Home » Artigos » Artigos de opinião » As 11 coisas mais estúpidas ditas sobre equipamentos

As 11 coisas mais estúpidas ditas sobre equipamentos 5/5 (1)

Você certamente já ouviu ou disse alguma dessas tiradas. E talvez nem tenha percebido como era uma ideia ruim sobre equipamento fotográfico

de Michael Comeau (traduzido/adaptado)

 

Sou como muitos fotógrafos: quero clicar mais frequentemente, e uma das grandes razões pelas quais não clico tanto quanto eu queria é que gasto muito tempo lendo sobre equipamentos.

Agora, venho fotografando desde 2008, o que significa que tenho lido sobre equipamentos fotográficos há 8 anos. Não é uma eternidade, mais é um tempo longo o bastante para perceber que em relação a câmeras e objetivas os fotógrafos têm um mau hábito de fazer declarações dramáticas sem qualquer base na realidade.

Aqui estão minhas 11 favoritas:

 

11. Qualquer frase contendo ‘microcontraste’, ‘destaque 3D’ ou ‘visual de médio-formato’

O que aconteceu com a palavra nitidez? Porque parece que uma ninhada de fotógrafos que teimam em soar como um departamento de marketing de uma fabricante de objetivas.

Quando escuto pseudociência patranhada como ‘microcontraste’ penso ser um fotógrafo tentando um pouco esforçadamente justificar a compra de uma objetiva de mais de $3.000.

Escuta, nestes dias é bem difícil comprar uma objetiva ruim, não importa quanto mais — ou menos — dinheiro você esteja investindo. Então é essa objetiva chique que você quer? Se você pode permitir-se, apenas compre-a. Você provavelmente vai gostar dela.

E, ah sim, a única maneira de obter o “visual de médio-formato” é utilizando uma câmera médio-formato e uma objetiva para tal!

Fim da história.

10. Prefiro o visual Nikon

De todos, meu artigo sobre equipamento preferido é o teste cego do Fstoppers com a Nikon D810, a Canon 5DsR e a Sony A7R II. Clicaram uma imagem idêntica com todas três câmeras, e as pessoas não poderiam adivinhar qual câmera tirou qual foto.

A ideia de que podemos discernir claramente uma marca de câmera da outra é toda de nossas cabeças. A qualidade de imagem resolveu-se, você não poderia comprar uma câmera ruim se tentasse nesses dias.

Onde as marcas realmente diferenciam-se entre si nos dias de hoje é na ergonomia, na flexibilidade do RAW, tamanho/peso, seleção de objetivas e assistência ao cliente.

Foque nisso, não alguma ideia idiota de obter o “visual da marca X.”

9. Céus, esta objetiva tem o melhor bokeh!

Não entendo a obsessão dos fotógrafos com a apresentação das áreas fora de foco. Veja num site qualquer foto que tenha uma profundidade de campo cremosa [link ao final].

Se você esté mais interessado no que está desfocado do que o motivo, então, pra mim, a foto é um erro.

Motivos/sujeitos fortes sobressaem-se de um bokeh ‘ruim’ ou ‘distrativo’ a qualquer dia da semana. Fim da história.

Não convenceu-se? Bem, você consegue encontrar uma foto que ficaria ruim se tivesse um bokeh diferente? E consegue encontrar uma foto ruim que ficaria ótima se tivesse um bokeh diferente? Tenho certeza que não.

8. A “lendária” marca ⨯ objetiva 85mm

Não existem câmeras ou objetivas lendárias. Existem apenas fotógrafos lendários que fazem fotos lendárias. E muito poucas dessas fotos lendárias requeriam especificamente determinado equipamento.

Por exemplo, Steve McCurry clicou sua famosa foto Garota afegã com uma Nikon FM2 e uma objetiva 105mm ƒ2.5 AIS. Steve é um fotógrafo extraordinário. Ele poderia tê-la feito com uma Canon, ou Olympus, ou Pentax, ou Leica, ou qualquer uma.

7. Minha câmera está desatualizada!

Na fotografia, em 99,9% do tempo, mais novo é melhor. Mas qualquer equipamento que ainda funcione como o esperado não está desatualizado.

