fbpx

Segredos e dicas para registrar um céu estrelado

Hoje vamos falar um pouco sobre uma modalidade que na minha opinião é uma das mais fascinantes na área da fotografia: a astrofotografia. É impressionante como uma câmera pode ampliar nossa visão da luz disponível. O que os nossos olhos enxergam em uma noite límpida de céu estrelado, é apenas uma pequena fração do que os sensores de nossos modernos equipamentos conseguem registrar. É isso que faz esse tipo de fotografia ser tão mágica: a visualização de uma realidade que não conseguimos perceber.

Astro-1

Para iniciar nesse universo da fotografia, você precisa de muito menos do que imagina. Telescópios? Câmeras astronômicas? Equipamentos caros e imensos? Não. Você vai precisar apenas de uma câmera razoável, com modo manual, e um tripé (ou qualquer apoio que faça sua câmera ficar parada durante algumas frações de minuto).

1. Escolha um local livre de poluição luminosa

Talvez esse passo seja o mais difícil. Vivemos em centros urbanos onde a poluição luminosa é muito grande, impossibilitando a visualização das estrelas de magnitude menor, mesmo sem uma nuvem sequer. Para isso, devemos procurar locais afastados da urbanização (campos, montanhas, praias isoladas) onde há menos luzes para interferir, e até mesmo menos poluição atmosférica.

Um outro detalhe é a lua. Uma noite de lua cheia não é a melhor das condições para se fazer uma foto estrelada. Procure sempre fotografar quando a lua estiver nova, começando a crescer, ou terminando de minguar (a não ser que você queira fotografar especificamente a lua). Não é impossível fotografar ignorando as condições acima. Mas o resultado não fica tão sensacional quanto em fotos premiadas.

2. Prepare o seu equipamento

Pegou sua câmera bacaninha e tripé? Ótimo. Encaixe um no outro e você está pronto.

3. Configure sua câmera

Sua câmera precisa ter um modo de disparo onde você possa configurar a velocidade do obturador. Isto é, para captar mais luz, você precisa deixar o obturador da sua câmera mais tempo aberto (aquele clique que você ouve quando aperta o botão). Quanto mais tempo você deixá-lo aberto apontado para o céu estrelado, mais estrelas e luzes vão aparecer na sua fotografia.

Só tem um detalhe: as estrelas estão em movimento constante pelo céu, logo, se você deixar muito tempo, elas vão sair borradas na sua foto. Não se aflija. Existe uma formulazinha mágica para calcular o tempo certo que você pode deixar o obturador aberto sem borrar sua foto. Aí vai:

500/Distância focal = Quantidade de segundos de abertura do obturador

Logo, se você pegou aquela sua lente 18-55mm para brincar e colocou em 18mm para tirar uma bela panorâmica, faça as contas (estou considerando que sua câmera tem fator de corte 1,6, ou seja, não é uma full frame):

500/(18*1,6) = X

X = Aproximadamente 17 segundos

Além disso, faça questão de colocar o seu ISO no máximo que você aceitar (não é muito recomendável passar de 6400) e a abertura do diafragma a maior possível para deixar bastante luz entrar. (ISO 3200, f/2.8 é um exemplo de configuração bem clara)

Se você não quiser ficar fazendo conta toda vez que pegar na sua câmera e estabelecer a distância focal, faça o que todos nós fazemos no dia a dia: experimente! :-)

Astro-2

4. Dispare

Parece a parte mais fácil, mas não é. Quando você opera uma câmera com a velocidade do obturador baixa, qualquer movimento, inclusive do seu dedo apertando o botão, pode gerar um terremoto na foto. O truque aqui é você ter um disparador remoto ou então colocar o timer da câmera para ela disparar longe do seu dedo. Tenha cuidado para não movimentar a câmera durante esse tempo de exposição (ventos, pequenas tremidas, influenciam no resultado final).

Os resultados podem ser os mais variados. Se ficou alguma dúvida, confira nosso videozinho a seguir:

Boas fotos!

Vamos te mostrar os principais SEGREDOS PARA CRIAR ENSAIOS MARAVILHOSOS.
1º CONGRESSO NACIONAL FOTODG
Saber Mais ➜