do mercado. Além disso, ele precisa investir em equipamentos de qualidade.”

fotografia-como-transformar-hobby-profissao2.jpg

Como transformar o hobby em profissão

É importante esclarecer que os fotógrafos profissionais não são contra os amadores, pelo contrário, muitos realizam palestras e contribuem para os cursos de fotografia espalhados por aí. Mas, quem tem o sonho de viver da fotografia, precisa estudar e investir tempo no aprimoramento das técnicas.

Para Rogério, a melhor forma de começar é “Procurando um trabalho de assistente de fotógrafo. Por mais que seja difícil pois contratar um assistente requer confiança, é um ótimo laboratório para quem quer começar e ainda ajuda a investir no seu próprio material de trabalho.”

Se encontre na fotografia

O ramo fotográfico é bem extenso e é preciso delimitar suas preferências. Existem pessoas que especializam em fotojornalismo, outras em casamentos, fotos corporativas e por aí. Obviamente é possível trabalhar um pouco de cada, mas ter um objetivo delimitado ajuda no crescimento do futuro fotógrafo.

Também é importante entender quais são as suas metas profissionais. O mercado de trabalho é bem eclético, basta saber se você prefere trabalhar por conta própria (e aí o espírito empreendedor precisa falar mais alto) ou se você está disposto a ser contratado de alguma empresa, como agências, revistas e jornais. Fora que ainda existe a possibilidade de conciliar os dois.

Estude!

Deixe a preguiça de lado e estude, estude bastante. O primeiro passo para que você deixe de ser amador e se torne profissional é entender que fotografia não é apenas ter um bom olhar e uma câmera, é muito mais: é doação, é entrega e também é estudo.

Muitos cursos são oferecidos por um custo acessível e, às vezes, até gratuitos. Basta ter disciplina e força de vontade. “A fotografia não vai te deixar rico, você não vai receber rios de dinheiro logo nos primeiros trabalhos, mas a satisfação de realizar um serviço bem feito e poder fazer o que gosta já faz tudo valer a pena”, finaliza Von Krüger.

Ajude-nos, avalie este artigo:

Bia Neves

Mineira, 24 anos, recém formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, apaixonada por Marketing de Conteúdo Digital e curiosa em todos os sentidos.

7 Comentários

Clique aqui para comentar

  • poh enche o saco essa conversinha de rebaixar amador a INICIANTE, quem disse que um fotografo profissional sempre tem mais conhecimento que um amador? Essa retorica chata de sempre! podiam parar com isso, não cansa não?
    Tem "amador" muito mais capaz que muito "profissional" por ai pfvr.
    Mandaram muito mal nessa.

    • Concordo !!! A única diferença entre Amador/Hobista e o Profissional é que este último vive da fotografia, e não pelo seu conhecimento ou do seu equipamento, sou hobista e a minha câmera não sai do modo Manual e já vi "Profissionais" que utiliza o modo ecológico, ou seja, na posição Verde. Hoje com a facilidade de se tirar milhares de fotos (iniciei a fotografia no tempo do filme 35 mm) não tem muito sentido em ficar colocando TAGS de Hobista, Amador ou Profissional, a fotografia está mais acessível seja lá com que equipamento então é deixar fluir e não ficar taxando disso ou daquilo.

    • Bom, gostaria de pedir desculpas, primeiramente, se alguém se sentiu ofendido pelo artigo. Mas o intuito principal foi citar o caminho das pedras para quem deseja se tornar profissional. Entendo que existam muitos hobbistas que têm o mesmo nível de conhecimento e de equipamentos, o que passei foi uma visão geral. Entretanto, eu acredito que os fotógrafos que estudam e que têm aparelhos profissionais já podem se considerar profissionais também, mesmo não trabalhando exclusivamente com isso. Mas, infelizmente, existem pessoas que se dedicam exclusivamente à fotografia e dela tiram seu ganha pão e são preteridas pelos clientes que não valorizam o trabalho e escolhem aquela pessoa que tem uma câmera bacaninha só porque ele faz um preço camarada. O intuito principal do post é mostrar que fotografia é uma profissão e que requer tanto estudo e dedicação quanto qualquer outra! :) hu

      • Novamente discordo, isso é papo de fotografo fracassado colocar a culpa de sua falta de clientes em fotografos irresponsaveis que se aventuram no mundo profissional queimando toda a categoria com a falta de profissionalismo, competencia e ate mesmo experiencia minima para tal.
        De qualquer forma quem pretende realizar um trabalho sério nao contrata fotografo de fim de semana a preco de babana e sim alguem com provada capacidade para executalo; embora quem esta a começar possa fazer trabalhos em parceria (sem lucro algum) para criar um nome no mercado alvo dela, isso não justifica esse papinho de prejudica quem trabalha na area, isso é papo de recalcado sem talento e sem capacidade profissional e empresarial para ter um negocio proprio e é nesse ponto que poderia ter sido o foco de sua materia, nao adianta talento artistico e capacidade tecnica quando nao se compreende os outros aspectos de um empreendimento, tambem vejo que é nesse ponto que muitos erram, e onde alguns mesmo sem talento algum acertam e estão ai firme no mercado fazendo os mesmos cliches de sempre.
        Ter uma camera profissional nao faz de ninguem profissional mesmo que se considere assim, profissionalismo é muito mais que o seu preco e sua camera, e esse é um ponto em que muitos profissionais queimam a categoria.

        • Exato, Bruno. Defendi o tempo todo que o principal é o estudo. Se você estuda e tem conhecimento, pode se considerar profissional mesmo que não tire seu sustento da fotografia. De qualquer forma, respeito sua opinião.