Eu tenho uma Canon 5D. Sim, a original lá de 2005. E a Canon já está para anunciar a 5D mark IV, e deve sair bem melhor que a minha velha 5D. Mas sabe de uma coisa? Minha 5D ainda liga direito e está 100% funcional. Então não está desatualizada.

6. Estou com medo que meu equipamento fique molhado/quebrado/mijado

Pare de tratar sua câmera como seu bebê recém-nascido. Se você tomar precauções razoáveis, de senso comum, seu equipamento deve ficar perfeitamente seguro 99,999% do tempo.

Mantenha sua câmera protegida na chuva ou na neve. Fique fora de trilhos de trem. E não exiba seu novo equipamento caro em lugares pouco familiares.

Mas câmeras foram feitas para serem usadas. E se você não vai fazê-lo em condições não tão perfeitas assim — quando boas fotos ocorrem —, por que é mesmo que você tem uma câmera?

5. Minha família ficará tão feliz, estou levando todo meu equipamento nas férias!

Aqui está uma maneira infalível de arruinar as férias de sua família: levar uma mochila imensa com 2 câmeras, 9 objetivas e um tripé imenso.

Vivo na cidade de Nova York, que transborda de turistas empunhando câmeras. Quase todo dia, vejo famílias sentando num canto esperando que o Papai (sim, é sempre o Papai) terminar de perder tempo com todo seu equipamento fotográfico.

E nunca parecem felizes.

Escuta, sua família não está inscrevendo-se para segui-lo em seu safári fotográfico. Eles querem apenas curtir entre eles. Então leve no máximo uma câmera e duas objetivas. Você não precisa de qualquer coisa a mais.

4. ƒ4 é o ponto certeiro dessa objetiva!

Eu nunca entendi a ideia de clicar num ponto certeiro (sweet spot) de uma objetiva.

Amo minha objetiva Sony 35mm ƒ2.8. E digamos que as curvas MTF e os testes de laboratório , e tudo o mais digam que ela é mais nítida em ƒ8. Esse tipo de informação é 100% inútil.

A não ser que você esteja produzindo impressões verdadeiramente massivas e precise de nitidez máxima (99,9% de nós não precisamos), sua abertura deve ser um reflexo do quanto de luz na cena e/ou a profundidade de campo desejada — ponto.

3. Acabei de baixar a atualização do Lightroom/Photoshop/Capture One/Apple OSX que saiu hoje!

Não tenho qualquer forte opinião sobre programas, mas vou dizer-lhe uma coisa: nunca baixe uma nova atualização logo na primeira publicação.

Não é um soco na Adobe, Phase One, Apple ou qualquer outro desenvolvedor de software. Mas os programas vem tornando-se mais e mais complexos, e é impossível testar todas configurações e setups possíveis. Muito frequentemente isso significa que temos que lidar com bugs.

Mas você pode facilitar as coisas para si deixando que seus amigos sejam os beta testers.

2. Odeio quando as pessoas dizem “Suas fotos são incríveis, você deve ter uma ótima câmera!”

Traduzo essa declaração como “Preciso ouvir que sou um ótimo fotógrafo.”

A razão pela qual pessoas reais (leia-se, não-fotógrafos[as]) dizem coisas como “Suas fotos são ótimas, você deve ter uam ótima câmera!” é que elas não sabem nada de fotografia e querem conversar. Então pare o falso ultraje e aceite declarações como essa pelo que elas são: apenas pessoas tentando ser polidas. Elas estão falando das ferramentas porque é um ponto óbvio para conversa.

E além disso, quantas vezes você deu uma googlada em “Que câmera o fotógrafo Joe Schmoe usa?” Porque quando você pensa sobre isso, é basicamente o mesmo que dizer “As fotos de Joe Schmoe são ótimas. Ele deve ter uma ótima câmera!”

E finalmente…

1. Não me importo com equipamento!

Escute, eu digo a mim mesmo todo o tempo que não estou obcecado com equipamento… e isso é besteira pura.

Eu pesco ofertas no Craiglist todo santo dia, mesmo de coisas que não preciso. Estou sempre pensando se deveria comprar a nova Sony A7R II, ainda que minha A7 II supra perfeitamente minhas necessidades em 99% do tempo.

Vamos simplesmente admitir a verdade: todos nós queremos brinquedos novos, seja uma Nikon D5 ou uma Hasselblad, ou ainda uma aponte-e-dispare analógica de 20 contos.

 

[divider style=”dotted” top=”20″ bottom=”20″]

Por último, o autor Micahel Comeau deixa um adendo, com uma pergunta e um pedido, que repetimos aqui, porque adoraríamos ver algumas respostas:

 

Então sou louco?

Poste um comentário e diga a maior estupidez que escrevi neste artigo!

via PetaPixel

[divider style=”dashed” top=”20″ bottom=”20″]

Links do artigo:

Artigo do Fstoppers com teste cego entre várias câmeras
Quer ver um monte de foto com DOF cremoso? O autor indica esta galeria
A Garota afegã de Steve McCurry e sua história, no Lomography
10 dicas práticas pra fugir da Equipamentite Aguda
Série “Seguro de equipamentos fotográficos”: partes I, II e III

Ajude-nos, avalie este artigo:

Alexandre Maia

Clico, viajo, olho, analiso, converso, e repito — em qualquer ordem!

Também estou no blog da D&M Photo.

28 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Adoro fotos de surf, mas jamais montaria meu tripé hidráulico dentro da água salgada com a máquina e tele sob forte maresia marinha. Temos que entender que essa é a realidade desse fotógrafo novaiorquino, como a de muitos outros mundo afora. Poder destruir um equipamento em nome de meia dúzia de fotos audaciosas.
    Segundo que ficar antenado no que laboratórios dizem sobre objetivas hoje em dia é fundamental. Há sim lentes ruins que não entregam o que prometem. Uma 28-80 Sigma por exemplo pode custar a metade de uma Canon ou Nikon original, mas vai te deixar na mão nas aberturas maiores. Mas no geral o artigo foi excelente. Temos que compreender que ele é o ponto de vista desse fotógrafo, nada mais que isso!

  • Por essas e outras que cada vez é mais desanimador escrever qualquer coisa na internet, as pessoas levam tudo a ferro e fogo. Não precisa dizer amém pra tudo o que o cara disse, mas daí a ficar de mimimi, rebatendo ponto a ponto…

    Falta mais reflexão e digestão para o mundo.

    • Raphael, por isso sou adepto do “sou responsável pelo que eu escrevo, não pelo que você entende”. Falta interpretação de texto ou um pouquinho de boa vontade ao povo.

  • Sorry campeão. Você asneira no 11. 10. e 9.

    Microcontraste não é a mesma coisa que nitidez nem conceitualmente nem visualmente. E microcontraste não é questão de lente e sim de render.

    E já falando de render, existem diferenças sim nos looks da nikon, canon, fuji, leica, sony, etc. Isso aparece majoritariamente nos JPEGS por conta do render de cada marca, mas um jeito fácil de expressar isso é que a canon tem uma curva de saturação pra cima enquanto o render da nikon é mais linear. Se você quer ver isso com clareza, baixa o DXO Optics Pro que ele te simula o render de várias câmeras e marcas diferentes.

    Quanto ao bokeh, isso é questão de finalização. Um bokeh ruim não necessariamente estragaria a foto, mas a questão de uma foto boa pra uma foto ótima tá nessas delicadezas. É o mesmo motivo pelo qual você usa uma Phase One ao invés de uma 5DS. Os megapixels a gente interpola, mas o que é natural da câmera e das lentes, não. Se você está competindo no topo do mercado, uma lente com o bokeh adequado pra foto e outro não realmente faz a diferença.

  • Ressalvas:

    10. OK

    9. Discordo, principalmente porque vemos ensaios fotográficos horripilantes, de casais e gestantes principalmente, feitos com lente kit com uma profundidade de campo daqui ao infinito e que ficariam muito melhores se tivessem um bokeh satisfatório.

    8. OK

    7. Se você tem uma 5D totalmente funcional e critica a atualização de equipamento, por que comprou uma A7II e não outra 5D totalmente funcional como segunda câmera por um quarto do preço?

    6. Equipamentos são caros e carecem de cuidados, a não ser que você seja rico pra comprar uma nova por ano e não precise vender a antiga, aí sim, mije, molhe, derrube, etc.

    5. OK

    4. OK

    3. Não entendi o porque da atualização de softwares estar em um tópico sobre "coisas estúpidas ditas sobre equipamentos", mas OK.

    2. "Quantas vezes você deu uma googlada em “Que câmera o fotógrafo Joe Schmoe usa?”" – Nenhuma.

    1. Releia o que você mesmo escreveu no item 6 e 7.

  • Eu gostei desse tópico. Só penso duas coisas: Que o autor "bateu" pouco e desconsiderou algumas questões técnicas, mas de qualquer forma, essa ultima, não desqualifica a base que ele quis defender.
    Acredito que deveríamos ter mais tópicos nessa linha, uma vez que a atividade fotografia tem muitas faces e os conteúdos que se vê por ai, principalmente em redes sociais é um balaio de gatos.
    A fotografia vive duas crises muito sérias. De um lado um enorme conto de fadas, e do outro, carência de reconhecimento que beira a agressividade.

  • Ótimo artigo, curti demais. Sobre a questão das pessoas que elogiam as câmeras ao invés dos fotógrafos, o melhor é desapegar, senão a gente fica deprimido. A câmera sozinha não faz a foto. Isso fica bem nítido quando a gente consegue fazer uma foto maravilhosa e depois pede para alguém tirar uma foto nossa, com aquele mesmo equipamento, e a foto sai uma porcaria, mal enquadrada, desfocada, aí sim é que a realidade se mostra.

    • Exatamente. Só não dá pra fazer isso sempre porque não dá pra confiar sempre que o amigo (?) vá sequer segurar direito a câmera e a objetiva, além de muitas vezes não podemos parar pra essas "brincadeiras" de troca de papéis.

  • Praticamente tudo isso faz sentido, exceto a parte do bokeh (a das atualizações faria sentido 15 anos atrás, mas o autor deve estar usando Windows 95 até hoje, pelo visto, então está desculpado). Na galeria de 'fotos com DOF cremoso' (seja lá o que 'cremoso' signifique) do link, a única foto onde o bokeh é relevante é a foto 26, e (IMHO) poderia ser melhor.

  • Se eu pudesse usar a minha velhinha Nikkormat FTN com uma simples 50mm f 1:1.4 e uma 135mm f 1:3.5 com um adaptador Analógico –> Digital, esquecia todos os artigos que tenho lido sobre fotografia!

    • Nesse sentido, você pensa como eu penso… hoje não se faz fotografia como antigamente, quando você precisava pensar e controlar tudo, por ex.: foco, abertura, velocidade, ISO etc. Com as câmeras atuais quase todos "podem" se dizer "fotógrafos"… saudade daquele tempo!

  • Nota dez para o item 10. Só vale mesmo se o(a) "fotógrafo(a)" estiver se referindo à impressão que causa quando chega em algum lugar portando uma câmera – como diria um ex-professor meu – "profissa com uma lente orgásmica". Vários amigos pedem conselho sobre que marca comprar e eu sempre digo: Vá até a loja, experimente todas, observe qual delas você se sente mais confortável e "case" com ela.

  • Tenho uma Nikon D600 e uma antiga Olympus OM1, a primeira da série, a câmera que mais gostei de ter… o que eu gostaria de ter mesmo, é uma Olympus OM1 igual a que tenho mas digital, pois ela não tem nenhum recurso eletrônico, nada de foco automático, nada de controle automático de exposição ou abertura, e as objetivas Zuiko que a Olympus criou na época, são excelentes, tanto que estou querendo adquirir um anel de adaptação para usar as objetivas Olympus Zuiko na minha Nikon… quem se interessar neste aspecto, pode procurar na BH de Nova York no link: http://www.bhphotovideo.com/c/product/995089-REG/

  • Seus comentários determinam que você esteja louco? Com mais de 50 anos fotografando, então seremos colegas de quarto no hospício. Tô contigo e não abro.

  • Adorei essa última do equipamento! Sempre dou uma olhadinha no que saiu apesar
    de ser um fotógrafo que usa um equipamento um tanto antigo, sou um dos poucos fotógrafos que fez "downgrade"
    rs parabens pelo artigo!